28 de junho de 2011

Cédric é reforço e apresenta-se: "Vou dar tudo pela Académica"

Cédric Soares é, a partir desta terça-feira, jogador da Académica. Depois de cumpridas todas as formalidades, o jovem defesa português chega a Coimbra emprestado pelo Sporting por uma temporada e, nas primeiras palavras como reforço oficial da Briosa, Cédric referiu que "vai dar tudo pela Académica".

"Estou muito feliz! A Académica tem uma História muito grande e é muito bom estar aqui. Sinto que temos, de facto, uma palavra a dizer no campeonato. Quero ajudar o clube e melhorar todos os dias. Temos as nossas ambições mas, para já, o importante é fazer uma boa pré-época.", disse o novo reforço dos "estudantes".

Cédric Ricardo Alves Soares, de 19 anos, nasceu em Gelsenkirchen, na Alemanha, e fez toda a sua formação no Sporting, pelo que a Académica será o segundo clube que conhece na sua carreira. O lateral direito, que irá disputar o Mundial de sub-20, na Colômbia, disse ao Site Oficial da Académica que representar a Briosa "sempre foi, claramente, a primeira opção".

"Vir para a Académica era, claramente, a minha primeira opção. Tem excelentes condições e ambições no campeonato português e isso é muito importante. Vou dar tudo pelo clube e sinto que, todos juntos, podemos fazer uma grande temporada.", admitiu.

Cédric lembrou que foi recebendo mensagens de incentivo por parte de alguns amigos para representar a Académica pelo que esse facto também acabou por pesar na decisão do jovem internacional português.

"Tenho alguns amigos que já jogaram na Académica e todos me disseram que é um clube que recebe muito bem os jogadores e isso também foi importante. Estou feliz por estar na Académica e quero ajudar o clube.", terminou.


Recorde-se que o lateral português irá falhar parte da pré-época da Briosa uma vez que se encontra a representar a Selecção Nacional no Campeonato do Mundo de sub-20. O primeiro jogo de Portugal será frente ao Uruguai, no dia 30 de Julho, entrando novamente em acção no dia 2 de Agosto, frente aos Camarões e no dia 5, frente à Nova Zelândia. Caso passe a fase de grupos, a Selecção Portuguesa prossegue para os 16 avos de final de uma competição que termina no dia 20 de Agosto, com a realização da final.

27 de junho de 2011

Fábio Luís «promete» marcar 12 golos

Fábio Luís. O nome podia ser de cantor mas a música do ponta-de-lança descoberto pela Académica no extremo sul do Brasil é outra: os golos. Ambicioso, determinado e sem pingo de receio pelo salto em perspectiva na carreira, o avançado, de 27 anos, deu a primeira entrevista para Portugal, sempre num tom confiante. Do alto do seu 1,85 m (84 quilos), o ex-Porto Alegre FC definiu-se sem rodeios.

«Sou um atacante de área, utilizo sobretudo o pé esquerdo, chuto forte, e tenho velocidade e potência. Gosto de jogar em progressão, em busca do espaço e com os olhos na baliza, procurando ajudar a equipa. Pelo meu biótipo e estilo, já me disseram que me vou dar bem aí», garante, em declarações aoMaisfutebol. 

O «artilheiro» diz-se pronto para uma realidade muito diferente. «Usa-se mais a força e há mais contacto. As equipas estão bem preparadas, quer física como tecnicamente. É um belo futebol e acredito que vou adaptar-me bem», assegura, depois de muitas horas a assistir a jogos do campeonato português pela televisão desde que começaram as primeiras sondagens do outro lado do atlântico.

Em Coimbra, o brasileiro terá como missão fazer esquecer o melhor marcador da época passada, Miguel Fidalgo. Nada que o assuste: «A minha função é essa, fazer golos. Estou acostumado à cobrança. Sempre a senti e encaro-a com naturalidade. Sempre fui goleador e quero sê-lo cada vez mais. Uma meta? Depende do número de jogos que faça, mas procuro em geral manter uma média de 12 golos por época.»

«A Académica tem uma torcida apaixonada»

Quando soube do interesse da Briosa, Fábio Luís procurou recolher o máximo de informação sobre o clube e entrou logo em contacto com Alex, jogador do U. Madeira, com quem jogou no São Caetano. «Falou-me bem da estrutura e da equipa. Também procurei informações na internet. Penso que podemos fazer um bom campeonato», perspectivou.

Depois, uma análise mais pormenorizada da nova casa, com muito entusiasmo à mistura. «Sei que é um clube antigo, de tradição, com uma torcida apaixonada, que exige muito aos jogadores. Soube disso nos vários contactos que fiz. Estou confiante e acredito que vou estar à altura», afiança o ponta-de-lança que, entre outros, passou pelo Santo André, São Caetano, Avaí, Bragantino e Paraná, sendo treinado por alguns nomes conhecidos do futebol brasileiro como Paulo Bonamigo (esteve no Marítimo em 2005/06), ou os «veteranos» Emerson Leão e Nelsinho Batista. 

Fábio Luís conhecerá a primeira experiência na Europa mas não fora do Brasil, porquanto, em 209, esteve seis meses a título de empréstimo no Ulsan Hyundai, da Coreia do Sul, numa passagem que apreciou bastante. Agora, o desafio é outro. «O contrato será de duas épocas e parto na segunda-feira para chegar ai na terça.»

Barroca sem mágoa no adeus

GUARDIÃO RUMA AO SERVETTE



Peiser e Ricardo continuam para a próxima época, juntando-se-lhes o ex-júnior Fábio Santos no lote de guarda-redes. De saída está Barroca, que se estreou na Liga com Villas-Boas em 2010, mas não voltou a jogar. A falta de competição, aliada à intenção da Académica em não renovar com Barroca, culminou na saída a custa zero do guardião de 24 anos.
“Com esta saída espero, acima de tudo, ter mais oportunidades e poder mostrar que tenho valor para jogar em Portugal”, observa Barroca, que assinou esta semana com o Servette, da Suíça.

24 de junho de 2011

Amessan renova e segue para o Creteil

Entretanto, o extremo Amessan, que esteve emprestado ao Sp. Covilhã na última época, vai renovar contrato por mais uma época - ficará vinculado até 2013 - e será emprestado aos franceses do Creteil-Lusitanos, do National, equivalente à nossa II Divisão.

O jogador era pretendido por Paulo Sousa, que o queria no Videoton, da Hungria, mas ficará com perspectivas de futuro mais alargadas em França com vista a uma futura transferência. 

Marcado: Fábio Luís chega terça-feira para assinar; Nivaldo vai regressar

A Académica fechou nos últimos dias a contratação do avançado Fábio Luís (ex-Porto Alegre FC), que, apurou o Maisfutebol, deverá chegar na próxima terça-feira para cumprir os necessários testes médicos e assinar por duas épocas. O jogador, de 27 anos, tem um longo passado por equipas brasileiras, entre elas o Santo André, São Caetano, Avaí, Bragantino ou Paraná. Também já actuou na Coreia do Sul, no Ulsan Hyundai, em 2009.

Trata-se de um ponta-de-lança possante, com 1,85 m e 84 quilos, esquerdino e com forte pontapé, a quem, naturalmente, se pedem golos.

