27 de junho de 2017

Ivo Vieira não conta com avançado Rui Miguel

Rui Miguel está de saída da Académica. O avançado não entra nas contas do treinador Ivo Vieira para a próxima época, segundo o Diário de Coimbra apurou, razão pela qual foi autorizado pela Direcção a apresentar-se apenas no final desta semana, tendo assim ontem falhado o arranque dos trabalhos do plantel academista que dedicou o primeiro dia aos exames médicos (ver mais informação na página 22). 

O ponta-de-lança, de 33 anos, que cumpriu todas as etapas da formação no emblema conimbricense e que ficou ligado à conquista da Taça de Portugal em 2012, regressou a Coimbra na época passada e foi inclusivamente o melhor marcador da equipa com uma dúzia de golos (10 na II Liga e dois na Taça de Portugal), mas agora não fará parte do grupo de trabalho que atacará a subida à I Liga.

in diariodecoimbra

Torneio Capital do Móvel com P. Ferreira, Académica e FC Porto B

O FC Porto divulgou o calendário de pré-época da equipa B e ficou a saber-se que marcará presença no Torneio Capital do Móvel, juntamente com o Paços de Ferreira e Académica.

O torneio triangular está marcado para 15 de julho.

Será a quarta edição da prova organizada pelos Castores, que venceram no último ano o Boavista e o V. Guimarães.

in ojogo

26 de junho de 2017

Começa hoje a nova temporada da Académica

Se é o sonho que comanda a vida a Briosa inicia, hoje, o “trilho” que espera que seja uma realidade para lá de qualquer sonho dos adeptos e amantes da equipa que seria a subida à I Liga e o regresso da Académica ao patamar do futebol nacional que lhe é devido, lado a lado com os “grandes” do desporto-rei em Portugal. Na temporada passada, foram apenas e só sonhos, sem que tenha sido assumida, realmente, a promoção como um objectivo a cumprir mas a época que os estudantes hoje começam a preparar, com os habituais exames médicos a realizarem-se na Academia Briosa XXI, tem outros contornos. O novo presidente Pedro Roxo, que sucedeu a Paulo Almeida no cargo depois de demissão do advogado por «razões pessoais», e o novo timoneiro da equipa, Ivo Vieira, mudaram o “chip” ao discurso. Na apresentação do técnico madeirense e em intervenções do líder da Briosa na última Assembleia Geral foi claramente assumida a subida como meta para esta temporada.

in diariodecoimbra 

Orçamento aprovado

O orçamento da Académica para a próxima época desportiva foi esta quinta-feira aprovado, sem qualquer voto contra dos associados da Briosa. O documento apresentado em Assembleia-Geral mostrou uma previsão de 2,1 milhões de euros, distribuídos pela OAF (690 mil euros) e pela SDUQ, onde se inclui a equipa profissional (1,4 milhões).

Na mesma reunião de sócios, Pedro Roxo, presidente dos capas negras, admitiu as dificuldades financeiras do clube, ainda que esse cenário não o impeça de sonhar. "Depois do 6.º lugar que obtivemos, partimos para a contratação de Ivo Vieira. Esta foi a nossa primeira escolha e estamos convictos de que ele é a pessoa certa", defendeu, colocando a fasquia na "subida de divisão".

Apesar da votação do novo orçamento ter decorrido sem qualquer objeção, a Assembleia começou e terminou com polémica. Primeiro, devido à vontade de um grupo de sócios em trocar a ordem de trabalhos, discutindo, primeiro, a atualidade e o futuro do clube e só depois votar o orçamento. 

Apesar de muito divididos, os sócios acabaram por declinar esta proposta. Já na parte final da noite, e devido à não marcação de uma Assembleia-Geral Extraordinária requerida por 68 sócios, o sócio Miguel Andrade entregou um documento a pedir uma moção de censura ao presidente da Mesa da Assembleia-Geral, João Vasco Ribeiro, ainda que esta pretensão não tenha sido dada como válida. 

