30 de setembro de 2013

2013/2014 - TP - 3EL - Belenenses - Académica: Dom 21 Outubro

O sorteio da terceira eliminatória da Taça de Portugal, realizado esta segunda-feira na sede da Federação, colocou adversários acessíveis no caminho de Benfica, Sporting e FC Porto.

O Benfica joga no campo do Cinfães, do campeonato nacional de seniores, enquanto o Sporting recebe o Alba, dos distritais. Também em casa, o FC Porto joga com o Trofense, da Liga 2-

O Vitória de Guimarães inicia a defesa do título em Fátima (CNS), enquanto o SC Braga vai ao Crato jogar com o Gafetense (D).

Destaque para o Belenenses-Académica, único encontro entre primodivisionários na eliminatória, marcada para 20 de outubro.

Benfica, FC Porto e Estoril pediram a antecipação dos respetivos jogos devido às competições europeias.

Sorteio completo:
Sporting (L) -Alba (D)
Cinfães (CNS) - Benfica (L)
FC Porto (L) - Trofense (L2)
Penafiel (L2)- Operário (CNS)
Fafe (CNS) - Piense (D)
Camacha (CNS) - Vilaverdense (CNS)
Lusitano Vildemoinhos (CNS) - Olhanense (L)
Vitória Setúbal (L) - Alcanenense (CNS)
Mafra (CNS) - Beira Mar (L2)
Sertanense (CNS) - Grandolense (D)
Portimonense (L2) - Cova da Piedade (CNS)
Marítimo (L) - Freamunde (CNS)
U. Leiria (CNS) - Tondela (L2)
Atlético (L2) - Santa Eulália (D)
UD Oliveirense (L2) - P. Ferreira (L)
Oriental (CNS) - Académico Viseu (L2)
Leixões (L2) - Felgueiras (CNS)
Fátima (CNS) - V. Guimarães (L)
Varzim (CNS) - Arouca (L)
Gafetense (D) - SC Braga (L)
Benfica Castelo Branco (CNS) - Desp. Chaves (L2)
Sp. Covilhã (L2) - Santa Clara (L2)
Louletano (CNS) - Famalicão (CNS)
Moreirense (L2) - Estoril (L)
Santa Maria (CNS) - Nacional (L)
Ribeirão (CNS) - São João de Ver (CNS)
Aljustrelense (D) - Desp. Aves (L2)
Belenenses (L) - Académica (L)
Feirense (L2) - Farense (L2)
Gil Vicente (L) - Caldas (CNS)
Esperança Lagos (CNS) - Rio Ave (L)
Loures (CNS) - Oliveirense (CNS)

in abola



29 de setembro de 2013

2013/2014 - 06J - Académica 0 - Arouca 0: Resumo

video

2013/2014 - 06J - Académica 0 - Arouca 0


A Académica empatou este sábado com o Arouca numa partida que contou para a sexta jornada da Liga ZON Sagres e que foi disputado no Estádio EFAPEL Cidade de Coimbra. Sérgio Conceição operou algumas alterações no onze, relativamente ao Nacional (entraram Buval, Fernando Alexandre, Makelele e Diogo Valente) mas a Briosa não conseguiu materializar o seu domínio em golos.

Os "estudantes" encontraram pela frente um adversário que se apresentou em Coimbra com o objectivo de não perder e foram muitas as dificuldades que a equipa da casa teve pela frente. Apesar de tudo, foi a Académica que mais perto esteve do golo mas a finalização não foi a melhor.

A equipa orientada por Sérgio Conceição passa agora a somar cinco pontos na tabela classificativa e na próxima jornada, que se disputa na sexta-feira, a Briosa recebe o Rio Ave. 

nº espectadoras:  2.352

Crónica 

O regresso de Pedro Emanuel a Coimbra não passou de um enorme zero, dividido pelas duas equipas. Um resultado que satisfaz, sobretudo, o ex-técnico da Académica, já que os da casa não foram capazes de fazer valer esse fator. Num relvado em péssimas condições, foi difícil fazer muito mais. E assim se serve o primeiro nulo do campeonato.

Com isso, as equipas não viram mudar muito as respetivas situações na tabela, mas, lá está, mais uma vez, os arouquenses podem sentir-se mais felizes, pois continuam com algum conforto sobre a linha de água, algo que os estudantes já não podem dizer. 

Este era um daqueles jogos que nenhum dos técnicos queria perder. Ninguém quer perder, sempre. Mas neste caso, num desafio entre dois antigos colegas de balneário quando eram jogadores, no F.C. Porto, e no regresso de um deles, Pedro Emanuel, ao local onde começou a treinar na Liga, a aposta era alta.

Talvez por isso, Sérgio Conceição começou logo por surpreender o amigo em termos táticos, não só pela estreia de Fernando Alexandre após a lesão sofrida ainda na pré-época, mas sobretudo pela aposta em Makelelé, também de regresso à titularidade, em detrimento de Cleyton.

Com isso, o técnico conimbricense conseguiu maior capacidade de pressão sobre os médios arouquenses, tentando condicioná-los logo na fase de construção das jogadas. O brasileiro, de resto, fez um jogo de encher o olho. 

Com um meio-campo todo ex-Briosa (Nuno Coelho, Bruno Amaro e David Simão), os homens da Serra da Freita foram assentando jogo e ganhando confiança com o pouco acerto da equipa da casa. Mais uma vez, os estudantes entraram em jogo com uma inexplicável letargia e falta de acutilância no último terço do terreno. 

Os comandos de Sérgio Conceição parecem poupar-se para a segunda parte, em que jogam com outro andamento. A equipa foi empurrando o adversário para trás, ganhou uma infinidade de cantos, e prolongou a ideia de que poderia marcar a qualquer momento.

Mais ainda quando Marinho foi lançado no jogo, trazendo mais vivacidade à partida. O jogo passou a desenrolar-se, sobretudo, no sentido da baliza de Cássio, que teve de se aplicar para evitar o golo de Ivanildo. 

Mais tarde, foi o pequeno extremo quem voltou a ameaçar o zero no marcador, mas, mais uma vez, a bola foi para fora depois de desviada por um adversário. Perdeu-se, de resto, o número de cantos para a Briosa, incapaz, também nesse aspeto particular, de retirar alguma vantagem.

Destaques

A figura: Makelelé

Impressionante jogo do brasileiro, sempre agressivo e determinado na disputa de qualquer lance. Jogou um pouco mais à frente do que o habitual, para impedir os médios arouquenses de construírem jogo à-vontade, e saiu-se na perfeição. À missão defensiva, juntou-lhe ainda algumas iniciativas atacantes, com muito critério, e perigo para a baliza de Cássio.

