31 de dezembro de 2010

Golo de Laionel na Luz foi o momento do ano

Para os adeptos da Académica, o segundo golo no Estádio da Luz foi o melhor momento do ano de 2010. Sobretudo, porque garantiu a vitória no reduto do campeão Benfica (1-2). Para além disso, o pontapé de Laionel teve alta nota artística.

Ao minuto 90+2, na primeira jornada da Liga 2010/11, Laionel surpreendeu tudo e todos, ao garantir a conquista dos três pontos. A Académica promoveu a votação no seu «site» oficial e os adeptos não tiveram dúvidas: foi este o momento do ano. Para trás, ficou a meia-final da Taça da Liga, no Dragão, e o concerto dos U2 no Estádio Cidade de Coimbra.

«Fiquei muito feliz e orgulhoso pelos sócios e adeptos da Académica terem votado no meu golo para o melhor do ano. Estou muito grato a todos e espero retribuir com mais golos no futuro», disse Laionel, ao ser confrontado com a notícia.


Académica joga com o U. Madeira a 12 de Janeiro; V Setúbal a 26

A Académica vai acertar calendário na Taça de Portugal a 12 de Janeiro, diante do U. Madeira (II Divisão), em partida relativa aos oitavos-de-final da prova, precisamente no dia em que se jogam os quartos-de-final. 

O clube de Coimbra já foi informado pela Federação da marcação da partida, que se encontrava em atraso devido ao processo que opunha o Bombarralense ao Louletano. O Conselho de Justiça acabou por confirmar a decisão de primeira instância, que punira ambos os clubes com derrota por 3-0, apurando-se, consequentemente, o U. Madeira para a eliminatória seguinte.

Se conseguirem ultrapassar os madeirenses - já eliminaram a U. Leiria esta época na cidade do Lis -, os estudantes voltam a jogar em casa a 26 de Janeiro, com o V. Setúbal, desta vez para acertar definitivamente o passo com as restantes equipas. 

Perspectiva-se, assim, um primeiro mês do novo ano em cheio para o estreante José Guilherme, com a realização de cinco partidas, quatro delas (Paços de Ferreira, U. Madeira, Benfica e V. Setúbal) no Estádio Cidade de Coimbra, e apenas uma fora, em Olhão. 

30 de dezembro de 2010

2010/11 - 16J - Académica - Benfica: Domingo, 16 Jan, 20:15h

Horários da 16ª Jornada

Sexta-feira, 14 de Janeiro de 2010
20h15
Portimonense – Sp. Braga
 

Sábado, 15 de Janeiro de 2010
19h15
Vit. Guimarães – Olhanense
21h15Sporting – Paços Ferreira
 

Domingo, 16 de Janeiro de 2010
16h
Nacional – Rio Ave
Vit. Setúbal – Marítimo
U. Leiria – Beira-Mar
18hFC Porto – Naval 1º de Maio
20h15Académica – Benfica

Amessan já viajou para Portugal

Jogador esteve retido na Costa do Marfim devido à crise pólítica que tem afectado o país africano.

A Académica ainda não informou se Amessan já está em solo nacional, certo é que esta manhã o marfinense não se treinou em Coimbra.

A crise política e social que rebentou na Costa do Marfim está a impedir o regresso de Amessam a Coimbra, para reintegrar o plantel da Académica.

O jogador marfinense deslocou-se ao seu país e não terá conseguido ainda sair, devido à recusa do ex-presidente Laurent Gbagbo em assumir a vitória eleitoral de Alassane Ouatarra.

Apesar de o país africano não se encontrar em guerra civil, a situação social está complicada, pelo que não existem certezas quanto à data do regresso do futebolista.

Orlando em risco para o Paços de Ferreira

É um facto que ainda falta mais de uma dezena de dias para o jogo com o Paços de Ferreira, agendado para dia 9 de Janeiro. No entanto, nesta altura, parecem ser reduzidas as possibilidades de Orlando vir a defrontar a turma pacense no derradeiro encontro da primeira volta da Liga ZON Sagres. O jogador está há alguns dias afastado do trabalho por causa de uma inflamação no tendão de Aquiles do pé esquerdo, cenário que irá manter-se até ao final desta semana, estando marcada uma reavaliação para o princípio da próxima semana. Deste modo, tudo leva a crer que o treinador José Guilherme, na estreia oficial pela turma estudantil, só possa contar com dois centrais (Berger e Luiz Nunes), pois também Amoreirinha está aos cuidados do departamento médico

Simões não se recandidata

É já um dado adquirido: José Eduardo Simões não irá avançar em meados do próximo ano para um novo mandato na presidência da Briosa. O atual presidente, de 54 anos, foi eleito em dezembro de 2004, frente a Maló de Abreu, e reeleito em abril de 2008, vencendo João Francisco Campos.
Depois de cumpridos dois mandatos à frente do clube, Simões refletiu nos últimos meses sobre o assunto e já tomou a decisão de não avançar. O próximo ato eleitoral da Académica ainda não tem data marcada, mas à luz dos estatutos – reformulados este ano em AG – irá ocorrer entre abril e maio de 2011, período que irá coincidir com o final da época.


Depois de garantido o novo técnico (José Guilherme) para a vaga de Jorge Costa, José Eduardo Simões partiu para férias e apesar da vontade dos restantes membros da direção em convencer o atual presidente a recandidatar-se, a decisão está tomada. “Espero que as próximas eleições sejam concorridas e, quem vier, vai encontrar trabalho feito. O meu desejo era que ele avançasse, mas uma coisa é o que penso e outra é aquilo que o presidente pensa”, explica o “vice” Luís Godinho.

Alternativas. Instado sobre a possibilidade de avançar, Godinho é pragmático. “Entrei na Académica com José Eduardo Simões e com ele sairei.” Na calha, está a recandidatura de João Francisco Campos, candidato derrotado em 2008, com menos 221 votos.

28 de dezembro de 2010

José Guilherme promete “trabalho e ambição” na Académica

O novo treinador da Académica, José Guilherme, foi apresentado ao final desta manhã na sala de imprensa do Estádio Finibanco Cidade de Coimbra, numa cerimónia onde marcaram presença os Vice-Presidentes da Briosa e também muitos Sócios e adeptos que, em número, até se superiorizaram aos elementos da comunicação social.
Com um discurso claro e coerente, José Guilherme transmitiu aos presentes aqueles que serão os ideais pelos quais se irá reger a nova equipa técnica dos “estudantes”, que será formada pelo ex-jogador da Académica, José Alberto Costa, e ainda por Virgílio Fernandes, Ricardo Chéu e Rui Correia, que transitam da equipa anterior.
“É um orgulho enorme vir treinar a Académica, um clube histórico no panorama nacional. É um clube com grande tradição, com grandes valores e por isso é um prazer muito grande estar aqui. Ao longo dos anos, fizeram-se aqui homens. Entraram jogadores e saíram doutores... Por isso sinto-me muito honrado em ter convidado José Alberto Costa, um homem com história na Académica. Queremos transmitir aos jogadores os valores da Académica. Valores de trabalho e de ambição para fazer com que a Académica atinja um patamar maior ao nível do futebol nacional.”, começou por dizer.
O novo timoneiro dos “estudantes” admitiu que as negociações foram “muito rápidas” e prometeu “trabalho e ambição”, duas palavras que, alias, foram das mais ouvidas durante toda a conferência de imprensa.
“Foi tudo muito rápido. Em termos de carreira, pensava que iria começar a treinar no próximo ano. Aconteceu de um momento para o outro. Era sim ou não, e disse sim. É um desafio aliciante e fantástico. Vamos trabalhar todos os dias para que a Académica entre em cada jogo para vencer, independentemente do adversário. Não vamos prometer nenhuma posição, vamos prometer ambição e trabalho de forma a que a qualidade do jogo nos permita entrar com espírito de vitoria em todos os jogos.”, adiantou.
José Guilherme frisou que o objectivo imediato da Briosa é recuperar dos dois últimos jogos, frente ao Marítimo e Sp. Braga, onde as coisas não correram tão bem, prometendo “dedicação máxima” à Académica.
“Acredito que a mente dos jogadores esteja ferida com esses dois resultados e esse é um aspecto importante que têm de transpor. A Académica teve um inicio fantástico, teve dois desaires que são passageiros e vamos lutar para que isso se consiga ultrapassar. Prometo a minha dedicação máxima à Académica, vamos dar tudo o que temos e sabemos à Académica.”, sustentou.

As conversas com Jorge Costa e André Villas Boas
Era inevitável na conferência de imprensa de apresentação de José Guilherme não falar dos ex-treinadores dos “estudantes” Jorge Costa ou até mesmo André Villas Boas. O timoneiro da Briosa não deixou a pergunta sem resposta e até transmitiu aos presentes o recado deixado por Jorge Costa, que abandonou o comando técnico por motivos pessoais.
“O Jorge Costa pediu-me para dar uma palavra a todos os sócios, uma palavra de simpatia. Ele adorou trabalhar aqui, mas pediu-me para dar um abraço a todas as pessoas que o acarinharam. Ele teve um grande prazer e um grande orgulho em trabalhar na Académica. Tivemos uma conversa e só me disse coisas fantásticas, o que me motivou ainda mais a fazer o meu trabalho com o máximo empenho. André Villas Boas? Somos amigos... Disse-me coisas fantásticas. Sócios fantásticos, directores fantásticos, cidade fantástica. Conheço várias pessoas que passaram pela Académica e não conheço ninguém que tenha dito mal de Coimbra. Todos adoram Coimbra, têm saudades, têm amigos aqui e gostam dos fados de Coimbra. Coimbra marca quem passa por cá e vai-me marcar a mim também.”, revelou.

