31 de janeiro de 2014

Sporting vs Académica: Antevisão de Ivanildo



in AAC-OAF

Ivanildo desfaz-se em elogios em vésperas de defrontar o Sporting, mas avisa que também a Briosa está a atravessar uma fase muito positiva, com três vitórias consecutivas. «Estamos numa fase boa, com vitórias e a praticar um bom futebol. Acreditamos que podemos vencer. Última vez que tive quatro vitórias seguidas? Penso que foi no Porto», afirmou o esquerdino esta sexta-feira, no lançamento da partida.

«O Sporting está a fazer excelente campeonato, é uma equipa bem organizada, com excelentes jogadores, ao contrário do ano passado, está a assumir-se como grande equipa que é, e isso é bom para o futebol português», defendeu ainda, confessando-se, até, um fã da forma como joga o conjunto de Leonardo Jardim:

«É uma equipa que aprecio, que gosto de ver jogar, sabe o que faz, está muito forte, e vamos ter muitas dificuldades. Mas acreditamos no nosso trabalho e vamos tentar um fazer um bom resultado.»

Com cuidado para medir bem as palavras, talvez ainda recordado do encontro da primeira volta, em que os leões vieram a Coimbra vencer com facilidade (0-4), Ivanildo admite que trazer um ponto de Alvalade já deixará os jogadores com sensação de dever cumprido:

«Um bom resultado é sempre ganhar, mas, como eles são favoritos, também pontuar é importante. Temos de fazer o que temos vindo a fazer, sabendo que vai ser muito complicado, é um grande, atravessa um excelente momento e é uma equipa muito bem orientada, vamos tentar anular esse favoritismo e por em prática o que temos vindo a trabalhar.»

A melhoria na classificação, avisa, não irá fazer a equipa olhar de forma mais relaxada para o jogo? «Descontraídos em Alvalade? Nunca, vamos motivados, empenhados, e com vontade de trazer uma vitória que é muito importante para nossa caminhada», garantiu.

Polémica da Taça da Liga fica de lado

Numa semana em que se tem falado sobretudo da polémica na Taça da Liga, entre o FC Porto e o Sporting, o extremo dos estudantes espera que esse ruído não venha a ter repercussões no jogo do próximo domingo.

«São coisas que me ultrapassam, estou aqui para falar do jogo, mas espero que não tenha interferência. Espero que seja um bom espetáculo, que o publico saia beneficiado, e ninguém tenha queixas», desejou.

Por fim, o jogador foi confrontado com as reticências expressas recentemente por Sérgio Conceição quanto à continuidade em Coimbra no final da época. «Não sei, isso é coisa que diz respeito a ele, e temos de respeitar a decisão. Já trabalhei antes com o mister, é uma pessoa que aprecio imenso, pelo caráter, maneira de ser e de trabalhar. Se tem ambição para algo mais vai, conseguir de certeza», finalizou.

Do penúltimo treino antes do embate de Alvalade, destaque para a presença do mais recente reforço da Briosa, avançado em primeira-mão pelo Maisfutebol. Elton Monteiro não treinou ainda com os restantes companheiros, mas já esteve no estádio e conheceu os novos companheiros e equipa técnica.

in maisfutebol

Elton Monteiro é reforço

Jovem central Elton Monteiro emprestado por ano e meio

O central Elton Monteiro é o mais recente reforço da Académica, apurou o Maisfutebol. O internacional jovem português, nascido em Sion, na Suíça, vai ser emprestado por época e meia pelo Club Brugge, onde chegou no ano passado.

O jogador estava a ser cobiçado pelo Sporting, mas optou pela Briosa, por ter oportunidade de jogar pela equipa principal, enquanto em Alvalade iria, essencialmente, ficar ao serviço da equipa B leonina.

Elton, que é primo de Gelson Fernandes, antigo jogador do Sporting, passou seis épocas no Arsenal, onde foi formado, e chegou a ser chamado por Arsène Wenger
in maisfutebol 

Estudantes vencem concorrência do Sporting por Elton Monteiro

Elton Monteiro é reforço da Académica até 2015, apurou A BOLA. O defesa-central, de 19 anos - celebra o 20.º aniversário no dia 22 de fevereiro - chega a Coimbra por empréstimo do Clube Brugge (Bélgica), num acordo válido por uma temporada e meia. Os estudantes vão pagar uma parte do salário do atleta, cujos valores estão enquadrados com a realidade do clube, e ficarão ainda com o direito de opção de compra durante o período do empréstimo.

Depois das contratações de Salvador Agra, Moussa e Rafael Lopes, a Briosa garante agora o quarto reforço no mercado de transferências, colmatando uma lacuna no centro da defesa que se encontrava deficitária após a saída de Reiner. Elton Monteiro, que tem nacionalidade portuguesa e suíça, promete ser uma boa dor de cabeça para Sérgio Conceição no que ao eixo defensivo diz respeito. Formado nas escolas dos suíços do Sion e dos ingleses do Arsenal - de onde se transferiu para o Club Brugge no início desta época -, Elton Monteiro tem ainda a curiosidade de ser primo de Gelson Fernandes, médio que teve uma passagem fugaz no Sporting.

A Académica que conseguiu antecipar-se aos leões que também tinha o jovem referenciado. Refira-se que além dos leões, também Belenenses e OFI Creta (de Ricardo Sá Pinto), estavam na corrida por Elton Monteiro.
in abola

Elton Monteiro in zerozero

30 de janeiro de 2014

Bruno China rescinde e assina pelo Beleneses

A Académica vem por este meio informar os seus sócios, adeptos e demais interessados que chegou a acordo com o jogador Bruno China para a rescisão do contrato que ligava as duas partes.

O jogador chegou a Coimbra proveniente do Rio Ave no início da temporada passada, terminando agora o vínculo contratual com os "estudantes".


A Briosa agradece a Bruno China o empenho e dedicação com que sempre defendeu a camisola da Académica e deseja ao jogador sucesso para o seu futuro, tanto a nível profissional como pessoal.

in  AAC-OAF

Bruno China já é reforço


O Belenenses anunciou, esta quinta-feira, a contratação do médio Bruno China, que rescindiu contrato com a Académica.

O anúncio foi feito pela SAD dos azuis, através da página oficial na rede social Facebook.

O médio rescindiu contrato com a Briosa ao final da manhã desta quinta-feira, tendo de imediato seguido para Lisboa, onde efetuou exames médicos e assinou contrato válido até final da temporada.

No comunicado, o Belenenses agradece à «Académica de Coimbra, sobretudo ao seu presidente, senhor engenheiro José Eduardo Simões, ter tornado possível esta transferência».

Bruno China contratado até final da época (foto ASF)

«Estou muito contente por estar no Belenenses e por poder representar este clube histórico. Venho para ajudar e espero juntamente com os meus novos colegas atingir os nossos objetivos e que no final possamos estar todos satisfeitos», disse o jogador em declarações publicadas na página de Facebook da SAD do clube.

in a bola

Bruno China a caminho do Belenenses

O médio Bruno China vai rescindir com a Académica ainda esta manhã e vai prosseguir a carreira na Liga portuguesa e provavelmente o destino será o Belenenses.

Bruno China é um atleta experiente, com muitos minutos na Liga e encaixa no perfil de jogador que o Belenenses procurava para reforçar o plantel no mercado de inverno.

O médio na presente época não vinha a jogar com tanta regularidade no onze dos «estudantes».

in abola

Fernando Alexandre no radar do West Ham

O médio defensivo da Académica, Fernando Alexandre, é alvo dos londrinos, segundo apurou o DN. O interesse no jogador surgiu nas últimas semanas e mesmo que não se concretize nesta janela de mercado, poderá acontecer no final da época.

Fernando Alexandre no radar do West Ham

O West Ham contratou já o médio Nocerino esta última semana e caso não chegue a acordo com a Briosa para a transferência do jogador formado no Benfica, de 28 anos, deverá voltar a atacar o médio no final da presente temporada.

Fernando Alexandre chegou a Coimbra esta época, proveniente do Olhanense, mas assinou apenas um contrato válido por um ano, pelo que caso não saia agora da Briosa poderá fazê-lo em junho a custo zero.

in noticias ao minuto


Salvador Agra: clone de Sérgio Conceição é arma contra o Sporting

O extremo que faz lembrar o técnico quando jogava


Salvador Agra era um desejo antigo de Sérgio Conceição. Depois de o treinar no Olhanense, o jovem técnico ficou alerta, qui-lo no último defeso para a Académica, mas o Sp. Braga teve outro poder de sedução, e o reencontro só se concretizou há um par de semanas.

Um final feliz para uma relação especial, um problema resolvido no ataque da Briosa, depois da saída de Abdi para a Turquia. Mas o que tem de tão peculiar Salvador Agra para que o treinador tenha insistido tanto e esperado, com paciência de chinês, para o ter de novo sob as suas ordens?

Num recente conferência de Imprensa, o antigo internacional deixou algumas pistas. Sem querer individualizar, algo que raramente faz, deixou escapar que recém-recrutado pupilo interpretava bem o jogo como ele pretendia para um extremo.

Autoridade na matéria, fruto de vários anos ao mais alto nível naquele posto, Conceição sabe bem o que procurava e encontrou-o em Salvador Agra. Estaria e ver-se ao espelho? É pelo menos assim que o jovem avançado interpretou as palavras elogiosas do técnico. Pelos vistos, nem foi ocasião única.