Outros destaques:

Djavan

Sem grandes dificuldades para segurar Pintassilgo, aproveitou o terreno livre para atacar sempre que teve a bola, iniciando várias jogadas que ajudaram a equipa a ir para a frente. É rápido e tem técnica, na melhor tradição dos laterais brasileiros.

Ivanildo

Continua a jogar a altas rotações, fazendo uso do pé esquerdo bem calibrado e da velocidade no um para um. Esteve muito perto de marcar, num chapéu a Cássio, mas o guarda-redes arouquense salvou a bola para canto com a ponta dos dedos. Mesmo lesionado, com as substituições esgotadas, aguentou a dor e até foi jogar para ponta-de-lança.

Marinho 

Talvez a ideia de Sérgio Conceição seja ter alguém no banco que possa fazer a diferença na segunda parte, porque, de outra forma, não se percebe por que razão o pequeno extremo, por vezes, não é titular. Entrou e mexeu com o jogo, tal como já o fizera neste mesmo estádio, frente ao Belenenses. Podia ter marcado, um remate de fora da área, desviado num adversário, que rasou a trave.

Bruno Amaro

O elemento mais em jogo do Arouca. Fez uso da meia-distância, logrando, sobretudo na primeira parte, pregar alguns sustos a Ricardo, mas foi no equilíbrio de forças a meio-campo que se destacou.

Opiniões

Sérgio Conceição, treinador da Académica, no final do nulo, este sábado, em Coimbra, diante do Arouca:

«Espetáculo? Isso é no teatro ou cinema. Acho que não foi um jogo muito bem disputado, mas antes de grande luta e querer. Vimos uma Académica a assumir o jogo desde o primeiro minuto, tivemos 14 cantos a favor contra um do Arouca, seis ou sete remates na baliza contra um do Arouca. De qualquer forma, ligo pouco a estatísticas. Ás vezes não são tão favoráveis e conseguem-se melhores resultados. O Arouca veio claramente para levar o pontinho por demérito nosso na agressividade em frente da baliza. Temos treinado isso quase diariamente, mas é um problema. Tivemos inúmeras situações no último terço que poderíamos ter aproveitado e resolvido o jogo. Penso que não é um resultado justo, criámos muitas oportunidades, não fizemos um bom jogo, é verdade, as equipas encaixaram-se, mas poderíamos ter vencido. Falta-nos aquela agressividade de matar o jogo. Não sofremos e quando isso acontece, pontua-se sempre, mas, para ganhar, tem de se fazer golos.»
Pedro Emanuel, treinador do Arouca, no final do nulo, este sábado, em Coimbra, diante da Académica:

«Foi um jogo nem sempre bem jogado, as equipas acabaram por se encaixar, e isso levou a que não fosse um jogo muito bonito. Tínhamos essa noção, até porque preparámos o jogo para o equilíbrio e sabendo que a disputa de segundas bolas poderia ser importante. Não houve muito ascendente de qualquer equipa, a Académica um pouco mais dominante, aqui e ali, mas fruto da nossa estratégia. O problema foram as saídas para o ataque, em que nos faltou algum critério e rigor, com o último passe a ser mal executado. Acaba por ser um resultado justo. Jogo de muita luta, fica para história empate e um ponto conquistado. Também tivemos um jogo na quarta-feira, que sabíamos ia ter reflexos em algum desgaste a partir dos 70 minutos e, ai, concedemos um pouco de espaço. É verdade que houve muitas bolas junto da nossa área, mas nem sempre com oportunidades flagrantes.

[Que sentimento neste regresso a Coimbra?] O Sentimento especial vai permanecer sempre, passei bons moimentos aqui, foi o clube que me deu a possibilidade de me estrear na Liga. Conquistei uma Taça de Portugal, que acaba por ser um ponto de ótimas recordações, para mim e para o clube. É um sentimento especial, mas claro que, quando o árbitro apita, cada um defende os seus interesses. O objetivo aqui passava por conseguir pontos. Felizmente, aconteceu.»

João Dias, jogador da Académica, no final do nulo, este sábado, em Coimbra, diante do Arouca:

«Acaba por saber a pouco depois de analisarmos o que se passou no jogo e sentirmos que só uma equipa procurou os três pontos. O Arouca quase não criou perigo, às vezes mal se aproximava da nossa baliza, e nós tivemos algumas ocasiões na primeira, talvez não tantas como desejaríamos, mas, na segunda, tivemos as suficientes para conseguir a vitória. Finalização? Se calhar para finalizar bem, também é preciso que quem coloca a bola, cruza, faz a assistência, etc, o faça nas melhores condições. É algo que, mais tarde ou mais cedo, vai ser ultrapassado. Há que salientar também que não sofremos golos, que é sempre importante, só faltou melhor finalização.»

Minuto a minuto 

90'Final da segunda parte do Académica - Arouca
90'Cartão amarelo para Romário
89'Cartão amarelo para Makelele
89'Carrega a Académica
80'Grande remate de Marinho, desviado ainda num adversário, a bola rasa o travessão!!!
77'Ogu, de longe, ao lado!
75'Entra Manoel do Académica
75'Sai B. Buval do Académica
73'Entra Romário do Arouca
73'Cartão amarelo para Roberto
73'Sai Roberto do Arouca
71'Grande defesa de Cássio a uma tentativa de chapéu de Ivanildo!!!
65'Entra Serginho do Arouca
65'Sai Claro do Arouca
58'Cartão amarelo para Nuno Coelho
57'Entra Marinho do Académica
57'Sai Diogo Valente do Académica
57'Entra J. Ogu do Académica
57'Sai Marcos Paulo do Académica
53'Pede-se a entrada de Marinho!
52'Bom cruzamento de Diogo Valente, mas Cássio atento a segurar!
51'A Académica entrou melhor, já ganhou um par de cantos e mete mais velocidade no jogo
46'Recomeça o Académica - Arouca
45'Intervalo no Académica - Arouca
45'Cartão amarelo para Fernando Alexandre
44'Amaro por cima!
44'Mais dois minutos de compensação
44'Grande lance de Makelelé, a passar por Dias e a cruzar com calma, mas Buval acerta mal na bola!!!
43'Que perdida de Makelelé!!! Sozinho na pequena área, a cabecear mal!!! Cássio segura sem problemas!!!
40'Livre de Diego Valente, na meia-lua, mas o lance sai mal e a bola vai à barreira!
37'Buval consegue ganhar a Mika, já na linha final, e cruza, mas Diego corta para canto!
33'Fernando Alexandre, de longe, e muito por cima!
28'Na primeira vez que toca na bola, Luís Dias quase marca!
25'Entra Luis Dias do Arouca
25'Sai Tinoco do Arouca
21'Tinoco lesiona-se. Pode ter de sair...
20'Cartão amarelo para Diego
19'Jogo pautado por algum equilíbrio, para já
15'Cartão amarelo para Aníbal Capela
15'A Académica pressiona e é Ivanildo quem, agora, tenta surpreender de longe, mas a bola vai por cima!
9'Bruno Amaro atira agora contra um adversário depois de Pintassilgo lhe ter amortecido a bola à entrada da área!
7'O relvado está muito mal tratado...
7'Mika, central do Arouca, está em dificuldades...
6'Cruza Ivanildo, segura Cássio!
5'Novo pontapé-de-canto para a Briosa.
4'Djavan ganha o primeiro canto da partida, para a Académica.
2'Académica assume a iniciativa
1'Começa o Académica - Arouca
0'Académica vai jogar de Norte para Sul.
0'Pouco público nas bancadas.
0'Jogadores da Académica entraram em campo e foram ao banco do Arouca cumprimentar Pedro Emanuel. Respeito.
0'Daqui a pouco o Académica-Arouca ao minuto.