“Quando se contratam treinadores, contratam-se ideias”
Por ter passado muitos anos no futebol jovem, neste caso no FC Porto, José Guilherme foi também questionado sobre se poderia ter uma palavra a dizer no desenvolvimento da formação da Académica e o novo técnico da Briosa afirmou que irá acompanhar de perto o trabalho desenvolvido e até apresentar algumas propostas.
“Quando se contratam treinadores, contratam-se ideias. Fui um treinador que fez a sua formação no futebol jovem, é normal que tenha ideias muito concretas acerca da formação. Tenho uma sensibilidade grande para os jogadores da formação. Posso ter uma intervenção, apresentar propostas, ver jogos da formação, para ver as qualidades que os jovens têm que a equipa sénior poderá aproveitar.”, disse.
Aos 45 anos, José Guilherme terá então a sua primeira experiência como treinador principal de uma equipa do principal escalão português, mas o agora novo técnico da Briosa até revelou que este é mesmo o “momento ideal para o fazer”, elogiando as condições que a Académica oferece.
“Há várias formas de chegar ao topo. Alguns treinadores querem solidificar a sua formação e foi isso que me aconteceu. Quis solidificar a minha formação enquanto treinador, e agora achei que era o momento indicado para dar uma volta à minha carreira e passar a ser treinador principal. Tive a sorte de vir para a Académica, um clube com estruturas fantásticas e começo num patamar elevado. Vou pensar 24 horas por dia na Académica. Mesmo a dormir, vou sonhar algumas vezes com a Briosa.”, referiu.
José Guilherme não quis terminar sem antes recordar o lema da Mancha Negra (“Se a Briosa jogasse no céu, morreria para a ver jogar”), frisando que será por aí que a mensagem irá passar para os seus jogadores.
“Achei muito interessante o lema da Mancha Negra. Gostaria de terminar dedicando o lema que é o que se pretenda que a Académica seja. É isso que nós queremos fazer da Briosa… Se a Académica jogasse no céu, morreríamos para a ver jogar.”, finalizou.

E assim está apresentado o novo técnico da Académica. José Guilherme, de 45 anos, orientará esta segunda-feira o seu primeiro treino na Briosa.

26 de dezembro de 2010

José Guilherme quer «potenciar a mística» da Académica


José Guilherme, o sucessor de Jorge Costa como treinador da Académica, está encantado com a oportunidade que lhe foi dada de treinar o clube de Coimbra e, nas suas primeiras declarações depois de assinar contrato, não deixou de o assinalar ao site do clube:

«É um prazer enorme treinar um clube como este, com uma grande cultura. A Académica tem um forte carisma, uma forte tradição e mística e é isso que queremos potenciar», afirmou.

Na linha de escolhas da direcção estudantil que apostou, por exemplo, em André Villas Boas, na altura sem experiência como treinador principal, José Guilherme vai tentar provar que também merece um lugar na Liga.

O técnico terá em José Alberto Costa uma importante retaguarda, por se tratar de alguém que já passou por Coimbra: «A Académica é um clube que tem vindo a formar homens, não só enquanto jogadores mas também a nível académico, e isso é algo que dá grande prestígio à Académica e espero que consigamos fomentar ainda mais este aspecto. Por isso, o José Alberto Costa é alguém que conhece os valores deste clube como poucos, e vamos transmiti-los aos jogadores.»

Para terminar, José Guilherme afirmou que é seu objectivo «elevar a Académica o mais possível», reservando mais declarações para a apresentação oficial, que decorrerá esta segunda-feira.

José Guilherme é o novo treinador

José Guilherme é o novo treinador da Académica. O técnico, de 45 anos, iniciou a sua carreira no Esmoriz, tendo também chegado a treinar o Sp. Espinho. Contudo, foi na formação do F.C. Porto onde se destacou, tendo sido campeão nacional em quatro ocasiões. Recentemente, integrou a equipa técnica da Selecção Nacional, que participou no Campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul.


O novo técnico dos "estudantes" terá como adjunto José Alberto Costa, um homem que conhece muito bem os cantos à casa. 

José Alberto Costa é um ex-jogador da Académica, participou em 159 jogos com a camisola da Briosa, foi internacional AA, tendo também orientado a Académica em 1989-90. De referir ainda que Virgílio Fernandes, Ricardo Chéu e Rui Correia continuarão a fazer parte da equipa técnica agora comandada por José Guilherme.

O novo treinador dos "estudantes" será apresentado oficialmente na segunda-feira, pelas 12h30, na sala de imprensa do Estádio Cidade de Coimbra.



___


Está encontrado o sucessor de Jorge Costa no comando técnico da Briosa. José Guilherme, 45 anos, iniciou a sua carreira no Esmoriz e treinou ainda o Sp.Espinho, destacou-se nos escalões de formação do FC Porto, onde se sagrou campeão nacional 4 vezes.

Saliente-se que, José Guilherme integrou a equipa técnica liderada por Carlos Queiroz durante o Campeonato de Mundo de 2010, que se realizou na África do Sul.

Como seu adjunto contará com um nome bem conhecido em Coimbra, no caso, José Alberto Costa, que foi treinador da Académica em 1989-1990, tendo sido também jogador do clube e internacional português.

Quanto à restante equipa técnica, será composta pelos elementos que já trabalhavam no clube desde o início da época. Assim, Virgílio Fernandes, Ricardo Chéu e Rui Correia continuarão ao serviço dos estudantes.

O contrato de José Guilherme é válido até ao final da temporada, com mais uma de opção, e a sua apresentação oficial está marcada para amanhã, às 12:30h, na sala de imprensa do Estádio Cidade de Coimbra.

Dia decisivo em Coimbra para a sucessão de Jorge Costa

Hoje poderá ser conhecido o sucessor de Jorge Costa no comando dos estudantes. Se uma das primeiras escolhas poderia passar por Carlos Carvalhal, que não se mostrou disponível, a Académica virou agulhas para Leonardo Jardim, treinador do Beira-Mar, mas com idêntico resultado: indisponibilidade.

É nesta fase que começam a ser colocadas as hipóteses Lito Vidigal e Ulisses Morais, nomes em cima da mesa, que, para já, estão na linha da frente para suceder a Jorge Costa. Porém, sabe A BOLA, não está colocada de parte uma surpresa.

No caso de Ulisses Morais, o treinador tem aguardado pacientemente o regresso ao activo. Assim, um convite da Académica seria recebido com agrado, dado que se trata de um clube histórico, carregado de simbolismo. Nesse sentido, um acordo podia ser uma possibilidade relativamente fácil de se concretizar.

Relativamente a Lito Vidigal, o caso não é diferente, pois o treinador ainda não recebeu nenhuma proposta, continuando assim a aguardar por um contacto.

Pedro Miguel sugerido
Além destes dois nomes existem outros que não podem ser colocados de parte. Os dirigentes da Briosa também estão atentos a alternativas mais jovens, eventualmente a trabalharem em divisões secundárias, e nesse sentido, um dos nomes sugeridos ao presidente José Eduardo Simões é o de Pedro Miguel, treinador do Oliveirense, da Liga de Honra. Com 43 anos, e depois de ter estado a lutar pela subida ao principal escalão na época passada, o treinador tem vindo a demonstrar valor e qualidade suficientes para outros patamares.

23 de dezembro de 2010

Carvalhal não está disponível; já se pensa nas alternativas

Era o desejado, mas tem proposta do estrangeiro Lito Vidigal é possibilidade Novo treinador talvez no início da próxima semana

Carlos Carvalhal não será o sucessor de Jorge Costa no comando técnico da Académica, é preciso começar à procura de nova alternativa. O nome do homem que no final da época passada deixou o Sporting era - como A BOLA adiantou assim que foi conhecida a demissão de Jorge Costa - o preferido da Direcção liderada por José Eduardo Simões para dar continuidade ao projecto conimbricense, mas o nosso jornal pode desde já adiantar que isso não irá acontecer.

Fontes muito próximas de Carlos Carvalhal garantem que apesar de o treinador ver com muito bons olhos a ideia de trabalhar na Académica (já por mais que uma vez esteve próximo de se mudar para Coimbra), essa possibilidade terá de esperar. Tudo porque está em conversações muito adiantadas para se mudar para o estrangeiro, não lhe sendo neste momento possível aceitar eventual convite da Briosa.

Não chegou a haver um convite formal da Académica a Carlos Carvalhal, mas os dirigentes do emblema de Coimbra já saberão da sua indisponibilidade para assumir o comando técnico da equipa.

O desejo será mútuo, os estudantes queriam Carvalhal e Carvalhal gostaria muito de poder treinar a Briosa, mas o timing não é o melhor, pelo que José Eduardo Simões e os seus pares terão de virar-se para outras alternativas.

22 de dezembro de 2010

Amoreirinha vai ser operado

O central Amoreirinha corre o risco de não voltar a jogar esta época, devido a uma rotura de ligamentos.

O defesa lesionou-se no jogo com o SC Braga, na semana passada, e o resultado da ressonância magnética a que se submeteu confirmou o pior cenário: rotura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo.

Amoreirinha terá de ser operado, sendo que nestes casos o tempo de recuperação nunca é inferior a seis meses, o que significa que dificilmente voltará à competição esta época.

