30 de setembro de 2010

2010/11 - 07J - U. Leiria - Académica: Antevisão

De um lado, a fartura. Os estudantes marcam em barda, detêm aliás o segundo ataque mais produtivo da Liga, mas também se expõem em demasia, sofrendo golos que soam a consentimento. Do outro, a míngua. Só o Marítimo e o V. Setúbal marcaram menos até agora do que a U. Leiria mas os do Lis podem orgulhar-se de ter a segunda defesa menos batida da Liga, logo atrás do F.C. Porto. Em casa, a União só por uma vez permitiu um golo, ao Nacional, mas venceu a partida. Com o outro remate certeiro que detém, conseguiu uma segunda vitória, na passada jornada, de grande penalidade e já nos descontos, diante do Rio Ave.


É esta equipa tremendamente «poupadinha» - calha bem, num período de tanta austeridade - que recebe esta sexta-feira a vizinha de Coimbra, na abertura da sétima jornada da Liga. Jorge Costa tem razões para desconfiar do conjunto leiriense, que pode não cativar com o seu futebol mas vai somando pontos e, afinal, só está a três do seu antagonista.

Também neste aspecto, o da capacidade para gerar espectáculo, há uma boa diferença entre os do Lis e os do Mondego. No último jogo, em casa, ante o V. Guimarães, os estudantes produziram alguns dos mais belos momentos desta Liga com três golos de rara beleza, para uma vitória convincente e que os colocou no segundo lugar da classificação. Neste jogo, os estudantes têm a oportunidade de se isolarem na vice-liderança, mas também os da casa, em caso de vitória, podem ascender ao grupo que segue no segundo posto da tabela.
Resta saber o que irá prevalecer: o saudável hábito da Briosa de marcar em todos os jogos ou a defesa tipo eucalipto (seca tudo à sua volta) da União?

Académica não muda
Vindos de vitórias, leirienses e estudantes não deverão mexer muito nas respectivas equipas. Os visitantes, de resto, devem mesmo manter o onze que derrotou o V. Guimarães. Já na formação de Pedro Caixinha, perspectiva-se a saída de Paulo Sérgio, que assim irá falhar o reencontro com a antiga equipa, pelo menos no onze inicial. Para o seu lugar, deverá entrar o regressado Marcos Paulo, após castigo, levando à derivação de Marco Soares para «trinco».
A tradição, além de dizer que a Briosa costuma estar bem representada nas bancadas - pena o jogo ser numa sexta à noite... -, regista um certo equilíbrio nos pratos da balança: três tirunfos da equipa de Coimbra, dois empates, e cinco vitórias da turma do Lis.

EQUIPAS PROVÁVEIS:

U.LEIRIA: Gottardi; Paulo Vinícius, Bruno Miguel, Zé António e Patrick; Marco Soares; Marcos Paulo, Silas e Pateiro; NGal e Carlão.
Outros convocados: Mika, Diego Gaúcho, Obradovic, Paulo Sérgio, Diogo Amado, Leandro Lima, Ruben Brígido e Zhang.

ACADÉMICA: Peiser; Pedro Costa, Berger, Orlando e Hélder Cabral; Nuno Coelho, Diogo Melo e Hugo Morais; Sougou, Miguel Fidalgo e Diogo Valente.
Outros convocados: Ricardo, Amoreirinha, Paulo Grilo, Diogo Gomes, Paraíba, Laionel, Éder e Amessan. 

2010/11 - 07J - U. Leiria - Académica: Grilo e Amessan nos eleitos para Leiria

Jorge Costa promoveu a estreia do médio Grilo e o regresso do avançado Amessan na convocatória da Académica tendo em vista a deslocação a Leiria, sexta-feira, para a sétima jornada da Liga.

Em sentido inverso, Luiz Nunes e Habib ficaram fora dos eleitos.

O guarda-redes Ricardo, que vinha a treinar-se de forma condicionada, também foi chamado para o compromisso na cidade do Lis. Barroca e Pape Sow, ambos por lesão, continuam de fora. 

Lista de convocados:

Guarda-redes: Peiser e Ricardo;

Defesas: Amoreirinha, Berger, Orlando, Pedro Costa e Hélder Cabral;

Médios: Hugo Morais, Grilo, Diogo Melo, Nuno Coelho, Diogo Gomes e Júnior Paraíba;

Avançados: Amessan, Laionel, Miguel Fidalgo, Sougou, Éder e Diogo Valente.

29 de setembro de 2010

2010/11 - 07J - U. Leiria - Académica: Árbitro: Elmano Santos

Nomeações para a 7.ª jornada da Liga:

Sexta-feira
U. Leiria-Académica, Elmano Santos (Madeira)

Sábado
Olhanense-V. Setúbal, Cosme Machado (Braga)

Domingo
Nacional-Portimonense, André Gralha (Santarém)
Rio Ave-Marítimo, João Ferreira (Setúbal)
Naval-P. Ferreira, Rui Silva (Vila Real)
Benfica-Sp. Braga, Duarte Gomes (Lisboa)

Segunda-feira
Beira-Mar-Sporting, Paulo Baptista (Portalegre)
V. Guimarães-FC Porto, Carlos Xistra (Castelo Branco)

Taça da Liga: Briosa defronta Arouca no dia 10 de Outubro

Aproxima-se a estreia da Briosa na Taça da Liga mas a verdade é que o jogo entre Arouca e Académica, integrado na primeira mão da 2ª Fase da Taça da Liga, já começou há muito nos gabinetes da Academia Dolce Vita.

Inicialmente previsto para o dia 27 de Outubro, o jogo entre as duas equipas será disputado no dia 10 do presente mês, em Arouca, sendo que a partida terá o seu início pelas 16:00.

Os responsáveis da Académica evitam assim que a Briosa tenha de defrontar o Arouca entre as recepções ao Nacional e ao FC Porto, pelo que a nova data permite também uma melhor preparação por parte da turma de Jorge Costa para a nova edição da Taça da Liga.

Nuno Coelho e Éderzito pré-convocados para a Selecção Nacional Sub-23


Os jogadores da Académica, Nuno Coelho e Éderzito, foram pré-convocados para a Selecção Nacional sub-23, que participará no Torneio Internacional "Challenge Trophy Sub-23", no Cartaxo.

A equipa das quinas, orientada por Agostinho Oliveira, defrontará a Irlanda do Norte no dia 12 de Outubro e a convocatória final será divulgada no dia 5, ou seja, uma semana antes da partida se disputar.

Recorde-se que esta pré-convocatória dos dois jogadores da Briosa integra-se num panorama de continuidade onde muitos jogadores dos "estudantes" têm sido chamados aos trabalhos da Selecção Nacional.

João Figueiredo nos sub-19, Sissoko nos sub-20 da Costa do Marfim, Grilo nos sub-20 e Nuno Coelho nos pré-convocados para os AA foram as mais recentes inclusões de jogadores da Briosa nas listas divulgadas pela Federação Portuguesa de Futebol, pelo que esta pré-convocatória reflecte mais uma vez o bom trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na Académica.

Aos nomes citados anteriormente junta-se agora Éderzito que, juntamente com Nuno Coelho, está então no lote dos pré-convocados para os sub-23.

Jorge Costa e o segundo lugar: «Não somos uma equipa eufórica»

Briosos mas não deslumbrados. Será esse o mais fiel retrato dos jogadores da Académica por estes dias, de alegria imensa em Coimbra pela vice-liderança da Liga. Jorge Costa, jovem técnico mas com um passado de enorme experiência enquanto jogador, sabe como é necessário fechar o balneário a alguns sentimentos perigosos que se podem instalar neste momento e combate-os com exemplos recentes.
«Não é muito habitual ver-nos neste lugar nem temos muitos jogadores habituados a lutar por esta posição mas temos experiências passadas que nos alertam. Na época passada, a três ou quatro jornadas do fim, esta equipa estava ainda intranquila, temos alguns atletas que desceram de divisão ou vieram da Liga de Honra. Temos consciência de que é melhor estar nesta situação do que noutras, aflitivas. Não somos uma equipa eufórica mas orgulhosa pelo trabalho realizado e consciente de que ainda nos falta muito, ainda há muitos pontos por somar», reconhece o treinador.
Jorge Costa admite que a equipa passou a ser mais solicitada e dá como mote a quantidade de jornalistas presentes na conferência de imprensa para justificar o aumento de mediatismo. «Todos nós já vivemos fases assim. O importante é não perder o nosso rumo e perceber os motivos de estarmos numa fase boa porque todos já passamos por fases más. Deslumbramento? Não. Acima de tudo há alegria e sensação de dever cumprindo. Não há melhor sentimento que ver traduzido em pontos toda a nossa dedicação e trabalho. Estamos orgulhosos mas com os pés bem assentes no chão», sublinha.
Ao mesmo tempo que relembra que a Académica merece ir mais além do que a simples luta pela manutenção, o treinador dos estudantes diz-se preparado para a reacção dos adversários perante uma equipa que chegou, inesperadamente, ao topo da tabela: «Não me parece que sejamos um alvo a abater, porque não entramos nestas contas finais, mas sinto que, neste momento, jogar contra nós é algo que dá motivação aos adversários porque estamos a fazer um bom campeonato. Estamos preparados para isso.»

Choque de filosofias em Leiria
Esta sexta-feira, em Leiria, em mais um derby da zona centro, a Briosa vai encontrar um antagonista na verdadeira acepção da palavra. Jorge Costa explica porquê: «Tem poucos golos sofridos e marcados, enquanto nós temos marcado sempre mas também temos alguns golos sofridos. Serão, por isso, duas equipas com filosofias diferentes. Sabemos que vamos ter dificuldade em marcar mas nada vamos alterar em relação ao que temos vindo a fazer e lutaremos até à exaustão pelos três pontos. A União está apenas três pontos abaixo de nós, tem feito um bom campeonato, e é uma equipa bem organizada, com um sistema de jogo à imagem do V. Guimarães.»
Na preparação para o jogo, destaque para a ausência de Pape Sow, devido a um traumatismo no joelho esquerdo, que o deve afastar da partida. Nuno Coelho trabalhou sem limitações, enquanto Ricardo saiu mais cedo apenas por precaução. Sissoko também já voltou da selecção sub-20 do Gana mas ainda não treinou. A finalizar, Jorge Costa esclareceu ainda que o adjunto José Ferreirinha está com baixa de 30 dias, por motivo de saúde.