Outros 

Ainda Jorge Jesus e o tão propalado caso protagonizado pelo treinador do Benfica no passado domingo, em Guimarães. 

Ontem, em Coimbra, a Mancha Negra, claque oficial da Académica, relembrou o episódio de JJ, elogiando a atitude do técnico encarnado em favor dos adeptos. 

«Jesus, não perdoamos o teu desejo na nossa descida, louvamos a tua defesa pelos adeptos/ultras. Ser ultra não é crime, é uma forma de estar na vida», podia ler-se numa tarja.

E o primeiro nulo chega à 6.ª jornada

O embate entre Académica e Arouca revelou-se um espetáculo pobre, praticamente sem ocasiões de golo e falho de emoção, mas acabou por entrar para a história do campeonato, dado que se tratou do primeiro nulo da temporada. Ao 43.º jogo da edição 2013/14 da Liga ZONSagres nenhuma das equipas em campo conseguiu marcar, e só quem não assistiu à partida terá ficado surpreendido por tal facto, visto que estudantes e arouquenses foram capazes de se anular mutuamente, mas também revelaram total incapacidade para criar desequilíbrios no último terço do relvado. E quando assim é tudo termina como começou.

28 de setembro de 2013

2013/2014 - 06J - Académica - Arouca: Antevisão

O Momento

Académica:

Estava a Briosa no bom caminho (empate na Amoreira e vitória sobre o Belenenses) quando um novo percalço, desta vez na Choupana, voltou a aproximar a equipa dos lugares da descida. A irregularidade, exibicional e de resultados, tem sido a imagem de marca da equipa, ainda à procura de resolver esse duplo problema. De novo em casa, onde os estudantes conseguiram o primeiro (e único) triunfo até agora, é caso para dizer: um, dois, três, vamos começar outra vez?

Arouca:

O jogo deste sábado significa o regresso de Pedro Emanuel a um local onde esteve quase duas épocas, até ser substituído na reta final da última, justamente por Sérgio Conceição. Em Coimbra viveu emoções fortes - venceu a Taça de Portugal e fez figura na Liga Europa -, mas também foi muito infeliz - chegou a somar 16 jogos consecutivos sem ganhar antes de chegar ao Jamor e foi despedido depois de oito derrotas e dois empates nos últimos 10 encontros no banco dos estudantes.

Ausências:

Académica: Fábio Santos e Magique, lesionados.

Arouca: o plantel está a 100 por cento.

Discurso direto:

Sérgio Conceição: «Ele [Pedro Emanuel], com certeza, conhece alguns jogadores, mas o ambiente e o balneário são diferentes. Mesmo esses que ele conhece, se calhar, eu exijo-lhe coisas diferentes das que ele pedia. É sempre melhor conhecer, mas não vejo um benefício extra.»

Pedro Emanuel: «É lógico que é um reencontro com uma equipa que me diz muito, pela qual tenho simpatia, mas neste momento defendo os interesses do Arouca. Vão estar em campo duas equipas extremamente competitivas, à imagem dos seus treinadores. Antevejo um jogo muito disputado, dividido, em que ambas vão procurar pontos e chegar com acutilância a baliza do adversário.»

Histórico de confrontos:

Estudantes e arouquenses só se encontraram por uma ocasião, há três anos, na Taça da Liga, e não passaram dos empates. Depois do 2-2 trazido da primeira mão, os estudantes esperavam resolver a eliminatória em casa. Debalde. Novo empate (1-1) e, nas grandes penalidades, foram os forasteiros que seguiram para a fase de grupos.



Equipas prováveis:

ACADÉMICA



Outros convocados: Peiser, Marcelo, João Real, Halliche, Paulo Grilo, Nuno Piloto, Fernando Alexandre, Marcos Paulo, Ogu, Diogo Valente, Abdi, Manoel e Rafael Oliveira.

AROUCA
Outros convocados: a lista será divulgada no dia do jogo.

27 de setembro de 2013

2013/2014 - 07J - Académica - Rio Ave: Horário: Sex, 4Out, 20.15H


Jornada

JORNADA 7
ACADÉMICA04/OUT
20H15
SPORTTV
RIO AVE
BELENENSES05/OUT
16H00
OLHANENSE
SPORTING05/OUT
20H15
SPORTTV
V. SETÚBAL
GIL VICENTE06/OUT
16H00
P. FERREIRA
NACIONAL06/OUT
16H15
SPORTTV
BRAGA
AROUCA06/OUT
18H15
SPORTTV
PORTO
ESTORIL06/OUT
20H15
SPORTTV
BENFICA
V. GUIMARÃES07/OUT
20H15
SPORTTV
MARÍTIMO

2013/2014 - 06J - Académica - Arouca: Convocados: O regresso de Nuno Piloto


Todos os disponíveis convocados para o Arouca

Só o guarda-redes Fábio Santos e o extremo Magique não entram nas opções de Sérgio Conceição para o encontro, deste sábado, as 16 horas, frente ao Arouca.

O técnico academista decidiu elaborar uma convocatória de 24 jogadores, onde se destacam as presenças de Halliche (foi recentemente operado ao malar) e de Nuno Piloto (pode estrear-se na presente temporada).

Eis a lista dos 24 convocados:

Guarda-redes: Peiser e Ricardo

Defesas: João Dias, Aníbal Capela, Halliche, Djavan, João Real, Paulo Grilo, Reiner e Marcelo Goiano

Médios: Makelele, Bruno China, Cleyton, Marcos Paulo, Nuno piloto, John Ogu e Fernando Alexandre

Avançados: Marinho, Buval, Ivanildo, Manoel, Abdi, Diogo valente e Rafael Oliveira.

in abola

Marinho em negociações para renovar

A Académica quer Marinho e Marinho quer a Académica. A ideia é simples, clara, e o casamento tem tudo para continuar a ser perfeito. Sim, porque a relação entre ambas as partes tem sido mesmo... perfeita.