Sob os cuidados do departamento médico estão ainda Diogo Gomes, que fez uma artroscopia para debelar uma lesão meniscal no joelho esquerdo, Berger, recupera de um traumatismo no joelho esquerdo e Orlando, que está parado devido a uma inflamação no tendão de Aquiles.

Apenas 14 jogadores no último treino

Decorreu, esta manhã, na Academia Dolce Vita, em Coimbra, o último treino antes do Natal do plantel da Académica.

Na sessão, que decorreu à porta fechada, voltou a ser orientada por Ricardo Cheu, Virgilio Fernandes e Rui Correia, adjuntos que trabalhavam com Jorge Costa, apenas estiveram presentes 14 jogadores.

Aos que já tinham partido de férias, juntaram-se agora Hugo Morais e Miguel Fidalgo, que partiram para a Madeira a fim de celebrar a quadra natalícia. O plantel regressará ao trabalho na próxima segunda-feira com a hipótese do treino ser já orientado pelo novo treinador, uma vez que nos próximos dias deverá de haver novidades em relação a esta matéria.

21 de dezembro de 2010

"Não estou a deixar a Académica. Estou a deixar o futebol."

"À Académica,
É difícil esta missão de me dirigir a vós neste momento. Não são muitas as palavras que terei a dizer para justificar esta minha decisão, mas sinto o dever de vos deixar uma mensagem de despedida, tantos foram os bons momentos que passei em Coimbra.

 
Antes de mais, quero dizer-vos que não estou a deixar a Académica. Estou a deixar o futebol.


Por motivos estritamente pessoais que não me permitem continuar a actividade profissional que mais me realiza, hoje anuncio com grande tristeza que deixarei de treinar equipas de futebol. Não deixo apenas de ser treinador da Académica, deixo de ser treinador de futebol.
Neste momento, quero registar o orgulho pelo desempenho desportivo da minha equipa, o qual tenho de agradecer aos meus jogadores e aos restantes membros da equipa técnica, que sempre me apoiaram, compreenderam e potenciaram o meu trabalho. A todos eles desejo as maiores felicidades pessoais e profissionais.

Não posso deixar de pedir desculpa ao Presidente da Académica, dirigentes, equipa técnica, jogadores e demais funcionários. Aos Sócios e aos adeptos... Para com todos eles fico em dívida, uma dívida que jamais poderei saldar.

Por fim, quero registar o grande privilégio que foi para mim treinar a Académica. Num momento difícil como este, dá-me um certo conforto saber que treinei este clube e guardarei para sempre todos os bons momentos que me proporcionaram.

Um abraço a todos e muito sucesso, dentro e fora das quatro linhas…"

Carvalhal apontado à sucessão de Jorge Costa

Embora seja ainda cedo para se falar com certezas sobre o nome do sucessor de Jorge Costa no comando técnico dos estudantes, a verdade é que Carlos Carvalhal aparece nesta altura como um dos nomes que reúnem mais possibilidades de chegar a Coimbra.

Desempregado desde que saiu do Sporting, Carlos Carvalhal tem um perfil que se adequa àquilo que os dirigentes conimbricenses desejam para a equipa, pelo que essa solução é encarada com agrado.

É provável, assim, que nos próximos dias o antigo treinador dos leões seja contactado, de forma a saber da sua disponibilidade para dar continuidade ao trabalho subitamente interrompido por Jorge Costa.

Há, contudo, outras alternativas em cima da mesa, embora por enquanto ninguém fale sobre o assunto em Coimbra.

Serão precisas, por isso, algumas horas, ou até dias, para reflectir e decidir que rumo seguir.

E a verdade é que a mudança de treinador, embora não desejada pela Direcção, acaba por surgir numa altura em que, face à pausa natalícia, permite tempo para ponderar com cuidado.

Jorge Costa deixa Académica

A Associação Académica de Coimbra / Organismo Autónomo de Futebol vem por este meio informar todos os seus sócios, adeptos, comunicação social e demais interessados que Jorge Costa abandonou o comando técnico da Académica, pedindo a sua demissão durante o dia de ontem por motivos de ordem pessoal.
A Direcção da Académica, após explicar internamente, no início do treino desta terça-feira, a situação antes de qualquer comunicado oficial, adianta que os próximos treinos serão orientados pelos treinadores adjuntos Ricardo Chéu, Virgílio Fernandes e Rui Correia.

A Direcção da Académica irá analisar a situação e encontrar a melhor solução, sempre com o objectivo de garantir a estabilidade e o bom desempenho desportivo que a equipa vinha apresentando até ao momento.
Logo que se verificarem desenvolvimentos sobre este assunto, os mesmos serão comunicados aos associados da Académica através do Site Oficial. 

- Jorge Costa apresentou, esta segunda-feira, a demissão do comando técnico da Académica alegando "motivos pessoais".
Tudo se terá precipitado depois da goleada infligida pelo Sp. Braga na sexta-feira (5-0), a segunda consecutiva dos estudantes. Record sabe que o presidente do clube, José Eduardo Simões, foi ao balneário e teve uma conversa dura com os jogadores, conversa que Jorge Costa terá considerado excessiva, entrando assim em clivagem com o dirigente.
- Surpresa em Coimbra. Jorge Costa apresentou a demissão do comando técnico da equipa, depois de uma conversa com o presidente José Eduardo Simões.
Jorge Costa, que já não tinha orientado a sessão de treino desta manhã, alegadamente devido a problemas pessoais, deixa a equipa depois de duas pesadas derrotas (1-5 em casa frente ao Marítimo e 0-5 em Braga na passada sexta-feira).
Segundo foi possível apurar, a decisão de apresentar a demissão surgiu após uma conversa com o presidente José Eduardo Simões, faltando apenas acertar os termos da rescisão de contrato.
- Surpresa em Coimbra. Sem que nada o fizesse prever, Jorge Costa apresentou ontem de manhã o pedido de demissão do comando técnico da Académica. Uma situação que estava longe do imaginário dos dirigentes da Briosa, que jamais equacionaram tal cenário, pois as duas últimas goleadas sofridas diante de Marítimo (1-5 em Coimbra) e Braga (5-0 no Estádio AXA) não beliscaram a confiança que o jovem técnico tinha junto de quem manda no futebol estudantil, até porque a turma de Coimbra está a fazer a melhor época da última década.
A verdade é que o treinador, de 39 anos, alegou razões pessoais para avançar para o pedido de demissão, apelando à compreensão dos responsáveis academistas para a sensibilidade do problema apresentado. De resto, na reunião tida ao final da manhã com o presidente José Eduardo Simões, com o vice-presidente Luís Godinho e com o director-desportivo Luís Agostinho - já depois de ter deixado o treino matinal por conta dos seus adjuntos -, Jorge Costa terá admitido que não passará pelos seus horizontes treinar qualquer equipa nos próximos dois/três anos, segundo O JOGO conseguiu apurar.
Apesar de respeitar a decisão do treinador, a verdade é que a Direcção dos capas negras não estará muito disposta a ficar de mãos a abanar, até porque o contrato é válido até 2012 e o treinador não tinha prevista qualquer cláusula de rescisão, como, de resto, O JOGO adiantou em primeira mão há alguns meses.
Certo é que o treino de hoje, marcado para as 10h00, no Bolão, já não será orientado por Jorge Costa, cujas funções ficarão novamente a cargo do trio de adjuntos, composto por Ricardo Chéu, Virgílio Fernandes e Rui Correia, que continuam no clube. Será também altura de os jogadores, que ainda não partiram para férias, serem informados dos acontecimentos por parte do presidente José Eduardo Simões.

 - Jorge Costa pediu a demissão comando técnico da Académica. O treinador evocou questões pessoais muito fortes (um problema familiar, ao que o Maisfutebol conseguiu apurar) para solicitar a rescisão de contrato com o clube de Coimbra.
Os dirigentes da Briosa estão reunidos para analisar a questão, mas são sensíveis aos argumentos apresentados e a saída do técnico parece incontornável.
A Académica sofreu duas goleadas pesadas, de forma consecutiva. Perdeu em casa com o Marítimo (1-5) e encaixou mais cinco golos na deslocação ao reduto do Sp. Braga (5-0), na 14ª jornada.
Apesar dos resultados recentes, a equipa ocupava uma posição segura na tabela classificativa da Liga: 9º lugar. A Académica acumulou 18 pontos em 14 jornadas.
Jorge Costa não orientou a sessão de trabalho desta segunda-feira de manhã, delegando a função nos seus adjuntos. O mesmo acontecerá nesta terça-feira.
- Tudo se terá precipitado depois da goleada infligida pelo Sp. Braga na sexta-feira (5-0), a segunda consecutiva dos estudantes. Record sabe que o presidente do clube, José Eduardo Simões, foi ao balneário e teve uma conversa dura com os jogadores, conversa que Jorge Costa terá considerado excessiva, entrando assim em clivagem com o dirigente.

20 de dezembro de 2010

Sete ausências no treino desta manhã

O plantel da Académica regressou esta manhã ao trabalho a meio gás. Com muitos jogadores autorizados a cumprir férias, o ensaio matinal de hoje não contou com Amessan, Peiser, Addy, Laionel, Éder e Carreño.

Amoreirinha também não participou no treino, estando em recuperação de uma lesão muscular. Já Diogo Gomes e Berger trabalharam de forma limitada sob a orientação do fisioterapeuta Miguel Rocha.