___________________________

Entretanto, a Académica também já terá definido quem será o lateral-esquerdo que fará concorrência a Hélder Cabral. O cabo-verdiano Nivaldo, de 22 anos, jogou na última temporada no Tourizense (II Divisão) - com o qual tem ainda mais um ano de contrato - e irá integrar os trabalhos da equipa academista, tentando convencer Pedro Emanuel. Nivaldo é um ex-júnior do emblema estudantil.

22 de junho de 2011

Apresentação Oficial: João Real, Marinho e João Dias são reforços da Académica

A Académica assegurou esta terça-feira a contratação de João Real e Marinho, ambos ex-Naval, e de João Dias, jogador que na temporada passada defendeu as cores do Trofense. Depois do regresso do avançado Rui Miguel, a Briosa chega a acordo com mais três jogadores, dando passos firmes na preparação para a nova época.

João Real, Marinho e João Dias cumpriram esta manhã os habituais exames médicos e estiveram à conversa com o Site Oficial da Académica, onde falaram pela primeira vez como jogadores da Briosa.
Recorde-se que João Dias assinou contrato por 2 anos com os “estudantes” enquanto João Real e Marinho estão comprometidos com a Académica para os próximos três anos.


João Dias, o estudante universitário, concretiza “um sonho” na Académica
Aos 24 anos, o jovem defesa português estreia-se no principal escalão do futebol nacional depois de ter passado por Sp. Braga e FC Porto, clubes onde fez a sua formação, AC Prato (Itália), Infesta, Santa Clara e Trofense.
João Manuel Antunes Dias, licenciado em Desporto e que se encontra a frequentar o primeiro ano de Mestrado, afirmou ao Site Oficial dos “estudantes” que “concretizou um sonho”.
“Estou muito feliz. Concretizei um sonho que sempre tive, que era chegar à Primeira Liga. Sempre senti uma grande admiração pela Académica, é um clube com muito historial, tem excelentes condições e é, sem dúvida, o emblema ideal para mim. As pessoas acreditam nas minhas potencialidades.”, começou por dizer.
João Dias afirmou que o seu maior objectivo será “ajudar a colocar a Académica nos patamares que realmente merece”, adiantando que a Briosa “tem potencial” para fazer um bom campeonato.
“Quero ajudar a Académica, formar um grupo forte, com espírito vencedor e de união, de forma a, todos juntos, colocarmos a Académica nos patamares que merece. Temos potencial para fazer um bom campeonato e se formos unidos e competitivos podemos fazer uma boa época.”, adiantou.
O defesa, de 24 anos, revelou que “foi muito fácil chegar a acordo com a Académica pois havia interesse de ambas as partes” e afirmou que tudo fará para “retribuir a aposta”.

“Vou fazer tudo para retribuir a aposta que fizeram em mim. Foi fácil chegar a acordo, havia interesse das duas partes e espero que as coisas corram bem dentro do campo. Vou dedicar-me a 100% para que, todos juntos, possamos fazer uma boa época.”, terminou.
 

João Real e o “orgulho” de representar a Académica
AD Estação, Sp. Covilhã, Naval e agora Académica. Aos 28 anos, João Daniel Mendes Real, natural da Covilhã, chega a Coimbra para representar a Briosa e ambição parece não faltar no discurso do defesa-central.
“É um orgulho representar a Académica, um clube histórico. As responsabilidades aumentam e vou trabalhar muito, com dedicação, para ser útil e corresponder ao desafio.”, começou por dizer.
João Real mostrou-se feliz por ter assinado por um clube como a Académica e revelou que o principal objectivo para a nova temporada passa por “lutar por uma boa classificação e honrar o emblema da Académica.”.
Ao Site Oficial dos “estudantes”, João Real mostrou-se convicto numa temporada positiva e deixou ainda uma palavra de apreço aos sócios e simpatizantes da Briosa.
“Os jogadores sentem-se mais fortes quando têm os adeptos do lado deles. Sei que nunca estaremos sós porque os adeptos da Académica apoiam e acompanham a equipa de forma intensa. Tudo faremos para lhes dar alegrias.”, concluiu.

Marinho: “Chego a um patamar que sempre ambicionei”
Quem também conhece uma casa nova a partir de hoje é Marinho. O extremo, que na temporada passada também representava a Naval, chega a Coimbra para representar a Académica e não tem dúvidas em afirmar que chega a “um patamar que sempre ambicionou.”
“Chego a um patamar que sempre ambicionei. A Académica, pela História que tem e pelo que representa para a cidade, é o ponto alto da minha carreira. Estou bastante satisfeito e os meus objectivos são os objectivos da equipa.”, começou por dizer.
Aos 28 anos, Marinho continua na Briosa um percurso ascendente no futebol português. Formado no Sporting, Marinho iniciou a sua carreira de sénior no U. Santiago, tendo passado por Vilafranquense, Olivais e Moscavide, Fátima, Naval e agora Académica.
Apesar de se tornar hoje reforço oficial dos “estudantes”, Marinho afirmou que já recebeu “muitas mensagens de carinho de adeptos da Académica”, pelo que melhor recepção seria difícil.
“Já recebi muitas mensagens de carinho de alguns sócios da Académica e estou muito feliz por isso. Espero que nos venham apoiar durante a temporada porque vamos retribuir com vitórias.”, terminou.

21 de junho de 2011

Académica avança com renovação de Paulo Grilo

Jovem esquerdino, que esteve recentemente em Toulon, será uma das grandes apostas de Pedro Emanuel para a próxima época. 


Contrato expira em 2013, mas o clube pretende precaver-se desde já.


A Académica já deu início aos primeiros contactos no sentido de garantir a renovação de Paulo Grilo. O jovem jogador, que representou Portugal pelos sub-20 na última edição do Torneio de Toulon, é visto como uma aposta de futuro pelos responsáveis da Briosa e a ideia passa por segurá-lo, em princípio por mais duas épocas, para além de 2013, data do fim do seu actual contrato.


Em simultâneo, o médio, que também pode actuar como lateral-esquerdo, ficará com melhores condições, numa clara prova de confiança nas suas qualidades. Ao que foi possível apurar, existe receptividade da parte do atleta, decidido a afirmar-se no clube onde foi formado, antes de pensar em dar um salto na carreira.


Além deste processo - Éder é outro jovem valor com proposta para renovar - há também conversações para assinatura de contratos profissionais com diversos ex-juniores. São os casos do guarda-redes Fábio, do lateral Rodolfo, e do avançado Ouattara. Resta depois saber se Pedro Emanuel irá integrá-los a todos no plantel ou se serão emprestados.

Marinho assina por três épocas

Marinho vai ser jogador da Académica.


O extremo assina hoje um contrato válido para as próximas três temporadas, aceitando fazer parte de um projecto que visa a ascensão da Briosa no futebol português. 


A estabilidade e ambição oferecidas pelo emblema de Coimbra foram decisivas para que o ex-jogador da Naval optasse por este projecto. Refira-se que desde o final de 2010/2011 a Académica manifestou interesse em contar com Marinho no plantel.

Qual o futuro de Pedro Roma?

CARGO DE DIRETOR-GERAL EM VIAS DE SER EXTINGUIDO


Reestruturação na formação pode afetar Pedro Roma


O novo vice-presidente para a área da formação de futebol da Académica, António Figueiredo, afirmou esta segunda-feira que a reestruturação da estrutura pode extinguir o posto de diretor-geral, ocupado por Pedro Roma.