Desde que chegou a Coimbra, no início de 2011/2012, Marinho assumiu-se como um dos elementos mais preponderantes do clube, realizando exibições de encher o olho e apontando golos muito importantes. O mais valioso foi, sem dúvida, o que marcou na final da Taça de Portugal, na sua época de estreia ao serviço da Briosa, diante do Sporting (1-0), e que valeu aos estudantes a conquista do troféu. A partir desse dia, 12 de maio de 2012, Marinho foi elevado à condição de herói do Jamor, apelido que perdurará eternamente no seio da família academista.

Agora, e pouco mais de dois anos depois de ter chegado à cidade do Mondego, o número 7 pode estar na iminência de por ali continuar. A Direção está muitíssimo interessada em renovar com o jogador - está em final de contrato e a partir do próximo mês de janeiro é livre de assinar por outro clube - e, nesse sentido, já deu os primeiros passos rumo a um possível acordo.

Ao que A BOLA apurou, a vontade dos dirigentes é comum à do jogador. A renovação deverá contemplar uma extensão do atual vínculo por mais duas ou três temporadas. Há uma plataforma de entendimento que, para já, é sustentada numa vontade mútua. E isso, diga-se, é meio caminho andado para o acordo. Marinho é o capitão de equipa, o que também pesa. E muito…

in abola

Sérgio Conceição e o Arouca: «Importante entrarmos fortes»

Treinador da Académica no lançamento da partida frente à equipa do treinador que substituiu em Coimbra

Sérgio Conceição e o Arouca: «Importante entrarmos fortes»

Sérgio Conceição reencontra este sábado o técnico (já agora também ex-colega quando jogavam no F.C. Porto) que veio substituir em Coimbra, perto do final da época passada. Será, por isso, uma vantagem para o agora técnico do Arouca? Nem por isso

«Ele, com certeza, conhece alguns jogadores, mas o ambiente diferente e o balneário são diferentes. Mesmo esses que ele conhece, se calhar, eu exijo-lhe coisas diferentes das que ele pedia. É sempre melhor conhecer, mas não vejo um benefício extra. Hoje em dia é fácil conhecer as equipas e os seus jogadores», afirmou, minimizando a tendência da equipa entrar mal nos jogos e só melhorar nas segundas partes.

«Por vezes não temos resposta, são situações que nos ultrapassam, porque o discurso é forte, e os jogadores estão alertados para a atitude e necessidade de entrarem fortes. Depois, as coisas não correm bem. Será uma situação de momento, temos e devemos provar isso já amanhã. Entrar forte vai ser extremamente importante para condicionar aquilo que é o Arouca.»

Outra situação que a equipa ainda procura é fazer de Coimbra uma fortaleza. O desejo é do técnico, até porque lhe parece necessário mudar um certo estado de coisas, de que se apercebeu quando vinha jogar com o Olhanense à cidade dos estudantes.

«Fui adversário da Académica e aqui gosta-se de jogar porque o campo é bom, há pouco público, e pode-se jogar à vontade. Era essa a minha sensação. Mas quero que mude, que os adversários tenham grande dificuldade, não só pela nossa pressão, com atitude e vontade de vencer, como devido ao público, que não tenho dúvidas, nos apoia do primeiro ao último minuto.»

in maisfutebol

2013/2014 - 06J - Académica - Arouca: Árbitro: Cosme Machado

Árbitros dos jogos da sexta-jornada agendados para sábado:

Sp. Braga-Sporting, Paulo Batista (Portalegre)
Benfica-Belenenses, Jorge Tavares (Aveiro)
Rio Ave-Nacional, Rui Costa (Porto)
Olhanense-Estoril, Luís Ferreira (Braga)
Marítimo-P. Ferreira, Hugo Pacheco (Porto)
Académica-Arouca, Cosme Machado (Braga)
V. Setúbal-Gil Vicente, Hugo Miguel (Lisboa)

26 de setembro de 2013

Aníbal Capela: «Temos mais a mostrar do que aquilo que já mostrámos»

Central da Académica traça objetivos no lançamento da partida com o Arouca

Capela: «Temos mais a mostrar do que aquilo que já mostrámos»

Aníbal Capela tem sido uma surpresa na Académica. O jovem central, proveniente do Sp. Braga, onde apenas jogou pela equipa B, e, posteriormente, no Moreirense, passou «à frente» de alguns jogadores mais antigos no clube, como João Real.

«Trabalho para poder jogar e estar ao serviço do treinador para lhe dar condições de escolher a equipa da melhor forma. É fruto do meu trabalho, mas não é muito relevante, o importante é a equipa estar concentrada no Arouca», afirmou o defesa, em vésperas de defrontar a equipa recém-promovida à Liga.

«No último jogo, por exemplo, fiquei satisfeito pela minha exibição, mas a derrota sobressai disso. Preferia ter feito um jogo menos bom e termos ganho. O importante é resultado coletivo», reforçou, humildemente.

«Esperamos um jogo difícil, apesar de ser em casa, com uma equipa que já ganhou duas vezes, e tem surpreendido. Vamos procurar os três pontos, mesmo sabendo da qualidade deles, vamos claramente procurar ganhar», prometeu, recusando, ainda assim, favoritismos:

«Se o Arouca está na Liga é porque merece, tem qualidade e condições para isso. Não pode ser subestimado, atualmente até está acima de nós na classificação, temos de ter todo o respeito.»

A Académica tem-se revelado irregular nos resultados e ainda procura juntar uma vitória a uma boa prestação.

«Procuramos essa exibição consistente e estamos cada vez mais perto, também não tem sido mau. É uma questão de tempo. É um grupo com muita gente nova, mas sente-se a evolução da equipa. Num futuro breve irá dar fruto.»

O mesmo se aplica ao facto da Briosa ter sempre sofrido golos. «Faz parte do crescimento da equipa, vamos melhorar seguramente. Temos mais a mostrar do que aquilo que já mostrámos», assegurou, sem conceder grande vantagem a Pedro Emanuel por ter treinado os estudantes nas últimas duas épocas.

in maisfutebol


in AACO-OAF

25 de setembro de 2013

Académica: hora e meia de palestra antes do treino de campo

Sérgio Conceição dissecou erros do jogo na Choupana

O regresso aos trabalhos (de campo) da Académica, com vista ao jogo com o Arouca, deveria ter acontecido às 16 horas, mas os jogadores só foram para o relvado cerca de uma hora e quarenta minutos depois.