Jorge Costa vai orientar mais dois treinos (terça e quarta-feira) antes de dar um período de férias ao plantel, que voltará ao trabalho no próximo dia 27 (segunda-feira).

18 de dezembro de 2010

Nuno Coelho a caminho do Benfica

Médio muda-se para a luz no final da ÉPOCA


O interesse do Benfica em Nuno Coelho não é novo e já foi devidamente noticiado, mas, segundo conseguimos apurar, o médio da Académica que foi formado no FC Porto, está assegurado como reforço do Benfica para a próxima temporada.
A cumprir o último ano de contrato com os estudantes, o jogador viu a Académica propor-lhe a renovação contratual, mas este é um assunto que não teve desenvolvimentos. A partir de janeiro, Nuno Coelho passa a ser livre para assinar por outro clube, o que acontecerá com o emblema da Luz.
No início deste mês, o médio, confrontado por Record com o interesse dos encarnados, mostrou-se evasivo em relação ao futuro. “Termino contrato no final da época”, afirmou, enquanto o seu empresário, Ulisses Santos, confirmava “abordagens de clubes de França e Rússia, mas nada de concreto”.
O destino, afinal, é outro e passa pela Luz. Nuno Coelho foi lançado na Liga por Domingos Paciência a 28 de outubro de 2006 e é um jogador que os benfiquistas conhecem bem, pois foi adversário na época passada e já nesta, na 1.ª jornada do campeonato, partida de má memória para os lisboetas, que terminou com uma derrota.

Amoreirinha saiu de canadianas

Amoreirinha sofreu um traumatismo no joelho esquerdo e foi substituído a meio da primeira parte. O central abandonou o AXA já de canadianas e será reavaliado na segunda-feira, dia em que a Académica volta ao trabalho.

Sougou prestes a trocar de camisola

No final do jogo, Domingos esperou por ele e murmurou-lhe qualquer coisa, que poderá ter sido um "até breve". Sougou terá feito, ontem, o último jogo pela Académica e está prestes a mudar-se para o AXA - com esperança de jogos mais felizes do que o de ontem.
Com a pausa natalícia e a abertura do mercado, tudo está bem encaminhado para que o atacante senegalês da Académica venha a tornar-se reforço do plantel de Domingos.
As negociações entre os emblemas que ontem se defrontaram em campo conheceram avanços nos últimos dias e devem ficar concluídas no início da próxima semana. O Braga quer Sougou e à Académica agrada a ideia de ficar com o passe de Diogo Valente.

2010/11 - 14J - Sp Braga 5 - Académica 0: Resumo

2010/11 - 14J - Sp Braga 5 - Académica 0: Estatísticas

A Bola

Mais Futebol
Liga - Match Center










2010/11 - 14J - Sp Braga 5 - Académica 0: Outra vez chapa 5!!!!!

Sp Braga 5 - Académica 0
Liga Zon Sagres - 14ªJ
Estádio Municipal de Braga
17-12-2010 - 20.15h

SP. BRAGA: Artur; Miguel García, Rodríguez, Paulão e Sílvio; Móssoro (Leandro Salini 69'), Custódio, Hugo Viana; Alan, Paulo César (Hélder Barbosa 80') e Keita (Meyong 58')

Suplentes: Marcos, Guilherme, Aníbal, Hélder Barbosa, Luis Aguiar.

Treinador: Domingos Paciência

ACADÉMICA: Peiser; Pedro Costa (Sissoko 46'), Amoreirinha (Pape Saw 25'), Orlando e Hélder Cabral; Nuno Coelho, Diego Melo e Hugo Morais; Sougou, Miguel Fidalgo e Diogo Valente (Júnior Paraíba 72').

Suplentes: Ricardo, Luiz Nunes, Pedrinho, Laionel, Éderzito.

Treinador: Jorge Costa

Resultado ao Intervalo: 3-0
Marcadores: Paulo César 4', Paulão 25', Keita 35', Meyong 72', Hugo Viana 90'.

Árbitro: Marco Ferreira (AF Madeira)
CA: Diogo Valente 17', Amorerinha 24', Hélder Cabral 24', Custódio 27', Rodriguez 50', Hugo Morais 59', Custódio 84', Sissoko 88'.
CV: Custódio 84'.

Espectadores: 7.204

Crónica

MF: A uma semana do Natal, o Sporting de Braga presenteou os adeptos que desafiaram o frio minhoto para estarem na «Pedreira» com uma prenda antecipada: uma vitória esclarecedora sobre a Académica (5-0), «embrulhada» numa boa exibição, bem mais condizente com as expectativas criadas a época passada.

Após os últimos desaires frente à União de Leiria e Benfica, para o campeonato e para a Taça de Portugal, os bracarenses reagiram da melhor maneira, e evidenciaram uma das mais consistentes exibições da temporada. Ao invés, a Académica de Coimbra foi uma sombra do já mostrou esta temporada, e voltou a sofrer cinco golos num jogo, tal como no desaire da última ronda, frente ao Marítimo. Apatia ofensiva e um último reduto que abriu muitas brechas perante a velocidade adversária foram as mais evidentes explicações para o colapso desta noite.

Ainda assim, é verdade que o golo madrugador do Braga, logo aos 4 minutos, apontado por Paulo César, após grande movimentação de Alan, acabou por condicionar toda a estratégia de Jorge Costa, que foi, ao longo do jogo ruindo com a marcha do marcador.

Após o tento inicial do Braga, Hugo Morais, na marcação de um livre, ainda ameaçou repor o equilíbrio, mas o esférico acabou caprichosamente na trave da baliza de Artur.

Passado o calafrio, os minhotos voltaram a pegar no jogo, apostando na velocidade de Alan e Paulo César que deixaram a cabeça ¿em água¿ aos defensores da briosa, ameaçando o segundo golo bracarense.

Golo esse que chegou já perto da meia hora, na sequência de um canto, onde Paulão evidenciou as fragilidades do último reduto contrário, cabeceando praticamente sem oposição.

O 2-0 acabou por ser a viragem decisiva do encontro, e um autentico baixar de braços para os visitantes. Disso se aproveitou Keita, quando a dez minutos do intervalo estabeleceu o 3-0 com que se chegou ao descanso.

Esperava-se que no segundo tempo, a Académica, já sem nada a perder, pudesse arriscar mais um pouco. Jorge Costa bem tentou, alargando a frente de ataque, mas os efeitos práticos não se deslumbraram.

Do outro lado, o Sporting de Braga manteve o jogo em «alta rotação» e não se mostrando conformado com a vantagem, continuou a massacrar um adversário que ia perdendo clarividência.

Acabou, por isso, por não surpreender o quarto golo dos locais, já no minuto 70, por intermédio de Meyong, uma das apostas de Domingo para o segundo tempo. A partir daí, a Académica certamente desejou que o apito final chegasse mais cedo, mas, ainda antes que Marco Ferreira desse o jogo por terminado, Hugo Viana deu tons de goleada à vitória minhota.

AAC-OAF: A uma semana do Natal, o Sporting de Braga presenteou os adeptos que desafiaram o frio minhoto para estarem na «Pedreira» com uma prenda antecipada: uma vitória esclarecedora sobre a Académica (5-0), «embrulhada» numa boa exibição, bem mais condizente com as expectativas criadas a época passada.

Após os últimos desaires frente à União de Leiria e Benfica, para o campeonato e para a Taça de Portugal, os bracarenses reagiram da melhor maneira, e evidenciaram uma das mais consistentes exibições da temporada. Ao invés, a Académica de Coimbra foi uma sombra do já mostrou esta temporada, e voltou a sofrer cinco golos num jogo, tal como no desaire da última ronda, frente ao Marítimo. Apatia ofensiva e um último reduto que abriu muitas brechas perante a velocidade adversária foram as mais evidentes explicações para o colapso desta noite.

Ainda assim, é verdade que o golo madrugador do Braga, logo aos 4 minutos, apontado por Paulo César, após grande movimentação de Alan, acabou por condicionar toda a estratégia de Jorge Costa, que foi, ao longo do jogo ruindo com a marcha do marcador.

Após o tento inicial do Braga, Hugo Morais, na marcação de um livre, ainda ameaçou repor o equilíbrio, mas o esférico acabou caprichosamente na trave da baliza de Artur.

Passado o calafrio, os minhotos voltaram a pegar no jogo, apostando na velocidade de Alan e Paulo César que deixaram a cabeça ¿em água¿ aos defensores da briosa, ameaçando o segundo golo bracarense.

Golo esse que chegou já perto da meia hora, na sequência de um canto, onde Paulão evidenciou as fragilidades do último reduto contrário, cabeceando praticamente sem oposição.

O 2-0 acabou por ser a viragem decisiva do encontro, e um autentico baixar de braços para os visitantes. Disso se aproveitou Keita, quando a dez minutos do intervalo estabeleceu o 3-0 com que se chegou ao descanso.

Esperava-se que no segundo tempo, a Académica, já sem nada a perder, pudesse arriscar mais um pouco. Jorge Costa bem tentou, alargando a frente de ataque, mas os efeitos práticos não se deslumbraram.

Do outro lado, o Sporting de Braga manteve o jogo em «alta rotação» e não se mostrando conformado com a vantagem, continuou a massacrar um adversário que ia perdendo clarividência.

Acabou, por isso, por não surpreender o quarto golo dos locais, já no minuto 70, por intermédio de Meyong, uma das apostas de Domingo para o segundo tempo. A partir daí, a Académica certamente desejou que o apito final chegasse mais cedo, mas, ainda antes que Marco Ferreira desse o jogo por terminado, Hugo Viana deu tons de goleada à vitória minhota.


