30 de junho de 2014

Mineiro assina por duas épocas

O médio Mineiro é o mais recente reforço da Académica para a nova época, revelou ao Maisfutebol o empresário do atleta, Toni Gama. O agente falou ainda da duração do contrato e também da percentagem que caberá ao ex-clube do brasileiro. 

«O Mineiro deixou o Vitória da Bahia e vai assinar por duas épocas, sendo que o clube vai ficar ainda com 30 por cento dos direito económicos do jogador», desvendou o agente, em declarações ao nosso jornal. 

Lucas Alberto Pereira da Silva, ou simplesmente Mineiro, por ter nascido em Montes Claros, no estado de Minas Gerais, tem 22 anos, 1, 73 m e 69 quilos, e fez praticamente toda a carreira no Vitória, à exceção do ano de 2013, quando foi emprestado ao Ceará. 

«É um volante [médio] muito rápido, que faz golos. Tem um estilo parecido ao do Ramirez, da seleção. O tipo de jogador que vai para dentro, se envolve nas jogadas, e marca. Ele tem muita qualidade. Quando chega em Coimbra? Na semana que vem», garantiu. 

in maisfutebol 

Rui Pedro (ex-Cluj) tem proposta para duas épocas

O médio-ofensivo Rui Pedro está muito perto de assinar pela Académica. O jogador, de 25 anos, já sabe do interesse dos estudantes, podendo a qualquer altura responder afirmativamente ao convite que lhe foi endereçado. Em declarações a Record, o médio, que recentemente terminou contrato com os romenos do Cluj, assumiu que as negociações entre as duas partes estão avançadas, podendo ter um desfecho positivo brevemente. “É verdade que há interesse, mas ainda não assinei nada. Estamos só a conversar”, começou por dizer, referindo depois que “o acordo está próximo e pode acontecer a qualquer momento”.

O técnico Paulo Sérgio conhece bem as potencialidades de Rui Pedro, uma vez que já o orientou na época 2012/13, no Cluj. Recorde-se que esta não é a primeira vez que a Académica tenta contratá-lo, uma vez que nas últimas épocas o regresso a Portugal esteve iminente, com a Briosa a encabeçar a lista de pretendentes. O facto de o médio ser agora um jogador livre, aliado à vontade do treinador, pode fazer com que o acordo se torne uma realidade.

Em mãos o jogador tem já uma proposta para uma ligação de dois anos e, ainda que existam outros interessados na sua contratação, a Académica terá sempre uma palavra a dizer neste processo. Com o plantel ainda em reformulação, Rui Pedro pode ser uma peça fundamental no onze da Briosa, até pela sua polivalência, uma vez que pode atuar tanto como médio mais ofensivo como nas três posições do ataque.

in record

João Gomes, uma promessa na pré-época

Diz quem o conhece que pode vir a ser o sucessor de Ricardo num futuro próximo. João Gomes, guarda-redes da equipa de juvenis da Académica, que entretanto será júnior de primeiro ano na próxima época, vai fazer a pré-temporada com os seniores apurou o Maisfutebol. 

Com 17 anos feitos no final de Abril, o guardião destaca-se pela envergadura invulgar para a tenra idade (1,88 m), e pela agilidade pese a corpulência. É forte no jogo aéreo e saídas, com um estilo, por vezes, a fazer lembrar o dos guardiães de andebol, à semelhança de Peter Schmeichel, por exemplo. 

O ídolo do «keeper», nada de confusões, é, no entanto, o italiano Giuanluigi Buffon, cuja forte presença na baliza o inspira desde pequeno. Um diamante para ser lapidado por Paulo Sérgio, em especial por Bruno Veríssimo, membro da equipa técnica responsável pelo treino específico dos guarda-redes. 

João Gomes cumpriu apenas uma época em Coimbra, dando logo nas vistas, depois de ter sido formado no Desportivo de Castelo Branco, de onde é natural. Foi o número 1 da seleção distrital até ter sido «agarrado» pelos estudantes. 

Aos 17 anos, o guardião é visto na academia da Briosa como uma atleta de enorme potencial e com francas possibilidade de se afirmar no clube a breve trecho, como opção para lutar por um lugar no quadro principal de jogadores. O Maisfutebol acaba de o apresentar ao Mundo. Em primeira-mão. 

in maisfutebol


«Vou trabalhar nos limites durante o estágio de pré-temporada» - João Gomes


A Académica continua a olhar para a sua formação. Depois de Jimmy (que esteve emprestado ao União da Madeira) e Pedro Nuno (ex-júnior), agora é a vez de João Gomes chegar ao plantel principal. Pelo menos durante o estágio de pré-temporada que a Briosa vai realizar entre os dias 13 e 19 de julho, na Curia.