«É bom. Aprendi muito nos seis meses em que estive com ele em Olhão. Já não é a primeira vez que ele diz que se vê a si próprio em mim, na maneira de jogar. Fico feliz por isso porque ele foi um grande jogador, passou por grandes clubes. É um sonho para qualquer jogador passar por onde ele passou», diz, orgulho, o reforço estudantil.


Ora se esta identificação entre mister e jogador já vem de trás, o que estará na sua origem? A estatura não é muito diferente, ainda assim Sérgio Conceição é mais alto pelo menos 10 centímetros.

Agra ri-se quando lhe falam da altura, e não vai por ai. Prefere destacar outras caraterísticas mais profícuas em campo, que, no seu entender, terão levado o técnico a ver nele um bom candidato ao seu legado.

«O que ele vê em mim? A garra, o querer, a ambição, o disputar cada lance como se fosse o último, e por estar sempre pronto a ajudar os meus colegas, que é o mais importante. É um orgulho enorme, toda a gente que viu o Sérgio, que sabe o jogador que era, é uma alegria enorme, não há explicação», enumera, orgulhoso da comparação.

Concorrência em Olhão? Nada disso…

Sérgio Conceição deixou de jogar há pouco tempo e, de quando em vez, ainda faz uma perninha nos treinos, se for preciso equilibrar as contas nalgum jogo ou num trabalho tático. Diz quem priva de perto com ele, que ainda mantém um nível bastante elevado.

«Integra-se quando falta alguém nas equipas e continua a jogar muito. É alguém muito simpático, boa pessoa, com grande caráter, e trabalha bem», dizia há dias o avançado Moussa, outro dos reforços de Inverno dos conimbricenses.


Por manter essa frescura e disponibilidade, era inevitável perguntar ao jovem extremo se a admiração que sentiu no Olhanense quando soube que ia passar a conviver diariamente com uma antiga estrela da seleção o levou a temer ter ali um rival pela disputa do flanco direito.

«Quando o vi chegar a Olhão, fiquei um pouco surpreso por ser o Sérgio o meu treinador. Concorrência em campo? Não, isso não. Fiquei contente porque ele meteu um ambiente extraordinário e aqui também, está-se a refletir, porque estamos muito fortes, e vamos dar muitas alegrias às pessoas», realça.

Sporting para limpar imagem do primeiro jogo

Os estudantes deslocam-se a Alvalade no melhor período da época. Somaram diante do Gil Vicente a terceira vitória consecutiva em jogos oficiais (contam apenas com triunfos em 2014) e olham para esta partida como uma oportunidade de limpar a imagem deixada no desafio da primeira volta.

No final desse jogo, Sérgio Conceição, ao seu estilo, não foi meigo com os jogadores, apontou erros individuais e coletivos, e lamentou sobretudo a forma macia como a equipa defendeu. Agora, tudo será diferente.

«Acreditamos seja com quem for, que podemos ganhar, já demonstramos isso, que temos qualidade para isso, agora é deixar tudo em campo, acreditar até ao fim, e penso que vamos ter muitas alegrais, e trabalhar sempre ao máximo», afiança Agra.

A confiança da equipa, agora em terrenos muito mais confortáveis, tornará também muito mais fácil o necessário apelo ao brio: «Sporting é o Sporting, mas também temos um símbolo a proteger, e dizer nós somos Académica, estamos aqui para encarar o jogo como eles vão encarar também.»

in maisfutebol 

29 de janeiro de 2014

Académica prepara Sporting sem Cleyton

A Académica retomou esta terça-feira os treinos com vista ao jogo com o Sporting, em Alvalade, no próximo domingo. Se Fernando Alexandre havia estado limitado na semana passada, voltou agora em pleno, mas o mesmo já não se poderá dizer em relação a Cleyton.

O brasileiro sofreu uma contratura na coxa direita e, para já, mantém-se afastado da preparação normal como os companheiros. A lesão, todavia, não deverá ser impeditiva de participar no encontro com os leões, tal como Rafael Lopes, cuja inscrição está agora devidamente regularizada.

Noutro âmbito, os estudantes continuam no mercado por um central, contratação que só deverá concretizar-se perto do final da semana. Kaká, antigo jogador da Briosa, que rescindiu com o Dep. Corunha, foi um dos nomes referenciados pelo clube.

in maisfutebol

Sporting vs Académica: Bilhetes à venda

Os bilhetes para o jogo Sporting vs Académica já se encontram à venda em Coimbra.

Os ingressos, destinados para o sector onde se vão situar os adeptos da Briosa, custam 12 euros e estão à venda nos locais habituais (Loja do Sócio, no Estádio, e Sede Mancha Negra, no Pavilhão Eng. Jorge Anjinho).

   
Para além disso, também a Casa da Académica em Lisboa encontra-se a vender ingressos para o desafio entre o Sporting e a Briosa.

O encontro entre Sporting e Académica disputa-se no domingo, dia 2 de Fevereiro, pelas 18:15, no Estádio José Alvalade. Não perca esta oportunidade e apoie os "estudantes" na deslocação ao reduto do Sporting!

Contamos consigo! Unidos Venceremos!

in AAC-OAF

Renovação de Sérgio Conceição pode esperar

A excelente temporada realizada pela Académica não tem passado despercebida ao mundo do futebol, e além da valorização dos jogadores, também o próprio treinador ganha cada vez mais protagonismo. 


No entanto, Sérgio Conceição está de pedra e cal no comando técnico dos estudantes. O antigo internacional português, sabe A BOLA, está mais motivado do que nunca para dar seguimento ao trabalho que tem feito e neste momento pensa, apenas e só, em continuar a somar registos positivos e, porventura, bater novos recordes ao serviço do seu clube do coração. 

Os encantos de Conceição também encontram paralelo na Direção do clube. O elenco liderado por José Eduardo Simões está extremamente agradado com os resultados alcançados sob a liderança do jovem técnico - a sintonia entre ambas as partes é muito forte -, pelo que a hora é de calma e tranquilidade absolutas. Uma eventual renovação de contrato será tratada a seu tempo. 

A manutenção da estabilidade é vista como essencial para que a equipa continue no caminho do sucesso e assim conseguir, o quanto antes, garantir a permanência na Liga, principal objetivo delineado para a presente temporada. 

À margem da campanha no Campeonato, os estudantes estão ainda envolvidos na Taça de Portugal, uma prova muito querida pelos adeptos da Briosa, que sonham com nova presença no Jamor para, quem sabe, repetirem o feito alcançado em 2012, quando venceram o troféu pela segunda vez na sua história depois de derrotarem o Sporting por 1-0, com um golo de Marinho. Para já, segue-se o Rio Ave, nos quartos-de-final…

in abola

28 de janeiro de 2014

Pré-inscrição na UEFA foi formalizada

A Briosa não hesitou e durante o mês de dezembro efetuou a pré-inscrição na UEFA. Terá de ser depois confirmada até março.

Esta é, de resto, uma prática já habitual na Académica nos últimos anos, há duas épocas foi mesmo contemplada com a qualificação europeia através da conquista da Taça de Portugal, após o triunfo por 1-0 sobre o Sporting, embora a 13ª posição na I Liga, em 2011/12, também desse direito, precisamente por diversas equipas não terem cumprido os requisitos.

O objetivo para a época em curso é a permanência no escalão primodivisionário - os atuais 21 pontos dão uma boa margem de segurança -, mas a presença nos quartos de final da Taça de Portugal fazem os academistas acreditar que o regresso ao Jamor é uma hipótese possível.

in ojogo

27 de janeiro de 2014

Salvador Agra: «Não fui dispensado do Sp. Braga, eu é que decidi sair»

Salvador Agra reencontrou Sérgio Conceição em Coimbra, com quem havia trabalho em Olhão, e foi justamente essa possibilidade que esteve, em grande parte, na origem de deixar o Sp. Braga para rumar mais a sul. A «confissão» aconteceu esta sexta-feira, à margem de uma sessão de autógrafos dos três reforços de Inverno da Briosa na nova loja do clube, num centro comercial da cidade.

«É um treinador que conheço, de quem gosto dos métodos de trabalhos, uma pessoa que me deu toda a confiança, e teve a minha palavra: se um dia eu saísse de Braga, que ninguém contava, ia ser para a Académica», explicou o jovem extremo.

«Foi devido também ao grande clube que é a Académica, pelo histórico que tem, além da palavra que dei ao Sérgio», completou o reforço dos estudantes, deixando elogios ao balneário: «Encontrei um grupo fantástico, que qualquer jogador gosta de ter. Estou feliz aqui, fui muito bem recebido, e vou sempre para os treinos com uma alegria enorme.»

Do Sp. Braga, recusa falar em dispensa, sublinhando que foi ele que tomou a decisão de sair. «Foi a minha opção, eu é que decidi que tinha de sair, tinha de jogar. Não guardo rancores de ninguém e agradeço-lhes todo o apoio. É um grande clube, mas decidi sair. Estou orgulho por vir para aqui e também estarão orgulhosos de mim lá, porque penso ter correspondido, sempre trabalhei forte e dei o melhor de mim.»

Rafael Lopes em Coimbra a pensar na Seleção

Outra das caras novas dos estudantes, tanto que ainda não se estreou com a camisola preta, é Rafael Lopes. «Tenho conhecido a cidade aos poucos, assim como o clube, tem sido espetacular em termos de treinos e em termos de adaptação. Vim para ajudar o clube com as minhas qualidades», assegurou o avançado, que deixou o Penafiel como quinto melhor marcador da II Liga:

«Espero que os meus golos tragam vitórias, senão, pelo menos, pontos. Não gosto de colocar metas por temporada, mas espero fazer o maior número para ajudar a equipa a alcançar os seus objetivos.»