Opiniões

Jorge Costa, treinador da Académica, analisa a derrota sofrida em Braga (5-0), na 14ª jornada da Liga:

«Foi mais um jogo atípico e difícil de explicar. Não fizemos uma má primeira parte, mas sofremos um golo muito cedo e desperdiçamos duas boas oportunidades para empatar. Apesar da época natalícia, não sou o Pai Natal para dar ofertas como esta. Fizemos o contrário do que queríamos e é complicado explicar termos sofrido 10 golos nos últimos 2 jogos. Mostramos algumas carências, e ainda bem que a Liga vai parar. É preciso trabalhar e limpar a cabeça. É urgente voltar ao que já fomos. Temos de baixar à terra, pôr as cabeças a funcionar, e saber que não somos uma super equipa, mas que já fomos uma boa equipa»

Domingos, treinador do Sp. Braga, analisa a goleada aplicada à Académica (5-0), na 14ª jornada da Liga, e do sorteio dos dezasseis-avos da Liga Europa:

«Antes do jogo seria impensável que o jogo pudesse levar este rumo. A Académica é uma boa equipa boa que tem feito um campeonato muito interessante. No entanto, a partir do momento que fizemos o primeiro golo a eficácia que imprimimos no jogo foi outra e equipa ganhou mais confiança. A eficácia da nossa equipa foi muito boa esta noite e, por isso, os jogadores estão de parabéns.»

[Sobre a saída de Felipe] «Ainda não sei nada oficialmente, mas o que sei é que tenho dois bons guarda-redes, Artur e Marcos, e que nesta paragem do campeonato vão ser analisadas todas as situações do grupo e quem ficar em no Sporting de Braga tem estar 100 por cento concentrado nas ambições do clube.»

[Sobre o sorteio da Liga Europa] «Saiu-nos um adversário que, contrariamente aos que pessoas possam pensar, não é uma equipa acessível. Lembro que Lech Poznan (da Polónia) estava no grupo do Manchester City e da Juventus e deixou os italianos eliminados. Estamos já a reunir informações sobre eles e logo veremos. Mas é certo dizer que nesta fase da competição não há jogos fáceis.»

Orlando, central da Académica, em declarações à Sport TV, após o encontro da 14ª jornada que os minhotos venceram por 5-0. Os estudantes sofreram dez golos em dois jogos:

«É uma situação muito particular, nunca nos tinha acontecido. Estou em crer que é uma fase menos boa, estamos a cometer erros e cada bola que vai à nossa baliza dá golo. Temos agora uma fase para pensar no que estamos a fazer e depois do Natal temos de dar a volta. Vai ser uma paragem para reflectirmos no que está mal, esperemos que seja benéfica, para começar o ano com outro espírito. Cinco golos é muita coisa, é um resultado pesado, temos de voltar às vitórias.»

Destaques

Paulo César
No regresso à titularidade, Paulo César foi um dos elementos chave na vitória do Sp. Braga. O golo madrugador que abriu o triunfo e a assistência para Meyong seriam, por si só, suficientes para ser eleito o melhor em campo.

Alan
O avançado do Sporting de Braga regressou às grandes exibições, afirmando-se como uma das maiores «dores de cabeça» para a defesa da Académica. Sempre muito activo no corredor direito, construiu meio-golo no madrugador 1-0, criando depois importantes brechas nos tentos seguintes.

Keita
Na estreia como titular ao serviço, em jogos do campeonato, o senegalês conseguiu provar as qualidades que precipitaram a sua contratação este ano. Um golo pleno de oportunidade, no 3-0, que injectou confiança à equipa.

Paulão
A lesão de Moisés «obrigou» Domingos a promover sua titularidade e o defesa brasileiro respondeu da melhor forma, mostrando eficaz consistência, no eixo da defesa, e veia goleadora ao apontar, na sequência de um canto, o 2-0 que embalou a equipa para a vitória.

Hugo Morais
Tentou contrariar a apatia e inoperância ofensiva da sua equipa na primeira parte, com um lance de bola parada que caprichosamente bateu na trava da baliza bracarense. Ficou ainda na retina algumas boas movimentações.

Os briosos

Peiser 4
Em dois jogos, sofreu 10 golos, sem responsabilidade directa. Foi assim com o Marítimo e, de novo, quando o ataque do Braga irrompeu pela suave defesa da Académica, deixando-o sem margem para reagir.

Pedro Costa 2
O lateral-direito viu a goleada crescer pelo flanco que devia defender. Batido no primeiro e no terceiro golos, acabou por sair ao intervalo.

Amoreirinha 3
O menos culpado do pesadelo em que se tornou a noite no AXA. Não esteve bem, mas saiu lesionado antes de o resultado se tornar traumatizante.

Orlando 3
É difícil explicar o desnorte dos centrais. Foi tudo demasiado fácil para os avançados do Braga.

Hélder Cabral 4
Manteve o lado esquerdo à margem das aflições durante 45 minutos, mas, depois, mergulhou no desatino geral.

Nuno Coelho 4
Passou metade do jogo a tentar segurar o meio-campo, sem sucesso, e a outra num esforço inútil para dar serenidade e eficácia à defesa.

Diogo Melo 4
Até começou bem, ganhou algumas bolas que fez chegar à área bracarense, mas foi um período breve, esse em que a Académica conseguiu mostrar algum futebol. Depois, foi o engolido pelo domínio da equipa da casa.

Hugo Morais 4
Outra promessa de futebol que não tardou a ser deglutida pelo descalabro.

Sougou 4
Demasiado rápido para o seu próprio bem, foi sistematicamente travado, em fora-de-jogo, quando procurou levar a bola até à baliza da casa.

Miguel Fidalgo 4
Noite para esquecer no ataque, sem espaço nem lucidez para o inventar.

Diogo Valente 4
Outro protagonista breve dos minutos em que a equipa tentou discutir o jogo. Não se rendeu, mas de nada valeu.

Pape Sow 4
Substituiu Amoreirinha e, ao intervalo, com o recuo de Nuno Coelho para central, passou para lateral-direito, ontem um lugar maldito, por onde também viu passar a goleada.

Sissoko 4
Quis dar consistência ao meio-campo, mas encontrou uma equipa à deriva.

Júnior Paraíba 2
Costuma ser útil, mas, desta vez, nada conseguiu mudar no rumo do jogo. 

Lances Chave

OJ:
3' Sougou dá a bola para a entrada de Miguel Fidalgo, que descaído sobre a direita remata na passada para Artur ir ao chão segurar bem.

4' [1-0] Combinação excelente entre Alan e Miguel Garcia, a culminar no cruzamento deste para a entrada de Paulo César, que vem da esquerda para o meio e, nas costas de Pedro Costa, cabeceia a preceito.

10' Mossoró brinca com dois adversários sobre a direita, enquanto espera pela entrada de Miguel Garcia na área. O passe sai ligeiramente retardado e o lateral recebe de costas, mas vira-se e remata à baliza de Peiser, mas ligeiramente ao lado.

15' Livre directo de Hugo Morais a bater na barreira e a desviar para a trave.


24' [2-0] Golo de Paulão. [Momento do jogo] 
A Académica tentava reagir à desvantagem e assentar o seu jogo depois de ter sido surpreendida cedo quando até teve a primeira ocasião do jogo. Porém, num canto superiormente marcado por Hugo Viana, Paulão sobe bem alto e cabeceia de forma fulminante, deixando Peiser sem hipóteses de defesa. O jogo estava numa fase inicial, mas o Braga tranquilizou e ganhou embalagem para não tremer e voltar finalmente às vitórias. A inteligência de Hugo Viana fica também bem patente neste lance. Antes de bater, o médio chamou um colega e simulou um canto curto, abrindo espaço na área para os colegas.


35' [3-0] Arrancada à esquerda de Paulo César e cruzamento para Keita, que aproveita um toque subtil de Mossoró para ficar frente-a-frente com Peiser e o bater facilmente.

45' Passe de Alan a rasgar a defesa e a deixar Keita na cara de Peiser. O senegalês tenta meter a bola entre as pernas do guarda-redes, mas este cede canto.

63' Mossoró começa a jogada, dá para Meyong e o camaronês espera por Paulo César para o isolar. Pena que o remate saiu ao lado… Era um golo lindíssimo.

73' [4-0] Paulo César ganha no meio-campo, tira Pape Sow do caminho e cruza para a área onde Meyong comprova a sua especialidade: impulsão no tempo certo e cabeceamento irrepreensível.

90'+3'[5-0] Hélder Barbosa vai à linha e cruza recuado para Hugo Viana. Peiser intercepta, mas à segunda a bola sobra para o médio, que só tem de empurrar.