O jovem guarda-redes, de apenas 17 anos, representou os juvenis do clube na época que agora finda, e ainda antes de concluir o seu processo de formação nos juniores, vai ser observado por Paulo Sérgio, junto dos mais velhos.

Em declarações exclusivas a A BOLA, o menino que idolatra o italiano Buffon e que não esconde a sua admiração por... Ricardo sonha, um dia, ser dono e senhor das redes da Académica. Até porque, confessa o albicastrense, poder conciliar os estudos com o futebol é uma conjugação perfeita:

- Fiquei extremamente contente e orgulhoso quando soube que iria fazer o estágio de pré-temporada. Até tinha férias marcadas mas, felizmente, tive que as desmarcar! É um sinal de que o meu trabalho esta época foi reconhecido. O meu sonho é ser profissional de futebol e irei fazer todos os possíveis para conseguir concretizá-lo. Estou na Académica há um ano mas julgo que estou no clube certo, já que nos oferece excelentes condições. Estou a tirar um curso profissional de Turismo em Coimbra, faltam dois anos para terminá-lo, que é precisamente o tempo para concluir a minha formação, e depois só penso em fazer carreira no futebol. É tudo o que eu mais quero. Vou trabalhar nos limites para agradar aos responsáveis da Académica durante o estágio.

O jovem guardião mostrou-se, naturalmente, algo tímido na hora de se autodefinir, mas não escondeu as suas referências pelo posto específico, tanto a nível nacional como internacional. E não se esqueceu de Ricardo. Pudera… «Penso que sou ágil e forte fisicamente. Julgo que tenho uma boa voz de comando. Talvez entre os postes seja melhor do que fora deles. Tenho que continuar a trabalhar para melhorar. Referências? Buffon e Eduardo. Mas claro que o Ricardo é um excelente guarda-redes. Vi os treinos e os jogos dele durante esta época e é mesmo muito bom. Tinha todo o potencial para ter sido chamado à Seleção», concluiu João Gomes.

BI
Nome completo – João Pedro Moura Gomes
Data de nascimento – 29 de abril 1997
Naturalidade – Castelo Branco
Altura – 1,88 metros
Peso – 82 quilos
Posição – Guarda-redes
Percurso – Desportivo de Castelo Branco e Académica

in abola

Época 2014/2015: Os reforços até ao momento

Cristiano também vem para Coimbra

O guarda-redes Cristiano também vai reforçar a Académica. Sérgio Conceição queria mantê-lo no Sp. Braga, mas foi o próprio que manifestou o desejo de deixar o clube para poder ter maiores possibilidade de jogar.

A chegada do jovem (23 anos) atleta serve para colmatar a saída de Peiser, habitual suplente da Briosa, e que não renovou contrato. O sucessor de Ricardo está, contudo, a ser negociado no Brasil: os estudantes pretendem um atleta experiente e que lhes possa dar mais garantias depois da transferência do guardião titular para o FC Porto.

Cristiano Pereira Figueiredo nasceu em Munique, na Alemanha, mas veio cedo para Portugal, tendo passado pelas camadas jovens do Penalva do Castelo, Ac. Viseu e da própria Briosa, onde jogou uma época, como juvenil, antes de terminar a formação já em Braga.

Foi internacional sub-21, esteve cedido ao Vizela e ao Valência entre (2010 e 2012), antes de voltar ao Minho, onde tem estado, sobretudo, ao serviço da equipa B arsenalista. Na época passada, fez 14 jogos, cinco deles pela formação principal, entre Liga e Taças, e nove pela «bês».

O guardião é o sexto reforço da Académica para a nova época, depois de Hugo Seco (ex-Benfica e Castelo Branco), Ricardo Nascimento (ex-Moreirense), Oualembo (ex-Lechia Gdansk), Mineiro (ex-Vitória da Bahia) e Aderlan (ex-Corinthians Alagoano). Este último chega domingo a Coimbra, para cumprir exames e ser oficializado como contratação pelo clube.

Apresentação oficial de Oualembo


Christopher Oualembo é reforço da Académica

O defesa internacional congolês Christopher Oualembo é o mais recente reforço da Académica. O jogador, que vai envergar a camisola 22 dos “estudantes”, assinou um contrato com a Briosa válido por duas temporadas.