Hugo Morais reconhece: «A Académica é um alvo a abater»

Hugo Morais assumiu a titularidade na Briosa há três jornadas e, desde ai, a equipa não mais perdeu. O experiente médio rejeita, todavia, o papel de talismã. «Penso que se trata de uma coincidência. A Académica tem um plantel muito rico, pode sair um jogador do onze e entrar outro, que a equipa não se ressente. Estamos onde estamos na classificação também porque temos um grupo muito forte», explica o ex-Leixões, aludindo, claro está, ao segundo lugar na Liga.

Até quando poderão os estudantes segurar essa posição é a questão que se coloca. «Vamos ver, jogo a jogo. Já que lá estamos, vamos procurar usufruir do momento e, se continuarmos assim, tanto melhor. Dá-nos motivação e temos de ser optimistas e não nos inferiorizar. Há equipas grandes atrás de nós e isso dá-nos um sentimento muito grande e bom», admite.

Hugo Morais sabe, no entanto, o quanto estas passagens pelo cimo da tabela podem ser fugazes e, por isso, adopta um discurso cauteloso: «Sabemos que todos os anos há uma equipa-sensação. Não podemos entrar em euforias mas antes pensar em trabalhar da mesma forma e tentar o mais rapidamente possível ganhar jogos para termos um futuro risonho. Estar aqui é complicado. Somos um outsider em relação aos candidatos lógicos no padrão do Campeonato. Quanto mais cedo conquistarmos o primeiro objectivo, mais fácil se tornará a nossa tarefa. É lógico que a Académica é um alvo a abater porque está lá acima, acontece a todas as equipas quando estão no alto.»

Esta sexta-feira, os estudantes têm mais um «derby», em Leiria, diante de uma equipa que ainda não perdeu em casa. Nada que tire o sono à formação de Jorge Costa: «O V.Guimarães também nunca tinha perdido e nós conseguimos derrotá-lo. Queremos pontos para quebrar barreiras e proporcionar situações que não têm acontecido. É uma equipa que joga bom futebol mas pensamos sobretudo em nós, vamos lá discutir os três pontos e acreditamos que os vamos conseguir.»

Hugo Morais foi um dos jogadores que participou no treino desta terça-feira, no qual Nuno Coelho voltou a fazer gestão de esforço, não estando em causa a sua utilização para o jogo.

27 de setembro de 2010

Académica regressou aos treinos


A equipa profissional da Académica regressou esta manhã ao trabalho na Academia Dolce Vita de forma a iniciar a preparação do jogo com o U. Leiria, que se encontra agendado para a próxima sexta-feira, dia 1 de Outubro, pelas 20:15.

O treinador da Briosa, Jorge Costa, continua a não poder contar com Sissoko e Barroca por razões distintas. O jovem marfinense encontra-se ao serviço da selecção sub-20 do seu país enquanto o guarda-redes está a recuperar de uma lesão.

A sessão de trabalho de hoje foi mais leve que o habitual uma vez que foi o primeiro treino após a vitória frente ao Vit. Guimarães e que valeu a subida ao segundo lugar por parte da Briosa.

Por outro lado, Jorge Costa não contou também com Nuno Coelho, que esteve em gestão de esforço.

A Briosa volta amanhã aos trabalhos, pelas 10:00, na Academia, sendo que no final da sessão um jogador estará na sala de imprensa para fazer a antevisão da próxima jornada.

Académica joga com o Cesarense para a Taça de Portugal


A Académica ficou hoje a saber que irá jogar fora frente ao Cesarense numa partida que contará para a terceira eliminatória da Taça de Portugal Millenium, uma competição onde os "estudantes" desempenham um papel importante pois são os vencedores da primeira edição da prova, que decorreu em 1939.

O adversário da Briosa será então uma equipa que joga actualmente na II Divisão Centro, estando no segundo lugar da tabela após ter empatado com o Boavista a duas bolas e vencido o Sp. Pombal por 3-0. O Cesarense pertence à Associação de Futebol de Aveiro e a Briosa viajará até Cesar, Oliveira de Azeméis, para disputar a continuidade na prova.

O sorteio da 3ª eliminatória da Taça de Portugal Millennium decorreu esta segunda-feira no Auditório Manuel Quaresma da Sede da Federação Portuguesa de Futebol.

O sorteio contou com a presença de 64 clubes, entre os quais os clubes da Liga Zon Sagres, que vão estrear-se este ano na importante prova do futebol português.

Os encontros da 3ª eliminatória estão agendados para o fim-de-semana de 16 e 17 de Outubro de 2010.

26 de setembro de 2010

2010/11 - 06J - Académica 3 - Guimarães 1: Outros dados

Polícia carregou na bancada


Tirando os habituais cânticos de parte a parte, o "jogo" entre as claques até estava a decorrer com tranquilidade. Só que logo após o 3-1, os ânimos exaltaram-se na bancada onde estava a falange de apoio vimaranense que não gostou das provocações de que foi alvo. Os agentes policiais tiveram de intervir para acalmar.

João Ribeiro assobiado


Foi um regresso infeliz de João Ribeiro a Coimbra. Além de ter saído ao intervalo - Rui Miguel entrou para o seu lugar -, o extremo não foi poupado pelos adeptos da Académica, que ainda não digeriram a saída do jogador no final da última época. Sempre que o camisola 25 tocava na bola lá vinha um coro de assobios da bancada.

Adeus ao relvado


Os dois treinadores queixaram-se do estado da relva no final da partida e com razão. Mas nem tudo é mau. É que ontem foi o derradeiro jogo oficial dos estudantes no actual tapete. Logo a seguir aos dois concertos dos U2, no próximo fim-de-semana, a relvado será substituído, bem a tempo da recepção ao Nacional a 22 de Outubro.

2010/11 - 06J - Académica 3 - Guimarães 1: Resumo

2010/11 - 06J - Académica 3 - Guimarães 1: Estatística

A Bola


Mais futebol

Liga - MatchCenter







25 de setembro de 2010

2010/11 - 06J - Académica 3 - Guimarães 1: O Jogo

Académica 3 - V. Guimarães 1
Liga Zon Sagres - 6ª Jornada
Estádio Cidade de Coimbra
25-09-2010 - 17h 
ACADÉMICA: Peiser; Pedro Costa, Berger, Orlando, Hélder Cabral (Amoreirinha 84'); Nuno Coelho, Diogo Melo e Hugo Morais; Sougou, Miguel Fidalgo(Éder 72'), Diogo Valente (Laionel 67')

Suplentes: Ricardo, Amoreirinha, Pape Sow, Diogo Gomes, Paraíba, Laionel e Éder.

Treinador: Jorge Costa

V. GUIMARÃES: Nilson; Alex, Ricardo, Freire e Bruno Teles; Cléber; João Alves (Pereirinha 78'), João Ribeiro Rui Miguel 45'), Edson Sitta; Toscano (Faouzi 78'), Edgar.

Suplentes: Serginho, NDiaye, Flávio Meireles, Pereirinha, Rui Miguel, Faouzi, Douglas.

Treinador: Manuel Machado

Resultado ao intervalo:0-0

Marcadores: Diogo Melo 52', Edgar 54',Sougou 80', Laionel 90'

Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

Cartões Amarelos: Alex 22', Nuno Coelho 27',Diogo Valente 59', Ricardo 76'.
Cartões Vermelhos: --


Crónica



Vivem-se tempos de euforia em Coimbra. À sexta jornada, a Académica subiu ao segundo lugar da classificação, ainda que provisoriamente, e vive um conto de fadas com paralelo apenas nas famosas campanhas dos anos 60 que colocaram a equipa da Lusa Atenas nos píncaros do futebol nacional. O segundo lugar fica bem a esta Briosa, que joga bom futebol, marca que se farta, e parece querer sempre mais.
Depois de uma primeira parte bem jogada, com futebol de ataque sem freios de parte a parte, à qual só faltou o tempero dos golos, o melhor condimento chegou na segunda metade para gáudio dos cerca de 4 500 adeptos presentes no estádio. O V. Guimarães ainda chegou ao empate mas a ponta final da equipa da casa foi mais forte.
Terminou a maldição de Manuel Machado, que nunca havia perdido em Coimbra, e os minhotos, invictos até então, acabaram por perder o estatuto com estrondo. O mesmo das bombas de Diogo Melo e Sougou, mas há que destacar também a arte de Laionel que, mais uma vez, voltou a saltar do banco para fazer história.

Ataque como denominador comum
Nas margens do Mondego, assistiu-se a um jogo com laivos de clássico (55 partidas já em solo estudantil), entre o V. Guimarães que vinha de três vitórias seguidas e uma Académica detentora, também, de boas credenciais: só deixou os três pontos em Aveiro e já foi à Luz fazer um brilharete, logo na primeira jornada. Em comum, aliás, estas duas equipas têm o facto de já terem vencido o Benfica esta época. Em suma, uns queriam mantê-lo, outros cobiçavam-no. Silêncio que, na terra do Fado, vai jogar-se pelo segundo lugar!
O encontro revelou todo o potencial ofensivo reconhecido a estudantes e minhotos. Os da casa, cheios de brio, começaram a partida a todo o gás, pressionando o adversário e desenvolvendo bons movimentos ofensivos, com destaque para uma oportunidade de Miguel Fidalgo, que quase surpreendia Nilson com um chapéu ao qual o brasileiro não deu o valor devido.
Nas bancadas, o ambiente era condizente com a qualidade dentro das quatro linhas. De Guimarães, como já é hábito, vieram largas centenas de adeptos, sempre entusiastas, pelos de Coimbra, obviamente, também não faltou apoio e resposta à altura às provocações forasteiras. No campo, jogava-se bem, quase sempre com velocidade e ritmo, só faltavam oportunidades a sério, apesar de ambos os guarda-redes terem sido obrigados a trabalho aturado. O sinal mais pertencia aos estudantes que, ainda assim, revelavam algumas fragilidades defensivas, que permitiam aos vimaranenses, amiúde, colocar em sentido Peiser.