Minuto a minuto

MF:
    90'     FINAL DO JOGO! Sp. Braga - 5 Académica - 0. Eficaz, a equipa da casa aproveitou bem as falhas da equipa visitante, sobretudo a nível defensivo. Os três golos apontados de cabeça, na sequência de cruzamentos para a área, ajuda a explicar o resultado dilatado.
    90'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 5-0 por Hugo Viana. O médio toca para Sílvio na esquerda da área, o lateral cruza e Peiser intercepta, mas a bola sobra de novo para Viana, que fecha a contagem.
    90'     Salino remata fraco, à figura de Peiser.
    88'     CARTÃO AMARELO para Sissoko (Académica )
    85'     Nuno Coelho aparece solto ao segundo poste, na sequência de um livre de Hugo Morais, mas Artur defende a cabeçada.
    84'     SEGUNDO CARTÃO AMARELO para Custódio (Sp. Braga ). O médio entra com a sola da bota nos pés de Junior Paraíba, e vê o cartão pela segunda vez, pelo que vai para o banho mais cedo.
    83'     Alan foge pela direita e cruza para a área, onde aparece Hugo Viana, que só consegue um ligeiro desvio, que acaba nas mãos de Peiser.
    80'     SUBSTITUIÇÃO Sp. Braga . Sai Paulo César entra Hélder Barbosa
    72'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 4-0 por Meyong. Paulo César foge pela esquerda, cruza para a área e Meyong aparece solto no coração da área, a concluir de cabeça.
    72'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Diogo Valente entra Júnior Paraíba
    69'     Hugo Morais pica a bola para a área, Rodriguez corta como pode e Artur mergulha, para chegar à bola primeiro que Miguel Fidalgo.
    69'     SUBSTITUIÇÃO Sp. Braga . Sai Márcio Mossoró entra Leandro Salino
    65'     Paulo César falha o quarto!!! Meyong coloca no lado esquerdo da área e o brasileiro decide rematar com a parte exterior do pé esquerdo. Péssima opção, que faz o remate cruzado sair ao lado. Tinha tudo para marcar!
    63'     Passe longo de Viana para Mossoró, que tenta isolar Paulo César, mas Hélder Cabral intercepta. Os jogadores do Sp. Braga dizem que foi com a mão, mas o árbitro nada assinala.
    59'     CARTÃO AMARELO para Hugo Morais (Académica )
    58'     SUBSTITUIÇÃO Sp. Braga . Sai Keita entra Meyong
    50'     CARTÃO AMARELO para Alberto Rodriguez (Sp. Braga )
    48'     Fidalgo aparece isolado, mas em fora-de-jogo.
    46'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Pedro Costa entra Sissoko
    46'     RECOMEÇA A PARTIDA
    45'     INTERVALO NA PARTIDA ENTRE Sp. Braga e Académica. Os arsenalistas vão para o descanso com o triunfo praticamente garantido. Revelando eficácia, e aproveitando as falhas alheias, a equipa de Domingos Paciência construiu uma vantagem confortável. Dois dos três golos foram apontados de cabeça, sendo que a Académica perdeu pelo meio um dos centrais (Amoreirinha).
    45'     Dois minutos de compensação...
    45'     Falhanço incrível de Sougou!!! O avançado da Académica aparece solto na área, a corresponder a um cruzamento da esquerda, e atira ao lado! Só tinha Artur pela frente! De qualquer forma estava em posição irregular.
    45'     Keita, do lado contrário, aparece isolado, mas Peiser faz bem a mancha e evita o quarto golo.
    45'     Bela intervenção de Artur, a impedir que um cruzamento fosse desviado por Miguel Fidalgo. O guarda-redes antecipou-se ao avançado.
    43'     Bom trabalho individual de Silvio, que remata do bico da área, pela esquerda, mas atira ligeiramente por cima.
    40'     Hugo Morais foge pela esquerda e tenta cruzar rasteiro para Sougou, aproveitando o adiantamento da defesa, mas a bola vai para as mãos de Artur.
    35'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 3-0 por Keita. Paulo César ganha na carga de ombro a Pedro Costa, cruza da esquerda e um ligeiro toque de Mossoró deixa, voluntariamente ou não, Keita isolado na área. O ponta de lança senegalês remata forte de pé esquerdo e fuzila Peiser.
    33'     Sougou cruza da direita, para as mãos de Artur.
    31'     Custódio cruza da direita e Keita aparece solto ao segundo poste, mas cabeceia ao lado. Estava em boa posição, ainda que o cruzamento não fosse muito tenso.
    28'     Sougou cabeceia para as mãos de Artur, na sequência de um cruzamento de Orlando.
    27'     CARTÃO AMARELO para Custódio (Sp. Braga )
    25'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 2-0 por Paulão. Hugo Viana cobra um canto na direita e o central brasileiro salta completamente sozinho ao primeiro poste, para o desvio de cabeça.
    25'     SUBSTITUIÇÃO Académica . Sai Amoreirinha entra Pape Sow
    24'     CARTÃO AMARELO para Hélder Cabral (Académica ), por mão na bola.
    24'     CARTÃO AMARELO para Amoreirinha (Académica ). O defesa comete falta sobre Keita e é admoestado. Para além disso lesiona-se.
    21'     Paulo César ganha espaço à entrada da área, sobre a esquerda, mas remata fraco, e torto.
    20'     Belo remate de Hugo Morais, na ressaca de um canto, mas a bola passa ligeiramente ao lado.
    17'     CARTÃO AMARELO para Diogo Valente (Académica )
    15'     Hugo Morais bate um livre, a bola desvia em Miguel Garcia e passa muito perto da baliza do Sp. Braga!
    12'     A Académica vai agora tentando responder à desvantagem no marcador
    9'     Alan entra bem na área da Académica mas remata fraco, ao lado
    7'     Domingos apresenta uma equipa de recurso mas para já a missão está a ser plenamente cumprida
    5'     Excelente início, prometendo abrir ainda mais o jogo, com a Académica a ter de lutar pelos pontos
    4'     GOOOOOOOLLLLLOOOOOOO!!! SP. BRAGA ! 1-0 por Paulo César. Alan desce na direita, atrasa para Miguel Garcia e este cruza para o coração da área, onde surge Paulo César em velocidade para cabecear para o fundo da baliza!
    1'     COMEÇA A PARTIDA ENTRE Sp. Braga e Académica
    0'     As equipas estão a postos para o início do encontro
    0'     Académica; Peiser; Pedro Costa, Amoreirinha, Orlando, Hélder Cabral; Nuno Coelho, Diogo Melo, Hugo Morais, Sougou, Diogo Valente e Miguel Fidalgo. Suplentes: Ricardo, Habib, Laionel, Pedrinho, Éder, Junior Paraíba, Sissoko.
    0'     Sp: Braga; Artur, Miguel Gracia, Rodriguez, Paulão, Sílvio, Custódio, Hugo Viana, Mossoró, Alan, Keita e Paulo César. Suplentes: Marcos, Hélder Barbosa, Meyong, Luís Aguiar, Leandro Salino, Guilherme e Aníbal.

    0'     JÁ HÁ EQUIPAS OFICIAIS
    0'     ÚLTIMA HORA: O FLAMENGO ANUNCIOU OFICIALMENTE A CONTRATAÇÃO DE FELIPE, O GUARDA-REDES DO SP. BRAGA!
    0'     Muito frio em Braga, sobretudo pela localização e estrutura do Estádio AXA. Veremos se os jogadores aquecem a noite
    0'     Na Académica, Diogo Gomes e Berger estão lesionados. Lista de convocados: Guarda-redes: Peiser e Ricardo; Defesas: Luiz Nunes, Pedro Costa, Pedrinho, Amoreirinha, Orlando e Hélder Cabral; Médios: Habib, Júnior Paraíba, Nuno Coelho, Diogo Melo e Hugo Morais; Avançados:Laionel, Éder, Sissoko, Sougou, Miguel Fidalgo e Diogo Valente
    0'     Lista de convocados do Sp. Braga: Guarda-redes: Artur e Marcos; Defesas: Sílvio, Miguel Garcia, Rodriguez, Paulão, Guilherme e Aníbal; Médios: Andrés Madrid, Custódio, Salino, Luís Aguiar, Hugo Viana, Mossoró, Hélder Barbosa e Alan; Avançados: Paulo César, Keita e Meyong.
    0'     Matheus cumprira um jogo de castigo na Taça de Portugal, frente ao Benfica, mas está lesionado e não defronta a Briosa. O brasileiro sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e junta-se a Felipe, Moisés, Lima, Vandinho, Elderson e Elton, todos a contas com lesões e todos fora da convocatória.
    0'     O duelo será, também, um embate de velhos amigos. Domingos e Jorge Costa, companheiros de outras conquistas, essas pintadas de azul e branco, voltam a reencontrar-se. Jorge Costa lançou-se no Sp. Braga. Domingos cimentou-se na Académica. O espírito do Natal podia levar a um pacto de não agressão, mas a busca por um bom ano novo supera tradições e parcerias antigas. Ninguém quer enjeitar a oportunidade de dar um tom mais sereno à quadra que se avizinha.
    0'     A Académica, apesar do peso da goleada caseira da última ronda, às mãos do Marítimo, tem mais um ponto que o Sp. Braga e está no 7º lugar. Nada mau. Ou melhor, suficiente, tendo em conta a larga esperança depositada nos primeiros encontros do ano que contemplaram, por exemplo, um triunfo na casa do campeão Benfica. Estará a equipa de Jorge Costa a perder gás?
    0'     O azar ditou as primeiras. Uma onda de lesões varreu o clube e apanhou, entre outros, Moisés, Vandinho, Elderson e Lima. Os três primeiros são titulares indiscutíveis, o avançado brasileiro é uma espécie de 12º jogador. A somar a isto, com a aproximação da reabertura do mercado, começam a aparecer rumores de dissidências. Élton, que nunca conquistou, vai partir? Felipe, agora suplente, vai ficar? Entre tantas indecisões, Domingos tem de encontrar uma equipa para bater um rival que até está à frente na tabela.
    0'     Em Braga há uma pergunta que se impõe: até que ponto o brilharete europeu vai disfarçar os ziguezagues internos? A epopeia da Liga dos Campeões foi transferida, com todo o mérito, para a Liga Europa, mas a Taça de Portugal já é uma miragem e o campeonato segue por trilhos sinuosos. O oitavo lugar actual está longe dos objectivos propostos e o grupo de Domingos Paciência começa a evidenciar algumas brechas.
    0'     Oscilando entre a euforia e a desilusão. As temporadas de Sp. Braga e Académica ainda não permitiram aos adeptos perceberem ao certo se o tempo é de festejo ou apreensão. Os de Coimbra, por trazerem bagagem mais curta, estão melhor, mas o arranque prometeu muito mais. Em Braga a alternância de resultados assusta o mais crente. Na abertura da 14ª jornada, estas duas equipas, plenas de sentimentos contraditórios, vão encontrar-se, com a expectativa de nova reviravolta para um dos lados. Em busca de um Natal mais feliz, poderia ser o lema da contenda.
    0'     Boa noite. O Sp. Braga recebe, a partir das 20h15, a Académica. Siga tudo AO VIVO no Maisfutebol