Antes, o plantel analisou com Sérgio Conceição o jogo de domingo, na Choupana, que se saldou por uma derrota (1-0, e recolocou os estudantes perto dos lugares da descida.

Do mal, o menos, o jogo não proporcionou mais casos clínicos e apenas Magique não trabalhou com os companheiros, devido a um sindroma viral, enquanto Halliche se exercitou com uma máscara no rosto.

O treino era para ser fechado depois dos 15 minutos iniciais, mas o técnico resolveu abrir a sessão por completo.

in maisfutebol

2013/2014 - 06J - Académica - Arouca: Horário: Sáb, 28SET, 16.00h

Jornada

JORNADA 6
PORTO27/SET
20H00
SPORTTV
V. GUIMARÃES
ACADÉMICA28/SET
16H00
AROUCA
RIO AVE28/SET
16H00
NACIONAL
MARÍTIMO28/SET
16H15
SPORTTV
P. FERREIRA
OLHANENSE28/SET
18H15
SPORTTV
ESTORIL
BENFICA28/SET
18H30
BENFICA TV
BELENENSES
BRAGA28/SET
20H15
SPORTTV
SPORTING
V. SETÚBAL30/SET
20H15
SPORTTV
GIL VICENTE

23 de setembro de 2013

2013/2014 - 05J - Nacional 1 - Académica 0



A Académica perdeu este domingo na Choupana por 1-0, frente ao Nacional, num encontro que contou para a quinta jornada da Liga ZON Sagres. Os "estudantes" sofreram o golo à passagem da meia hora e não conseguiram concretizar as oportunidades de que dispuseram, sobretudo no segundo tempo, com Gottardi a evidenciar-se em grande plano.

Sérgio Conceição apenas fez uma alteração na equipa relativamente ao duelo frente ao Belenenses (saiu Manoel e entrou Marinho) e a Briosa até entrou
bem na partida, mostrando boa solidez defensiva perante o início mais acutilante da equipa da casa. A melhor oportunidade do jogo até pertenceu a Ivanildo, que obrigou Gottardi a uma excelente defesa na cobrança de um livre directo, mas seria o Nacional a inaugurar o marcador.

Zainadine esteve bem na direita e assistiu Mario Rondon que, à segunda, fez o 1-0 com que o resultado iria para intervalo. Na etapa complementar, a Briosa entrou mais afoita e com as alterações produzidas por Sérgio Conceição (entraram Buval, Makelele e Diogo Valente) os "estudantes" pareciam estar na iminência de, pelo menos, conseguir o empate.

E a verdade é que a bola até entrou na baliza insular mas o árbitro do encontro, Vasco Santos, anulou o lance por suposto fora de jogo de Buval, uma jogada que deixa muitas dúvidas... O jogo chegava ao fim com a derrota da Académica, que na próxima jornada recebe o Arouca.

nº espectadores: 1.794

Crónica

Um golo de Mário Rondon, ainda na primeira parte, valeu ao Nacional da Madeira a primeira vitória caseira da temporada. No regresso do público à Choupana os insulares foram melhores durante grande parte do tempo, mas também contaram com uma grande exibição de Gottardi cuja exibição valeu o primeiro jogo sem golos sofridos.

Manuel Machado apostou em duas novas fichas para a receção à Académica e viu, seguramente, o melhor Nacional da época a jogar na Choupana. Zainadine Júnior a fechar o lado direito da defesa é outra loiça e João Aurélio acrescentou a dinâmica e rotação ao meio campo que faltara diante do Arouca.

Foi, inclusivamente, num lance de categoria do internacional moçambicano, que deixou dois estudantes pregados ao relvado, que o Nacional chegou à vantagem confirmada por Mário Rondon (32 min). Uma estreia de sonho para Zainadine que se tornou numa espécie de abre-lata improvável.

A boa prestação dos madeireses coincidiu com o regresso do público à Choupana que nem teve que esperar muito para perceber as intenções da equipa. Logo na saída de jogo, num lance de laboratório, Candeias ganhou a linha de fundo e cruzou para o coração da área, onde esta Mário Rondon, valendo aos academistas um corte providencial de Aníbal Capela a tirar o pão da boca ao venezuelano.

Os primeiros minutos foram difícies para os estudantes que passaram muito tempo em casa, leia-se no meio campo defensivo, com muitas dificuldades para esticar o jogo. Sérgio Conceição entrou em campo, corrigiu posicionamentos e a voltou ao jogo.

A resposta saiu, ainda assim, de uma bola parada superiormente cobrada por Ivanildo que proporcionou a fotografia da tarde a Gottardi. Foi o melhor momento da briosa durante os primeiros 45 minutos, que se ficou apenas pelas intenções.

O afastamento das balizas não foi sintoma apenas da Académica. O Nacional, embora com maior ascendente, também só voltou a fazer os adeptos levantarem da bancada em mais uma ocasião: remate de Mateus para defesa atenta de Ricardo. Foram, de resto, as únicas vezes em que os guarda redes sujaram os equipamentos.

O inimigo chamado Ivanildo

A segunda parte começou a papel químico da primeira, com uma boa oportunidade para o Nacional. Marçal cruzou para o desvio de Mexer que não encontrou Mateus à boca da baliza para desviar (50 min).

Sérgio Conceição não gostava do que via, voltou a mexer e os estudantes melhoraram. Ao ponto de criarem duas situações de golo eminente no espaço de três minutos. Mais do que haviam feito nos primeiros 45 minutos. Ivanildo, sempre ele, de pé direito, a provocar nova estirada a Gottardi (62 min). Pouco depois o extremo da briosa encontrou Buval no coração da área, mas o francês não teve cabeça para o empate (65 min).

O Nacional sentiu o perigo e demorou algum tempo a reagir. Mas quando o fez esteve perto do segundo, numa jogada de Mário Rondon a oferecer o golo a Candeias, mas a cabeçada do extremo embateu no poste.

Com o aproximar do final do encontro, a briosa cresceu no jogo e Gottardi foi novamente obrigado a trancar a baliza depois de uma cabeçada de Buval (81 min). A partir daqui jogou-se mais com o coração do que com a cabeça e Rafa ainda aplicou uma trivela que levava o selo de golo, não fosse uma brilhante intervenção de Ricardo (88 min).

Em cima do apito a bola ainda entrou na baliza insular, mas o auxiliar de Vasco Santos assinalou fora de jogo a Buval. O Nacional venceu, mas sofreu a bom sofrer para conquistar a primeira vitória caseira da época.


Destaques

A Figura
Mário Rondon: A Choupana voltou a ter Rondon ao melhor nível. Marcou golo na sequência de uma arrancada de Zainadine Júnior, mas a sua exibição foi muito mais do que isso. Solto na frente, com liberdade de movimentos, foi um autêntico quebra-cabeças para a defensiva academista. Ainda ofereceu um golo cantado a Candeias, mas a cabeçada do extremo embateu no poste.