Agora, com golos
A Académica voltou a entrar bem na segunda parte, com um par de oportunidades que quase fizeram funcionar o marcador. Na primeira, teve de ser Alex a tirar sobre o risco de golo um cabeceamento de Diogo Valente quando já se gritava golo no estádio. O Vitória era encostado às cordas e sentia-se que a Briosa podia marcar a qualquer momento. Assim aconteceu, num petardo de Diogo Melo que, no entanto, só deixou os da casa na frente do marcador por dois minutos. Edgar aproveitou bem a letargia da defesa coimbrã e, de cabeça, bateu Peiser com toda a facilidade.
Pouco depois, Diogo Valente falhou escandalosamente na cara de Nilson após centro de Sougou. Num ápice, o jogo ganhou nova dimensão, trazida pelos golos e lances de ataque a rodos. A Briosa mantinha o pé no acelerador mas os minhotos foram subindo de produção, aproveitando os espaços concedidos. Foi até que os estudantes voltaram a ligar o turbo, com Éder a saltar do banco para dar um segundo folgo ao ataque.
Mas aquilo que fez levantar as bancadas foi aquele remate fabuloso de Sougou. O golo de Diogo Melo já tinha sido um portento mas que dizer da bomba do senegalês? Simplesmente, arrebatador aquele disparo que atirou com a Briosa para o segundo lugar. Nesta altura, a Académica estaria igualada com o Sp. Braga, já que nos golos marcados e sofridos não havia forma de os desempatar. Laionel resolveu a equação.

_____________________







Que encanto e que brilho a Académica hoje mostrou... A Briosa provou o seu enorme valor numa partida que terminou com a vitória dos "estudantes" por 3-1 frente ao Vit. Guimarães e os cachecóis e as bandeiras pretas que se viram no final anunciavam a festa do segundo lugar da Académica.


É certo que para segurar o segundo posto, antes de mais, é necessário que o Olhanense não vença no Dragão mas só a sensação de alegria que invade todos os Sócios e adeptos da Briosa está acima de tudo o resto. Aconteça o que acontecer, a Académica está de parabéns, não só pela forma como jogou, mas sobretudo pela inteligência de resolver na hora certa.


Foi tudo bonito no recinto da Briosa. Viram-se capas e batinas, viu-se festa e grandes golos, com 4506 espectadores nas bancadas a assistir a um jogo que ficará na memória de muitos. Porque a Académica faz-se de momentos como este, onde até é difícil transportar em palavras toda esta mistura de sentimentos.


Mas vamos então ao jogo. Começou melhor a Académica que esteve até bem perto de inaugurar o marcador nos primeiros minutos mas a festa só viria a aparecer na segunda metade. Aliás, os primeiros 45 minutos não tiveram muitos motivos de interesse e o 0-0 foi mais do que expectável no intervalo, até porque a História do jogo fez-se na etapa complementar.








Aos 53 minutos, Diogo Melo, com o pé esquerdo, do meio da rua, fez o primeiro da tarde. A bola ainda bateu num defesa contrário mas o golo do 50 da Briosa serviu para abanar um jogo que até então não tinha grandes motivos de interesse. O tento da Académica terminou com o medo de ambas as equipas e isso serviu também para o Vit. Guimarães despertar. Os vimaranenses reagiram bem ao empate e dois minutos depois Edgar viria a empatar o resultado.


A festa durou pouco para os "estudantes" e tudo voltava ao início. O empate trouxe de novo o medo de ambas as equipas em arriscarem mas sempre deu para perceber que a Académica queria algo mais. Jorge Costa mexeu no jogo e lançou os espevitados Éder e Laionel, jogadores que deram ainda maior velocidade à Briosa e o seu futebol cativou uma equipa que sabia perfeitamente que tinha tudo para chegar a novo golo.


E aos oitenta minutos, quando já muitos faziam contas ao empate, o senegalês Sougou dispurou um autêntico míssil que só parou dentro das redes de Nilson. Estava instalada a festa no Cidade de Coimbra e os adeptos da Briosa, que mais uma vez não pararam no apoio à equipa, tinham mil e um motivos para estarem em êxtase. A vitória estava perto mas nem aí a Académica foi na pressão.








Os jogadores mostraram fibra e portaram-se como verdadeiros heróis até ao apito final. A Briosa segurou o ataque do Vitória mas quem tem extremos tão rápidos pode sempre esperar mais alguma coisa no ataque, nunca descurando, claro, a defesa. E foi o que aconteceu. Sougou foi lançado na direita por Diogo Melo e meteu a bola em Laionel, com o brasileiro a rematar em arco para as redes de Nilson.


O 11 dos "estudantes" confirmou o triunfo da Académica com mais um golo de belo efeito e despoletou a festa final nas bancadas do Cidade de Coimbra. Os Sócios e adeptos dos "estudantes" saem do recinto da Briosa com um saboroso segundo lugar e com a certeza de que têm uma equipa capaz de grandes feitos.


Destaques

Sougou
Melhor marcador da Académica, com quatro golos, parecia arredado da partida, pese algumas iniciativas muito ao seu estilo, quando resolveu arrancar um pontapé tremendo, que deixou Nilson sem reacção. Era o sinal de revolta dos estudantes pela igualdade que os minhotos queriam, a todo o custo, manter. Quem melhor para guiar os anfitriões desta partida à vice-liderança do que aquele que tem sido, indiscutivelmente, o seu melhor jogador nos últimos anos?

Diogo Melo
Para quem veio da Liga Honra (Portimonense) está a tornar-se um caso sério em Coimbra. Agarrou a titularidade desde o primeiro minuto, com exibições convincentes, num misto de força, técnica e visão de jogo. Faltava-lhe o golo. Este sábado, depois de tanto porfiar, coroou o alto rendimento com aquilo que faz a diferença, num remate portentoso, com o pé esquerdo, o seu pior pé. Pela forma como a bola entrou ao ângulo superior esquerdo da baliza de Nilson, ninguém diria. Impressionante ainda foi a forma como, no final do jogo, aguentou as dores e voltou ao terreno depois de ter saído de maca. Que espírito de sacrifício!

 
Hugo Morais
Faz praticamente o mesmo que Diogo Melo faz, só que de pé esquerdo. Ajuda a segurar o meio-campo mas também lhe dá vitalidade ofensiva, num registo quase sem falhas. A visar a baliza também dá cartas, como ficou patente num remate de meia distância que não passou longe da trave.

Toscano
Surgiu nas bocas do mundo pelo «hat trick» diante do Nacional e basta vê-lo tocar na bola para se perceber que se trata de um jogador de qualidade, com uma mobilidade e criatividade surpreendentes em função da elevada estatura. Não teve ensejo de atirar a contar desta feita mas deu muito que fazer à defesa académica, principalmente pela forma como soube segurar e reter bolas para servir os companheiros. Num pormenor de classe, valeu à Académica um Peiser atento para evitar que o brasileiro imitasse o conterrâneo Edgar em matéria de remates certeiros.

Miguel Fidalgo
Podia ter começado a escrever uma história diferente para este jogo se aquele chapéu que fez a Nilson, logo no dealbar da partida, não tivesse passado ligeiramente ao lado. Travou um duelo desigual com os altos centrais vimaranenses, ele que nem 1,80 m tem mas sabe tirar partido da rapidez de execução e irrequietude.


Laionel
Tal como fizera na Luz, entrou para sentenciar a partida. O jogo parecia estar resolvido mas com o golo de classe do brasileiro, evitaram-se as contas, e a Briosa ascendeu ao segundo lugar da tabela, à condição, mas com melhor diferença de golos do que o Sp. Braga.

Briosos um a um
 
Peiser 5
Talvez pudesse ter feito algo mais no golo vimaranense. De resto, nada a apontar.


Pedro Costa 5
Protagonizou algumas escusadas hesitações no primeiro tempo. Foi melhorando com o decorrer da partida.


Berger 5
Tem culpas no empate vimaranense. Recompôs-se.


Orlando 6
Foi o mais lúcido da defesa, nunca perdendo a calma nem nos momentos de crise.


Hélder Cabral 5
É certo que perdeu a bola em zona proibida e abriu as portas para o 1-1 dos visitantes, só que também
evitou alguns males maiores.


Nuno Coelho 6
Não esteve longe a estreia a marcar no escalão principal. Acima de tudo, meteu João Ribeiro e Rui Miguel num bolso.


Diogo Melo 7
Melhorou muito após o intervalo, sobretudo após ter inaugurado o marcador. Foi ele que iniciou o lance do 3-1.


Hugo Morais 6
Deu mais nas vistas na segunda parte.


Miguel Fidalgo 5
Foi o primeiro a ter nos pés uma soberana ocasião para marcar. Saiu aos 73'.


Diogo Valente 6
Iniciou a jogada que culminou no golo inaugural. Não estava mal, mas Jorge Costa tirou-o.


Laionel 6
Trouxe frescura ao ataque e teve a capacidade para terminar com as dúvidas quanto ao vencedor.


Éder 5
Foi importante a forma como se bateu entre os centrais, dando maior liberdade aos extremos.


Amoreirinha 2
Entrou para fechar o lado esquerdo.

Opiniões

Jorge Costa, treinador da Académica, no final da vitória, por 3-1, sobre o V. Guimarães, neste sábado, começando por relativizar o resultado entre o F.C. Porto e o Olhanense, determinante para confirmar os estudantes no segundo lugar da classificação: «Não é o mais importante. O importante é fazermos o nosso trabalho, como temos feito até aqui. Parece-me que o estamos a fazer cada vez de melhor forma. Estamos agora mais sólidos, conquistamos pontos, e queremos continuar assim. Se continuarmos com esta atitude, e ambição, iremos vencer mais jogos. Mas o meu discurso será sempre o mesmo: somar pontos, trabalhar e fazer um campeonato tranquilo, sem promessas além de lutarmos sempre pelos três pontos. Foi uma vitória justa, perante um adversário que fez um excelente jogo, valorizando ainda mais o nosso trabalho. Hoje sou um treinador feliz, pelo trabalho dos meus jogadores, pela forma como entraram em campo, pelo facto de ter visto mais gente no estádio, e, claro, por termos conquistado os três pontos. Os jogadores perceberam que não temos de sofrer para ser felizes. É isto que quero para Académica, estamos no caminho certo. Dificuldades, vamos tê-las, não temos é de ser nós a criá-las.»