Oualembo, que já representou a selecção do Congo em dez ocasiões, iniciou a sua carreira nas camadas jovens do Paris Saint-Germain, tendo depois ingressado no US Quevilly, Levante, Monza, Chernomorets e no Lechia Gdansk. Nas próximas duas épocas, Oualembo vai ter a sua primeira experiência em Portugal, ao serviço da Briosa.
  

Ao Site Oficial do clube, o defesa congolês traçou o seu próprio perfil e confessou ter falado com um antigo jogador da Académica que o convenceu a assinar pelos "estudantes".

“Como me defino? Bem, fora do campo, sou uma pessoa que preza a tranquilidade. Dentro do campo, sou um lateral com características ofensivas, gosto de subir no terreno e de participar no ataque. Percebi de imediato que esta seria uma boa oportunidade para mim. Já seguia o clube e o campeonato português, é uma Liga que eu aprecio bastante pois privilegia-se o aspecto técnico e gosto disso. Depois falei com o Jonathan Bru, um grande amigo meu, que já jogou aqui na Académica e deu-me as melhores indicações possíveis. Disse-me que tinha todas as condições para trabalhar, que era um clube muito interessante onde existia um ambiente muito bom, pois todos se davam bem.”, disse.

O facto de Oualembo já ter actuado em mais campeonatos irá funcionar a favor do jogador, que tirará o maior partido da experiência adquirida noutros clubes para singrar na Académica.

“Já joguei noutros campeonatos e espero trazer essa experiência que adquiri para a Académica. Creio que o facto de já ter jogado em Espanha, na França, na Polónia ou na Itália é bom para mim pois permite-me conhecer melhor o futebol. Só quero ajudar a equipa a conquistar os seus objectivos, que passam por fazer a melhor classificação possível. Espero ser feliz em Coimbra e passar aqui um grande momento, ter prazer em jogar futebol e dar alegrias aos adeptos.”, adiantou.

Quando questionado sobre as suas referências no futebol, Oualembo nem hesita: George Weah.

“Tenho uma referência no futebol, o George Weah. Quando estive no PSG foi como um pai para mim, ajudou-me muito… Fui muitas vezes a casa dele, preocupou-se comigo e não esqueço o que fez por mim. Foi muito importante, protegeu-me, e estou-lhe agradecido por isso.”, terminou.

Está assim apresentado o primeiro reforço da Académica para a nova temporada. Bem-vindo Oualembo!

in AAC-OAF

26 de junho de 2014

Guardião Samuel Pires na lista de Paulo Sérgio

No dia em que arranca a época 2014/15, com a realização dos exames médicos, os dirigentes da Académica continuam a tentar encontrar soluções para o reforço do plantel. Um dos lugares mais deficitários é o de guarda-redes, posição para a qual apenas o jovem Fábio Santos tem lugar garantido, e Record sabe que um dos nomes referenciados é o de Samuel de Oliveira Pires.

O guardião brasileiro, de 25 anos, esteve em destaque na última edição do campeonato paulista, ao serviço do Penapolense. A Académica já se inteirou das condições para contratar o jogador que, em 2010, fez parte do plantel do Santos, onde constavam nomes como Robinho ou Neymar, para além dos portistas Danilo e Alex Sandro.

in record 

25 de junho de 2014

Exames Médicos arrancaram esta quarta-feira

A equipa profissional da Académica iniciou esta quarta-feira os habituais exames médicos, dando assim o pontapé de saída na temporada 2014/2015.

A Academia Dolce Vita foi o ponto de encontro dos jogadores da Briosa que assim se submeteram aos testes orientados pelo Departamento Médico da Académica.

 

Os trabalhos clínicos prosseguem até à próxima sexta-feira, pelo que esta será uma semana inteiramente dedicada aos exames médicos.

Força Rapazes! 

in AAC-OAF

_________________________________________________________________________

Em Coimbra, começa-se cedo a preparar a nova temporada. Os estudantes foram os segundos, depois do Rio Ave, a apresentar-se ao trabalho, neste caso apenas ainda através dos habituais exames médicos, este ano com uma novidade: os testes isocinéticos.

«É algo que tem a ver com o profissionalismo que sempre colocámos na nossa forma de trabalhar. Já o fazemos há muito tempo. São importantes para prever possíveis lesões e bons para corrigir eventuais desequilíbrios», desvendou, esta quarta-feira, Paulo Sérgio, falando de uma novidade na Académica, que, aliás, deverá arrastar-se até terça-feira.