Na Académica, o jovem avançado acredita que poderá relançar a carreira, depois de ter passado de forma discreta pelo V. Setúbal e Moreirense no primeiro escalão. «Foi por isso que vim para aqui, porque achava que era um clube que poderia dar-me todas as condições. Vou trabalhar para conseguir vencer», admitiu.

Com um passado nas seleções jovens, Rafael Lopes quer voltar ao contato com essa elite, agora ao serviço dos AA. «É esse o objetivo, é para isso que vou trabalhar. Quero afirmar-me na I Liga, o que não consegui nas épocas anteriores. Agora, com mais experiência e maturidade, espero consegui-lo.»

Moussa quer marcar 10 golos

E finalmente, Moussa. O avançado do Senegal, emprestado até final da época pelo Metz, quer deixar uma marca na Académica, fazendo honra à tradição de outros jogadores daquele país africano que passaram pelo clube, como Sougou, Pape Sow, ou os irmãos N’Doye.

«O meu objetivo é fazer grandes coisas aqui, para deixar nome, e poderem dizer que o Moussa passou por aqui. Quero ser bem-sucedido como outros senegaleses que passaram por aqui», sintetizou, deixando um desejo:

«Quantos golos posso fazer? É difícil de responder, até porque já vamos a meio do campeonato, mas talvez 10. Não é muito, mas sim, 10 a 15, penso que é possível. Vou trabalhar para isso.»

Conhecedor da carreira de Sérgio Conceição como jogador, o ponta-de-lança recém-contratado pela Briosa diz que o técnico mantém ainda muitas qualidades. «Integra-se quando falta alguém nas equipas e continua a jogar muito. É alguém muito simpático, boa pessoa, com grande caráter, e trabalha bem», concluiu.

in maisfutebol

23 de janeiro de 2014

Vem conhecer os reforços de Inverno da Briosa!

Os jogadores da Académica, Rafael Lopes, Salvador Agra e Moussa vão estar esta sexta-feira, dia 24 de Janeiro, às 18:00, na Loja Oficial da Académica no Dolce Vita Coimbra para participarem numa sessão de autógrafos.

  
Esta é a oportunidade ideal para ficar a conhecer os novos reforços da Académica, num evento que pretende aproximar os sócios e adeptos dos "estudantes" aos jogadores que agora chegam a Coimbra, numa espécia de recepção de boas-vindas!

Ficamos à sua espera esta sexta-feira, na Loja da Briosa no Dolce Vita Coimbra para conseguir um autógrafo e uma fotografia com o Rafael Lopes, o Salvador Agra e o Moussa.

in AAC-OAF

22 de janeiro de 2014

Académica: operação Sporting arranca com goleada aos juniores

Equipa de Sérgio Conceição bateu os mais novos por 6-1

A Académica deu início à preparação do jogo com o Sporting, da 17ª jornada da Liga, com uma goleada sobre a sua equipa de juniores, numa sessão à porta fechada.

Segundo informa o clube no site oficial, o resultado ficou em 6-1, com 3-1 ao intervalo, e golos apontados por Salvador Agra, Rafael Lopes, John Ogu, Marcos Paulo, Moussa e Manoel, enquanto Artur Taborda marcou para os mais novos.

Entre os marcadores, o destaque vai para o facto de os três reforços oficializados até agora terem todos feito um golo.

A Briosa regressa esta quinta-feira aos treinos, um da parte da manhã e outro de tarde, sendo que a sessão vespertina será realizada à porta aberta.

in maisfutebol

2013/2014 - 17J - Sporting - Académica: Horário: Dom, 2FEV, 18:15H

JORNADA 17
ESTORIL31/JAN
20H00
SPORTTV
AROUCA
MARÍTIMO01/FEV
17H15
SPORTTV
PORTO
V. SETÚBAL01/FEV
18H00
RIO AVE
GIL VICENTE01/FEV
19H15
SPORTTV
BENFICA
BELENENSES02/FEV
16H15
SPORTTV
BRAGA
SPORTING02/FEV
18H15
SPORTTV
ACADÉMICA
V. GUIMARÃES03/FEV
20H00
SPORTTV
NACIONAL
P. FERREIRA05/FEV
20H00
OLHANENSE

Djavan: da lavagem de carros aos dias felizes em Coimbra

A história de vida por detrás do lateral-esquerdo que dá nas vistas no plantel de Sérgio Conceição

Djavan é o jogador do momento na Académica. Marcou o primeiro golo no campeonato, foi escolhido para a equipa da jornada do Maisfutebol, e continua a cimentar o percurso iniciado esta época com exibições estonteantes. Veloz, impetuoso até, usa o corredor esquerdo da Briosa com permanente ligação à via verde e faz inveja ao mais acelerado dos extremos.

Quem o vê assim, livre, a correr como uma criança pelos campos, está longe de imaginar como foi a sua vida até chegar a Coimbra. Estar aqui, hoje, e a fazer o que faz, roça o milagre. Uma daquelas improbabilidades que, às vezes, escapam ao controlo do destino. Poucos sabem, por exemplo, que Djavan, de 26 anos, só é profissional há pouco mais de ano e meio. Já vão perceber por quê.

O Maisfutebol foi ouvir o relato do esquerdino e mergulhou com ele numa viagem ao passado, aos dias sombrios, assolados pela dúvida e desespero, quando tudo esteve para acabar ainda antes de começar.

Serrinha da Baía, a 173 kms de Salvador, capital do estado, testemunhou os primeiros anos de vida de Djavan, único rapaz (tem quatro irmãs) de uma família humilde. O futebol, jogado na rua, sempre lhe esteve nas veias, como em tantos outros miúdos. Cresceu com uma bola por perto, mas com a certeza de que, antes de mais, tinha de aprender a ganhar a vida com uma profissão.

«Trabalhava num posto de lavagem de carros. O meu pai trabalhou lá 12 anos e eu comecei a ir com ele. Além disso, também tinha um colega pedreiro, que ajudava sempre que podia», explica. Foi nesse mundo que se refugiou, cada vez com mais profundidade, à medida que o sonho de se tornar jogador profissional começava a tornar-se numa quimera.

Rejeitado até encontrar o caminho certo

No futebol, tinha uma experiência puramente amadora, jogando no campeonato intermunicipal. Recebia por cada jogo, às vezes por mês. O talento despertava e, quando fez 18 anos, tomou coragem e decidiu tentar a sorte no Rio de Janeiro.

«Havia um clube lá, chamado Tigre, até correu bem, e pensava que ia dar para ficar, mas era uma equipa controlada por empresários, que só mantinha jogadores com grandes agentes. E eu não tinha na altura. Fiquei dececionado e abri mão do meu projeto, até porque tive de ir trabalhar para ajudar a família.»

O trauma impregnou-se. «Fica-se com um estigma e receio de passar o tempo a ouvir a mesma justificação: és bom jogador, mas não tens um bom empresário, não podes ficar. Fiquei abatido e a pensar que aquilo iria continuar a perseguir-me. Por isso, cheguei muitas vezes a pensar em desistir, acabar com o futebol», confessa.

Seguiram-se outras tentativas em clubes da região e a desconfiança de Djavan acabou por ter razão de ser. «Estive no Fluminense, de Feira, no Sergipe, em Aracaju, mas num sistema de peneira, só de um dia. Mais de 2000 garotos para passar dois ou três, só 10 minutos para cada jogador, era preciso ter muita sorte para ser escolhido», revela.

Pai resgatou-o do fundo do poço

Quando ponderava deixar as ilusões definitivamente de lado, alguém resolveu ir busca-lo ao fundo do poço. O pai, «seu» Jerónimo. «Não foi profissional, mas sempre manteve uma boa condição física. Acordava-me às 6 horas da manhã para irmos correr porque achava que a velocidade e resistência são fundamentais num atleta. Acreditou sempre em mim e nunca me deixou desistir. O que sou hoje, devo-o a ele», confidencia, emocionado.

«Foi devido a esse lado duro, que percebi as dificuldades da minha família, e me determinei a fazer alguma coisa para mudar essa situação. Pedi muito a Deus que me ajudasse e, no ano seguinte, finalmente, consegui tornar-me profissional», revela, vendo finalmente chegado o prémio pelas qualidades reveladas no campeonato amador e na seleção intermunicipal. Tinha 24 anos.

«O Astro, de Feira de Santana, foi fazer uma pré-temporada na minha cidade e o treinador gostou de um jogo amigável que fiz contra eles. Pediu-me para voltar e foi ai que comecei a minha caminhada, com contrato de um ano. Garanti ao presidente que ia dar o máximo possível», revela, sem deixar, contudo, de mencionar outro revés:

«No meu primeiro clube e no segundo, o Feirense, tive ordenados em atraso, e pensei novamente em ir-me embora e voltar a trabalhar. Fiquei quatro meses sem receber, até que, na Copa do Nordeste, fui jogar contra o CRB, no Estádio Rei Pelé [Maceió]. Era o último jogo para mim. Até já tinha conversado com um colega e ele ia arranjar-me um emprego na empresa.»

Mas a sorte virou, novamente. «A partir desse jogo lancei-me em definitivo. O presidente João Feijó, do Corinthians Alagoano, soube da minha atuação e levou-me para o clube. Joguei o campeonato alagoano e fui distinguido como o melhor lateral-esquerdo da competição.»