Manuel Machado, treinador do V. Guimarães, no final da derrota, por 3-1, em Coimbra, neste sábado, a falar sobre o percurso da equipa em tom optimista, apesar do desaire frente aos estudantes:
«Estamos com uma média pontual perfeitamente enquadrável dentro do nosso objectivo. Em seis jogos, estamos com 11 pontos. Se mantivermos a média, fazendo estes pontos a cada conjunto de seis jogos, ultrapassaremos, seguramente, a fasquia dos 50 pontos, que são, normalmente, os necessários para uma equipa ficar no primeiro terço da tabela e ter acesso a uma competição internacional.
[Sobre os incidentes no final da partida] Infelizmente, a polícia teve de intervir, não sabemos se bem ou mal, mas é de lamentar porque o futebol é para ser jogado nas quatro linhas e não deve resvalar para este tipo de situações.»

Sougou, jogador da Académica, no final da vitória, por 3-1, sobre o V. Guimarães, neste sábado, começando por comentar o soberbo golo que marcou: «Se foi o melhor da minha carreira? Não sei, preciso de ver na televisão mas para mim foi o mais importante porque surgiu numa altura que a equipa precisava de um golo, num jogo complicado. Felizmente, as coisas correram bem. Preparámos o jogo com muita seriedade, porque precisamos de ganhar em casa e dar espectáculo para chamar os adeptos. Queremos jogar para ganhar mas também jogar bem. Não estou obcecado em ser o melhor marcador da equipa, isso cabe mais ao ponta-de-lança, os extremos têm menos oportunidade, mas eu trabalhei muito nesse sentido, para ser decisivo. O nosso treinador tem responsabilidade na nossa média de golos [12 em seis jogos] porque ele incentiva-nos a marcar muito golos e tentar sofrer poucos. Se trabalharmos para marcar, estamos mais perto de ganhar. Prefiro ganhar por 3-2 que por 1-0.»


Diogo Melo, médio da Académica, em declaração na flash interview da SporTV após o triunfo por 3-1 sobre a V. Guimarães: «Estava a precisar de um golo destes. Foi um remate bonito, saiu muito bem. Trabalho para ajudar a equipa, não sei se sou fundamental. As coisas estão a correr-me bem. A equipa está a corresponder muito bem e sei que vamos chegar a bom porto.»



Edgar, avançado do V. Guimarães, em declarações na flash interview da SporTV após a derrota em Coimbra por 3-1:
«Perdemos mas tivemos oportunidades para ganhar. A Académica foi mais feliz. Não conseguimos bloquear a velocidade dos atacantes deles. Temos de pensar no próximo jogo agora.»

Lances Chave

6' Abertura de Berger para Miguel Fidalgo que, perante a oposição de Freire, tenta o chapéu, mas a bola sai ligeiramente ao lado da baliza de Nilson.


24' Remate de Toscano, longe da área, Peiser desvia a bola com dificuldade.


47' Canto de Diogo Valente, Nuno Coelho cabeceia, defesa de recurso de Nilson e depois é Alex que salva em cima da linha de baliza.


53' [1-0] Diogo Melo remata de fora da área, a bola bate em Ricardo e trai Nilson.


54' [1-1] Cruzamento de João Alves do lado direito, a bola passa por toda a defesa, incluindo Peiser, Edgar aproveita e cabeceia a bola para o fundo da baliza.


56' Excelente cruzamento de Sougou, Diogo Valente, sozinho na área, cabeceia muito mal.


80' [2-1] Golo de Sougou.


90' [3-1] Mais um grande golo. No lado da esquerda da área, Laionel finta Alex e depois atira, em arco, para o fundo da baliza.


90+4' Faouzi, sem oposição na área, atira a bola à barra.


Minuto a minuto

     90'      FINAL DO JOGO! Académica - 3 V. Guimarães - 1. Bela vitória da Académica, que assim iguala o Guimarães com 11 pontos.
    90'     Como é que Faouzi falha isto??? Na pequena área e sem Peiser na baliza, o marroquino do Vitória atira por cima!!!
    90'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! ACADÉMICA ! 3-1 por Laionel. Mais um belo momento de futebol! Recepção, drible e remate em arco! Muito bem Laionel! este golo sentencia a partida!
    90'     Defesa de Nilson sem problemas, a remate de Laionel. A Académica joga em contra-ataque.
    90'     Quatro minutos de descontos.
    88'     Centro de Pereirinha e corte de Berger com a cabeça. O Vitória inicia a avalanche final.
    85'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Hélder Cabral entra Amoreirinha
    84'     Hélder Cabral está em dificuldades físicas e pede substituição.
    80'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! ACADÉMICA ! 2-1 por Sougou! Mas que grande golo!! Sobre a direita, ainda longe da área, o senegalês arranca um pontapé fabuloso!! Temos jogo em Coimbra!
    79'     SUBSTITUIÇÃO V. Guimarães . Sai João Alves entra Bruno Pereirinha
    79'     SUBSTITUIÇÃO V. Guimarães . Sai Marcelo Toscano entra Abdelghani Faouzi
    79'     Grande pontapé de Hugo Morais! O médio da Académica assustou Nilson, ainda de muito longe!
    75'     CARTÃO AMARELO para Ricardo (V. Guimarães )
    73'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Miguel Fidalgo entra Éder
    73'     Marcelo Toscano atira muito por cima na marcação de um livre.
    72'     Toscano quase marca para o Vitória! O brasileiro surge em zona de finalização e obriga Peiser a defesa atenta!
    68'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Diogo Valente entra Laionel
    67'     Bom lance de Diogo Melo. O médio da Académica dribla um defesa e remata por alto.
    64'     Sougou apanhado em fora-de-jogo quando podia fazer estragos.
    60'     CARTÃO AMARELO para Diogo Valente (Académica )
    60'     Defesa fácil de Peiser a remate de Bruno Teles, na marcação de um livre.
    55'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! V. GUIMARÃES ! 1-1 por Edgar. Resposta imediata! Centro de João Alves na direita e finalização de Edgar, com a cabeça, quase em cima da linha!
    53'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! ACADÉMICA ! 1-0 por Diogo Melo! Belo golo! À entrada da área, de pé esquerdo, pontapé fortíssimo e a acabar no ângulo superior esquerdo da baliza minhota! A bola ainda tocou ligeiramente num atleta do Vitória.
    51'     Bom pontapé de Rui Miguel! A bola saiu forte e não muito por cima da baliza de Peiser.
    50'     Novamente a Académica! Canto de Diogo Valente e cabeceamento de Sougou para defesa difícil de Nilson!
    48'     A Académica quase marca! Canto de Digo Valente na esquerda, atrapalhação e bola salva em cima do risco de golo!
    46'     RECOMEÇA A PARTIDA
    46'     SUBSTITUIÇÃO V. Guimarães . Sai João Ribeiro entra Rui Miguel
    45'     Estão 4506 espectadores nas bancadas, segundo dados oficiais.
    45'     INTERVALO NA PARTIDA ENTRE Académica e V. Guimarães. Nulo que se aceita, entre equipas que se equivaleram num bom jogo até ao momento e com ambiente a condizer nas bancadas.
    44'     Remate de Edson, ao lado.
    36'     Orlando cabeceia por cima, num cruzamento de Diogo Valente.
    33'     Bom lançamento em profundidade de Diogo Melo para Sougou, Nilson deixa a bola bater-lhe à frente mas consegue, com dificuldade, segurá-la perante a ameaça do senegalês.
    29'     João Ribeiro é assobiado numa jogada junto à linha. O publico não lhe perdoa a troca de camisola!
    27'     CARTÃO AMARELO para Nuno Coelho (Académica )
    25'     Livre de João Alves, Freire desvia e Peiser faz uma grande defesa, mas estava em fora-de-jogo!
    23'     Grande remate de Teles, do meio da rua, com Peiser a sacudir para canto em dificuldades!
    21'     CARTÃO AMARELO para Alex (V. Guimarães )
    18'     Belo ambiente nas bancadas!
    16'     Fase mais equilibrada da partida, com o jogo a centrar-se no meio-campo.
    11'     Livre de Toscano, muito por cima!
    8'     Novo canto para a Académica, que tem empurrado o adversário para a sua defesa.
    7'     Mais um lance de bola parada: livre para a Académica, próximo da quina da área!
    6'     Fora-de-jogo assinalado a Sougou, que ficava na cara de Nilson!
    5'     Quase golo para a Académica!!! Chapéu de Miguel Fidalgo, de ângulo apertado, Nilson confiou no golpe de vista e não se fez à bola mas esta passou muito perto do poste direito!!
    3'     Mais um pontapé-de-canto, para a Académica. Nilson afasta com os punhos perante a ameaça de Nuno Coelho!
    2'     Já houve dois pontapés-de-canto, um para cada lado!
    2'     Muita gente do V.Guimarães na bancada...
    1'     COMEÇA A PARTIDA ENTRE Académica e V. Guimarães. Saíram os minhotos!


Arbitragem

 Jorge Sousa ( AF Porto ) - nota: 4

Erros de pormenor

Jorge Sousa voltou a mostrar que é um dos melhores árbitros portugueses da actualidade. Entre os poucos erros cometidos pelo internacional do Porto, destacam-se um cartão amarelo não exibido a Ricardo, aos 57', e três foras-de-jogo mal tirados pelos assistentes com quem mais jogos faz.