"Não queremos prescindir de colaboradores, mas haverá mexidas de lugares. Estou praticamente há um dia a trabalhar na elaboração do organograma, mas poderá não haver a necessidade de manter o cargo de diretor-geral", revelou o responsável pela formação à agência Lusa, acrescentando que já foi designado um diretor-adjunto: Miguel Ribeiro.


A Lusa contactou o antigo guarda-redes e ainda diretor-geral da formação, Pedro Roma, que manifestou tranquilidade quanto ao seu futuro na Briosa.


"Tenho contrato com a Académica. Pertenço aos quadros do clube e neste momento trabalho na formação como diretor-geral. Quanto ao resto, aguardo novidades", disse o antigo jogador.


António Figueiredo traçou como objetivos imediatos para a área que irá dirigir "a manutenção da qualidade de trabalho em todos os escalões de formação, o regresso dos juniores à 1.ª Divisão e a entrega do maior número de jogadores à equipa sénior".


___________________


Com a extinção do cargo de diretor geral para a formação, Pedro Roma foi libertado pela Académica, aquando da tomada de posse da nova estrutura do clube, como Record escreveu. O ex-treinador de guarda-redes da Briosa e um dos símbolos maiores na história do clube poderá, porém, nos próximos dias, vir a ser recolocado noutras funções, algo que ficará definido em breve. Caso contrário, Pedro Roma poderá aceitar algum convite de outro emblema para assumir o cargo de treinador de guarda redes.


Mudanças na formação.


A nova estrutura para a formação da Briosa já está em marcha. Com a reeleição de José Eduardo Simões como presidente do clube, foi também eleito António Figueiredo, que substitui Camilo Fernandes na vice presidência para a formação.


Uma das primeiras novidades na preparação da nova época passou pela saída de Vaz Pinto, que treinava os juniores, mas assinou pelo Sertanense (2.ª divisão), naquela que será a sua primeira experiência no comando de uma equipa sénior, depois de ter rejeitado uma proposta para coordenar as camadas jovens da Académica. Rui Silva, ex-treinador do Pampilhosa, regressa a uma casa que bem conhece e sucede a Vaz Pinto nos juniores. Também de saída está Tiago Conde, que trabalhou com Vaz Pinto em 2009/2010 e treinava a equipa B de juvenis, optando agora por rumar a outras paragens. Bruno Domingos mantém-se, por isso, no comando dos juvenis, enquanto Mário Serpa (ou Marinho) vai continuar nos iniciados.

20 de junho de 2011

João Dias é reforço: Lateral Direito ex-Trofense

João Dias vai mesmo ser jogador da Académica, conforme O JOGO avançou em primeira mão na edição de ontem. O lateral-direito, que no ano passado militou no Trofense, já terá um acordo com os estudantes que será válido por duas épocas, embora não seja de estranhar que o mesmo possa chegar às três temporadas.

Assegurado o defesa, a Briosa fica assim com o problema resolvido face às saídas de Pedrinho e Pedro Costa, pois também já tinha garantido junto do Sporting o empréstimo de Cédric. Curiosamente, a turma estudantil fica agora dotada de dois laterais-direitos com passado ligado às selecções nacionais. No caso de João Dias tem sido presença assídua na selecção nacional de sub-23, isto depois de ter passado por quase todos os escalões, inclusive os sub-17, tendo conquistado o título de campeão europeu.

Curiosamente, João Dias tem alguns pontos em comum com o novo clube: jogou ao lado de alguns jogadores com contrato com a Académica - casos de Licá, no Trofense ou Gonçalo, no Santa Clara -, e foi orientado por Vítor Pereira, actual adjunto de Villas-Boas, numa equipa técnica da qual fazia parte… Pedro Emanuel.


O jogador, de 24 anos, tem um passado nas selecções jovens de Portugal, tendo jogado pelo F.C. Porto B, Prato (Itália), Infesta e Santa Clara, antes de rumar à Trofa.

Marcado: Carlos Saleiro e Anderson Luís

Saleiro é hipótese no ataque - Ponta-de-lança pode reforçar a linha da frente.

Carlos Saleiro pode regressar a Coimbra na próxima época. O atacante, de 25 anos, já terá sido informado de que não consta dos planos de Domingos Paciência e, nesse sentido, uma eventual cedência a título de empréstimo suscita o interesse da Briosa.

Embora neste momento ainda não haja nada de concreto, a verdade é que o bom relacionamento entre estudantes e leões pode permitir que o negócio se concretize, sendo também necessário perceber qual será a disponibilidade do próprio jogador para tal cenário.

___________________________

Anderson Luís (à esq.) pretendido pelo Estoril (foto ASF)


Anderson Luís está na lista 
A Académica está de olho em Anderson Luís, lateral-direito do Estoril. O brasileiro, de 22 anos, realizou uma época muito positiva na Liga Orangina e despertou a cobiça de vários clubes da Liga.

Após recente conversa entre Marco Silva e Luís Agostinho, directores desportivos de Estoril e Académica, respectivamente, o nome do jogador foi colocado em cima da mesa, como confirmou a A BOLA Marco Silva:

- Sim, é verdade que conversei há uns dias com dirigentes da Académica e falámos sobre o Anderson Luís. Não me foi apresentada qualquer proposta, tratou-se só de uma sondagem para se inteirarem da situação do jogador. 

Diogo Valente deverá continuar em Coimbra

A Académica está interessada na continuação do extremo- esquerdo Diogo Valente, futebolista que tem mais um ano de contrato com o Sp. Braga, afirmou à agência Lusa uma fonte da Briosa. "A Académica está interessada nos bons jogadores e Diogo Valente é um deles".
Em negociações com o Sp. Braga, dado que o novo treinador bracarense, Leonardo Jardim, não conta com o esquerdino, a direção dos estudantes vai tentar o empréstimo de um jogador que foi habitual titular na última época.
Na temporada passada, Diogo Valente alinhou num total de 36 jogos (29 na Liga, 6 na Taça de Portugal e 1 na Taça da Liga), marcou 4 golos e foi preponderante nas assistências.
Já o médio luso-francês Amaury Bishoff terminou contrato de dois anos que o ligava aos estudantes e não vai continuar em Coimbra.
Ainda segundo a mesma fonte, apesar de a equipa só se apresentar ao serviço no dia 3 de julho, o treinador Pedro Emanuel já trabalha com assiduidade a fim de preparar a nova temporada futebolística.

Rui Miguel é reforço: “Desde pequeno que vou ver os jogos da Académica”

“Estou muito feliz. Estou de volta à Académica, clube onde me formei e onde sempre ambicionei voltar. Espero ajudar a equipa com golos, que é o que sei fazer melhor.”. Foram estas as primeiras palavras de Rui Miguel, o primeiro reforço da Briosa para a temporada 2011/2012.

Rui Miguel Marinho Reis, de 27 anos, quase que dispensa apresentações pois será raro o sócio ou adepto da Briosa que não o conhece. Formado na Académica, passou por clubes como o Lokomotiv Mezdra, CSKA Sofia ou Kilmarnock antes de regressar a Portugal para voltar a representar o seu clube de sempre. O dianteiro luso é o primeiro reforço para a temporada 2011/2012 tendo assinado um contrato válido por uma temporada, com mais duas de opção.

Rui Miguel regressa a uma casa que bem conhece pois desde muito novo que acompanha os jogos da Académica, tendo inclusivamente assistido a muitos deles no meio da claque Mancha Negra.