Ainda esteve no CRB, onde fez apenas três jogos, porque o telefone tocou com uma chamada do outro lado do Atlântico, e o presidente do Corinthians, parceiro estratégico da Académica para os recrutamentos no Brasil, viu ali uma oportunidade de ouro para projetar o talento recém-encontrado.

O primeiro golo de Djavan… Jackson

O primeiro golo em Portugal, no último domingo, que permitiu arrancar a ferros (aos 93 minutos) uma vitória sobre o Gil Vicente, foi comunicado em primeira mão, obviamente, ao pai. «Ficou muito contente, é o meu principal fã», afiança, consciente de que não vai manter por cá a média que tinha no Brasil.

A facilidade de adaptação a Portugal não deixa de o surpreender, pese vários aspetos táticos, mormente defensivos, que teve de corrigir e nos quais ainda terá de trabalhar para se ajustar na perfeição a um estilo de jogo «mais posicional».

O estilo, deve-o ao «futebol alegre e sem medo» de Ronaldinho Gaúcho. A explicação é simples. Em rigor, tornou-se lateral-esquerdo para tapar o buraco num jogo em que não havia mais nenhum esquerdino para jogar ali.

«Era era meia-atacante [médio ofensivo], como o Ronaldinho, e estudava muito a sua forma de jogar, a ginga, os dribles, mas, um dia, contra o Campinense, eu era o único jogador de pé esquerdo e fui para a lateral. Fiz um grande jogo e fiquei na posição desde então», desvenda.

O nome não o deve ao famoso cantor brasileiro. Embora os pais até apreciassem as músicas, a escolha teve mais a ver com gostos pessoais do que com uma homenagem ao artista. Djavan, que costumava animar os pagodes lá na terra, compondo até músicas, é mais apreciador do estilo dançante de Michael Jackson.

«Já me chamam Djavan Jackson porque consigo imita-lo a dançar [risos]. Agora, eu sou cantor de chuveiro, só faço os passos. Era um dançarino incrível, ninguém consegue superá-lo», conta, divertido.

Adeus à bicicleta e a confusão com o pequeno-almoço

Djavan está a tratar de tirar a carta de condução, para deixar de depender das boleias dos colegas. Em Coimbra, seria difícil recorrer à bicicleta que usava para ir para os treinos quando vivia em Serrinha. Quando voltar ao Brasil, já poderá conduzir devidamente «regularizado»… e ao volante da primeira «bomba».

Em Portugal, ainda sem o ouvido treinado para o idioma europeu, os primeiros tempos foram férteis em mal entendidos. A maior parte deles resolvidos à força das gargalhadas.

«Falavam, no balneário, em tomarmos o pequeno-almoço juntos, eu imaginei que fosse um almoço curtinho, com pouca coisa na mesa. Acabou o treino, eram umas 11 horas, e eu fiquei à espera. Pessoal, não estou a ver nada na mesa para esse tal almoço pequeno, disse. Toda a gente ia embora e eu fiquei lá sentado, à espera. Até que me explicaram…»

Em jeito de compensação, costuma haver leitão para a equipa, por conta do treinador, a seguir a um treino, nas semanas de vitórias. «Uma delícia, no Brasil não temos o porco desta forma. O pessoal cai matando em cima. Se voltarmos as costas, desaparece tudo», despede-se, bem-disposto.

21 de janeiro de 2014

Djavan no onze ideal da 16ª Jornada

Só Benfica e FC Porto colocam dois jogadores cada no onze ideal da jornada 16 da Liga.

No total, nove clubes oferecem jogadores para a equipa desta jornada.

Guarda-redes
Oblak (Benfica), 4

Defesa direito
Danilo (FC Porto), 3

Defesa centrais
Pécks (Gil Vicente), 4
Nuno André Coelho (Sp. Braga), 4

Defesa esquerdo
Djavan Ferreira (Académica), 4

Médios centro
Crivellaro (V. Guimarães), 4
Luis Gustavo (Rio Ave), 4

Médio direito
Bebé (P. Ferreira), 4

Médio esquerdo
Silvestre Varela (FC Porto), 4

Avançados
Slimani (Sporting), 4
Rodrigo (Benfica), 4

in maisfutebol

20 de janeiro de 2014

2013/52014 - 16J - Académica 1 - Gil Vicente 0 - Resumo


video

in sapo videos

Rafael Oliveira já não é jogador da Briosa

A Académica vem por este meio informar os seus sócios, adeptos e demais interessados que chegou a acordo com jogador Rafael Oliveira para a rescisão do contrato que ligava as duas partes.

O jogador chegou a Coimbra proveniente do Paysandu no início da presente temporada, terminando agora o vínculo contratual com os "estudantes".


A Briosa agradece a Rafael Oliveira o empenho e dedicação com que sempre defendeu a camisola da Académica e deseja ao jogador sucesso para o seu futuro, tanto a nível profissional como pessoal.

in AAC-OAF

Salvador Agra: estreia-se pela Briosa

Contratado há pouco mais de uma semana, Salvador Agra, cumpriu frente ao Gil Vicente, os primeiros minutos com a camisola da Briosa.

Emprestado pelo Sp. Braga / Bétis até ao final da temporada, espera-se que seja muito útil à Briosa.

by BP

Djavan: primeiro golo pela Briosa

O lateral esquerdo da Briosa, marcou frente ao Gil Vicente o seu primeiro golo pela Briosa. Foi ainda eleito como um dos melhores em campo.

Emprestado pelo Corinthians Alagoano até ao final da presente temporada, o jogador é nesta altura o segundo mais actualizado por Sérgio Conceição, atrás do guarda redes Ricardo.

Actuou já por 14 vezes no campeonato e 5 nas Taças (Taça de Portugal e Taça da Liga) sempre como titular e sempre com bons desempenhos.

by BP

19 de janeiro de 2014

2013/2014 - 16J - Académica 1 - Gil Vicente 0: Djavan na compensação garante três pontos para a Briosa


A Académica venceu este domingo o Gil Vicente por 1-0 numa partida que contou para a 16ª jornada da Liga ZON Sagres. Os "estudantes" chegaram ao golo por intermédio de Djavan, aos 90 minutos, num encontro que possibilita à Briosa somar 21 pontos na tabela classificativa.

A equipa orientada por Sérgio Conceição desde cedo que andou em busca do golo e teve várias oportunidades para inaugurar o marcador, mas quase sempre sem a pontaria afinada. Makelele, já na segunda parte, teve nos pés aquela que foi, muito provavelmente, a melhor ocasião para a Académica mas o remate saiu torto e ao lado, quando estava já na cara de Adriano.

Mas, como diz o ditado, tantas vezes vai o cântaro à fonte que alguma vez há-de-partir. Foi isso que aconteceu aos 93 minutos quando Djavan respondeu da melhor maneira a um cruzamento de Ivanildo e a um desvio de Manoel para fazer o único golo do desafio e dar três preciosos e justos pontos aos "estudantes".

Com este triunfo, a Académica ocupa a nona posição da tabela classificativa, com 21 pontos, sendo que na próxima jornada desloca-se a Alvalade para defrontar o Sporting.

Árbitro: Duarte Gomes
nº espectadores: 2736


Crónica

A Académica aproveitou bem os dois jogos consecutivos em casa e, frente a equipas em crise, o P. Ferreira na semana passada, e o Gil Vicente este domingo, somou seis pontos, e voltou a dar um salto na classificação, agora para mais perto do primeiro terço da tabela.

Mais: os estudantes conseguiram somar três vitórias consecutivas pela primeira vez esta época, contando um o jogo para a Taça de Portugal. Quer isto dizer que, em 2014, a equipa de Sérgio Conceição só sabe ganhar

Os galos estão a cair a pique. Todos anos, mais coisa menos coisa, aparece uma equipa assim. Faz uma primeira volta surpreendente e o oposto na segunda metade do campeonato. Jorge Jesus, nos primórdios como treinador, teve essa experiência em Felgueiras…

A vitória foi, todavia, bastante sofrida, pois foi preciso esperar até ao minuto 93 para ver Djavan acertar, por fim, com as redes gilistas, castigando uma equipa que, até então, não fizeram mais nada senão defender.

A primeira parte do jogo foi para esquecer. Metidos lá atrás, os gilistas não arriscavam um milímetro e os estudantes, também pouco à vontade em ataque continuado, bem tentaram desmontar aquela armadura, mas sem sucesso.

A juntar a isso, Duarte Gomes abordou o jogo com um zelo despropositado, levando à interrupção permanente da partida e chegou ao fim dos 45 minutos com cinco cartões amarelos, a maior parte deles injustificados.

Lá dentro, os jogadores procuraram seguir as instruções dos treinadores, ambos apostados na contenção inicial para tentar alguma coisa mais na segunda parte. O resultado disto foi que apenas a Académica teve situações de relativo perigo e apenas uma, em rigor, digna desse nome.

Foi num remate de Cleyton, com Adriano a defender em dificuldade, mas sem direito a uma emenda acertada. Aliás, aquilo que mais faltava à Briosa era mesmo o acerto no ataque. Ganhou livres, um deles na meia-lua, cantos e cruzou a rodos, mas o pior foi enganar Pecks e seus pares. Simplesmente inexpugnáveis.

A segunda metade do jogo, efetivamente, um pouco mais movimentada, fruto da tentativa do Gil de subir alguns metros no terreno. Os galos revelaram algumas melhorias, uma pitada de atrevimento, mas ficaram-se por ai.