2010/11 - 06J - Académica - Guimarães: Antevisão

Manuel Machado continua a ser um nome mal amado em Coimbra. Depois de um percurso de sucesso, pegou na Académica em 2006, mas nunca conseguiu colocar a equipa a jogar um futebol atractivo nem fugir aos lugares aflitivos da tabela. Mas desde que saiu, em Setembro de 2007, tem prolongado a maldição de nunca ter perdido na Lusa Atenas. Antes de rumar à Briosa já lá tinha passado sempre incólume ao serviço de Moreirense, V. Guimarães e Nacional e assim continuou com as cores do Sp. Braga e novamente pelos madeirenses. Falta agora ver como será de novo ao serviço da equipa da cidade berço.
A «maldição» foi lembrada, a meio da semana, pelo capitão dos estudantes, jogador justamente trazido para Coimbra pela mão do professor mas que agora, mais do que nunca, deseja derrotar o «mestre». Os estudantes não enjeitam a possibilidade de chegar provisoriamente à vice-liderança, mas vai ser difícil perante uma equipa que tem encantado neste início de época.
Quase garantido é o bom espectáculo, num jogo entre equipas viradas para o ataque. O V. Guimarães ainda não perdeu, vem até de três vitórias consecutivas, já os estudantes só deixaram os três pontos em Aveiro e já foram à Luz fazer um brilharete, logo na primeira jornada. Em comum, estas duas equipas têm o facto de já terem vencido o Benfica esta época.
Caso consigam segurar o segundo lugar, os vimaranenses poderão encarar a recepção ao F.C. Porto, da próxima semana, com outros argumentos, capazes de tornar o encontro mais interessante, no dizer de Manuel Machado.

Jorge Costa mexe nas laterais, minhotos sem Maranhão
A Académica vai apresentar-se este sábado com uma nova dupla de laterais na defesa, com Pedro Costa a manter a titularidade do lado direito apesar da recuperação de Pedrinho, enquanto do lado oposto, o castigado Addy cede o lugar a Hélder Cabral, de regresso aos convocados para abraçar esta missão específica. Éder foi dado como apto, o que é uma boa nova para Jorge Costa, mas Miguel Fidalgo parte na frente para ocupar o lugar mais avançado no terreno.
Manuel Machado faz menos contas à vida, com apenas uma troca na convocatória, a saída de Maranhão, lesionado, e a entrada de Faouzi. O brasileiro, que marcou o golo do triunfo na semana passada frente à U. Leiria, é menos um trunfo para o experiente técnico lançar a partir do banco. Não se esperam alterações ao onze que tem saído vitorioso nos últimos jogos mas Machado é fértil em surpresas.
Entre as primeiras opções deverá estar João Ribeiro, que defrontará a ex-equipa, tal como Hélder Cabral, mas do outro lado da barricada. Como não há duas sem três, também Edgar está de regresso a Coimbra, por onde passou na segunda metade da época de 2007/08.

EQUIPAS PROVÁVEIS:

ACADÉMICA: Peiser; Pedro Costa, Berger, Orlando e Hélder Cabral; Nuno Coelho, Diogo Melo e Hugo Morais; Sougou, Miguel Fidalgo e Diogo Valente.
Outros convocados: Ricardo, Amoreirinha, Luiz Nunes, Pape Sow, Diogo Gomes, Paraíba, Laionel e Éder.

V. GUIMARÃES: Nilson; Alex, Ricardo, Freire e Bruno Teles; Cléber; João Alves, João Ribeiro e Edson Sitta; Toscano e Edgar.
Outros convocados: Serginho, NDiaye, Flávio Meireles, Pereirinha, Rui Miguel, Faouzi e Douglas.

24 de setembro de 2010

Jorge Costa anuncia convocados para o jogo frente ao Vit. Guimarães

Luiz Nunes, Hélder Cabral e Éder são as novidades da convocatória de Jorge Costa, treinador da Académica, tendo em vista a recepção ao V. Guimarães, agendada para este sábado e a contar para a sexta jornada da Liga.

Em relação à última convocatória, o lateral Addy não está entre os eleitos visto que vai cumprir um jogo de castigo e Sissoko também está ausente por integrar os trabalhos da selecção Sub-20 da Costa do Marfim.

Jorge Costa deixou também de fora Amaury Bischoff. O médio foi preterido por opção técnica.

Barroca é o único fora da lista devido a impedimento de ordem física. O guarda-redes está a contas com uma rotura na tibiotársica direita.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Peiser e Ricardo;

Defesas: Amoreirinha, Luiz Nunes, Berger, Orlando, Pedro Costa e Hélder Cabral;

Médios: Hugo Morais, Habib, Diogo Melo, Nuno Coelho, Diogo Gomes e Júnior Paraíba;

Avançados: Laionel, Miguel Fidalgo, Sougou, Éder e Diogo Valente.

Jorge Costa promete “dedicação e vontade” para o jogo com o Vit. Guimarães


Não depende da vitória da Académica mas o que é certo é que a Briosa pode terminar a sexta jornada da Liga Zon Sagres no segundo lugar da tabela classificativa. Para que isso aconteça, os “estudantes” terão de fazer a sua parte e vencer o Vit. Guimarães no sábado, pelas 17:00, no Estádio Finibanco Cidade de Coimbra.

Em conferência de imprensa realizada após o treino da Briosa na Academia Dolce Vita, Jorge Costa afirmou que esse objectivo é “moralizador” mas reiterou que o mais importante é que continue a existir um “crescimento na equipa”. Contudo, o timoneiro da Briosa sabe que a vida é feita de oportunidades…

“Vai ser uma jornada onde vão jogar os quatro primeiros entre si mas é uma fase muito precoce da época. É moralizador saber que podemos terminar a jornada em segundo mas não depende só da nossa vitória. O importante é que continue a existir um crescimento na equipa. A vida é feita de oportunidades e queremos aproveitá-la. O segundo lugar não faz parte dos nossos objectivos mas já que temos a hipótese de lutar por ele, vamos fazê-lo com toda a dedicação e vontade.”, começou por dizer o técnico da Briosa.

Jorge Costa adiantou que o facto de a Académica estar em quarto lugar é “motivo de orgulho” para jogadores, treinadores e estrutura da Briosa, reiterando que mais importante que médias, o que interessa é somar o maior número de pontos possível. O treinador da Briosa deixou ainda muitos elogios à massa associativa dos “estudantes”.

“Em termos pessoais é um orgulho. A Académica não passa só pelos jogadores e treinadores, tem uma estrutura muito grande, muito profissional e muito dedicada às suas funções. A massa associativa para mim foi uma surpresa, nomeadamente na pré-época, ver tantos adeptos da Académica a apoiar a equipa e isso é sinal claro de alguma grandeza. Se entrarmos pela matemática acho que temos uma média excelente. Mas o que importa é somar pontos.”, sustentou.

O Vit. Guimarães é o próximo adversário da Académica no campeonato e Jorge Costa frisou que a Briosa estará no seu máximo para discutir o jogo e o resultado. O técnico dos “estudantes” frisou que os vimaranenses têm feito bons jogos e bons resultados, tal como a Académica.

“O Guimarães tem feito bons jogos, com muitas soluções em termos ofensivos, tem muita qualidade… Está a fazer também um excelente início de época, está moralizado e procura jogar bom futebol, tal como nós. Perspectivo um óptimo espectáculo. Vamos estar no limite em todas as vertentes. Estando no nosso máximo podemos discutir o jogo e o resultado.”, referiu.




Jorge Costa orgulhoso pelos seus jogadores

A campanha da Académica no campeonato mereceu destaque na conferência de imprensa que hoje teve lugar na Academia Dolce Vita. Durante os quase vinte minutos que durou a conversa com os jornalistas, Jorge Costa teve a oportunidade de abordar vários temas do dia-a-dia da Briosa e começou precisamente por afirmar que tem “grande orgulho” por aquilo que os jogadores têm feito até agora.

“Quando acabou o jogo do Rio Ave o sentimento era de grande orgulho pelos grandes jogadores que tenho e pela segunda parte que fizemos. Esperava que no dia a seguir existissem alguns feedbacks de todo o esforço e dedicação dos meus jogadores. Não se valorizou o que a Académica fez, que foi excelente, quiseram levar o jogo para outros campos. Demos uma resposta como poucas equipas o podem fazer. Estes jogadores merecem ser mais valorizados do que aquilo que foram no domingo passado.”, disse.

Outro dos temas focados na conferência de imprensa foi o facto de a Briosa ser, este ano, uma equipa que marca muitos golos mas que também sofre muitos. Sobre essa questão, o treinador da Académica foi peremptório ao afirmar que o que importa é marcar mais do que sofrer.

“Se me perguntar se me preocupo por sofrer golos, é claro que me preocupo. Se me perguntar se me importo de sofrer três golos e marcar quatro… Nada, zero… Temos uma forma de jogar que nos expõe em termos ofensivos. Procuro sempre dar bons espectáculos e espero fazer golos na grande maioria dos jogos. Cada vez que passamos por dificuldades, damos mostra que somos uma grande equipa. Falta-nos esse clique de perceber que não precisamos de passar por dificuldades para ser uma equipa solidária e sólida e estamos a trabalhar para isso.”, confessou.


“Subscrevo o que o Orlando disse”

O capitão da Académica, Orlando, já ontem tinha referido que o número de amarelos e as duas expulsões reflectem a grande atitude que a Briosa tem tido ao longo desta temporada e hoje Jorge Costa concordou na íntegra com essas declarações, frisando que os “estudantes” não são, de maneira nenhuma, uma equipa agressiva.

“Subscrevo o que o Orlando disse. Muitos amarelos que temos é por festejar, pelo Sougou não ter ouvido o apito, por exemplo. Não há agressividade, de maneira alguma… Se forem amarelos por festejar golos, ainda melhor. 4 amarelos o Sougou? É a demonstração que trabalha para a equipa e não me preocupa. Já tive também uma conversa com o Addy e com os responsáveis mas é evidente que isso é do foro interno.”, respondeu.

O jogo com o Rio Ave está ainda no pensamento de Jorge Costa não só pelo empenho demonstrado pelos jogadores, sobretudo na segunda parte, mas sobretudo porque a Académica provou em Vila do Conde que é uma equipa a ter em conta na competição. O jogo foi muito falado na comunicação social por motivos relacionados com a arbitragem e Jorge Costa nãos e coibiu de o voltar a referir na conferência de imprensa.