“Desde pequeno que vou ver os jogos da Académica, quase sempre na Mancha Negra. Espero ajudar a equipa, fazer golos, e lutar por uma boa classificação na tabela classificativa, para podermos encarar o campeonato de forma estável. Para isso acontecer é importante arrancarmos bem e iremos trabalhar nesse sentido.”, adiantou.

O avançado português, natural de Coimbra, reforça a linha atacante da Académica e no momento em que é oficializado como novo jogador dos “estudantes”, Rui Miguel deixou uma mensagem aos adeptos da Briosa.

“Os sócios e adeptos são muito importantes para a Académica. É muito gratificante saber que, com adeptos como estes, com uma claque como a Mancha Negra, nunca estaremos sós. Vamos deixar tudo em campo porque eles também sabem que tudo faremos por eles.”, terminou.

Rui Miguel é o primeiro reforço da Académica para a nova temporada, regressando desta maneira a Coimbra para voltar a defender uma casa que bem conhece.

18 de junho de 2011

Ricardo guardião da “briosa” renovou por três épocas


O guarda-redes Ricardo prolongou hoje o seu vínculo contratual com a Académica por mais três temporadas, confirmou o sítio oficial da equipa da Liga portuguesa de futebol.
Ricardo mostrou-se feliz por ter chegado a acordo com a Académica, referindo que se sente "muito acarinhado" em Coimbra.


"Estou muito feliz por ter chegado a acordo com a Académica. Sinto-me muito bem no clube e espero ajudar a equipa a atingir os seus objectivos", referiu o jogador, em declarações ao sítio oficial da "Briosa".
Ricardo não esqueceu os adeptos, a quem deixou uma mensagem: "O nosso dever é deixar tudo em campo, para conquistar vitórias para os adeptos".


"Podem contar connosco, tal como nós sabemos que podemos contar com eles", concluiu o jogador.
O guarda-redes, de 28 anos, fica em Coimbra até 2014, fazendo dupla, na sua posição, com o francês Peiser, que, no mês passado, também renovou por mais duas temporadas.

Rui Miguel satisfeito por regressar a Coimbra

Rui Miguel que esta sexta-feira assinou contrato com a Académica por uma temporada, com mais duas de opção, manifestou a sua felicidade por regressar ao clube, depois de aventura no estrangeiro.


«Estou muito feliz. Estou de volta à Académica, clube em que me formei e onde sempre ambicionei voltar. Espero ajudar a equipa com golos, que é o que sei fazer melhor», afirmou o jogador.

«Desde pequeno que vou ver os jogos da Académica, quase sempre na Mancha Negra. Espero ajudar a equipa, fazer golos, e lutar por uma boa classificação, fazer um campeonato estável. Para isso acontecer, é importante arrancarmos bem e iremos trabalhar nesse sentido», acrescentou Rui Miguel.

O avançado aproveitou ainda para deixar uma mensagem aos adeptos: «Os sócios e adeptos são muito importantes para a Académica. É muito gratificante saber que, com adeptos como estes, com uma claque como a Mancha Negra, nunca estaremos sós. Vamos deixar tudo em campo», rematou.

17 de junho de 2011

Cedric é reforço para o lado direito da defesa

A Académica está muito perto de garantir o empréstimo de Cedric Soares, jovem lateral-direito contratualmente ligado ao Sporting.

As boas relações que os estudantes têm com o clube leonino, deverão ainda permitir as chegadas a Coimbra de Adrien Silva e Bruno Pereirinha.

Tal como ontem o presidente José Eduardo Simões afirmou, os estudantes «deverão contratar cerca de uma dezena de reforços», que permitam ao clube «atingir um patamar superior».

Confirmando-se a chegada do jovem internacional sub-20, que no próximo mês de Agosto estará a representar Portugal no Campeonato do Mundo da categoria, que irá ser disputado na Colômbia, é certo que Cedric falhará a pré-época da Briosa.

Depois de João Real, ex-Naval, e Rui Miguel, ex-Kilmarnock, da Escócia, Cedric será o terceiro reforço para o plantel orientado por Pedro Emanuel.

16 de junho de 2011

Clube ainda não foi notificado sobre providência cautelar

A Académica ainda não foi notificada relativamente à providência cautelar que terá sido apresentada por um grupo de sócios no tribunal de Coimbra com o objectivo de impedir a tomada de posse dos novos órgãos sociais do clube, eleitos por sufrágio no passado dia 7 de Junho.

Maria José Vicente, membro da Comissão Eleitoral, confirmou esta informação, explicando ainda que desconhece quais os motivos da suposta providência:

- A Académica ainda não foi notificada sobre qualquer providência cautelar que vise a impugnação das eleições. Qualquer sócio está legitimado para o fazer, desde que seja de forma fundamentada mas até agora, o que sei é pelos jornais. Caso a Académica venha a ser notificada pelo tribunal irá, obviamente, defender-se. Terão que ser analisados os factos e os fundamentos que constem da respectiva providência cautelar, e depois será tomada uma decisão.

Recorde-se que o pedido de anulação da acção da Comissão Eleitoral que sustenta a referida providência cautelar invoca o facto de as eleições terem sido marcadas com 28 dias de antecedência, e não os 30 que defendem ser legal, bem como a omissão de sócios efectivos dos cadernos eleitorais.

JES: «Dependência do F.C. Porto? Olhamos para os melhores!»

Um, dois, três, quarto... cinco. E vão cinco treinadores entre os últimos sete da Académica recrutados do universo F.C. Porto. Haverá uma escola de técnicos portista, passando a redundância, a fazer escola em Coimbra? José Eduardo Simões, presidente da Briosa, dá a resposta:

«Conhecem treinadores da escola do Sporting ou da escola do Benfica? Por que razão o F.C. Porto terá tido sucesso nos últimos anos? Terá sido só por causa das arbitragens? Ou porque soube escolher um conjunto de profissionais, alguns que não tiveram sucesso noutros clubes, e ai tiveram? Dependência, é olhar para onde estão os melhores, as melhores escolas, a maior ambição. É o que fazemos.»

O dirigente relativizou ainda o código genético azul e branco na suposta corrente de treinadores com um exemplo ímpar: «O Mourinho não é modelo Porto. Formou-se em Barcelona, vem de um modelo holandês, com pinceladas inglesas.»

Sobre a escolha de Pedro Emanuel, explicou que «a decisão não foi difícil», pois «a vontade não era de agora.» E quando tiver de enfrentar o antigo chefe de equipa, nada haverá a temer: «Estão a ver este cartão? É do sócio 11 663 e diz Pedro Emanuel dos Santos Martins Silva. É um cartão para os próximos dois anos pelo menos. Por isso, não tenho dúvidas», referiu, revelando ainda que a questão de o técnico ainda não ter o IV nível será «ultrapassada internamente». 

Pedro Emanuel demarca-se de Villas Boas e Mourinho

Pedro Emanuel confessou esta quarta-feira, durante a apresentação como novo treinador da Académica, que se encontra a viver um sonho. Assumindo-se como um apaixonado pelo futebol, o ex-adjunto de André Villas Boas fala da separação, natural, do chefe de equipa, mas também de Mourinho e da ambição seguir a linha de sucesso dos anteriores treinadores recrutados pela Briosa no universo portista.