A Académica voltou a ter as despesas do jogo, estreou Salvador Agra, procurando assim refrescar as alas, e trouxe-se mais emotividade e expetativa para os momentos finais. Que se resumiram, no fundo, a uma Briosa a tentar como podia chegar ao golo perante um conjunto gilista a fazer o mesmo, mas a defender e a gerir os tempos de jogo.

Até que, mum livre, depois de tanto resistir, os galos não conseguiram neutralizar Djavan e, com o golo, finalmente houve música afinada. Por outras palavras, fez-se justiça, ainda que tardia...

Opiniões

Sérgio Conceição: «Passámos 90 minutos a tentar fazer golo»
«Passamos 90 minutos a tentar fazer golo, com uma forte dinâmica ofensiva, com prazer e alegria, face a um Gil sempre a defender, com toda a gente atrás da linha da bola, o que dificultou a nossa tarefa. Ainda assim, tivemos bons momentos no jogo, os jogadores interpretaram bem o que eu disse, estivemos sempre equilibrados. O golo aconteceu aos 90, podia ter sido aos 20 ou 30, ou nos dois penaltis que não foram assinaladas. Infelizmente contra nós os árbitros têm dificuldade em ver. Fizemos um jogo fantástico, que conseguiu empolgar o público. Na vida, acredito sempre muito naquilo que faço, não tive um trajeto fácil no futebol, como sabem, podia não ser tão bom tecnicamente como os outros, mas na ambição, no querer, era difícil de superar.»


«Para nós, os árbitros não veem as grandes penalidades» - Sérgio Conceição
O treinador da Académica considera que a postura defensiva do Gil Vicente dificultou a ação dos estudantes que, ainda assim, venceram por 1-0 graças a um golo de Djava no período de compensação.
«Passámos 90 minutos a tentar fazer golos. Tivemos uma dinâmica ofensiva muito forte e o Gil Vicente sempre a defender, com toda a gente atrás da linha da bola, o que dificultou a nossa tarefa. Mesmo com falta de espaço, fomos uma equipa forte, com momentos muito bons no jogo. Os jogadores interpretaram bem o que lhes foi pedido. Estivemos sempre equilibrados a atacar neste jogo, o que foi fundamental», disse Sérgio Conceição antes de falar sobre a arbitragem:
O golo aconteceu aos 90, mas podia ter acontecido aos 20 ou aos 30 ou nos dois penáltis que não foram assinalados a nosso favor. Infelizmente, os árbitros para nós não veem as grandes penalidades, mas temos de definir critérios. Já sofremos dois ou três penáltis com a bola na mão e que foram assinalados. Hoje, tivemos um na primeira parte e outro na segunda parte. Hoje fizemos um jogo fantástico, que conseguiu empolgar o público.» - in abola

João de Deus, treinador do Gil Vicente, no final da derrota em Coimbra, este domingo, diante da Académica:
«Foi um jogo difícil para nós. Perder no último minuto dos descontos é duro, mas o futebol é isto. Foi pena. A equipa demonstrou uma organização forte, conseguiu cerrar fileiras durante todo o jogo, foi pena este desfecho final. Se a Académica foi melhor? Teve mais bola e quando se tem mais bola, tem-se mais oportunidades para ganhar. Teve uma ou duas. Não foi por a Académica ter vencido. O amargo de boca é por termos perdido no último minuto do jogo. Hoje perdemos no último minuto, quem sabe se amanhã não ganhamos no último suspiro? Deixa-nos triste, mas temos de continuar a fazer o nosso trabalhar e tentar ser mais competentes, para que situações destas não voltem a acontecer no futuro.»

Djavan, jogador da Académica, no final da vitória em Coimbra, este domingo, diante do Gil Vicente:
«Fui o autor do golo, e é para isso que trabalho para isso. Tive a felicidade de ajudar a equipa a conquistar vitória. Realmente foi um jogo bastante difícil, mas sempre jogámos sempre determinados a ajudar a nossa equipa. Fizemos uma grande partida, o resultado é justo. Agora vamos descansar, e voltar a trabalhar com o pensamento num jogo bastante difícil, com o Sporting. O futebol aqui é diferente, tenho de defender mais, mas sempre que a oportunidade surgir, eu vou tentar marcar, como aconteceu hoje. Se no próximo jogo aparecer outra oportunidade, vou tentar fazer também. Fico feliz por ajudar a equipa a conquistar objetivos, o grupo todo está de parabéns. Espero que no final da época possamos sair de cabeça erguida.»

Destaques

A figura: Djavan
Autentica pedrada no charco do marasmo ao longo da partida, ganhou estatuto de figura ao soar do gongo com o golo que trouxe justiça ao resultado. Fica-lhe bem o prémio depois do jogo que estava a fazer, sempre a altas rotações, sempre com a baliza na mira, e com pilhas para dar e vender.

Outros destaques:

Ivanildo
Mexeu muitas vezes com a partida, em velocidade, algo que nem sempre se viu no terreno. É muito difícil de parar quando embala com a bola colada no pé esquerdo. Houvesse mais como ele e dificilmente a Académica teria sofrido tanto para ganhar.

Fernando Alexandre
A máquina do costume. Para quem estava em dúvida, jogou como se nada fosse. Encheu o campo, com uma disponibilidade e vigor físico impressionante. Se os centrais tiveram uma tarde descansada, em muito ficaram a dever ao trabalho do buliçoso médio ex-Olhanense.

Pecks
Faz lembrar Rolando nos seus primórdios no Belenenses, quando tinha ainda um ar franzino e o cabelo mais curto. Também a jogar fez lembrar o conterrâneo cabo-verdiano. Imperial, colecionou cortes decisivos e outras ações de qualidade, que evitaram males maiores para Adriano.

Adriano
Sem ter sido à prova em doses industriais, acabou por ser a principal razão da improdutividade dos avançados da Académica. Fez pelo menos três defesas importantes, revelando-se sempre atento e concentrado. Só não parou o golo de Djavan.