Foram ainda colocadas 16 perguntas sobre a recente venda da antiga Sede dos Arcos, o que levou Alcídio Mateus Ferreira, presidente do Conselho Fiscal, a garantir que "a direção cumpriu fielmente a deliberação dos sócios" neste processo, e a Pedro Roxo a deixar algumas das respostas pedidas pelos sócios.

in record

14 de junho de 2017

Vítor Alves será adjunto de Ivo Vieira

Vítor Alves vai ser o treinador de guarda-redes da Académica na temporada 2017/2018, segundo apurou o Diário de Co­imbra. O técnico, que é funcionário do clube há alguns anos, volta assim a desempenhar estas funções dois anos depois, isto porque em 2015 integrou a equipa técnica comandada por José Viterbo, altura em que a turma conimbricense estava na I Liga. Antigo guardião da Briosa du­rante quase uma década, Vítor Alves, de 56 anos, foi o treinador de guarda-redes da equi­pa técnica liderada por João Alves que conduziu a turma estudantil até à I Liga em 2002, sendo que em 2002/2003 chegou a orientar a equipa principal da Académi­ca, na I Liga, fazendo a transição entre João Alves e Artur Jorge. Como treinador principal, orientou a equi­­pa B dos estudantes em 2003/2004 e mais tarde os juniores, bem como o Abran­tes, o Monsanto e o Ami­en­­se. Na época que findou terminou-a à frente da AAC/SF, substituin­do no cargo Tó Sá, equipa que será “satélite” da Bri­osa em 2017/2018 e que vai competir na Divisão de Honra AFC. Ivo Vieira, que traz consigo os adjuntos Miguel Romão e Filipe Nogueira, fica assim com a equipa técnica completa, sen­do que Vítor Vinha fará a ligação entre os seniores e os juniores.

in diario de coimbra 

30 de novembro de 2016

Pedro Nuno é reforço encarnado

Médio de 21 anos assinou esta segunda-feira e vai agora ser emprestado ao Tondela, onde se apresenta já amanhã

Benfica: Pedro Nuno é reforço encarnado

O Benfica garantiu esta segunda-feira a contratação de Pedro Nuno.

O jovem médio, de 21 anos, passou o dia todo em Lisboa, na companhia do empresário Gaspar Freire, tendo realizado os exames médicos de manhã e assinado ao fim da tarde.

Já passava das 18.30 horas, quando Pedro Nuno rubricou contrato com o Benfica, num vínculo por quatro épocas e meia: válido até 30 de junho de 2021.

Pela transferência o Benfica pagará cerca de 500 mil euros à Académica.

O médio pouco tempo ficou em Lisboa, porém: logo depois de assinar, foi emprestado ao Tondela, da Liga, onde de resto se apresenta ao início da tarde desta terça-feira, para começar a trabalhar com o plantel de Petit.

Pedro Nuno incorpora-se já no novo clube, onde chega por cedência do Benfica, mas só se torna opção a partir de 1 de janeiro, quando reabrirem as inscrições na Liga.

PUB
Para trás, o jovem de 21 anos cinco temporadas em Coimbra, ao serviço da Académica, clube onde acabou a formação (fez duas temporadas como júnior) e a transferência para o futebol profissional (realizou três épocas como sénior).

Trata-se de um regresso ao Benfica, sendo que já passou pelo Seixal como juvenil, durante dois anos, antes de sair precisamente para a Académica.

Senhor de um forte remate, Pedro Nuno apontou quatro golos em doze jogos na última época. Trata-se, de resto, de um médio ofensivo muito forte no último passe também.

7 de outubro de 2016

Costinha perde o adjunto Maniche

Maniche deixou o cargo de treinador adjunto da Académica, na equipa técnica liderada por Costinha.

De acordo com o comunicado divulgado pela Briosa, Maniche solicitou a desvinculação nesta quinta-feira, alegando «razões de ordem pessoal».

«A Direcção da AAC/OAF e a Gerência da AAC/OAF SDUQ, Lda, confrontadas com o pedido de Maniche, tudo fizeram para impedir a saída do Treinador Adjunto mas, perante os motivos apresentados, tal não foi possível. Assim, a partir desta data, Maniche não faz mais parte da equipa técnica da Académica», acrescenta o comunicado, que inclui ainda uma mensagem de despedida do técnico.