A desilusão:
Marinho: o capitão da briosa conhecido pelas correrias desenfreadas em direcção à baliza adversária saiu da Choupana com o conta-quilómetros a zero. Sacrificou-se (e muito) no processo defensivo, mas quando a equipa precisava de esticar o jogo não disse presente.

O momento:
Arrancada de Zainadine para o golo de Rondon (minuto 32): Estava difícil penetrar na estratégia montada por Sérgio Conceição, até que o moçambicano, em estreia absoluta, desbravou caminhou, deixou dois adversário para trás, e ofereceu o golo a Mário Rondon. É esta a resenha da primeira vitória caseira alvinegra da época.

Outros destaques:
Zainadine Júnior: Diz que é não é lateral direito de raiz e que joga, preferencialmente, na zona central da defesa. Se não é, engana bem. A arrancada a furar todo o flanco direito academista, deixando dois adversários pregados ao relvado, e o passe certeiro para o golo de Rondon provam que pode estar resolvido o problema da lateral direita dos madeirenses. Impecável a defender.

Ivanildo: tem um pé esquerdo fantástico e uma técnica ao alcance de muito poucos. Saíram dos seus pés todos os lances de perigo da Briosa e isso é suficiente para se destacar dos restantes colegas. Com mais intensidade e regularidade exibicional seria, seguramente, um caso sério.

Gottardi: três grandes defesas que davam posters fantásticos para o album de recordações do brasileiro. Negou, por duas vezes, o golo a Ivanildo e uma a Buval, trancando, a sete chaves, a baliza insular contribuindo para o primeiro jogo sem golos sofridos da formação de Manuel Machado.


Opiniões 

Sérgio Conceição, treinador da Académica, comentou, desta forma, a derrota frente ao Nacional da Madeira, referente à quinta jornada da Liga Portuguesa:

«Penso que não começámos muito bem, apesar de estarmos bem organizados em termos defensivos. Não conseguimos ter a agressividade ofensiva e a atitude que eu tinha pedido, principalmente na frente».

«O Nacional fez um golo, na segunda parte enviou uma bola ao poste e ficou por aí. O desfecho mais justo, até pela segunda parte que fizemos, que foi bem melhor que a primeira, era o empate».

«Depois podemos falar no golo invalidado e de algumas situações que me deixaram algumas dúvidas, como alguns foras de jogo que foram assinalados. Ainda assim, devíamos ter feito mais na primeira parte e sido mais constantes».

«Na semana passada as coisas correram bem: não fizemos uma boa primeira parte, mas demos a volta ao resultado. Esta semana pagámos um pouco o não entrar bem no jogo, quando tínhamos alertado para isso».

«Hoje era importante ter agressividade com bola e sem bola, ter atitude forte no jogo, até porque nota-se no ambiente em Coimbra que, quando se tem um resultado positivo, as pessoas têm tendência a relaxar e isso incomoda-me imenso. Vamos ter que mudar algumas coisas».

«Tínhamos pensado aproveitar a mobilidade do Abdi, mas as coisas não estavam a correr bem e tive que mudar. Tentei, com a entrada do Buval, do Diogo Valente e do Makelele, dar essa consistência e agressividade que queria e criámos situações para, no mínimo, empatarmos o jogo».

«Fui jogador profissional durante 20 anos e nós sentimos quando as coisas não correm bem para o árbitro. Nem é para o árbitro, mas para o fiscal de linha do lado da bancada com alguns tambores e alguma pressão é normal. Não me quero desculpar com isso. Estou convencido que se tivéssemos outra atitude na primeira parte podíamos ter ganho».

Manuel Machado, treinador do Nacional da Madeira, comentou, desta forma, a vitória frente à Académica de Coimbra, referente à quinta jornada da Liga Portuguesa:

«Desta vez, a capacidade finalizadora não nos penalizou. Tivemos momentos para matar o jogo e não ter de suportar a reação da Académica na ponta final. Aí passámos por alguns calafrios com algumas bolas lançadas para a área. O resultado assenta bem à minha equipa».

«Fizemos uma primeira parte muito boa, o que também se deveu à postura do adversário. Jogou no campo todo e possibilitou que o jogo fosse relativamente aberto e um bom espetáculo. Chegámos ao golo com alguma naturalidade e pudemos sair várias vezes em contra-ataque no reinício, quando a Académica nos deu mais espaço».

«Não definimos bem os lances e não tivemos sorte, numa vez ou outra, como no cabeceamento do Candeias ao poste ou no remate do Rafa. Não fizemos o 2-0 e estivemos na iminência de sofrer o empate».

[Alguns adeptos contestaram a substituição do Lucas...]

«Os adeptos são os adeptos e temos de ter todo o respeito pelas suas manifestações. Temos de jogar com tudo o que temos para preservar um resultado positivo. Os alas estavam bem encaixados e a solução era trocar de ponta-de-lança. Os adeptos estão perdoados porque são o sangue e o porquê dos clubes existirem. Mais a frio perceberão que aqueles 30 ou 40 segundos da substituição podem ter sido fundamentais para segurar os 3 pontos».

[Este foi o primeiro jogo da época sem sofrer golos...]

«Não vamos fazer grandes avaliações só por 90 minutos. O Zainanine esteve dois meses sem treinar. Agora já tem quatro semanas de treino e condição física mínima e conhecimento da dinâmica da equipa para poder integrá-la. Hoje, já deixou uma amostra do que é enquanto lateral direito: muita consistência defensiva, muita concentração e também, sem que tenha ido muitas vezes ao último terço, quando foi fê-lo com objetividade e teve a felicidade de fazer a assistência para o golo. Foi uma boa estreia. Já utilizámos o Campos e o Bruno Moura que são jovens e têm alguma falta de experiência. O Zainadine é mais experiente, até porque tem um passado na seleção».