“Vou responder de uma forma correcta. Quando acabou o jogo com o Rio Ave, jogo que tenho pena que não tenha dado na televisão, tenho a dizer que não foi fácil para o árbitro e a primeira pergunta que me fizeram na conferência foi essa. Houve erros, mas também os houve da parte da Académica e do Rio Ave. Se pusermos na balança, penso que a Académica saiu claramente prejudicada.”, defendeu Jorge Costa.

O treinador da Briosa, a terminar, comentou ainda a chegada de Paulo Bento para o cargo de seleccionador nacional, uma opção que o técnico considera acertada.

“Desejo sorte ao Paulo Bento. É um nome que me agrada. Estou confiante que vai fazer um bom trabalho e estou 100% disponível para o que precisar.”, finalizou.

2010/11 - 10J - Portimonense - Académica: 06 Nov 2010, 21:15h

Calendário da 10ª Jornada







V.Setúbal  |  Rio Ave   05-Nov   20h15
P. Ferreira  |  Nacional   06-Nov   19h15
Portimonense  |  Académica   06-Nov   21h15
Marítimo  |  Leiria   07-Nov   16h00
Naval  |  Olhanense   07-Nov   16h00
Braga  |  Beira-Mar   07-Nov   18h00
Porto  |  Benfica   07-Nov   20h15
Sporting  |  V.Guimarães   08-Nov   19h45

2010/11 - 09J - Académica - Fc Porto: 30 Out 2010, 21:15h

Calendário da 9ª Jornada







Benfica  |  P. Ferreira   29-Out   20h15
Rio Ave  |  Braga   30-Out   19h15
Académica  |  Porto   30-Out   21h15
Nacional  |  V.Setúbal   31-Out   16h00
Beira-Mar  |  Naval   31-Out   16h00
Olhanense  |  Marítimo   31-Out   16h00
Leiria  |  Sporting   31-Out   20h15
V.Guimarães  |  Portimonense   01-Nov   20h15

2010/11 - 08J - Académica - Nacional: 22 Out 2010, 20:15h

Calendário da 8ª Jornada







Académica  |  Nacional   22-Out   20h15
P. Ferreira  |  Beira-Mar   23-Out   18h00
V.Setúbal  |  V.Guimarães   23-Out   19h15
Braga  |  Olhanense   23-Out   21h15
Marítimo  |  Naval   24-Out   16h00
Sporting  |  Rio Ave   24-Out   18h15
Portimonense  |  Benfica   24-Out   20h15
Porto  |  Leiria   25-Out   20h15

22 de setembro de 2010

2010/11 - 07J - U Leiria - Académica: 01-10-2010, 20.15h

Calendário da 7ª Jornada


Leiria  |  Académica 01-Out 20h15
Olhanense  |  V.Setúbal 02-Out 19h15
Rio Ave  |  Marítimo 03-Out 16h00
Nacional  |  Portimonense 03-Out 16h00
Naval  |  P. Ferreira 03-Out 16h00
Benfica  |  Braga 03-Out 20h15
Beira-Mar  |  Sporting 04-Out 19h15
V.Guimarães  |  Porto 04-Out 21h15

2010/11 - 06J - Académica - V. Guimarães: Árbitro: Jorge Sousa

 
Jorge Sousa vai ser o árbitro da partida entre a Académica e o Vit. Guimarães, agendada para sábado, dia 25 de Setembro, pelas 17:00, no Estádio Finibanco Cidade de Coimbra.

Manuel Jorge Neves Moreira de Sousa, de 35 anos, pertence à Associação de Futebol do Porto e, para além de ser árbitro de futebol, é também escriturário.

De salientar ainda que José Ramalho e José Luís Melo serão os árbitros auxiliares para este jogo.

2010/11 - 06J - Académica - V. Guimarães: 25-09-2010, 17 horas

Calendário da 6ª Jornada


Braga  |  Naval
24-Set   20h15
Académica  |  V.Guimarães
25-Set   17h00
Marítimo  |  Benfica
25-Set   19h15
Porto  |  Olhanense
25-Set   21h15
Leiria  |  Rio Ave
26-Set   16h00
Portimonense  |  Beira-Mar
26-Set   16h00
Sporting  |  Nacional
26-Set   20h15
V.Setúbal  |  P. Ferreira
27-Set   20h15

Orlando: "Vamos estar no nosso melhor nível"

Palavra de capitão! Orlando esteve hoje na sala de imprensa do Estádio Finibanco Cidade de Coimbra para fazer a antevisão da partida com o Vit. Guimarães e o central da Briosa foi peremptório ao afirmar que o encontro com os vimaranenses é "difícil" mas realça que o Guimarães não mete medo aos "estudantes".

"Vai ser um jogo difícil. O Vit. Guimarães é o segundo classificado, tem apresentado um bom futebol mas vamos estar ao nosso melhor nível e em condições de fazer um bom resultado. O Guimarães não nos mete medo.", disse Orlando.

O capitão da Académica afirmou ainda no final do encontro que espera estar naturalmente "satisfeito" com o resultado que possa obter e que pode mesmo levar a Briosa ao segundo lugar da Liga Zon Sagres, sustentando ainda que o facto de os "estudantes" serem uma equipa que já levou alguns cartões, só demonstra a "forte atitude da equipa".

Já em relação à prestação que os "estudantes" têm conseguido nesta edição da Liga Zon Sagres, Orlando afirmou que esta vai ser uma época "renhida".




"Manuel Machado é um treinador experiente, tem feito bons trabalhos, é um treinador que procura ter sucesso e tem conseguido. Mas este é o jogo ideal para ele perder o primeiro jogo contra a Académica... Esta vai ser uma época renhida, tenho a certeza disso. Temos de abordar todos os jogos para conseguir pontos e vitórias para mantermos estes lugares da frente.", adiantou.

O 15 da Académica lembrou ainda que a Briosa procurará atingir a manuntenção o mais "rápido possível", elogiando a produtividade atacante da Briosa.

"Primeiro a manutenção, é o principal objectivo. Estamos numa fase inicial do campeonato, se conseguirmos conseguir isso na parte superior da tabela, ainda melhor. O importante é conseguir a manutenção o mais rápido possivel. No ataque melhorámos relativamente às épocas anteriores. Em termos defensivos temos alguns aspectos a corrigir, sofrer menos golos...", confidencou o capitão dos "estudantes".

A Académica recebe então o Vit. Guimarães no sábado, pelas 17:00, em Coimbra, num encontro que será apitado por Jorge Sousa, da AF Porto.

Taça da Liga: Sorteio da segunda fase

Decorreu, esta quarta-feira, o sorteio da segunda fase da Taça da Liga. Os jogos da primeira mão estão marcados para 27 de Outubro e a segunda mão no dia 10 de Novembro.

Calendário dos jogos:

Penafiel – Vitória de Setúbal
Estoril – Rio Ave
Gil Vicente – União de Leiria
Leixões – Paços de Ferreira
Aves – Portimonense
Arouca – Académica
Fátima – Beira-Mar
Oliveirense – Olhanense

Em virtude das regras da prova, as equipas do escalão principal não podem jogar a primeira mão em casa.

21 de setembro de 2010

Diogo Valente pede apoio aos adeptos


Diogo Valente foi um dos jogadores da Briosa que esteve em evidência na partida da última jornada, ao ter marcado o golo que daria o empate à turma de Jorge Costa. Mas agora o Rio Ave faz parte do passado e no horizonte está o encontro da 6ª jornada da Liga Zon Sagres, com os "estudantes" a receberem o Vit. Guimarães.

O Site Oficial da Académica esteve à conversa com o número 23 dos "estudantes" após o final do treino desta manhã e o jogador aproveitou a oportunidade para apelar a todos os Sócios e simpatizantes da Briosa para que marquem presença no jogo frente ao Vit. Guimarães, do próximo sábado, no Estádio Finibanco Cidade de Coimbra.

"Contamos com o apoio dos nossos Sócios e adeptos para vencermos o Vit. Guimarães. Queremos ganhar para dar uma alegria a todas as pessoas da Académica e para isso gostaríamos de ver o Estádio a puxar por nós, do princípio ao fim. Nós, jogadores, prometemos que vamos dar o máximo, deixar a pele em campo, para conseguir vencer.", disse Diogo Valente.

O jogador tem-se mostrado agradado com o apoio que a equipa tem recebido por parte dos seus adeptos e a esperança do extremo da Briosa é que isso se mantenha no próximo sábado.

"Estamos todos juntos, equipa e adeptos, e quando assim é, é muito difícil pararem-nos. Os adeptos são a nossa força e têm sido muito importantes para a posição que ocupamos actualmente. Temos sentido um forte apoio e espero que no sábado seja ainda maior para nos levar à vitória.", adiantou.

Valente tem estado a gostar da experiência na Briosa até ao momento e deixou elogios não só à Académica mas também à cidade de Coimbra.

"Tenho estado a gostar muito de estar na Académica, porque é um clube com excelentes condições de trabalho. Para além disso, a cidade é muito bonita e apoia o clube, o que é sempre bom. Espero que no próximo jogo a cidade de Coimbra venha até ao Estádio para nos apoiar", frisou Diogo Valente.

Éder e Pedrinho recuperados; Nuno Coelho Lesionado

A Académica regressou ao trabalho esta segunda-feira à tarde, com as boas novas das reintegrações de Éder e Pedrinho no trabalho de conjunto.

Os dois jogadores debelaram os problemas físicos com que se debatiam, tendo sido dados como aptos para treino pelo departamento médico.

O guarda-redes Barroca é, agora, o único caso clínico do plantel. Sissoko já não integrou a sessão, por estar ao serviço da selecção sub-20 da Costa do Marfim.

____________________

Jorge Costa, treinador da Académica, liderou mais um treino dos “estudantes”, esta terça-feira, que ficou marcado pela ausência de Nuno Coelho.

O médio falhou o treino devido a um traumatismo no joelho. Para além de Nuno Coelho, o técnico não conta com Barroca e Paulo Grilo, assim como Davis Addy, para o jogo da próxima jornada da Liga, sendo que o último não é opção por estar a cumprir castigo.

Por sua vez, o guarda-redes Peiser não está em risco de falhar o próximo encontro, tendo realizado gestão de esforço.