Árbitro

Marco Ferreira (AF Madeira) - nota 3


17 de dezembro de 2010

2010/11 - 14J - Sp Braga - Académica: Duelo de amigos


 Oscilando entre a euforia e a desilusão. As temporadas de Sp. Braga e Académica ainda não permitiram aos adeptos perceberem ao certo se o tempo é de festejo ou apreensão. Os de Coimbra, por trazerem bagagem mais curta, estão melhor, mas o arranque prometeu muito mais. Em Braga a alternância de resultados assusta o mais crente. Na abertura da 14ª jornada, estas duas equipas, plenas de sentimentos contraditórios, vão encontrar-se, com a expectativa de nova reviravolta para um dos lados. Em busca de um Natal mais feliz, poderia ser o lema da contenda.

Em Braga há uma pergunta que se impõe: até que ponto o brilharete europeu vai disfarçar os ziguezagues internos? A epopeia da Liga dos Campeões foi transferida, com todo o mérito, para a Liga Europa, mas a Taça de Portugal já é uma miragem e o campeonato segue por trilhos sinuosos. O oitavo lugar actual está longe dos objectivos propostos e o grupo de Domingos Paciência começa a evidenciar algumas brechas.

O azar ditou as primeiras. Uma onda de lesões varreu o clube e apanhou, entre outros, Moisés, Vandinho, Elderson e Lima. Os três primeiros são titulares indiscutíveis, o avançado brasileiro é uma espécie de 12º jogador. A somar a isto, com a aproximação da reabertura do mercado, começam a aparecer rumores de dissidências. Élton, que nunca conquistou, vai partir? Felipe, agora suplente, vai ficar? Entre tantas indecisões, Domingos tem de encontrar uma equipa para bater um rival que até está à frente na tabela.

A Académica, apesar do peso da goleada caseira da última ronda, às mãos do Marítimo, tem mais um ponto que o Sp. Braga e está no 7º lugar. Nada mau. Ou melhor, suficiente, tendo em conta a larga esperança depositada nos primeiros encontros do ano que contemplaram, por exemplo, um triunfo na casa do campeão Benfica. Estará a equipa de Jorge Costa a perder gás?

O duelo será, também, um embate de velhos amigos. Domingos e Jorge Costa, companheiros de outras conquistas, essas pintadas de azul e branco, voltam a reencontrar-se. Jorge Costa lançou-se no Sp. Braga. Domingos cimentou-se na Académica. O espírito do Natal podia levar a um pacto de não agressão, mas a busca por um bom ano novo supera tradições e parcerias antigas. Ninguém quer enjeitar a oportunidade de dar um tom mais sereno à quadra que se avizinha.

Equipas prováveis:

SP. BRAGA: Artur; Miguel García, Rodríguez, Paulão e Sílvio; Andrés Madrid, Salino e Luís Aguiar; Alan, Paulo César e Meyong.

Outros convocados: Marcos, Guilherme, Aníbal, Custódio, Hugo Viana, Mossoró, Hélder Barbosa e Keita.

ACADÉMICA: Peiser; Pedrinho, Amoreirinha, Orlando e Hélder Cabral; Nuno Coelho, Diego Melo e Hugo Morais; Sougou, Miguel Fidalgo e Diogo Valente.

Outros convocados: Ricardo, Luiz Nunes, Pedro Costa, Habib, Júnior Paraíba, Laionel, Éderzito e Sissoko.

Jorge Costa quer vencer em Braga para fortalecer posição

São nove os pontos que separam, neste momento, o terceiro classificado (Sporting) e o décimo quarto (Vit. Setúbal). A Académica está, pois, no meio do pelotão e Jorge Costa tem consciência que este é o momento de a Briosa se assumir na tabela classificativa, definindo uma posição que se quer o mais acima possível.

Após o desaire com o Marítimo, e que ditou a queda dos “estudantes” para a sétima posição, a turma orientada por Jorge Costa prepara a deslocação a Braga com todo o afinco e precisamente com o propósito de vencer para assumir uma posição tranquila na tabela.

“Vencer em Braga seria uma óptima prenda de Natal, claro. Se me quiserem dar prendas todos os fins-de-semana também agradeço. Começa a haver algumas definições na tabela e nós neste momento estamos a meio, e era importante começar a definir uma posição mais tranquila até porque depois o campeonato pára. Vai ser um encontro difícil para nós onde o fundamental é pensarmos no que podemos fazer e nas nossas obrigações de uma forma séria e concentrada. Queremos voltar ao que somos e lutar até à exaustão pelos três pontos.”, começou por dizer.

O treinador dos “estudantes” confessou que o Sp. Braga tem sido uma equipa algo “atípica” esta temporada mas referiu que o plantel dos arsenalistas é de “grande qualidade”. Para além disso, a equipa de Domingos Paciência é “uma forte candidata à Europa”.
“O Braga tem sido uma equipa um pouco atípica. Tem feito coisas positivas na Europa mas no campeonato nem por isso, tem tido problemas. Vai ser difícil perceber que equipa do Braga vamos encontrar. É um plantel de grande qualidade e a ausência de dois ou três jogadores não vai ser tão preocupante quanto isso. São uma equipa forte, que luta sempre pelas competições europeias. Penso que é um candidato não ao título mas um fortíssimo candidato à Europa.”, adiantou.
A Académica terá pela frente um adversário que já não vence desde 2003, quando Paulo Adriano marcou o golo dos “estudantes” no Estádio Sérgio Conceição, na última jornada do campeonato. Em Braga, então, já lá vão muitos anos sem a Briosa vencer, algo que não tira o sono ao líder da Académica.
“Não vejo as coisas pela estatística. Temos dado provas que fazemos coisas interessantes. É um jogo difícil mas onde podemos conquistar os três pontos. O importante para nós, neste momento, é somar pontos.”, afirmou.
O jogo com o Marítimo está ainda na memória de jogadores e treinadores e foi tema de conversa durante a conferência de imprensa do técnico dos “estudantes”. Jorge Costa confessou que foi uma derrota que “marcou o grupo” mas que dificilmente se irá repetir.

“Não me parece que tenha de levantar a moral dos jogadores. São profissionais. Todos assumimos os nossos erros. Quem for forte e estiver disposto a fazer melhor, irei até ao fim do Mundo para os defender. Foi uma derrota que marcou… Dentro das minhas capacidades, não permito que coloquem em causa tudo o que fizemos até aqui. Estamos a fazer um bom campeonato, tranquilo, dentro das nossas capacidades. Somos uma boa equipa, que sabe o que quer, mas que teve um percalço.”, assumiu.

Jorge Costa e a Taça de Portugal: “Gostava que as coisas se resolvessem…”
Esta quarta-feira foi dia de sorteio dos quartos-de-final da Taça de Portugal mas ao lado do nome da Académica estava um asterisco. Tudo porque ainda decorre um processo disciplinar instaurado a Bombarralense e Louletano, e que também envolve o U. Madeira, o que impossibilitou os “estudantes” de terem efectuado o seu encontro dos oitavos-de-final.
“Comigo as coisas são planeadas com tempo e é importante poder fazê-lo sabendo se jogo ou não. Há algumas questões que me fazem confusão porque gosto de planear as coisas com tempo. Gostava que as coisas se resolvessem.”, disse, a propósito, Jorge Costa.
Contudo, o treinador da Académica lá comentou o sorteio, afirmando que “não se pode queixar da sorte”.
“Jogamos em casa, depois de passarmos esta fase, se passarmos, jogamos novamente em casa. Não me posso queixar da sorte no sorteio.”, finalizou.

2010/11 - 14J - Sp Braga - Académica: Convocados: Sougou de regresso

Depois do treino realizado pelo plantel da Académica, esta manhã na Academia, o último antes da viagem para o Minho, onde amanhã defronta o SC Braga, Jorge Costa divulgou a lista de convocados para o encontro de abertura da jornada 14 da Liga Portuguesa.

Relativamente à última partida, a derrota caseira diante do Marítimo (1-5), há apenas a registar uma alteração na convocatória, com a saída de Carreño e a entrada de Sougou, que, recorde-se, havia falhado o jogo com os insulares por se encontrar a cumprir castigo.