Ao minuto 

90'Final da segunda parte do Nacional - Académica
90'Entra Djaniny do Nacional
90'Sai Lucas João do Nacional
90'Jogador da Académica recebe o amarelo por protestos
90'Cartão amarelo para Ivanildo
90'Golo anulado à académica por fora de jogo de Buval
90'4 minutos de compensação
88'Grande remate de Rafa, de trivela, para defesa de Ricardo
85'Guardião do Nacional admoestado por retardar o jogo
85'Cartão amarelo para Gottardi
83'Entra Rafa Sousa do Nacional
83'Sai João Aurélio do Nacional
81'Cabeçada de Buval para enorme defesa de Gottadi
74'Cruzamento de Mário Rondon para uma cabeçada de Candeias ao poste. Esteve à vista o segundo para o Nacional
70'Entra Diogo Valente do Académica
70'Sai Marcos Paulo do Académica
69'Entra Lucas João do Nacional
69'Sai Mateus do Nacional
62'Remate de pé direito de Ivanildo para boa defesa de Gottardi
61'Remate de Buval, desvia em Claudemir, canto para a Briosa
57'Livre cobrado por Claudemir, Ricardo sacode a soco
53'Entra Makelele do Académica
53'Sai Cleyton do Académica
50'INCRÍVEL! Cruzamento de Marçal, desvio de Mexer e Mateus a não conseguir confirmar o segundo para o Nacional
50'Livre lateral para o Nacional.
46'Na Académica aquecem Diogo Valente, Makelele e Ogu. No Nacional Rafa Sousa, Diogo Coelho e Lucas João
46'Recomeça o Nacional - Académica
45'Final da primeira parte com o Nacional em vantagem por 1-0. Valeu o golo de Mário Rondon depois de um grande grande trabalho de Zainadine
45'Intervalo no Nacional - Académica
45'Jogo interrompido para assistência a Miguel Rodrigues
45'Dois minutos de compensação
40'Boa defesa de Ricardo. Remate de Mateus, sobre a esquerda, com o guardião português a fechar a porta da baliza
35'Entra B. Buval do Académica
35'Sai L. Abdi do Académica
32'Arrancada de Zainadine, passou por dois adversários, cruzou rasteiro para Mário Rondon que tentou primeiro de calcanhar e depois confirmou com o pé direito
32'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de M. Rondón
29'Remate de João Aurélio, fraco e à figura de Ricardo
28'Remate de fora da área de Djavan segura Gottardi
26'Foi o lance de maior perigo até ao momento
26'ENORME DEFESA DE GOTTARDI. Livre directo cobrado por Ivanildo com o brasileiro a desviar para o travessão
25'Falta de Marçal e mais um livre perigoso para a Briosa na face lateral da área insular
21'Sérgio Conceição prepara mudanças na equipa
21'Juntam-se agora Ogu e Makelele no aquecimento
21'O avançado Buval já aquece na Briosa
20'Cruzamento largo de Marçal para Mário Rondon com o venezuelano a chegar ligeiramente atrasado.
16'Ivanildo remata em jeito mas por cima
16'Livre perigosíssimo favorável à Académica, à entrada da área, descaído para o lado direito como atacam os estudantes
11'Sacode o perigo a Académica
11'Canto cobrado rasteiro, Aly Ghazal falha o desvio de calcanhar e novo corte da defensiva visitante. Mais um canto para os da casa
11'Cruzamento de Claudemir sacode a defensiva estudante. Mais um canto para o Nacional
7'Depois de uma entrada fulgurante do Nacional, o jogo acalmou. A Académica tem duas linhas de quatro homens que estão a dificultar as trocas de bola do Nacional
1'O Nacional entra a todo o gás e ganha o segundo canto no primeiro minuto
1'Perigo!!! Saída de bola estudada pelo Nacional da Madeira, cruzamento de Candeias, valeu o corte de um defensor estudante
1'Começa o Nacional - Académica
0'Vai sair o Nacional
0'Estão cerca de 30 adeptos ruidosos da briosa no Estádio
0'Regressam as equipas ao relvado. Está quase a começar a partida
0'No futebol não há lugar a racismo, diz o speaker do estádio
0'O público já vai ocupando os lugares nas bancadas. Está uma casa normal para a Choupana
0'As equipas já recolheram aos balneários
0'De fora dos 19 convocados do Nacional ficou Jota, enquanto do lado da Briosa sairam Manoel e Marcelo
0'Árbitro: Vasco Santos (Porto) com Alexandre Freitas e Ludovico Franco
0'Suplentes: Peiser, Makelele, Buval, João Real, Diogo Valente, John Ogu e Fernando Alexandre
0'Académica: Ricardo, João Dias, Aníbal Capela, Reiner Ferreira e Djavan; Marcos Paulo, Bruno China e Cleyton, Abdi, Ivanildo e Marinho
0'Suplentes: Ricardo Batista, Rafa Sousa, Diego Barcelos, Lucas João, Djaniny, Diogo Coelho e Sequeira
0'Nacional: Gottardi, Zainadine Júnior, Miguel Rodrigues, Mexer e Marçal; Aly Ghazal, Claudemir e João Aurélio, Candeias, Mateus e Rondón
0'Já há equipas!!!
0'Já está no relvado a equipa de arbitragem chefiada por Vasco Santos para os exercícios de aquecimento
0'Tarde de frio e nevoeiro ao largo na Madeira
0'Na Choupana já aquecem os guarda-redes. Do lado do Nacional Gottardi e Ricardo Batista. Do lado da Briosa Ricardo e Peiser
0'Académica não conta com Fábio Santos, Halliche e Magique (lesionados)
0'O Nacional não pode contar com Dejan Skolnik e Edgar Abreu (lesionados)
0'Os madeirenses ainda não venceram em casa e estudantes procuram primeira vitória fora
0'Boa tarde, o Maisfutebol vai acompanhar o Nacional-Académica, jogo da quinta jornada da I Liga. Fique ligado. Vamos contar-lhe tudo Ao Minuto

im maisfutebol

22 de setembro de 2013

2013/2014 - 05J - Nacional - Académica: Antevisão

MOMENTO

Nacional: Nacional: Sem ninguém no Estádio, o trambolhão com o recém promovido Arouca ainda causou mais estrondo. Os madeirenses encaravam a dupla jornada caseira como uma oportunidade importante para marcarem posição na tabela classificativa depois da vitória importante alcançada no Restelo. Assim não foi;

Académica: As duas primeiras jornadas foram terríveis para a Académica. Duas derrotas, seis golos sofridos e nenhum marcado preocuparam o mais optimista dos adeptos. Daí para cá, Sérgio Conceição ressuscitou a equipa que foi à Amoreira impor um empate ao Estoril e venceu o Belenenses;

AUSÊNCIAS

Nacional: Dejan Skolnik e Edgar Abreu (lesionados);

Académica: Fábio Santos, Halliche e Magique (lesionados);

DISCURSO DIRETO

Manuel Machado: «Penso que o último jogo, naquilo que foram os aspetos fundamentais, foi o melhor que fizemos. Tivemos um bom desempenho, o Gottardi não fez nada e criámos uma mão cheia de oportunidades de golo. Valorizar estes aspetos é fundamental. Queremos manter estes princípios, melhorando a finalização».

Sérgio Conceição: A Académica de Coimbra não promoveu a conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Nacional da Madeira, prevista para a manhã deste sábado, alegando que «a imprensa não tem dado o tratamento correto à equipa».