Ao minuto

90'A justiça chegou no fim, com o golo de Djavan, a castigar um Gil Vicente que só defendeu.
90'FIM DO Académica, (1) - Gil Vicente, (0)
90'Livre de Ivanildo, Manoel atira, Adriano defende para a frente, e Djavan confirma!!
90'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Djavan Ferreira
90'Mais quatro minutos extra...
89'Entra Paulinho do Gil Vicente
89'Sai S. Nwankwo do Gil Vicente
88'Cartão amarelo para Caetano
86'Salvador Agra bate um livre muito largo, e a bola sai pela linha de fundo...
83'Entra Manoel do Académica
83'Sai G. Magique do Académica
79'Entra Caetano do Gil Vicente
79'Sai Brito do Gil Vicente
78'Defende Adriano! Era um bonito de Diogo Valente!!
76'Míssil de Fernando Alexandre por cima!
73'Mal agora Djavan, a ganhar a bola, mas a chutar sem nexo de pé direito!
72'Entra Avto do Gil Vicente
71'Sai Diogo Viana do Gil Vicente
71'Entra Diogo Valente do Académica
70'Sai Marinho do Académica
70'Que perigo!!! A bola sobra para Makelelé, que atira de primeira, ao lado!!
69'Diogo Viana bate direto para os punhos de Ricardo!
67'Defende Adriano, era canto direto!
67'Corta Gabriel para canto! Era um cruzamento cheio de perigo de Marcelo!
64'Pede-se grande penalidade a favor da Académica, por falta sobre Marinho!
63'Que mal Magique! Tentou um chapéu mas muito por alto!
59'Entra Salvador Agra do Académica
58'Sai Cleyton do Académica
58'2736 espetadores
57'Marcelo e Brito chocam de cabeça, partida interrompida, numa altura em Salvador Agra se prepara para se estrear na Académica!
55'Grande cabeceamento de Magique a livre de Ivanildo, a bola ainda raspa na barra!!!
52'Cartão amarelo para Diogo Viana
51'Bem mais movimentada a segunda parte!
48'Grande corte de Pecks a impedir que Marinho pudesse marcar!!
48'Makelelé, com um bom gesto técnico, recebe a bola e remate, à entrada da área, para defesa fácil de Adriano.
47'O Gil começa mais afoito!
46'Recomeça o Académica - Gil Vicente
45'Jogo fraco em Coimbra, com a Académica a assumir as despesas, mas sem conseguir criar perigo perante um Gil muito fechado!
45'Intervalo no Académica - Gil Vicente
44'Cartão amarelo para Makelele
42'Cartão amarelo para Brito
39'Bate Cleyton, contra a barreira! Canto. Mas ficou-se a reclamar mão!!
38'Falta sobre Marinho na meia-lua!! Livre muito perigoso!!
37'Finalmente!! Remate de fora da área de Cleyton para defesa a dois tempos de Adriano!!
35'O Gil consegue finalmente sair da área e conquista um canto.,,
33'Cruzamento muito perigoso de Ivanildo, a rasar o poste mais distante, mas ninguém consegue o desvio!
32'A Académica tem 65% de posse de bola contra os 35 do Gil!
29'Mesmo assim, nota-se um ascendente da Académica,mas o Gil está muito lá atrás!
26'O jogo está mexido,mas sem oportunidades, quer para um lado, quer para o outro...
22'Fernando Alexandre, à falta de melhor, atira do meio da rua, por cima!
20'Marinho... ao lado!
18'Grande atrapalhação na área do Gil, mas a bola acaba por ser afastada!
11'Duarte Gomes está implacável, 11 minutos e já distribuiu três amarelos!
11'Cartão amarelo para Marcelo Goiano
10'Ivanildo num livre direto para as mãos de Adriano!
9'Cartão amarelo para Vítor Vinha
7'A Académica manda no jogo!
6'A Académica está a remeter o Gil para a sua área com uma sucessão de livres e cantos!
5'Cartão amarelo para Luís Silva
4'Primeiro canto da partida, com perigo para a Académica, mas a bola chega a Adriano.
2'Jogo dividido a meio-campo, para já...
1'Começa o Académica - Gil Vicente
0'E já agora, Pitbull também passou pela Briosa, e também está lesionado...
0'Vítor Vinha, jogador formado na Académica, volta hoje a enfrentar a antiga equipa. Há outro ex-estudante no plantel gilista, o maliano Keita, mas está lesionado.
0'Ainda não voltou a chover, mas o tempo continua frio, e isso também terá influência no escasso público...
0'No jogo da primeira volta, a equipa de João de Deus venceu também por dois golos sem resposta.
0'O Gil Vicente tem apenas uma vitória em Coimbra, contra as cinco dos anfitriões, mas aconteceu há pouco tempo, em 2012, quando os galos surpreenderam a Briosa vencendo por 0-2.
0'As equipas já se encontram em aquecimento. Pouco público, quando faltam 20 m para o início.
0'Já João de Deus, deixa de fora o júnior Inácio e Daniel, que eram, justamente, novidades nos convocados...
0'Na Briosa, destaque para a chamada de Salvador Agra, um dos reforços de Inverno, que vai ficar no banco. Moussa, outro reforço, que também havia sido convocado, foi para a bancada, tal como Bruno China.
0'SUPLENTES: Caleb, Halisson, Nelson Agra, João Vilela, Caetano, Avto e Paulinho.
0'GIL VICENTE: Adriano; Gabriel, Pek’s, Danielson e Vítor Vinha; Leandro Pimenta; Luís Silva e Vítor Gonçalves; Diogo Viana, Simi e Brito.
0'SUPLENTES: Peiser, Aníbal Capela, Marcos Paulo, Nuno Piloto, Salvador Agra, Diogo Valente e Manoel.
0'ACADÉMICA: Ricardo; Marcelo, Halliche, João Real e Djavan; Fernando Alexandre; Makelelé e Cleyton; Marinho, Magique e Ivanildo.
0'Já equipas oficiais!
0'O árbitro da partida é Duarte Gomes, de Lisboa, que será auxiliado por Venâncio Tomé, Nuno Vicente. O quarto árbitro será Hélder Malheiro.
0'O dia começou com sol em Coimbra, mas já evoluiu para nublado, e até cairam uns aguaceiros. Estão cerca de 12 graus e um vento que deixa a sensação de estar ainda mais frio!
0'João de Deus viu melhorias na equipa na Madeira, no empate com o Nacional, para a Taça da Liga. Falta perceber se serão consistentes.
0'Já os galos estão a cair a pique na classificação e, depois de terem sido considerados a sensação da primeira volta, somam 9 jogos oficiais sem ganhar. São a segunda equipa há mais tempo sem ganhar, depois do Belenenses.
0'Depois dos 4-2 ao Paços de Ferreira da semana passada, que lhes valeu mais de metade dos golos somados até então, os conimbricenses estão em alta.
0'O início foi irregular para os estudantes, mas, nas últimas semanas, a recuperação pontual salta à vista e, neste domingo, há perspetiva até de acontecer uma coisa inédita esta época: a Briosa pode somar a terceira vitória consecutiva, contando com um jogo para a Taça de Portugal.
0'Estudantes e galos estão empatados no oitavo lugar da tabela, ambos com 18 pontos, tal como o Rio Ave, pelo que este jogo será uma espécie de «tira-teimas».
0'Boa tarde. Sejam bem-vindos ao Académica-Gil Vicente, jogo da 16ª jornada da Liga, para acompanhar, ao minuto, no Maisfutebol. Fique ligado!

in: AAC-OAF, MAISFUTEBOL
fotos: tvi24

2013/2014 - 4F - Taça de Portugal: Horário: Rio Ave - Académica: Qui, 6 Fevereiro, 19h

Já se encontra agendado o jogo dos quartos de final da Taça de Portugal, que opõe a Académica ao Rio Ave.

A Briosa defronta os vilacondenses no dia 6 de Fevereiro, pelas 19:00, numa partida que está agendada para o Estádio dos Arcos!



Em caso de vitória, os "estudantes" seguem para as meias-finais da competição, onde terão como adversário o vencedor da eliminatória entre o SC Braga e o Desp. Aves.

in AAC-OAF

2013/2014 - 16J - Académica - Gil Vicente: Moussa e Salvador Agra em estreia

Chegaram, treinaram e... estão convocados. Moussa e Salvador Agra, dois dos três reforços da Briosa na presente reabertura de mercado, constam da lista de eleitos de Sérgio Conceição para a receção ao Gil Vicente e podem estrear-se oficialmente com a camisola da Briosa.

Ao invés, Rafael Lopes, a terceira cara nova do plantel academista, ainda não foi chamado, uma vez que só ontem começou a trabalhar em Coimbra.

Também Aníbal Capela e Bruno China merecem nota de destaque na convocatória. O defesa-central regressa à competição depois de ter cumprido um jogo de castigo frente ao P. Ferreira, ao passo que o médio reentra nas opções de Sérgio Conceição.

Em sentido contrário, e relativamente ao encontro frente aos pacenses, Paulo Grilo e John Ogu saem dos eleitos. Também por opção técnica, Fábio Santos e João Dias falham a partida com os gilistas.

Eis a lista dos 20 convocados:

Guarda-redes: Peiser e Ricardo

Defesas: Aníbal Capela, Halliche, Djavan, João Real e Marcelo Goiano

Médios: Makelele, Bruno China, Cleyton, Marcos Paulo, Nuno Piloto e Fernando Alexandre

Avançados: Marinho, Ivanildo, Manoel, Moussa, Diogo Valente, Salvador Agra e Magique

in abola

Académica vs Gil Vicente: Antevisão de Sérgio Conceição




O  treinador da Académica, Sérgio Conceição, fez este sábado a antevisão do duelo frente ao Gil Vicente, uma partida que conta para a 16ª jornada da Liga ZON Sagres.

Aqui fica o vídeo da conferência de imprensa do nosso treinador.






in AAC-OAF


«É o primeiro jogo da segunda volta e é importante passar a barreira dos 20 pontos» - Sérgio Conceição

A sorte do encontro de Barcelos, na primeira volta, foi madrasta para a Académica – os estudantes perderam por 0-2 numa partida onde foram reconhecidamente superiores e desperdiçaram inúmeras ocasiões de golo – mas Sérgio Conceição acredita que agora tudo pode ser diferente. Até porque, em caso de vitória amanhã, a Briosa ultrapassa a barreira dos 20 (chegará aos 21), o que lhe confere uma almofada confortável em relação aos lugares perigosos da tabela classificativa.

Para tal, defende o jovem técnico academista, é preciso respeitar os perigos que o Gil Vicente oferece e, acima de tudo, manter a identidade que tem sido a imagem de marca da Académica:

- Queremos, como sempre, vencer. É o primeiro jogo da segunda volta e é importante passar a barreira dos 20 pontos. Sabemos que o Gil Vicente já foi considerada a equipa sensação deste Campeonato e não desaprenderam. É uma equipa que defende bem, é organizada e sai bem para o contra-ataque porque tem jogadores fortes nas alas e consegue também meter muita gente na zona da finalização. Estamos bem identificados com o que o Gil Vicente pode fazer e para contrariar isso temos que ter concentração e equilíbrio. O nosso espírito é bom. Se aproveitarmos metade das oportunidades que tivemos em Barcelos, no jogo da primeira volta, já não será mau. Foi um jogo onde fomos muito superiores. Mas não há jogos iguais e neste momento tanto a Académica como o Gil Vicente são equipas diferentes. No fundo temos que fazer o mesmo que fizemos contra o P. Ferreira, na última jornada. Terceira vitória consecutiva? Claro que é sempre bom ganhar. E nós queremos sempre ganhar o próximo jogo, independentemente desses números. Queremos é vencer. Vamos pensar jogo a jogo, pois este ano talvez sejam precisos mais de 26 pontos para alcançar a permanência na Liga. Penso que 30 pontos será um número bom.

À margem da antevisão do jogo com os gilistas, Sérgio Conceição falou também dos três novos reforços do plantel que lidera. 

«São três jogadores que eu tinha referenciados. O Salvador Agra já o queria no início da época. Conhecemo-nos muito bem. O Moussa conheci-o na Bélgica e aprecio a sua qualidade. É um ponta-de-lança que também pode jogar nas alas, segura bem a bola e é forte de cabeça. O Rafael Lopes já o vinha a seguir. Este ano, no Penafiel, estava a fazer uma boa época e tem qualidade para integrar o nosso plantel, por isso é que o contratámos. À partida, em condições normais, faltará apenas um defesa-central. Ficámos apenas com três, depois da saída do Reiner, e estamos a ver qual é a melhor solução», concluiu.

in abola

Rafael Lopes: apresentação oficial




O avançado português Rafael Lopes, de 22 anos, é o novo reforço da Académica. O jogador, que representava o Penafiel, assinou um contrato válido com a Briosa para as próximas duas temporadas e meia e vai vestir camisola 16 dos "estudantes". 

Formado no Esposende e no Varzim, Rafael Lopes já actuou no Vit. Setúbal, Moreirense e Penafiel antes de ingressar na sua nova casa, a Briosa.