«Quem é treinador e está em início de carreira procura sempre oportunidades e, no meu caso, melhor não poderia estar. É um convite que me deixa imensamente honrado, pela grandeza do clube e pelos patamares que pode atingir. Foi uma decisão apaixonante para mim», explicou o jovem técnico. 

A relação com André Villas Boas, de cuja equipa técnica deixou de fazer parte, e que também foi lançado em Coimbra, veio necessariamente à baila. O treinador do F.C. Porto foi obviamente um dos seus conselheiros no momento da emancipação ou não tivesse ele próprio feito o mesmo em relação a José Mourinho.

«Teve enorme preponderância na minha vinda para aqui, pelos motivos que se conhecem. Deu-me informações e ainda me motivou mais. Tivemos uma conversa franca e frontal, entre duas pessoas adultas e com ambições na vida, que se ajudaram no passado. Quero destacar a liberdade de escolha que me deu e uma mensagem sentida: decidisse o que decidisse, ele iria apoiar-me e por isso ficou contente ao ver-me aceitar este desafio.»

Aprendeu com os melhores mas não quer imitar ninguém

Além de Villas Boas, Pedro Emanuel conheceu também José Mourinho. Há quem diga que, na altura, o experiente central era como um prolongamento do agora técnico do Real Madrid dentro do campo e no balneário do F.C. Porto. As comparações, inevitáveis, são rapidamente relativizadas por quem não quer ser uma simples cópia de dois dos melhores originais da classe.

«Trabalhei com pessoas que revelam capacidade, e só se não fosse muito inteligente não aproveitaria para aprender, mas quero traçar o meu caminho, não vou imitar ninguém. Tenho grande respeito pelo trajecto de cada um. Se lhes perguntarem, certamente dirão que gostaram de trabalhar comigo. Sou uma pessoa dedicada, apaixonada e, felizmente, tenho uma profissão que me realiza diariamente. É isso que nos faz ser melhores», destacou.

Do estilo que gostaria de implementar, destaca alguns princípios, aqueles que já faziam dele um líder enquanto jogador: «Ambição, vontade, querer, tentar ser competente ao máximo, saber ouvir e saber falar. Espero que seja essa a forma de estar que me permita evoluir. Não é por falar alto ou estar aos berros que vou conquistar o respeito mas pela competência. A relação com os jogadores tem de ser de respeito, mas sobretudo de grande vontade e ambição de todas as partes.»

Sobre o legado dos últimos treinadores da Briosa, casos de Domingos, André Villas Boas ou Jorge Costa, Pedro Emanuel mostrou-se entusiasmado por poder dar continuidade a um trajecto que espera ser também de sucesso: «É um bom presságio, quer dizer que quem me antecedeu fez bons trabalhos e isso é importante para concretizar os nossos objectivos. Sinto uma vontade enorme de começar a trabalhar e passar do plano teórico para prático.»
 



 Ser cada vez melhor como lema de vida

Motivadíssimo, como fez questão de repetir durante a conferência de imprensa, o novo treinador da Académica afiança ter como filosofia de vida tentar ser cada dia melhor, e não virou a cara à velha ambição da Briosa: voltar a qualificar-se para uma prova europeia.

«Vim encontrar uma estrutura forte e bem delineada, preparada para um desafio profissional, e que sabe trabalhar para ter sucesso. As condições estão reunidas e é claro que vamos procurar sempre a vitória, com ambição, como determina a história deste clube», aludiu.

15 de junho de 2011

Bruno Amaro afinal assina pelo V.Setúbal

Bruno Amaro vai ser jogador do Vitória de Setúbal na próxima época.

O jogador já acertou os termos dos acordos com a SAD do Vitória de Setúbal, faltando apenas rubricar o respectivo vínculo para que sejam oficialmente anunciado como reforço da equipa do Sado. 



Isto apesar de ter sido referido que Bruno Amaro assinaria pela Académica por dois anos: aqui



Renovação de Bischoff num impasse


Estudantes querem manter o médio mas o acordo ainda está distante. Empresário do jogador revela abertura e aponta à continuidade.




Amaury Bischoff terminou contrato com a Académica e ainda não chegou a acordo para a renovação. As negociações começaram muitos antes de a época terminar mas estão, neste momento, num impasse, podendo arrastar-se por mais uns tempos. 

Em conversa com o Maisfutebol, o empresário do jogador revela, no entanto, abertura e também a vontade do atleta em continuar na Briosa. Mas a diferença dos valores em cima da mesa subsiste. «O quadro é sempre esse, não é? Neste momento, as coisas estão paradas. Se tem outras propostas? Sim, mas ele está muito bem em Coimbra e quer continuar», revelou Christophe Mongai. 

O médio luso-francês passou duas temporadas na Académica. Na primeira, com Rogério Gonçalves e André Villas-Boas, acabaria emprestado ao Desp. Aves em Janeiro mas, na segunda, passou a jogar com regularidade sobretudo a partir da chegada de José Guilherme. Conseguiu até voltar a estar na órbita das selecções jovens (sub-23), algo que já não lhe acontecia desde a passagem pelo Arsenal.
 

Pedro Emanuel é o novo treinador da Académica

A Direcção da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol vem por este meio informar os seus associados, adeptos e demais interessados que Pedro Emanuel é o novo treinador da Académica.
Pedro Emanuel dos Santos Martins Silva notabilizou-se como jogador ao serviço do Boavista, já depois de ter representado o FC Marco, Ovarense e Penafiel. Depois do Bessa, Pedro Emanuel seguiu o caminho do Dragão onde finalizou a sua carreira de jogador e iniciou as funções de treinador principal da equipa de juvenis do FC Porto, sagrando-se campeão nacional.


O êxito imediato que Pedro Emanuel conseguiu alcançar levou-o a integrar a estrutura técnica da equipa principal do FC Porto na temporada passada, onde desempenhou a função de treinador-adjunto.
Aos 36 anos, Pedro Emanuel abraça um novo e aliciante desafio ao tornar-se no novo treinador da Académica.
A nova equipa técnica da Briosa será apresentada oficialmente na quarta-feira, dia 15 de Junho, pelas 18:00, na Sala de Imprensa do Estádio Cidade de Coimbra, numa cerimónia onde os associados e adeptos da Briosa estão, desde já, convidados a assistir.

14 de junho de 2011

Infelizmente é assim que a nossa Académica é vista por muitos e daí o grande afastamento de sócios e adeptos nos últimos anos...

Texto do Advogado e Bastonário da Ordem: Marinho Pinto



«O presidente do Organismo Autónomo de Futebol (OAF) da Associação Académica de Coimbra (AAC), José Eduardo Simões, foi reeleito na passada terça-feira para um novo mandato, derrotando o seu opositor, Maló de Abreu. O facto, em si, nada teria de extraordinário e passaria praticamente despercebido, não fosse a circunstância de o reeleito ter sido condenado, em Março passado, no Tribunal de Coimbra, pelos crimes de corrupção e de abuso de poder.

A própria AAC/OAF foi também condenada a pagar ao Estado o "montante equitativo" de 200 mil euros, correspondente à perda das vantagens ilicitamente obtidas com a alegada actividade criminosa do seu presidente.

Os crimes em causa teriam sido praticados entre 2003 e 2006, período em que o arguido acumulou os cargos de vice-presidente e de presidente da Académica com as funções de director municipal de Administração do Território da Câmara Municipal de Coimbra, no âmbito das quais detinha competências em licenciamentos de loteamentos, de obras de urbanização e de obras particulares, entre outras.