HISTÓRICO DE CONFRONTOS

Só por uma vez os estudantes festejaram na Choupana e logo com um resultado expressivo: 0-3 na 27ª jornada da época 2007/2008 sob a orientação de Domingos Paciência. E ainda há gente no balneário que viveu esse feito: o guarda-redes Ricardo, o médio Nuno Piloto e o avançado Ivanildo podem contar aos colegas como foi ganhar no Estádio da Madeira.

Foi, de resto, a excepção que confirma a regra: em 11 partida para a Liga, o Nacional venceu oito. A última vitória já teve Sérgio Conceição no banco dos estudantes e remonta à 30ª jornada da última época (2-1). Pelo meio registaram-se dois empates.

EQUIPAS PROVÁVEIS

NACIONAL:
Outros convocados: Ricardo Batista, Sequeira, Diogo Coelho, Jota, João Aurélio, Diego Barcelos, Mário Rondon e Lucas João

ACADÉMICA:
Outros convocados: Peiser, João Real, Marcelo, Makelele, John Ogu, Fernando Alexandre, Ivanildo, Abdi e Buval.

in maisfutebol

2013/2014 - 05J - Nacional - Académica: Convocados: Estreia de Fernando Alexandre


Sérgio Conceição chamou 20 jogadores para o jogo deste domingo com a Académica. O reforço Fernando Alexandre é a principal novidade da lista, ficando de fora Rafael Oliveira.

Guarda-redes: Peiser e Ricardo

Defesas: João Dias, Aníbal Capela, Djavan, João Real, Ferreira, Marcelo

Médios: Makelele, Bruno China, Cleyton, Marcos Paulo, John Ogu, Fernando Alexandre

Avançados: Marinho, Buval, Ivanildo, Manoel, Abdi, Diogo Valente

in maisfutebol

«Entendemos que a Académica não tem sido bem tratada pela Imprensa» - Luís Godinho

Situação altamente anormal nas rotinas habituais da Académica. Quando os jornalistas aguardavam pacientemente por Sérgio Conceição na sala de Imprensa da Academia, onde o técnico iria fazer a tradicional antevisão do jogo deste fim-de-semana, no caso, diante do Nacional, quem acabou por comparecer foi Luís Godinho, vice-presidente para o futebol.

O dirigente, de forma muito educada, explicou as razões da sua presença em detrimento de Sérgio Conceição:

- Entendemos que a Académica não tem sido bem tratada pela Imprensa nos últimos tempos, nomeadamente no que às opções técnicas do Sérgio Conceição diz respeito. Estar aqui hoje, a falar aos jornalistas, foi uma medida minha, vice-presidente para o futebol, e que foi aceite pelo nosso treinador.

Quando convidado a pronunciar-se sobre o encontro deste domingo frente ao Nacional, Luís Godinho deixou uma declaração curta mas esclarecedora. «Estamos sempre confiantes para os jogos, tanto para o de amanhã como para os seguintes», afirmou.

in abola

20 de setembro de 2013

Sérgio Conceição já conta com Manoel e Buval

Manoel e Buval deverão entrar nas opções de Sérgio Conceição para o encontro deste domingo (16 horas), frente ao Nacional, que vai realizar-se no Estádio da Madeira e que é referente à 5.ª jornada da Liga.

Os dois avançados – que ontem tinham trabalhado de forma condicionada - integraram o treino desta sexta-feira sem quaisquer limitações pelo que, ao que tudo indica, poderão dar o seu contributo à equipa diante do conjunto insular.

Ao invés, Magique voltou a não subir ao relvado da Academia, mantendo-se entregue ao departamento médico do clube.

A novidade da sessão matinal prendeu-se com a presença de Francisco Maria, guarda-redes da equipa de sub-23 da Briosa.

Este sábado, pelas 10 horas, e de novo na Academia, os estudantes realizam a derradeira sessão de trabalho antes da viagem para a Madeira, sendo que no final Sérgio Conceição projetará o embate com o Nacional em conferência de Imprensa.

in abola

2013/2014 - 05J - Nacional - Académica: Arbitro: Vasco Santos

Árbitros da 5ª jornada:

Sexta-feira
Arouca-Sp. Braga, Marco Ferreira (Madeira)

Sábado
Gil Vicente-Olhanense, Jorge Sousa (Porto)
Belenenses-Marítimo, Pedro Proença (Lisboa)
Sporting-Rio Ave, Carlos Xistra (Castelo Branco)

Domingo
Nacional-Académica, Vasco Santos
V. Guimarães-Benfica, Bruno Esteves
Estoril-FC Porto, Rui Silva

Segunda-feira
P. Ferreira-V. Setúbal, Jorge Ferreira

in maisfutebol

Académica entregou receita do jogo aos Bombeiros

O prometido é devido. O Presidente da Académica, José Eduardo Simões, acompanhado pelos jogadores João Dias, Marcelo e Buval, entregou esta quinta-feira o valor da receita do jogo entre a Briosa e o Belenenses aos Bombeiros Voluntários de Coimbra e Bombeiros Voluntários de Brasfemes.

Cada corporação recebeu 3412€, metade da receita total do jogo frente aos azuis do Restelo, que chamou ao Estádio 7085 espectadores.

A comitiva da Briosa foi recebida pelos respectivas comandantes (Acácio Monteiro, em Brasfemes, e Fernando Nobre, em Coimbra) e por vários membros ligados à Direcção de ambas as corporações. Aos jornalistas presentes, José Eduardo Simões agradeceu a todos os que contribuíram para o sucesso desta campanha.



"Cumprimos o desejo de todas as pessoas que foram ao Estádio. Estou satisfeito com a adesão à campanha mas estou sobretudo agradecido a todas as pessoas que contribuíram. Não se pode pedir mais nem menos, as pessoas têm de ser solidárias na medida do possível porque os tempos não são fáceis. Outros clubes? Fizemos sem saber se outros o faziam. Tomámos esta iniciativa com honra porque era o que queríamos fazer.", disse.



O Presidente da Briosa não se coibiu de comentar a actualidade desportiva dos "estudantes" e pediu à equipa que mantenha o mesmo espírito evidenciado nas últimas partidas.

"Os pontos trazem o que é mais importante no futebol: confiança, tranquilidade… Ganhar, para nós, é sempre um estímulo. Nos últimos dois jogos mostrámos um espírito guerreiro, de sacrifício e espero que façamos o mesmo em todos os jogos. Não podemos deixar que o conformismo se instale, temos sempre de procurar mais e mais. Temos de mostrar sempre o nosso espírito guerreiro, o nosso espírito forte. Nunca desistir, ser sempre capaz de ultrapassar as dificuldades, nunca vamos dizer não e nunca vamos baixar a cabeça.", terminou.

in AAC-OAF