19 de setembro de 2010

2010/11 - 05J - Rio Ave 2 - Académica 2: Estatísticas

Mais Futebol

Liga - MatchCenter

Jornal A Bola
 

2010/11 - 05J - Rio Ave 2 - Académica 2: Filme do jogo

Rio Ave - Académica
Liga Zon Sagres - 5ª Jornada
Estádio dos Arcos - Vila do Conde
19-09-2010 - 16h


Rio Ave: Mário Felgueiras, Wires (Cícero 67'), Gaspar, Ricardo Chaves, Milhazes, Bruno China, Fábio Felicio, Tarantini (Braga 82'), Saulo, Yazalde (Bruno Gama 63'), João Tomás

Suplentes: Paulo Santos, Tiago Pinto, José Gomes, Mendes,

Treinador: Carlos Brito

Académica: Peiser, Pedro Costa, Berger, Orlando, David Addy, Nuno Coelho, Diogo Melo (Diogo Gomes 82'), Hugo Morais, Sougou, Diogo Valente (Júnior Paraíba 77'), Miguel Fidalgo (Amoreirinha 46')

Suplentes: Ricardo, Pape Sow, Laionel, Sissoko.

Treinador: Jorge Costa

Ao intervalo: 1-0

Marcadores: João Tomás 28', Diogo Valente 51', João Tomás 55', Sougou 62'

Arbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa)
Disciplina:
C.A.: Tarantini 42', Orlando 45', Sougou 63', Saulo 90', Gaspar 90',
C.V.: David Addy 40',

Espectadores: 1.627

Crónica


As melhores histórias são aquelas cujo final é surpreendente. É o caso do argumento deste Rio Ave-Académica. Parecia previsível, aborrecido de tão previsível, até surgir o twisted, o desenlace inesperado. Em poucos minutos, dois contra-ataques viperinos deram dois golos e um ponto à Briosa, quando tudo o que até aí estava escrito apontava em sentido único na vitória fácil do Rio Ave.
Asfixiada pela falta de pontos, a equipa de Vila do Conde fez o que lhe competia. Foi para cima da presa, qual leão ferido e esfomeado, e prometeu-lhe uma morte rápida e indolor. O primeiro golo de João Tomás, aos 30 minutos, foi apenas o encaminhamento lógico desta aventura, que afinal tinha um fio condutor mais complexo do que parecia.

João Tomás: o óbvio destaque do jogo
O Rio Ave era tão superior que se deu ao luxo de passear no jardim do Éden. A cabeça de João Tomás foi o paraíso vilacondense, tal a perfeição exalada em duas execuções geniais. Da primeira já lhe falamos, mas a melhor foi a segunda. Centro de Wires, bola na testa de Tomás e no ângulo superior esquerdo da baliza de Peiser.

Dois golpes de teatro no argumento do jogo
Entre um e outro instante, a Académica marcou. Logo na primeira tentativa. A jogada é toda de Diogo Melo e a conclusão de Diogo Valente. Nesta altura, os «estudantes» já estavam reduzidos a dez elementos, por expulsão desnecessária e despropositada de David Addy.
Apesar de zonzo pela surpresa, o Rio Ave reagiu de imediato e voltou a colocar o filme dentro dos trâmites normais. Ninguém duvidada que os três pontos iam ficar em Vila do Conde, por uma questão de justiça e necessitada.

Só Jorge Costa e os seus rapazes não estavam convencidos disso. Pelos vistos, com toda a razão.
Se o primeiro golpe de teatro apenas entreteve, o segundo foi absolutamente contundente. Inebriado na beleza desenhada por João Tomás, o Rio Ave deixou Sougou isolar-se e aplicar com contundência a surpresa maciça no marcador: 2-2, para espanto de todos os que foram ao estádio.
O M. Night Shyamalan dos melhores tempos não faria melhor. Nem o realizador de O Sexto Sentido escreveria uma história tão inacreditável como esta.

Rio Ave continua a seis pontos da Académica
Justiça não houve, isso é indesmentível. O Rio Ave teve mais bola, mais oportunidades de golo, mandou uma bola à barra por Braga perto do fim e merecia ter vencido. O filme, se tivesse lógica, só podia dar um final feliz à equipa de Carlos Brito. Assim, prevaleceu o pragmatismo violento da Académica, alicerçado na velocidade de Sougou e Diogo Valente, e na qualidade de Diogo Melo.
Jorge Costa leu bem as incidências do jogo, Brito acreditou em demasia naquilo que os seus olhos viam. O Rio Ave passa a ter apenas dois pontos, menos seis do que a Académica.

O árbitro Hugo Miguel não merece fazer parte deste relato. O seu trabalho foi demasiado mau.
__________________________




Jogo de nervos em Vila do Conde. Houve de tudo, golos para todos os gostos, espectáculo, emoção... Houve futebol e, polémicas à parte, o resultado acaba por ser justo, com a Académica a mostrar de que fibra é feita e sai dos Arcos com um empate a duas bolas isto depois de ter estado a jogar com menos um desde os 40 minutos da primeira parte.

O jogo começou forte, com as duas equipas a jogarem ao ataque mas verdade seja dita, o Rio Ave entrou melhor e por algumas ocasiões esteve perto de bater Peiser, algo que viria a acontecer a meio da primeira parte. O árbitro da partida, Higo Miguel, decide (mal) assinalar falta sobre um jogador do Rio Ave quando na verdade a infracção foi cometida sobre Nuno Coelho. Do livre, resultou o primeiro golo da tarde, com João Tomás a aproveitar uma posição irregular para inaugurar a contagem.

Perante tal adversidade, a Académica não baixou os braços e partiu em busca da igualdade, tendo inclusivamente algumas ocasiões onde assustou Mário Felgueiras, mas em termos de golos estamos conversados, durante os primeiros 45 minutos... É que há mais para contar até porque David Addy seria expulso, por protestos, à passagem do minuto 40 e deixou a Briosa supostamente mais frágil. Supostamente, porque o intervalo fez bem aos "estudantes" que entraram na etapa complementar com uma garra e vontade que merecem destaque.



E para tal contribuiu também o excelente apoio que veio das bancadas, com largas dezenas de adeptos da Briosa a deslocarem-se a Vila do Conde para apoiar a sua equipa. E esse apoio revelou-se crucial com os jogadores a encontrarem forças para chegar ao empate, por intermédio de Diogo Valente. Aos 51 minutos, o esquerdino recebe um passe de Sougou e bate Mário Felgueiras pela primeira vez.

O resultado parecia agora mais ajustado ao que se vinha passando dentro das quatro linhas mas pouco tempo depois João Tomás bisou no encontro e fez o 2-1, com um belo golpe de cabeça que bateu um Peiser que nada podia fazer.

Com menos um e de novo em desvantagem, tudo parecia mais complicado para a Académica. Mas a Briosa continuou a procurar o golo e viu as suas intenções concretizarem-se no minuto 62, quando Sougou voltou a empatar a partida.




E que garra a Académica mostrou até final, procurando segurar o ponto mas sempre de olho na baliza adversária. É óbvio que os homens da casa, com mais um, aproximavam-se da baliza da Briosa mas o mérito da Académica em procurar a vitória, mesmo em desvantagem, mereceu justos aplausos por parte dos adeptos, no final da partida.

Até final, nada mais a registar e os "estudantes" saem de Vila do Conde com um ponto conquistado. Na próxima ronda há jogo com o Vit. Guimarães, marcado para sábado, pelas 17:00.

Que belo espectáculo de futebol se assistiu em Vila do Conde... Só faltou mesmo a vitória.

 
Destaques

João Tomás, raposa de área
Velha raposa de área, instinto assassino consolidado com a maturação. Movimento sub-reptício e finalização de olhos bem abertos, com a testa a servir de propulsor no primeiro golo. Dose repetida no segundo tempo, em mais uma execução perfeita com a cabeça bem lá no alto. Dois golos a emoldurarem uma carreira longa e feliz. O Rio Ave precisa deste João Tomás, fresco, lutador, inteligente. A experiência faz toda a diferença. Em cima do intervalo, isolado, sente um puxão de Orlando e joga-se de imediato ao relvado, em busca da expulsão do adversário. Elucidativo. Este homem sabe muito sobre a arte da bola.

Fábio Felício, em busca das promessas perdidas
Cruzamento teleguiado para a cabeça de João Tomás e golo. Pé esquerdo afinado, em busca dos melhores dias de um passado prometedor. Sobre a direita, cabeça levantada, qualidade de passe e drible. Falta mais dinamismo, mais velocidade e alguma garra para ser o Felício que chamou a atenção de alguns bons clubes europeus. Jogo positivo, a prometer influência determinante na organização deste Rio Ave.

Yazalde, parece que é mas não é
Estilisticamente imperfeito, nada atraente. À primeira vista não convence. Depois, num olhar mais atento, descobre-se talento naquele corpo desengonçado. Poderoso, confiante, boa aposta de Carlos Brito para a esquerda do ataque. Procura sempre a baliza e essa é a sua mais-valia. Tem sentido de golo, remata bem e define bem no último terço. Esta é uma época importante para a sua afirmação no futebol nacional.

Diogo Melo, amostra de qualidade
Perdido no âmago da decepção, mal acompanhado, solitário. A forma como corre e executa não engana. É bom jogador, sabe bem o que quer dentro de campo. O contexto não lhe era nada favorável, mas o ex-jogador do Portimonense sobreviveu a tantas contrariedades. O menos mau da Académica. Simplesmente brilhante a forma como assiste Diogo Valente para o 1-1.

Diogo Valente, um bom golo
Bela recepção e remate no primeiro golo da Académica. Momento mais alto numa exibição irregular de um extremo que tem futebol para mais. Quase sempre mal servido na primeira parte, subiu imenso de produção a jogar solto na frente durante a etapa complementar. Aí sim, teve pormenores de nível excelso.

David Addy, assim não
Quatro jogos, duas expulsões. Em Vila do Conde, com a equipa a perder, teve comportamento incorrecto com o árbitro assistente. Assim nem se impõe em Coimbra, nem regressa ao F.C. Porto. Demasiado mau.

__________________________

Peiser 6

Não foi fácil, mas o guarda-redes ultrapassou bem as dificuldades, ao ponto de afastar muitas vezes o Rio Ave do golo.