Num acórdão com mais de 290 páginas, o Tribunal de Coimbra deu como provado que José Eduardo Simões, enquanto director municipal, violou, continuadamente, os seus deveres funcionais para beneficiar ilicitamente empresários (sobretudo da construção civil) que contribuíam financeiramente para o clube, nomeadamente permitindo áreas de construção superiores às licenciadas, obras sem licença, bem como pressionando os seus subordinados para que não cumprissem os seus deveres de fiscalização. O tribunal salientou ainda que Eduardo Simões chegou a ser apanhado com a quantia de 103 600 euros em notas de 500, 100 e 50 euros que transportava "acondicionadas" no interior do seu automóvel. Trata-se de uma sentença dura, que sintetiza as acusações (do MP) e as pronúncias (dos juízes de instrução) relativas a três processos que foram apensados num só. Essa decisão ainda não transitou em julgado e até pode vir a ser revogada e substituída por outra mais favorável ao arguido ou até absolutória. No entanto, independentemente da decisão final, estamos em presença de factos que eram do conhecimento público em Coimbra e que até já tinham sido noticiados na Comunicação Social, pelo que todos nos devemos interrogar como foi possível isso acontecer durante tanto tempo, sem que, aparentemente, ninguém com responsabilidade tivesse actuado tempestivamente. A que se deve a intervenção tão tardia das autoridades judiciais e, principalmente, do próprio presidente da Câmara, Carlos Encarnação? O que é que levou a Câmara de Coimbra a contratar para director de um departamento tão sensível o presidente de um clube de futebol em permanentes aflições financeiras? Por que é que o presidente do PS, António Almeida Santos, branqueou, publicamente, a conduta de Eduardo Simões tentando desvalorizá-la por o beneficiário da corrupção ser a Académica? Será que a corrupção é boa ou má consoante os seus beneficiários?

A Académica, a velha Académica, foi um clube ímpar no futebol português e até mundial. Os seus jogadores eram estudantes que jogavam à bola por prazer e por isso deram lições de desportivismo e de dignidade desportiva que ainda hoje perduram na memória dos amantes do futebol. Durante décadas, a Académica de Coimbra foi um motivo de orgulho para a cidade e para Portugal.

Porém, os tempos mudaram, o clube profissionalizou-se (praticamente não há um estudante na sua equipa principal) e, qual epígono atabalhoado, chegou ao ponto de utilizar os métodos do submundo das ilegalidades desportivas que outros já tinham abandonado. Em resultado de tudo isso, o OAF é, hoje, uma caricatura burlesca da velha Académica.

Ver a centenária AAC envolta nos nevoeiros da corrupção ofende o imenso património moral da velha, honrada e altiva Academia de Coimbra. É triste, muito triste, ver como a antiga mística da Académica se transformou numa grotesca mistificação. Se há epíteto que o OAF devia deixar de usar, até por pudor, é o de "briosa".»

13 de junho de 2011

Covilhã analisada para estágio

As eleições e a indefinição quanto ao treinador que sucederia a Ulisses Morais atrasaram a planificação da Académica para 2011/2012. Nada de muito preocupante, até porque nos próximos dias deverão ser tomadas decisões importantes, como por exemplo sobre o estágio de pré-época. Segundo O JOGO apurou, a escolha poderá recair, uma vez mais, na Covilhã, local que, a confirmar-se, será eleito pelo terceiro ano consecutivo, prova de que os estudantes estão satisfeitos com as condições encontradas junto à serra da Estrela. Em princípio, o estágio decorrerá entre 11 e 16 de Julho.

Amanhã há treinador

Inicia-se hoje uma semana muito importante no que à preparação da próxima época diz respeito.

Depois de ultrapassado o período eleitoral, a dupla responsável pelo futebol profissional da Académica, Luís Godinho, vice-presidente, e Luís Agostinho, director desportivo, têm estado a trabalhar de forma intensa com vista à conclusão de vários processos pendentes e um deles, o que mais importa resolver por estes dias, diz respeito à conclusão do dossier treinador. 



Constituição da equipa técnica


Filipe Gouveia, Miguel Ferreira e João Brandão são os escolhidos de Pedro Emanuel.

Pedro Emanuel tem a equipa técnica que o vai acompanhar na missão de realizar um bom trabalho em Coimbra totalmente definida. O adjunto (e braço direito)será Filipe Gouveia.

Mas o trânsito Bessa/Coimbra não se fica pelo adjunto: também Miguel Ferreira, treinador de guarda-redes, deixa o Bessa e acompanha Filipe Gouveia. O preparador físico é João Brandão.



Seis casos para decidir em breve

A apresentação de Pedro Emanuel como sucessor de Ulisses Morais deverá ocorrer nos próximos dias. O treinador e a respectiva equipa técnica, que será completada por Filipe Gouveia, Virgílio Fernandes, João Brandão e Miguel Ferreira, já acertaram todos os pormenores de uma ligação válida para os próximos dois anos. Dado este decisivo passo para garantir a entrada do adjunto de André Villas-Boas nos quadros do clube, os responsáveis pelo futebol academista vão começar a tratar, em definitivo, de alguns dossiês que têm em mãos. E para além de reforços, terão em mãos a decisão sobre o futuro de seis jogadores que estiveram emprestados na última época e que ainda têm vínculo à Académica.

Nestas circunstâncias estão Licá (Trofense), Gonçalo, Júlio César (Aves), Flávio Ferreira, Vouho e Amessan (Covilhã). Deste sexteto - a maioria só tem mais um ano de vínculo aos capas negras - não é líquido que todos venham a fazer parte do plantel orientado por Pedro Emanuel, mas é provável que alguns sejam integrados nos trabalhos de pré-temporada, cujo arranque está agendado para o dia 4 de Julho no campo do Bolão.

Nesta altura, a Académica tem apenas dois reforços assegurados para a nova época, mas ainda não anunciados, como são os casos do defesa-central João Real (ex-Naval) e do avançado Rui Miguel (ex-Klimarnock, da Escócia). É, no entanto, certo e natural que mais entrarão até ao fecho do mercado.

Nuno Coelho assinou por cinco épocas

Internacional sub-23 muda-se de Coimbra para a Luz depois de duas épocas na Académica.


O médio Nuno Coelho, que terminou contrato com a Académica, assinou contrato na passada quinta-feira com o Benfica por cinco épocas, apurou o Maisfutebol junto de fonte próxima do jogador.


O interesse era antigo mas a verdade é que só na última semana ficou traduzido em termos concretos, levando inclusive a abordagens de outros clubes, nomeadamente do estrangeiro, que o jogador acabou por declinar em favor das «águias».


Nuno Coelho começou a carreira na Covilhã, de onde é natural, e depois de jogar pelas selecções jovens foi rapidamente contratado pelo F.C. Porto, em 2004/05. O destino seria a equipa B, embora o médio tenha conseguido integrar-se também nos trabalhos de pré-época do conjunto principal. 


A falta de perspectivas de futuro levaram-no a coleccionar empréstimos, à U. Leiria e ao Portimonense, antes de rescindir, há dois anos, para ingressar nos estudantes. 


O F.C. Porto tinha salvaguardado 50 por cento do valor de uma futura transferência do internacional sub-23, mas, como este terminou contrato, o Benfica consegue a aquisição a custo zero.