«Em primeiro lugar gostaria de agradecer o respeito, a consideração, o carinho que os jogadores sempre tiveram comigo, agradecer o trabalho que fazem em prol da Académica… Depois, deixar um forte abraço ao meu amigo Costinha e a toda a equipa técnica, partilhámos momentos fantásticos, outros menos bons, mas sempre com o objectivo de os ultrapassar. Gostaria, também, de agradecer à Direcção pela oportunidade que me deu de poder trabalhar numa grande, enorme Instituição que é a Académica e, obviamente, deixar uma palavra aos adeptos, que são fenomenais no apoio à equipa. O meu obrigado também a eles e desejo que continuem a incentivar a equipa e a ajudar a Académica. Nunca desistam! Um grande abraço a todos», escreveu o antigo internacional português.

A Académica ocupa atualmente a sétima posição da II Liga, com 15 pontos, a onze do líder Portimonense.

16 de setembro de 2016

«Sinto os jogadores com vontade em dar a volta à situação» - Costinha

Costinha

A Académica não atravessa um bom período, é inegável, mas em Coimbra há uma grande esperança numa inversão de percurso. O arranque intermitente na Liga 2 fez soar os alarmes e, como tal, os estudantes precisam, com a maior brevidade possível, de regressar às vitórias para que as águas do Mondego possam serenar.

O regresso à competição está agendado já para esta sexta-feira, com a receção ao Famalicão, às 19.30 horas, e a Briosa está pronta para lutar pelos três pontos. Esta é uma das fortes convicções de Costinha que, ainda assim, admite que o grupo tem demonstrado alguma ansiedade e que esse fator tem sido prejudicial. Há, pois, defende, que alterar esse estado de espírito e partir em busca da confiança e dos pontos perdidos:

- Precisamos de ganhar amanhã. Se queremos andar nos lugares cimeiros de podermos, depois, lutar por algo, temos de ganhar a maior parte dos jogos em casa. Sinto os jogadores com vontade em dar a volta à situação. Eles também fazem a sua análise e eu percebo isso quando falo com eles. Temos que saber ultrapassar as dificuldades. Jogar em casa tem de ser sempre favorável, temos tido um apoio fantástico dos nossos adeptos e é extremamente importante saber aproveitar esse fator. O grupo quer dar uma imagem diferente e para tal necessita de ser suficiente maduro para controlar alguma ansiedade que possamos ter. O Famalicão é uma belíssima equipa, que deverá querer jogar com a ansiedade da Académica. Saberão que nós queremos assumir o jogo e virão tentar aproveitar os nossos erros. Mas nós queremos dar uma resposta positiva. Se a paragem foi benéfica? Depende do ponto de vista. Considero que temos menos 6 pontos do que devíamos, relembrando os jogos com o Santa Clara e com o Vizela. Se pensarmos nos jogadores que tínhamos debilitados e que já recuperaram, pode ter sido bom. Mas é muito importante que as pessoas possam situar-se. O Moreirense foi, nos últimos anos, a única equipa que desceu de divisão e subiu logo no ano seguinte. A nossa equipa tem que perceber a realidade onde está inserida e subir ou não subir de divisão depende de muitos fatores.

E para que o clima em torno do coletivo seja de estabilidade, entende Costinha, o melhor mesmo é abdicar de grande parte do contato com o exterior. Treinos à porta fechada, não divulgação de boletim médico e de lista de convocados, conferências de Imprensa só do treinador e não de jogadores… Tem sido assim. O treinador explica porquê. 

«Alterei as rotinas porque havia muito ruído. Tenho um contrato de um ano e não de um mês. Tem que se trabalhar perante a realidade quando há ruído injusto e negativo. Às vezes exige-se algo à Académica sem que se saiba da realidade do clube. Não tenho problemas nenhuns em abrir treinos, por exemplo, mas neste momento, com o burburinho que existe, achei por bem resguardar a equipa», esclareceu.

José Eduardo Simões teve direito… a meia resposta

Instado a pronunciar-se sobre o comunicado emitido na última semana por José Eduardo Simões, antigo presidente do clube, Costinha preferiu não se alongar. Do referido documento constavam críticas duras ao atual treinador da Briosa que respondeu assim. 

«Não vou cometer as palavras do antigo presidente. Neste momento precisamos de serenidade. Confesso que estava tentado a responder… Mas olho para o meu percurso enquanto desportista e ele está tão longe de mim que não vale a pena responder…», concluiu.