Eis a lista dos 19 convocados:

Guarda-redes: Peiser e Ricardo

Defesas: Pedro Costa, Amoreirinha, Orlando, Hélder Cabral, Pedrinho e Luiz Nunes

Médios: Nuno Coelho, Diogo Melo, Hugo Morais, Habib Pape Sow e Júnior Paraíba

Avançados: Sougou, Diogo Valente, Miguel Fidalgo, Laionel, Sissoko e Éder

15 de dezembro de 2010

2010/11 - Taça de Portugal - 4ºos Final: Académica poderá jogar com V. Setúbal

O FC Porto vai receber o Pinhalnovense nos quartos-de-final da Taça de Portugal, ditou hoje o sorteio condicionado pelos jogos que se encontram por definir.

Depois de deixarem o Juventude de Évora pelo caminho, os azuis e brancos, detentores do troféu, voltam a jogar em casa e com uma equipa da 2.ª Divisão. O Pinhalnovense chega pelo segundo ano consecutivo aos quartos-de-final da prova “rainha” do futebol português, tendo na última eliminatória afastado o Leixões na decisão pela marcação das grandes penalidades.

O Rio Ave vai receber o vencedor do Benfica-Olhanense, jogo em atraso da 5.ª eliminatória que está agendado para 5 de Janeiro.

O Vitória de Setúbal, carrasco do Sporting nos oitavos-de-final, vai jogar fora com o vencedor dos jogos Académica/Bombarralense-Louletano/União.

Também fora, o Vitória de Guimarães vai defrontar o vencedor dos jogos Merelinense/Cova da Piedade-Gondomar/Varzim-Ribeirão.

Os encontros dos quartos-de-final disputam-se a 12 de Janeiro.

Diogo Melo quer ir a Braga discutir os três pontos

O jogador da Académica, Diogo Melo, esteve hoje na sala de imprensa da Academia Dolce Vita onde fez a antevisão da partida com o Sp. Braga, um jogo que está agendado para sexta-feira, pelas 20:15, no Estádio AXA.

O 50 dos “estudantes” esteve então à conversa com os jornalistas onde teve oportunidade de abordar o jogo com os minhotos, tendo referido que a Académica vai até à pedreira de Braga discutir a vitória frente à turma liderada por Domingos Paciência.

“Sabemos que é um jogo difícil, o Sp. Braga tem boa equipa mas confiamos nas nossas capacidades e vamos discutir o jogo. Queremos voltar ao caminho das vitórias e vamos estar concentrados no que a Académica vai fazer em campo. Vai ser complicado mas temos condições para sair com um bom resultado.”, começou por dizer o médio brasileiro.

Diogo Melo referiu que o encontro com o Marítimo já faz parte do passado e que agora a Académica vai entrar em campo para vencer o Sp. Braga, uma equipa com bons recursos.

“O último jogo já passou… Agora é passar à frente. É um jogo difícil, com um adversário difícil mas temos capacidade para discutir o resultado de igual para igual e vamos fazer o nosso melhor. O Braga tem um plantel com bons recursos. Sai um jogador, entra outro bom. Temos de nos preocupar connosco e com o que podemos fazer.”, adiantou.

O jogador da Briosa foi ainda questionado sobre o facto da equipa sofrer muitos golos e reconheceu que os “estudantes” têm de melhorar nessa matéria.
“Todos temos de melhorar. Não é só a defesa… O grupo está focado em trabalhar, melhorar sempre para que a vitória possa voltar a acontecer. Temos condições para vencer e sair sem nenhum golo sofrido.”, disse.

Diogo Melo frisou que a Briosa procura assegurar a manutenção o mais rápido possível para depois pensar em fazer um campeonato mais tranquilo. “Tudo o que vier depois disso é lucro.”, reconheceu.
O 50 dos “estudantes” teve ainda tempo para falar da sua experiência na Briosa, um clube que ofereceu todas as condições para que o brasileiro se sinta um jogador muito feliz, como o próprio confidenciou.

“Estou feliz com o meu desempenho. Estou muito feliz aqui, o clube deu-me todas as condições para mim e para a minha família. Pretendo cumprir o meu contrato e vou ajudar a Académica a alcançar os seus objectivos.”, terminou.

Não há guerreiro que resista a uma lição bem estudada

Ponto número 1. A estatística não está a favor dos "estudantes" quando se fala de jogos frente ao Sp. Braga mas para a equipa de Jorge Costa isso pouco ou nada interessa. Os guerreiros de Coimbra querem vencer no Minho e para isso contam com o apoio de uma cidade que anseia por ver a sua Académica a dar a volta aos números.
 
É preciso recuar até 2003 para recordarmos um triunfo estudantil frente aos bracarenses e na altura foi Paulo Adriano que, aos 19 minutos, bateu o guardião dos minhotos, Marco, e fez o 1-0 final num encontro que foi disputado no Estádio Sérgio Conceição, em Taveiro.

Na próxima sexta, dia 17 de Dezembro, o objectivo passa por isso mesmo: recordar 2003, conquistar três pontos e aumentar a distância para os bracarenses.
As duas equipas vêm de derrotas e por isso o jogo no Estádio AXA reveste-se de especial importância para ambas as formações, que pretendem o regresso aos triunfos o quanto antes.

O encontro conta para a 14ª jornada da Liga ZON Sagres e será disputado a partir das 20:15 de sexta-feira. Como já é habitual, o Site Oficial dos "estudantes" acompanhará o resultado em directo, actualizando as principais incidências da partida.

E não se esqueça: não há guerreiro que resista a uma boa lição... 

2010/11 - 14J - Sp Braga - Académica: Árbitro: Marco Ferreira (Madeira)


Liga ZON Sagres, 14.ª jornada:

Sexta-feira, 17 dez
Sp. Braga-Académica, Marco Ferreira (Madeira)

Sábado, 18 dez
Benfica-Rio Ave, Hugo Miguel (Lisboa)
Beira-Mar-Vit. Guimarães, Jorge Sousa (Porto)

Domingo, 19 dez:
Marítimo-Portimonense, Olegário Benquerença (Leiria)
Naval-U. Leiria, Paulo Baptista (Portalegre)
Olhanense-Nacional, Manuel Mota (Braga)
P. Ferreira-FC Porto, Artur Soares Dias (Porto)
Vit. Setúbal-Sporting, João Capela (Lisboa)

14 de dezembro de 2010

Pedro Costa e Addy para o onze

Jorge Costa deverá mudar os laterais na partida com o Sporting de Braga.

A goleada que a Académica sofreu na última jornada (1-5), diante do Marítimo, permitiu a Jorge Costa tirar algumas ilações e vai mudar a equipa no jogo da próxima jornada, com o Sporting de Braga. Pedro Costa e Addy devem substituir Pedrinho e Hélder Cabral nas laterais da defesa. Sougou é presença certa no ataque e Éder deverá regressar ao banco de suplentes.

13 de dezembro de 2010

Enrique Carreño pode sair em janeiro

O espanhol Enrique Carreño chegou à Briosa no último defeso de Verão, proveniente da equipa B do Sevilha, mas tarda em mostrar serviço e pode estar de saída. O avançado de 23 anos, que chegou a treinar com Luis Fabiano e companhia no plantel principal dos sevilhanos, ainda não foi titular uma única vez e só foi suplente utilizado em três ocasiões, a última delas na derrota (1-5) com o Marítimo.


Quando chegou à Académica, Carreño assinou por duas temporadas, num contrato que inclui opção de recompra do passe por parte do clube espanhol. Como esta condição parece pouco provável, face às dificuldades de adaptação do atleta à liga portuguesa, a Briosa fica com a decisão nas mãos. E, nesse contexto, os estudantes poderão precipitar a saída de Carreño antes mesmo do termo do contrato. A saída já no mercado de janeiro é pouco provável, mas face ao rendimento do atleta, passa a ser uma hipótese.

Três boas notícias para Jorge Costa

Éder, Berger e Diogo Gomes regressaram este domingo aos treinos de forma condicionada, iniciando a a preparação para o jogo com o Sp. Braga, da 14.º jornada da Liga Zon Sagres.

Jorge Costa já vai poder contar com o avançado Éder, que recupera de um traumatismo crânio-encefálico sofrido no jogo de 4.ª feira com o Marítimo, com o avançado Sougou, após ter cumprido um jogo de castigo, e provavelmente com o central Markus Berger, quase recuperado de uma lesão no joelho esquerdo.

Diogo Gomes já faz corrida, mas só deverá integrar o plantel em janeiro, dado que a sua lesão meniscal no joelho esquerdo demorou mais tempo a ser debelada.

10 de dezembro de 2010

Éder sofreu traumatismo crânio-encefálico

O avançado Éder sofreu um traumatismo crânio-encefálico durante a partida com o Marítimo, da última quarta-feira, razão pela qual teve de ser substituído aos 55 minutos, por Sissoko. O jovem jogador passou pelo hospital, onde realizou exames, e foi a ausência mais notada do treino desta quinta-feira.

O clube não avança, para já, com uma previsão do tempo de paragem mas, como é comum nestes casos, é recomendável algum repouso, ficando em aberto a participação do atleta no jogo com o Sp. Braga, agendado para sexta-feira, dia 17.

Quem também poderá estar apto para o próximo encontro dos estudantes é o central Markus Berger, que continua a fazer corrida contínua. Falta apenas saber se terá os índices físicos suficientes para competir nessa altura.

Já Diogo Gomes continua em recuperação e só deverá regressar aos jogos no próximo ano. O plantel cumpre dois dias de folga, regressando aos trabalhos no domingo, para preparar o embate com os bracarenses.