Briosa quer Addy mais um ano

A Académica vai tentar renovar o empréstimo de David Addy junto dos responsáveis do FC Porto, clube ao qual o defesa-esquerdo ganês está ligado contratualmente.

Depois de ter representado a Briosa na temporada que findou – onde alinhou em 14 partidas e apontou 2 golos -, Addy dificilmente será integrado no plantel dos azuis e brancos, algo que jogará a favor dos dirigentes dos estudantes com vista a obter o jogador numa nova cedência.


Para o lado esquerdo da defesa, a Académica conta, nesta altura, somente com Hélder Cabral, ainda que Paulo Grilo também possa desempenhar essas funções. Mas a verdade é que Addy deixou uma imagem positiva em Coimbra e as boas relações entre os dois clubes, bem como a mais que provável chegada de Pedro Emanuel para o comando técnico dos conimbricenses, também poderão ajudar a que o ganês volte a jogar de losango ao peito.




Garcés está internado e arrisca prisão

Jose Luis Garcés, também conhecido em terras sul-americanas por “Pistolero”, está internado no Hospital Regional Nicolás Solano de La Chorrera, no Panamá, segundo a imprensa daquele país. O avançado “permanece internado sob forte esquema de segurança para evitar nova fuga”, pode ler-se na mais recente notícia publicada sobre o ex-avançado da Académica e do Belenenses.

Garcés foi internado, na sequência de um incidente que envolveu disparos e resistência às ordens policiais. O ex-futebolista arrisca mesmo, escreve-se no Panamá, “três anos de prisão” por desrespeito à lei e reincidência criminal.
Garcés assinou pela Académica em 2008 e chegou a jogar pelos estudantes, com Domingos Paciência no comando técnico da Briosa, mas aquando da paragem de inverno do futebol português, atrasou-se no regresso a Portugal e não mais viria a representar o clube, acumulando processos disciplinares.
O contrato com o atleta, que na altura foi assinado por três anos, nunca chegou a ser oficialmente “rasgado” pela Briosa, mas, por justa causa, a Académica libertou o jogador já há muito, embora o contrato fosse válido até esta altura, meados de 2011.

Orlando quer a mística de volta

A época que terminou não vai deixar grandes saudades a Orlando. Se a título colectivo apenas os objectivos mínimos foram alcançados – a manutenção -, a nível individual as coisas também não correram muito melhor ao número 15 dos estudantes.

Uma arreliadora lesão no tendão de Aquiles contraída ainda na primeira volta do campeonato levou-o até à mesa de operações, estando agora o jogador na recta final da sua recuperação.

Em declarações exclusivas a A BOLA, Orlando explica como se sente e dá já o mote para a próxima época:

- Estou na fase final da minha recuperação, e se tudo correr bem, no final deste mês tenho o problema resolvido. Se não houver contratempos, como espero, estarei completamente apto para iniciar a época com os meus colegas e sem quaisquer limitações. Quero ser mais um a ajudar a equipa.

À partida para o último ano de contrato, e ao iniciar a quinta temporada ao serviço da Briosa, o capitão entende que é tempo do clube cimentar a sua posição na metade superior da tabela:

- Acima de tudo, o que espero é que tenhamos uma época sem viver os sobressaltos que vivemos o ano passado, com as constantes mudanças de treinadores, e com as imensas lesões que assolaram o plantel. Penso que se conseguirmos ter a tranquilidade necessária, podemos aspirar a ficar na parte superior da tabela. Julgo que a Académica, pela sua enorme história, carregada de grande mística e tradição, merece ficar nessas posições e deve cimentar esse estatuto ano após ano.

8 de junho de 2011

Pedro Emanuel é o treinador escolhido


Pedro Emanuel, de 36 anos, que substitui Ulisses Morais no cargo, vai estrear-se como treinador principal no clube em que Villas-Boas iniciou a sua carreira, em 2009/10.
Pedro Emanuel é o treinador eleito para orientar a equipa da Académica na próxima temporada, disse à agência Lusa fonte próxima da direcção do clube da Liga portuguesa de futebol.
A mesma fonte acrescentou que faltam acertar apenas alguns detalhes relativos à parte financeira do contrato a celebrar entre o clube e ex-internacional português, que na época agora concluída foi adjunto de André Villas-Boas, no FC Porto.
Pedro Emanuel, de 36 anos, que substitui Ulisses Morais no cargo, vai estrear-se como treinador principal no clube em que Villas-Boas iniciou a sua carreira, em 2009/10.
O ex-defesa central iniciou a sua carreira como futebolista ao serviço do Marco, na temporada 1993/94, tendo passado por Ovarense, Penafiel, Boavista e FC Porto. Campeão pelo Boavista, na temporada 2000/2001, Pedro Emanuel conquistou depois cinco títulos pelo FC Porto, ao serviço do qual iniciou a sua carreira de treinador.
Nesta última temporada, como adjunto de Villas-Boas, conquistou campeonato, Taça de Portugal e Liga Europa.
O técnico deve ser apresentado na quinta-feira, segundo revelou esta terça-feira à noite o presidente academista, não estando, contudo, ainda agendada a hora para o efeito.

Simões sublinha vitória estrodosa entre acusações à Câmara de Coimbra


José Eduardo Simões, reeleito esta madrugada presidente da Académica para os próximos três anos, aproveitou o discurso de vitória para tecer duras críticas à Câmara Municipal de Coimbra e muito particularmente ao vereador do Desporto Luís Providência. 

O dirigente exigiu um pedido de desculpas público do autarca, considerando que este «afrontou a maior instituição de Coimbra», ao dizer que Simões não tinha condições para liderar a Académica depois de ter sido condenado pelo crime continuado de corrupção passiva a quatro anos e sete meses de prisão, com pena suspensa. 

José Eduardo Simões, que pondera realizar uma conferência de Imprensa no prazo de 48 horas para abordar esta temática, aconselhou mesmo Providência a demitir-se se não se retratar publicamente perante todos os dirigentes da Briosa.

Em relação à nova vitória eleitoral sobre Maló de Abreu, que já tinha vencido em 2004, José Eduardo Simões não escondeu toda a sua satisfação.

«Esta é a vitória mais significativa da história da Académica. É uma vitória da Académica, dos seus associados e de todos que num momento difícil disseram presente. Quero agradecer a todos os associados que me apoiaram mesmo depois de terem sido conhecidos os processos judiciais. Dedico esta vitória não apenas aos que me acompanharam, mas a duas pessoas em particular: à minha mulher, uma grande sócia da Académica, e a José Barros, um grande homem da Académica e de Portugal e que não pode estar aqui porque a saúde não lhe permite», afirmou o presidente da Briosa, deixando um aviso à navegação:

— Espero que esta tentativa de assalto ao poder na Académica tenha terminado.

José Eduardo Simões vai anunciar o nome do novo treinador durante o dia de amanhã.

João Real e Rui Miguel como primeiros reforços

Arrumada a questão das eleições, o clube pode agora virar-se em definitivo para a preparação da próxima época. O anúncio do novo treinador deverá ocorrer já esta quarta-feira. Pedro Emanuel e Michel Van der Gaag estão na corrida e um deles será, seguramente, o sucessor de Ulisses Morais. 