«Começámos hoje com os exames. Hoje foram uns, amanhã serão outros, em colaboração com a Faculdade de Ciência do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra. Arrancámos mais cedo para a época se processar com toda a calma e tranquilidade. Teve a ver também com o facto de, este ano, as férias terem sido mais prolongadas e, como tal, temos de ter cuidado», reforçou.

O técnico da Académica, voltou a repetir que mais vale esperar pelos alvos certos do que sentir um amargo de boca para o resto da época.

«Ainda estamos em fase de construção do grupo. Na apresentação já vos tinha dito para não esperarem muitas novidades rapidamente. Seria fácil ter aqui 20 ou 30 jogadores hoje, mas o mais difícil é ter os que nós queremos. Claro que isto torna o processo mais complicado, mas vale a pena atrasar as coisas um pouco para depois não nos virmos a arrepender: temos um ano inteiro pela frente», expressou, confirmando ainda quatro reforços: Hugo Seco, Aderlan, Ricardo Nascimento e Oualembo.

«Esses quatro estão definidos, e há outros praticamente fechados. Posições? Todas preocupam. A Académica perdeu variadíssimos jogadores, uns porque estavam emprestados, outros porque a cobiça de outros clubes foi mais forte e, portanto, saíram alguns grandes jogadores. Logo, vai dar-nos mais trabalho substituí-los. Mas acredito que vamos fazer uma boa época.»

«Se é mais estimulante? Bem, a responsabilidade de os substituir é enorme. Em alguns casos, é natural, ficamos frustrados por ver alguns atletas fugir-nos porque, lá está, respeitamos o nosso orçamento. Também por isso, dá mais trabalho. Expetativas? Só posso falar quando a bola começar a rolar e saltar, na quarta-feira. Aí é que as ilusões poderão aumentar ou diminuir.»

Os jogares escalados paras os exames desta quarta-feira foram Magique, Pedro Nuno, Marinho, Aníbal Capela, Hugo Seco, Jimmy, Flávio Santos, Nuno Piloto e Rafael Lopes. Nota ainda para a presença do carro de Rafik Halliche no parque de estacionamento da academia, apesar de o argelino estar no Brasil. No final do mês, terminará a ligação à Briosa, e não irá renovar.

in maisfutebol 

24 de junho de 2014

Sub-23: José Viterbo é o novo treinador


José Viterbo é o novo treinador da equipa de sub-23 da Académica. O timoneiro da Briosa foi apresentado numa conferência de imprensa que contou com a presença do Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Castanheira Neves, do Presidente da Direcção, José Eduardo Simões, e do Vice-Presidente António José Figueiredo.
José Viterbo mostrou-se "orgulhoso" por regressar a uma casa que bem conhece e apresentou ainda os adjuntos que o acompanham nesta nova temporada: João Ribeiro, Miguel Valério e Luís Valada.




Aqui fica mais uma fotografia do momento:



in AAC-OAF

AAC-OAF: Comunicado: Académica inicia amanhã a nova temporada

A equipa profissional da Académica inicia amanhã, quarta-feira, a temporada 2014/2015 com a realização dos habituais exames médicos de início de época, que se prolongam até sexta-feira. 

Os exames médicos decorrem na Academia Dolce Vita, à porta fechada, sendo que o Departamento de Comunicação do clube efectuará a publicação de fotografias que registam o momento, através das plataformas de comunicação da Briosa.

Saudações Académicas

in AAC-OAF

23 de junho de 2014

Tomada de posse dos Órgãos Sociais da AAC/OAF

Os Órgãos Sociais da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol, eleitos para o triénio 2014-2017, tomaram posse esta quinta-feira, dia 19 de Junho, numa cerimónia que decorreu na Academia Dolce Vita.

Presentes no evento estiveram várias dezenas de sócios da Briosa.

 

in AAC-OAF

Académica estagia na Curia entre 13 e 19 de Julho

A equipa profissional da Académica vai cumprir o estágio de pré-temporada no Hotel das Termas, na Curia, entre os dias 13 e 19 de Julho, realizando o trabalho de campo no Centro de Treinos da Anadia.

Trata-se de um espaço que oferece excelentes condições de trabalho, fundamentais para preparar mais uma época que está prestes a iniciar.