Diogo Valente 6

Apareceu no momento certo, construindo situações que o levaram ao merecido golo.

Sougou 5

Demorou, mas lá foi dando um ar da sua graça até colorir a exibição com um golo que acabou com as aspirações do Rio Ave.

Bruno China 6

Elemento estabilizador do meio-campo, foi importante a estancar as movimentações ofensivas da Académica.

Fábio Felício 6

Soube aproveitar o regresso à titularidade, impondo o ritmo e servindo bem os atacantes.

Saulo 5

Muito interventivo, principalmente na primeira parte, sendo um dos primeiros a querer abrir o caminho para o golo.


Opiniões

Carlos Brito (treinador do Rio Ave):
«Não conseguimos segurar vantagem contra dez, mas se calhar até teríamos de jogar contra nove e não contra dez. Não quero ser intempestivo com o árbitro. Houve uma grande penalidade incrível sobre o Yazalde que ficou por marcar e aí teria de ser expulso um jogador. Depois o João Tomás isolou-se e o Orlando só viu o amarelo. Estou a tentar conter-me nas declarações. Sempre fui respeitador e se há polémicas no futebol os responsáveis não são o Rio Ave e o Carlos Brito. Hoje o Rio Ave foi prejudicado.»
«O jogo foi disputado, houve quatro golos e foi uma injustiça não termos ganho. As coisas não estão a correr bem, mas os atletas estão a dar o máximo.»

Jorge Costa (treinador da Académica):
«Estou insatisfeito com a primeira parte da minha equipa. Entrámos adormecidos e pouco agressivos. Na segunda parte, com menos um atleta, fomos sólidos e aguerridos. O empate ajusta-se num jogo muito emotivo e difícil para nós. O espectáculo foi bom e temos de valorizar isso.»
«A arbitragem? Não foi um jogo fácil para o árbitro. Há um lance de dúvida a favor do Rio Ave e outros a favor da Académica.»

Diogo Valente, jogador da Académica, em declarações aos jornalistas após o empate a duas bolas em Vila do Conde:
«Não entrámos bem no jogo, de facto. A expulsão condicionou-nos bastante, mas a nossa atitude na segunda parte foi excelente. Sentimos que podíamos chegar à vitória, é verdade, pois estávamos a jogar muito bem no contra-ataque. De qualquer forma, por aquilo que o Rio Ave também fez, o empate é perfeitamente justo.»

João Tomás marcou dois golos à Académica. No final falou aos jornalistas sobre o empate concedido pelo Rio Ave:
«Fizemos um jogo bom e devíamos ter ganho. A Académica teve dois lances e fez dois golos. Fomos claramente superiores e foi pena não termos segurado o triunfo. Depois do 2-1 não podemos voltar a sofrer um golo. A culpa é nossa. Tenho sentimentos contraditórios. Fiz dois golos, mas a equipa não venceu. Estamos chateados e temos de assumir as nossas responsabilidades.
O que achou da arbitragem de Hugo Miguel?
«Dou o benefício da dúvida ao árbitro em dois lances, um em cada área. Só não dou no lance em que me vou a isolar. Aí tem de haver vermelho para o Orlando e a Académica ficava a jogar com nove.»

Lances chave

28' [1-0] Livre de Fábio Felício, sobre a direita, e João Tomás cabeceia para o golo que se adivinhava.


50' [1-1] Num passe de Diogo Melo, surge pela esquerda Diogo Valente, que não encontra resistência de Wires e remata certeiro.


55' [2-1] Wires faz um cruzamento perfeito para a cabeça de João Tomás, que não perde tempo a atirar para dentro da baliza.


84' Na primeira vez em que toca na bola, Braga remata forte, mas a bola morre na trave, perdendo-se a derradeira oportunidade da sua equipa.

Momento do jogo:

Momento: 61' [2-2] - Sougou acaba com a festa


Ainda se ouviam os ecos dos festejos do último golo de João Tomás - a pôr o Rio Ave de novo em vantagem - quando Sougou irrompeu na área vila-condense, desferindo o remate que acabou com a alegria dos locais.


Minuto a minuto

    90'      CARTÃO AMARELO para Gaspar (Rio Ave )
    90'     FINAL DO JOGO! Rio Ave - 2 Académica - 2. Empate surpreendente e injusto para o Rio Ave, claramente superior ao longo da partida. A equipa de Carlos Brito não soube aproveitar a expulsão de David Addy ainda na primeira parte. João Tomás fez os golos dos vilacondenses (28 e 55 minutos), Diogo Valente (51) e Sougou (62) marcaram para a Académica.
    90'     Cinco minutos de compensação.
    90'     CARTÃO AMARELO para Saulo (Rio Ave )
    86'     Pontapé de Braga à trave!!! O Rio Ave fica perto do 3-2!
    83'     SUBSTITUIÇÃO Rio Ave . Sai Tarantini entra Braga
    80'     Defesa de Peiser a pontapé de Bruno Gama.
    76'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Diogo Valente entra Júnior Paraíba
    75'     Boa defesa de Mário Felgueiras (Rio Ave) a remate de Diogo Melo.
    74'     Pontapé de Bruno Gama muito por cima!
    74'     Livre a favor do Rio Ave em zona perigosa.
    72'     CÍCERO PERTO DO GOLO! Canto na direita e cabeceamento perigoso do avançado do Rio Ave.
    71'     João Tomás cabeceia por cima, após livre de Fábio Felício.
    70'     A ACADÉMICA FALHA O 2-3!! Diogo Valente espalha o pânico na área de Vila do Conde e quase serve Sougou para o golo!
    67'     SUBSTITUIÇÃO Rio Ave . Sai Wires entra Cícero
    63'     CARTÃO AMARELO para Sougou (Académica )
    63'     SUBSTITUIÇÃO Rio Ave . Sai Yazalde entra Bruno Gama
    62'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! ACADÉMICA ! 2-2 por Sougou. Inacreditável! O Rio Ave adormece e deixa Sougou isolado na direita, após passe muito longo. O senegalês finalizou muito bem!
    60'     Meia-hora para o fim do encontro. O Rio Ave tem a partida aparentemente controlada, apesar da Académica ter subido ligeiramente de produção.
    55'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! RIO AVE ! 2-1 por João Tomás. Que grande golo! O centro de Wires é bom, mas a execução de João Tomás é ainda melhor! Golpe de cabeça mortífero, a deixar Peiser pregado ao solo!
    51'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! ACADÉMICA ! 1-1 por Diogo Valente. Quem diria! A Briosa marca completamente contra a corrente do jogo. Lance brilhante de Diogo Melo, a assistir Diogo Valente, que remata de pé esquerdo e faz o empate!
    49'     JOÃO TOMÁS FICA PERTO DO 2-0! Trabalho de Saulo na direita, centro e cabeçada de João Tomás. Peiser defende em cima da linha!
    47'     Sougou (Académica) pede penalty. Não parece ter havido nada.
    46'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Miguel Fidalgo entra Amoreirinha
    46'     RECOMEÇA A PARTIDA
    45'     INTERVALO NA PARTIDA ENTRE Rio Ave e Académica. Vantagem mais do que justa dos vilacondenses. Esta Académcia está a ser uma decepção.
    45'     Pontapé perigoso de Fábio Felício na marcação de um livre!
    45'     Um minuto de descontos.
    45'     CARTÃO AMARELO para Orlando (Académica ), por puxar João Tomás quando este se poderia isolar.
    42'     CARTÃO AMARELO para Tarantini (Rio Ave )
    42'     A Académica fica em maus lençóis. Está a perder e tem menos um elemento em campo. Esta é a segunda expulsão de David Addy em quatro presenças na Liga.
    40'     CARTÃO VERMELHO para Addy (Académica ). O lateral é expulso por palavras dirigidas ao árbitro-assistente.
    38'     Sapatada de Mário Felgueiras (Rio Ave) após canto de Diogo Valente!
    37'     Contra-ataque perigoso da Briosa. Passe de Diogo Melo, Miguel Fidalgo surge na direita e ganha canto.
    34'     Muito bom jogo até agora por parte do Rio Ave. A Académica está completamente encostada às cordas!
    32'     Tarantini (Rio Ave) falha o desvio, depois de mais um excelente centro de Fábio Felício!
    28'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! RIO AVE ! 1-0 por João Tomás. Livre cobrado por Fábio Felício na direita e desvio de cabeça do ponta-de-lança! Está feito o primeiro golo! Justiça no marcador.
    26'     Miguel Fidalgo (Académica) faz uma má recepção e perde uma boa oportunidade para incomodar Felgueiras.
    23'     O RIO AVE VOLTA A AMEAÇAR! Centro de Fábio Felício de trivela, na direita, e João Tomás a aparecer com muito perigo! A bola bateu no corpo de um defesa.
    19'     Remate de Diogo Melo (Académica), de fora da área, a passar muito por cima da baliza do Rio Ave.
    18'     Mário Felgueiras, guarda-redes do Rio Ave, toca pela primeira vez na bola.
    17'     Defesa segura de Peiser (Académica), após pontapé de Saulo.
    15'     Livre de Fábio Felício e defesa aparatosa de Peiser!
    15'     Livre a favorecer o Rio Ave em zona perigosa!
    14'     Bom lance do Rio Ave, com Saulo a ganhar canto na direita. No seguimento, Peiser afasta a soco o perigo.
    10'     A partida pertence por completo ao Rio Ave. A Académica ainda não chegou à área de Mário Felgueiras.
    6'     O RIO AVE QUASE MARCA! Centro de Fábio Felício e cabeceamento de Saulo para defesa milagrosa de Peiser! Entrada fortíssima dos vilacondenses.
    5'     Yazalde (Rio Ave) fica a reclamar grande penalidade, após toque de Pedro Costa. Parece ter razão.
    3'     JOÃO TOMÁS FALHA POR POUCO! Lance de insistência, com o ponta-de-lança a surgir em boa posição, mas há um ressalto e Peiser resolve tudo.
    1'     COMEÇA A PARTIDA ENTRE Rio Ave e Académica

Arbitragem

Hugo Miguel - AF Lisboa - nota 1
Trabalho muito mau esta tarde.