Também já há jogadores assegurados, casos do ex-Naval João Real e de Rui Miguel (ex-Kilmarnock), ambos comprometidos para as próximas três épocas, enquanto outros estão ainda em negociações, como Pereirinha, Adrien (Sporting) ou Marinho (ex-Naval), todos com boas perspectivas de virem a representar o emblema de Coimbra.

Em termos de renovações, já depois das saídas de Pedrinho (Lorient), Sougou (Cluj), Pedro Costa, Amoreirinha, Barroca, Nuno Coelho e Júnior Paraíba, os responsáveis do clube tentam segurar Bischoff e Miguel Fidalgo (este último muito dificilmente ficará), além de terem manifestado vontade de renovar os empréstimos de Addy, Laionel e Diogo Valente.
 

Maló de Abreu: «Clube corre o risco de desaparecer»

Maló de Abreu, que em 2004 já tinha perdido para José Eduardo Simões, reconheceu a derrota e anunciou que não voltará a candidatar-se.

"Quero cumprimentar o presidente da Académica. Pela segunda vez encabecei uma candidatuta, mas não voltarei a fazê-lo. A Académica corre sérios riscos de desaparecer", disse o candidato pela lista B, acrescentando que não irá impugnar o ato eleitoral, como tinha sugerido anteriormente.

José Eduardo Simões reeleito com 57 por cento dos votos

A Bola: Com um atraso significativo em relação ao que estava inicialmente previsto, eis que, finalmente, surgem os resultados oficiais das eleições da Académica.

Tal como as primeiras previsões apontavam, alguns minutos após o fecho das urnas, José Eduardo Simões levou a melhor sobre Maló de Abreu, e foi reeleito presidente da Briosa, cargo que ocupará nos próximos três anos.

Num sufrágio que contou com a votação de 1849 sócios, a Lista A obteve 57 por cento dos votos para a direcção, ao passo que a Lista B foi votada por 39,7 por cento.

Foram ainda registados 162 votos brancos e 54 votos nulos, o que corresponde a 3,3 por cento dos votantes.

José Eduardo Simões terá pela frente novo triénio na liderança da Briosa, naquele que será o seu terceiro mandato consecutivo, depois de já ter vencido as eleições em Dezembro de 2004 frente a Maló de Abreu, e em Abril de 2008 diante de João Francisco Campos.





Record: Simões: «Vitória estrondosa»



José Eduardo Simões, reeleito na terça-feira como presidente da Académica, revelou-se satisfeito com a recondução à frente dos destinos do clube.
"Os resultados apurados dão uma vitória estrondosa, das maiores e com um resultado concludente. Tenho uma dívida pessoal para com todos os associados que me acompanharam e me apoiaram, não só neste momento, como nos momentos difíceis dos processos", disse Simões, que foi reconduzido para mais um mandato de três anos.
Já sobre a equipa de futebol, José Eduardo Simões garantiu que o novo treinador dos estudantes será apresentado na próxima quinta-feira.



O Jogo: Simões reeleito


Os sócios da Académica decidiram-se pela continuidade. José Eduardo Simões foi reeleito presidente e estará à frente da direcção da Briosa durante as próximas três épocas. Vai perfazer um total de 10 anos em 2014, uma vez que assumiu a liderança no início de 2004, nessa altura de forma interina, por problemas de saúde do então presidente e já falecido João Moreno.
José Eduardo Simões conseguiu a vitória com 59% dos votos (1054), mais 319 do que os do adversário Maló de Abreu (735), que se queixou do facto de só 3400 associados terem sido autorizados a votar, ao invés de alguns outros que, por não terem pago as quotas até ao prazo estipulado, tiveram de ficar de fora do acto eleitoral.
Curiosamente, esta é a segunda vez que Maló de Abreu perde contra Simões. A primeira foi em Dezembro de 2004, na primeira eleição ganha pelo actual líder. Ontem somou o terceiro triunfo, uma vez que em Abril de 2008 já havia derrotado João Francisco Campos, com cerca de 200 votos de diferença.
Os dois candidatos estavam separados por muito mais do que as ideias para o futebol profissional, mas é deste que os sócios mais querem saber. Por isso, o primeiro grande anúncio do novo mandato - nome do novo treinador que sucederá a Ulisses Morais - será já amanhã. Pedro Emanuel ou Van der Gaag, um deles assumirá a Briosa. Aproveitanto o acto, o presidente eleito disse que anunciará reforços na mesma data.
Ao todo votaram pouco mais de 50% do total de eleitores inscritos, num número idêntico ao do último acto desta natureza.
Quanto ao futuro da equipa de futebol, José Eduardo Simões foi claro e vincou aquilo a que se propôs no programa eleitoral: "Quero ficar na primeira metade da classificação da Liga Zon Sagres."

Líder exige que vereador peça desculpa publicamente

José Eduardo Simões congratulou-se pela "vitória clara", mas não deixou de lamentar o apoio público do vereador do desporto da autarquia a Maló de Abreu. Por isso, exigiu um pedido de desculpa e disse que caso Luís Providência não se retracte, convocará uma conferência de Imprensa a exigir a demissão do mesmo. Depois, considerou a reeleição como "um reconhecimento do que fizemos e da obra que deixamos", e o resultado como "uma responsabilidade e exigência acrescida", certo de que está preparado para "fazer melhor". Maló de Abreu deu os parabéns à Lista A, mas frisou que acha que com este resultado "a Académica corre o risco de desaparecer."


Mais Futebol:  
José Eduardo Simões eleito para o terceiro mandato

Presidente há seis anos vai continuar por mais três. Arrumadas as eleições, clube vira-se para a preparação da próxima época. 


José Eduardo Simões voltou a vencer as eleições para a presidência da Académica e prepara-se, desta forma, para assumir o terceiro mandato consecutivo à frente dos destinos da Briosa, acrescentando outros três anos aos mais de seis que já leva à frente do clube.

Pela segunda vez (a anterior havia sido em 2004), o dirigente derrotou Maló de Abreu nas urnas embora desta feita a vantagem tenha sido um pouco maior - 1054 votos contra 735 do opositor, traduzidos em 55 por cento contra 37. O número total de votantes foi de cerca de 1900, num universo de 3 444 sócios.

A 17 de Dezembro de 2004, José Eduardo Simões obtivera o primeiro mandato com 57 por cento contra 41, com participação de 2332 sócios, pelo que o actual presidente recolheu 1329 votos, enquanto Maló se ficou pelos 956.

Já no último acto eleitoral antes do desta terça-feira, em Abril de 2008, o dirigente ganhara com menos à vontade, dessa vez diante de João Francisco Campos, com 937 votos contra 716 numas eleições com 1734 votantes. Em percentagem, somou 54 por cento contra 41 do adversário.


7 de junho de 2011

Bischoff e Gomes lutam por uma vaga

A próxima época ainda não começou mas já há uma “disputa” por uma vaga no plantel da Académica: entre o brasileiro Diogo Gomes e o luso-francês Bischoff, um deles não continuará, sabe Record. A decisão dos responsáveis está tomada e as investidas no mercado para reforçar o meio-campo da equipa já estão a ser feitas em cima desse pressuposto.

Porém, as situações dos dois atletas são um pouco diferentes. Diogo Gomes, de 25 anos, tem contrato por mais um ano, mas foi pouco utilizado na última época, também devido a uma lesão que demorou meses a debelar. O brasileiro poderá, no entanto, caber no plantel desde que Bischoff abandone Coimbra.