Esta época, Rafael Lopes já marcou por 15 vezes em competições oficiais (9 na II Liga, 5 na Taça de Portugal e 1 na Taça da Liga), assumindo-se como uma das grandes figuras do Penafiel e contribuindo de forma decisiva para a boa campanha que os durienses se encontram a realizar.

Aqui fica o vídeo com as primeiras declarações de Rafael Lopes como jogador da Académica:



in AAC-OAF

17 de janeiro de 2014

Makelelé de olho na terceira vitória seguida

Médio brasileiro no lançamento do jogo com o Gil Vicente

A Académica pode conseguir algo inédito esta época: somar a terceira vitória consecutiva. Para isso, precisa de derrotar o Gil Vicente, domingo em Coimbra, um adversário que deixou um certo amargo de boca nos estudantes na primeira volta, que desperdiçaram várias oportunidade para marcar e acabaram por perder. 

«Sabemos que podemos atingir esse objetivo, que é muito importante, vamos em busca disso, com muito trabalho e dedicação. Vamos tenter ganhar esse jogo de domingo. Sabemos que o Gil é uma equipa qualificada, como mostrou lá. Se vacilarmos eles fazem golo. Temos de ter muita atenção durante os 95 minutos», referiu, esta sexta-feira, Makelelé, no lançamento da partida.

Se ganharem, os estudantes darão mais um salto na tabela e chegarão aos 21 pontos. Será a oportunidade de começar a pensar em algo mais? «Primeiro queremos a manutenção, depois vamos ver o que sobra. Vamos passo a passo», reage, cauteloso, o médio da Briosa, que destaca ainda a «confiança» que os últimos bons resultados têm trazido.

O Gil Vicente é, todavia, uma equipa de má memória para o brasileiro, que se lesionou no encontro em Barcelos, atrasando a afirmação em pleno na equipa. «O começo não foi bom, lesionei-me lá, espero que neste domingo não aconteça. E espero também que consigamos concretizar os golos», desejou.

Depois da premonição de Dezembro, quando previu, uns dias antes, que poderia marcar frente ao Marítimo, numa sexta-feira 13, Makelelé não quis arriscar palpites desta vez: «O mais importante é vitória, independentemente de quem marcar. Se for eu, fico feliz. Não tem coisa melhor do que termos alegria no nosso trabalho.»

in maisfutebol

Moussa Gueye: Apresentação oficial





O avançado senegalês Moussa Gueye é o novo reforço da Académica. O jogador, que representava o Metz, de França, assinou contrato de empréstimo válido até final da presente temporada.

Moussa Gueye, de 24 anos (faz 25 no próximo mês), deu nas vistas na Bélgica, ao serviço do FC Brussels, do Mons e do Charleroi, tendo depois ingressado na equipa francesa do Metz, onde está desde a época passada.

  
O jogador, internacional na equipa de sub-23 do Senegal, reforça assim o sector atacante da formação orientada por Sérgio Conceição. Na Briosa, Moussa Gueye vai vestir a camisola 18.

Aqui fica o vídeo com a apresentação oficial do jogador:
in AAC-OAF

Salvador Agra: apresentação oficial




Salvador Agra é o novo reforço da Académica! O jogador, de 22 anos, reforça a Briosa através de um contrato de empréstimo válido até final da presente temporada, tornando-se o dono da camisola 77 dos "estudantes".

   
Formado no Varzim, Salvador Agra passou por clubes como o Olhanense (onde foi treinado por Sérgio Conceição), Bétis de Sevilha, Siena e SC Braga, iniciando agora uma nova etapa na sua carreira, desta feita ao serviço da Académica.

Consulte aqui as primeiras declarações de Salvador Agra como jogador da Briosa: 




Bem-vindo Salvador!

in AACO-AOF

Rafael Lopes é reforço por duas épocas e meia

Está encontrado o terceiro reforço da Académica na presente reabertura do mercado. Depois de Moussa e Salvador Agra, os estudantes garantiram o concurso de Rafael Lopes, ponta-de-lança de 22 anos que representava o Penafiel.

O internacional sub-20 português estava a realizar uma temporada fantástica ao serviço dos durienses - apontou 14 golos (nove na Liga 2, quatro na Taça de Portugal e um na Taça da Liga) -, o que chamou a atenção dos dirigentes da Briosa.
Rafael Lopes chega hoje mesmo a Coimbra para realizar exames médicos e rubricar o vínculo que o ligará aos capas negras até 2016, podendo depois começar a trabalhar às ordens de Sérgio Conceição.

Em declarações exclusivas a A BOLA, o jovem avançado não escondeu a felicidade por tamanho salto na carreira:

«Agradeço ao Penafiel por ter apostado em mim mas não podia recusar a Académica. É um clube histórico em Portugal e, a partir de agora, quero escrever a minha própria história na Briosa. O que posso prometer? Trabalhar no limite para ajudar a equipa. Se puder ser com golos, tanto melhor.»

Com a contratação de Rafael Lopes o setor ofensivo fica fechado, sendo que o clube está agora no mercado em busca de um defesa-central.


Rafael Lopes já se treina em Coimbra

Tal como A BOLA noticiou na sua edição impressa desta sexta-feira, Rafael Lopes é o novo reforço da Académica. O jovem ponta-de-lança já se treinou, de resto, esta manhã com os seus novos companheiros e deverá ser apresentado de forma oficialmente ainda hoje.

Quem não esteve às ordens de Sérgio Conceição na sessão de trabalho que decorreu no Estádio Cidade de Coimbra foi Fernando Alexandre. O médio está entregue ao departamento médico e só amanhã ficará a saber-se se é ou não opção para o encontro frente ao Gil Vicente, agendado para as 16 horas do próximo domingo.

Moussa e Salvador Agra – as duas primeiras contratações da Briosa na presente reabertura do mercado de transferências - estão à disposição do técnico academista e podem, caso Sérgio Conceição assim o entenda, dar o seu contributo à equipa na receção aos gilistas.

Este sábado, pelas 10 horas, na Academia do clube, o plantel academista realiza o derradeiro treino da semana, sendo que no final Sérgio Conceição estará na sala de Imprensa para falar aos jornalistas.

in abola

16 de janeiro de 2014

Colombiano Vergara na mira de Conceição

O defesa-central Jherson Vergara está nos planos da Académica para a segunda metade da época, apurou Record. O colombiano, de 19 anos, que também pode atuar como lateral-direito, já foi abordado para rumar à Liga portuguesa, e também o Olhanense tem o sul-americano na mira. Vergara foi formado no CDU Popayán, de onde foi transferido para o os italianos do Milan no início da presente época, mas ao serviço dos rossoneros não contabilizou um único minuto. Os italianos veem em Vergara um jogador para o futuro e, por isso, querem pô-lo a rodar até ao final da temporada numa liga minimamente competitiva, como é o caso da portuguesa. A Académica informou-se sobre as possibilidades de contar com o colombiano por empréstimo e está na corrida para a sua contratação.

in record

15 de janeiro de 2014

Rafael Oliveira de saída da Académica

Avançado já não treinou esta quarta-feira

O avançado Rafael Oliveira vai deixar a Académica e já nem treinou com os companheiros esta quarta-feira. Proveniente do Corinthians Alagoano, por empréstimo, o jogador não conseguiu impor-se e aproveita a janela de Janeiro para regressar ao Brasil.

Depois das saídas de Reiner Ferreira e Abdi, este é o terceiro jogador a deixar o plantel em Janeiro. Também Ogu aguarda por uma colocação, depois de ter pedido para ser transferido para poder jogar com mais mais frequência e ser opção para a Nigéria no Mundial do Brasil.

No treino desta quarta-feira, destaque ainda para Moussa, que trabalhou pela primeira vez com os novos colegas.

in maisfutebol

Moussa Gueye assina pela Académica

O avançado senegalês Moussa Gueye é o novo reforço da Académica. O jogador, que representava o Metz, de França, assinou contrato de empréstimo válido até final da presente temporada.

Moussa Gueye, de 24 anos (faz 25 no próximo mês), deu nas vistas na Bélgica, ao serviço do FC Brussels, do Mons e do Charleroi, tendo depois ingressado na equipa francesa do Metz, onde está desde a época passada.

  


O jogador, internacional na equipa de sub-23 do Senegal, reforça assim o sector atacante da formação orientada por Sérgio Conceição. Na Briosa, Moussa Gueye vai vestir a camisola 18.

Aqui fica o vídeo com a apresentação oficial do jogador:


in AAC-OAF

14 de janeiro de 2014

Abdi no Rizespor

Liban Abdi Ali passou exames de saúde


in site Rizerpor


Abdi oficializado no Rizespor

Após ter anunciado a rescisão de contrato com Reiner Ferreira – que vai rumar ao Samsung, da Coreia do Sul -, a Briosa oficializou também esta tarde a saída de Abdi, confirmando a transferência do extremo somali-norueguês para os turcos do Rizespor.

Recorde-se que a venda do extremo vai render aos cofres dos estudantes um valor ligeiramente superior a 500 mil euros.
Em sentido inverso, recorde-se que a Académica já garantiu dois reforços no presente mercado de transferências: Salvador Agra e Moussa Gueye. Tanto o extremo português como o avançado senegalês aguardam apenas pela conclusão da burocracia referente às respetivas transferências para serem oficialmente apresentados como jogadores dos capas negras.

in abola

Balanço a meio caminho: o que mudou, caso a caso

Terminou a primeira volta da Liga. 15 jornadas após o início da competição, este é o momento ideal para um balanço coerente e sustentado. Caso a caso, fomos perceber o que mudou em cada clube da Liga. Como estavam na época passada, por esta altura?