14 de setembro de 2016

Académica vs Famalicão: Bilhetes à venda

Os bilhetes para o jogo da sétima jornada da Liga LedmanPRO, que coloca frente a frente Académica e Famalicão, já se encontram à venda na Loja do Sócio, no Estádio Cidade de Coimbra, e na Loja Oficial da Briosa, no Alma Shopping. A partida está agendada para sexta-feira, pelas 19:30, no recinto estudantil.

Os sócios da Académica com quotas em dia, como se sabe, têm entrada gratuita no Estádio precisando apenas de mostrar o respectivo CARTÃO DE SÓCIO à entrada do recinto, podendo escolher uma das seguintes bancadas para assistir ao jogo: Nascente Inferior, Poente Inferior ou Poente Superior.

A entrada é gratuita para todas as crianças entre os 3 e os 12 anos. Os jovens apenas têm de mostrar um documento de identificação na Loja do Sócio e imediatamente recebem um bilhete para o jogo. Os restantes ingressos variam entre 3€ (Sector Visitante), 5€ (Nascente Inferior) e 7€ (Poente).

Estudantes do Ensino Superior entram de forma gratuita

De forma a assinalar o arranque do ano lectivo e a chegada dos caloiros a Coimbra, a Direcção da Académica convida todos os estudantes do Ensino Superior a assistir ao encontro frente ao Famalicão. A entrada é gratuita e, para tal, basta apresentar na Loja do Sócio um documento que comprove a matrícula e imediatamente recebe um bilhete para o encontro.

Não fique em casa e apoie os "estudantes" do princípio ao fim. A sua presença é fundamental!

Confira o preço dos bilhetes (Planta virtual do Estádio):

Sócios com quotas em dia * Entrada gratuita
Estudantes do Ensino Superior ** Entrada gratuita
3-12 anos Entrada gratuita
Público - Bancada Norte - Zona Visitante 3 €
Público - Bancadas Nascente Inferior 5 €
Público - Bancada Poente (Inferior e Superior) 7 €
* Obrigatória a apresentação do cartão de sócio ao entrar no Estádio.
** Obrigatória a apresentação de um documento que comprove a matrícula.

12 de setembro de 2016

«Esta Direção tem feito um trabalho absolutamente fantástico» - Costinha

Elogios a rodos. Foi desta forma que Costinha classificou os primeiros meses de mandato da Direção liderada por Paulo Almeida. A resposta do treinador academista surgiu na sequência de uma questão sobre o mercado de transferências e que acabou por atracar em todas as dificuldades que a Briosa tem tido pela frente desde que passou a ter de lidar com a realidade de competir na Liga 2.

O técnico dos estudantes abordou, em conferência de Imprensa, a receção ao Vizela, em partida antecipada da 9.ª jornada e que está agendada para as 16 horas deste domingo, no Estádio Cidade de Coimbra, e alertou para os perigos que o encontro de amanhã pode oferecer à sua equipa:
- Todos os sócios e adeptos devem agradecer a este grupo de pessoas que pegou nesta difícil tarefa de conduzir a Académica neste novo rumo. Foram muitas coisas mal feitas no passado, não foi só a descida de divisão. Havia muitas coisas para pagar, tais como contas, ordenados, IVA… Tirando Benfica, FC Porto, Sporting e SC Braga, a Académica devia ser o único clube que não tinha cláusulas de descida no seu plantel. Esta Direção tem feito um trabalho absolutamente fantástico. Nós tentamos ajudar em campo, conseguindo vitórias e dando alento aos muitos adeptos do clube. Sobre o jogo de amanhã, frente ao Vizela, vamos encontrar uma equipa bem organizada, que sabe o que faz em campo. Se nós, coletivamente, não tivermos a força necessária, podemos sofrer algum dissabor. Certamente que o Vizela também saberá do potencial da Académica. Penso que uma das palavras-chave será a paciência, uma vez que o Vizela é uma equipa que não se desmonta facilmente. Trata-se de uma equipa matreira, com jogadores que sabem tratar bem a bola e que quererão aproveitar os momentos em que nós possamos estar mal posicionados. Mas nós não vamos estar. Temos de encarar este jogo com muita seriedade e competência. Ganhar é sempre importante, ainda que fiquemos com um jogo a mais do que as restantes equipas. Mas quanto mais perto conseguirmos estar do topo da classificação, melhor. Queríamos esta antecipação para ficarmos com uma quarta-feira livre em outubro. Mas isso já não vai acontecer por causa do jogo com o Covilhã. Sabemos que a Académica é um clube apetecível mas tem que ser tratada como todos os clubes. Será que a Liga não faz as vistorias aos estádios corretamente. 

Feliz por Pedro Nuno

Tem sido mote de Costinha, nas últimas semanas, elogiar a qualidade de Pedro Nuno. O treinador da Briosa já disse, inclusivamente, tratar-se de um dos melhores jogadores da Liga 2 e que jogaria facilmente em qualquer clube do principal escalão. Agora, que o mercado de transferências fechou, Costinha tem a garantia de que vai ter o médio ofensivo à sua disposição, pelo menos, até janeiro. E isso é bom, claro. «Estou satisfeito com as opções que tenho. O Pedro Nuno não fez todos os jogos da pré-época e é normal que não tenha o ritmo de jogo dos restantes companheiros. Se joga ou não amanhã não vou tornar público. Mas a decisão já está tomada na minha cabeça. O Pedro é inteligente o suficiente para perceber que não vale a pena baixar a cabeça e para continuar o seu trajeto. Com a idade e qualidade que tem pode demonstrar a todos os clubes que tentaram vir buscá-lo mas que não o levaram que fizeram mal. Ele tem noção do que pode fazer. Com 21 anos, já tem muita maturidade. Outro jogador levantaria problemas mas o Pedro foi sempre tranquilo», concluiu.

José Eduardo Simões tece duras críticas a Costinha

Alguns dias depois de uma conferência de Imprensa dada por Costinha, que serviu de antevisão do jogo com o Vizela, José Eduardo Simões, antigo presidente da Académica, entendeu por bem, através de comunicado, responder a algumas matérias sobre as quais o atual treinador da Briosa se pronunciou.

No referido documento, a que A BOLA teve acesso, Simões tece duras críticas a Costinha, lembrando que o antigo internacional português foi contratado para treinar e não para gerir.

Eis o comunicado de José Eduardo Simões:

«Durante a conferência de imprensa realizada no passado dia 3 de Setembro, o treinador “Costinha”, entre outras declarações reproduzidas nos órgãos de comunicação social, disse o seguinte: “Foram muitas coisas que se fizeram mal no passado, não foi só a descida, mas tudo o que envolve a descida. Havia ordenados para pagar, IVA para pagar e tirando Benfica, Porto, Sporting e Braga devia ser o único clube que não tinha cláusulas de descida no plantel”. Que se saiba, “Costinha” é funcionário da Académica, SDUQ, a título temporário. Não é gestor nem conhece minimamente o passado recente da Académica, nem sequer o regime legal da contratação coletiva dos jogadores profissionais. Está totalmente alheio à realidade dos clubes e é irresponsável ao criticar dirigentes que muito fizeram pela Académica. Presume, não sabe. E presume mal quando aborda matérias que não conhece, não percebe, não entende, não estudou, não praticou, não está preparado, não compreende, não é competente nem é da sua competência enquanto funcionário da Académica. Se as declarações que produziu foram a pedido ou para continuar nas boas graças de quem o contratou, mostrou não só ignorância, mas também impreparação e falta de inteligência. O treinador “Costinha” foi contratado para treinar a equipa profissional da Académica. Tem obrigação de o fazer com competência (e enquanto cá estiver não serei eu, por razões de coerência, a pôr em causa essa competência), colocando a Briosa a jogar bem, a ganhar e, beneficiando, como diz, do “extraordinário apoio da atual Direção” (aliás, será a gerência da SDUQ a que queria referir), fazer regressar a Académica à 1ª Liga no final desta época. É isso, e apenas isso, que os sócios desejam, anseiam e esperam, e se exige ao treinador “Costinha”, utilizando as “magníficas condições de trabalho das instalações desportivas da Académica”, nas suas próprias palavras. Já agora, será bom explicar ao treinador “Costinha” que essas instalações e condições não caíram do céu. Foram da exclusiva responsabilidade das Direções a que presidi. Pelo menos nesta matéria sempre fica a saber algo da história da Académica»

José Eduardo Simões
Sócio nº 448
Ex Presidente