É curioso verificar que o Benfica, por exemplo, lidera sem apresentar um registo superior em comparação com o período homólogo da época passada. Nesta altura, tem menos pontos, menos golos marcados e mais um golo sofrido. O FC Porto está ainda pior, tal como o Sp. Braga.

O contraste mais notório gira em torno do Sporting, com mais 16 pontos que na época passada. Nacional e Estoril também apresentam melhorias significativas. O Paços de Ferreira, por seu turno, foi quem mais perdeu (14 pontos).

Aqui fica o ponto de situação:

Académica

Dois pontos a separar Sérgio Conceição de Pedro Emanuel. A Académica está na décima posição, tal como se verificava há um ano, apresentando um registo pontual ligeiramente superior (18 pontos contra 16). Com Pedro Emanuel, a Briosa terminou a primeira volta com impressionantes sete empates em quinze jogos, 21 golos marcados e 24 golos sofridos. A Académica de Sérgio Conceição fica-se pelos três empates, ganha e perde mais. Sofre menos golos (20) mas marca bem menos que na época passada (11 golos marcados em 15 jogos).

e os outros: 

Benfica
O importante triunfo no clássico, aliado ao empate do Sporting na Amoreira, colocou o Benfica na liderança isolada do campeonato. Mas estará a equipa melhor que há um ano? Recuando ao final da primeira volta em 2012/13, percebemos que a equipa de Jorge Jesus tinha mais três pontos que agora (39 contra 36), menos um golo sofrido (11 contra 12 atuais) e, imagine-se, mais dez golos marcados (39 contra os 29 atuais)! Na época passada, por esta altura, a formação encarnada ainda não tinha somado qualquer derrota. Este ano, chega ao fim da primeira volta com o registo de um desaire: 2-1 na Madeira. O balanço é positivo, face à liderança isolada. Na época passada, o FC Porto dividia o primeiro lugar com os encarnados. Ainda assim, os números não são melhores.

Sporting
Sem grande surpresa, o Sporting apresenta uma das melhorias mais evidentes na Liga 2013/14. À 15ª jornada da época passada, os leões tinham apenas 18 pontos, ocupando um lugar a meio da tabela classificativa. Jesualdo Ferreira dera nova alma à equipa, garantindo duas vitórias consecutivas, mas a segunda volta não confirmou as expectativas de recuperação. Pelo contrário. O Sporting, há um ano, tinha 18 pontos, 14 golos marcados e 16 sofridos. Nesta altura, está no segundo lugar da Liga com 34 pontos, 33 golos marcados e apenas 9 sofridos. O melhor ataque e a melhor defesa. A equipa de Leonardo Jardim perdeu apenas um jogo (no Dragão). Diferenças notórias em Alvalade.


FC Porto
Perda de seis pontos em comparação com a primeira volta de 2012/13. Um registo modesto para Paulo Fonseca, sucessor de Vítor Pereira. A derrota no clássico motivou o descontentamento dos adeptos, considerando que o terceiro lugar não é compatível com a ambição do FC Porto. Há um ano, os dragões tinham mais pontos (39 contra 33), mais golos marcados (35 contra 29) e menos golos sofridos (8 contra 12). A diferença poderia residir no clássico, já que os dragões visitaram a Luz na 14ª jornada da época passada, garantindo nessa altura um empate. Porém, o FC Porto averbou outro desaire, já em novembro, no terreno da Académica (1-0). Os seis pontos justificam a diferença entre o primeiro lugar de 2012/13, com o Benfica em igualdade pontual, e o terceiro lugar da presente época.

Estoril
O Estoril terminou a primeira volta no quarto lugar da Liga e o leitor não estranha. Porém, a formação da Linha deu um salto considerável a partir de janeiro de 2013. Este dado é sintomático: há um ano, a equipa de Marco Silva tinha apenas 18 pontos e ainda não era vista como um caso sério. Agora, contabiliza 25 e apresenta-se como uma certeza. O Estoril resistiu ao desgaste europeu e continua a demonstrar a sua qualidade. Nesta jornada, empatou com o Sporting (0-0). O balanço é claramente positivo, com mais golos marcados (23 contra 21) e sobretudo menos golos sofridos (16 contra 22).

Nacional
Mais um caso de melhoria considerável, comprovada pelo quinto lugar no final da primeira volta. Há um ano, o Nacional da Madeira tinha apenas 15 pontos, bem menos que os 24 atuais. O ataque continua a apresentar números interessantes (21 contra 20, não era esse certamente o problema na época passada) mas Manuel Machado conseguiu melhorar o processo defensivo. Nesta altura, a formação insular conta apenas com 15 golos sofridos, em contraste com os 28 na primeira volta de 2012/13. O número de derrotas também baixou consideravelmente: 3 contra 8.

Vitória de Guimarães
O Vitória ocupa a mesma posição que no final da primeira volta de 2012/13. Porém, a formação minhota deve ficar satisfeita com o seu desempenho até ao momento, embora a derrota no dérbi da região frente ao Sp. Braga (3-0) possa ter afetado o entusiasmo dos seus adeptos. Os números, de qualquer forma, não deixam margem para dúvidas. Ligeira melhoria no Vitória de Guimarães, com mais pontos (23 contra 20) e um goal average positivo (16 golos marcados, 13 positivos), ao contrário do que acontecia na época passada (17-22).

Sp. Braga
O último resultado, um triunfo convincente frente ao rival V. Guimarães, não disfarça a quebra do Sp. Braga em comparação com o ano transato. Com José Peseiro, a formação arsenalista chegou ao final da primeira volta com 29 pontos, ocupando o terceiro lugar na tabela classificativa. Nesta altura, com Jesualdo Ferreira, está na sétima posição com 22 pontos. O atual Sp. Braga sofre menos golos (17 contra 19) mas também marca menos. Aliás, nesse capítulo a diferença é clara: 34 na época passada, 20 nesta altura.

Gil Vicente
A equipa de João de Deus chegou a ser uma sensação da Liga mas, nesta altura, não tem um registo consideravelmente melhor em comparação com a época passada. 18 pontos garantem alguma tranquilidade para o Gil Vicente na luta pela manutenção, mas há um ano a formação gilista, com Paulo Alves, chegava a esta fase com 15. Balanço positivo mas não tanto como seria de esperar há um par de meses. Curiosamente, o Gil Vicente do ano passado tinha os mesmos golos sofridos (20) e mais um golo marcado que o atual (14 contra 13).

Confira a Classificação da Liga.

Rio Ave
Ligeira quebra da formação vila-condense em comparação com a época passada. A diferença reside apenas em mais uma derrota, ainda assim. No final da primeira volta de 2012/13, o Rio Ave tinha 21 pontos e ocupava o quinto lugar. Agora, soma apenas 18 e está a meio da tabela. Nesta altura, os homens de Nuno Espírito Santo sofrem menos golos (16 contra 20) mas também marcam menos (12 contra 18).

Marítimo
Tal como há um ano, o registo do Marítimo não se adequa às expectáveis pretensões europeias. No final da primeira volta de 2012/13, a equipa de Pedro Martins tinha 18 pontos, 13 golos marcados e 22 golos sofridos. Este ano, a formação madeirense tem 17 pontos (menos um), 24 golos marcados (mais onze!) e 28 golos sofridos (mais seis).

Vitória de Setúbal
José Couceiro entrou num Vitória em crise de resultados e a equipa apresentou melhorias. Ainda assim, num percurso partilhado com José Mota, a equipa sadina chega a esta altura com 16 pontos, apenas mais dois que na época passada (14). Este Vitória de Setúbal marca um pouco menos (17 contra 19) mas apresenta maior coesão defensiva (25 golos sofridos contra 31).

Arouca
Faltará logicamente o ponto de comparação mas aqui fica o balanço no final da primeira volta. A equipa de Pedro Emanuel, após um arranque terrível, ganhou algum fôlego e soma nesta altura 15 pontos, com 13 golos marcados e 19 sofridos. O Arouca está três pontos acima da linha de água. Chega, por agora.

Belenenses
A equipa orientada por Mitchell Van der Gaag e Marco Paulo não pode estar satisfeita com o seu rendimento ao longo da primeira volta da Liga. 12 pontos acumulados em 15 jornadas e, sobretudo, o pior ataque da competição. Apenas 9 golos marcados, contra 18 golos sofridos.

Olhanense
Giuseppe Galderisi, o terceiro treinador da época, estreou-se com um triunfo frente ao V. Setúbal. Esse jogo foi ainda marcado pelo regresso ao Estádio José Arcanjo, porventura fundamental para o rendimento da equipa. Na época passada, por esta altura, o Olhanense tinha mais dois pontos (14 contra 12), mais seis golos marcados (16 contra 10) e menos um golo sofrido (23 contra os 24 atuais).

Paços de Ferreira
A equipa de Henrique Calisto, sucessor de Costinha, ocupa nesta altura um inesperado último lugar na Liga. Apenas nove pontos em quinze jogos, numa época iniciada com uma histórica participação na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, seguindo-se a fase de grupos da Liga Europa. Há um ano, o Paços de Paulo Fonseca ocupava o quarto lugar, com 25 pontos (mais 14), 17 golos marcados (mais 7) e apenas 12 sofridos (contra os 24 atuais). Diferenças notórias, para pior.

in maisfutebol