   

A Gerência da AAC/OAF, SDUQ Lda deixa um forte agradecimento a todos os envolvidos para que o estágio de pré-época da Académica seja realizado na Curia, em especial ao Vice-Presidente da Câmara Municipal da Anadia, Eng. Jorge Sampaio, que tudo fez para garantir a presença da comitiva da Briosa no concelho e, também, ao Administrador das Termas da Curia, Alberto Coimbra, pela imediata e total disponibilidade para acolher os nossos jogadores.

O Hotel das Termas - Curia, Termas, Spa & Golf é um hotel dedicado à saúde, termas e spa localizado no complexo turístico das Termas da Curia. Emoldurado pelas paisagens verdejantes do Parque da Curia e do Campo de Golf da Curia oferece aos seus clientes experiências relaxantes únicas conciliando família, lazer e negócios.

Composto por 105 confortáveis quartos com vistas sobre o Parque da Curia, o Hotel das Termas - Curia, Termas, Spa & Golf dispõe ainda de 4 salas de reunião para realização de eventos em privado, restaurante, bar, café e um snack-bar de apoio à piscina exterior durante o Verão, estância Termal, Spa e Campo de Golf.


O trabalho de campo, esse, será realizado no Centro de Treinos da Anadia. A Académica terá, assim, todas as condições para preparar de forma conveniente a época 2014/2015, utilizando uma estrutura que já foi, por exemplo, usada pela selecção da Letónia durante o Euro 2004, e também pela selecção sub-21 da Dinamarca, durante o Europeu 2006 que se disputou no nosso país.

Começa a ganhar contornos o planeamento da pré-temporada da Briosa. Nos próximos dias, serão reveladas mais novidades da preparação da equipa liderada por Paulo Sérgio. 

in AAC-OAF

22 de junho de 2014

Oualembo é o quarto reforço da época

Este lateral-direito, de 27 anos, tem nacionalidade francesa e congolesa, sendo internacional por este país africano


A Académica contratou Christopher Oualembo. Segundo O JOGO apurou, o jogador tem um acordo válido por duas épocas com a Briosa, depois de se ter desvinculado dos polacos do Lechia Gdansk, emblema que representou durante as duas últimas temporadas. 

Tem ainda passagens pelo Chernomorets (Bulgária), Monza (Itália) e Levante (Espanha), entre outros. Este lateral-direito, de 27 anos, que se destaca pela velocidade, e que pode também atuar no flanco esquerdo, tem nacionalidade francesa e congolesa, sendo internacional por este país africano. O jogador fez a formação no Paris Saint-Germain.

in ojogo

Halliche entra na história

Argelino foi o primeiro jogador da Académica a jogar num Mundial. Sucedeu no Argélia-Bélgica da primeira jornada da fase de grupos do Brasil'2014.

A Argélia volta a jogar hoje no Mundial"2014, no caso frente à Coreia do Sul, mas a primeira partida da turma argelina contribuiu para um dado histórico da Académica. Halliche, que cumpriu os 90 minutos diante da Bélgica, tornou-se o primeiro jogador da Briosa a disputar um jogo de um campeonato do mundo. 

O desfecho não foi favorável ao conjunto magrebino - perdeu 2-1 com a Bélgica, depois de ter estado a ganhar -, mas o defesa-central ganhou um lugar na história do emblema conimbricense, isto apesar de estar de saída, uma vez que, como é sabido, as duas partes não chegaram a acordo para renovação do contrato, que expira agora. 

Antes disso, a Académica já tinha estado representada num Campeonato do Mundo, por Bandeirinha, em 1986. No entanto, o defesa nunca foi utilizado pelo selecionador José Torres nos três jogos que Portugal disputou na fase de grupos do certame que decorreu no México. Ricardo Sousa

in ojogo

Na segunda jornada do grupo, Halliche voltou a ser titular na Argélia e marcou o segundo golo da equipa.

A Argélia venceu a Coreia do Sul por 4-2.

by BP

21 de junho de 2014

Cristiano chega por empréstimo do SC Braga

O guarda-redes Cristiano vai, segundo o jornal A BOLA, representar a Académica na próxima temporada por empréstimo do SC Braga. 

Cristiano (foto ASF)

Será, juntamente com Fábio Santos, uma das opções para Paulo Sérgio na baliza dos estudantes, já que o francês Peiser terminou contrato e não deverá renovar.

in abola 

18 de junho de 2014

AAC: Comunicado

A Tomada de Posse dos Órgãos Sociais da AAC/OAF eleitos para o triénio 2014-2017 realiza-se amanhã, quinta-feira, dia 19 de Junho, pelas 18:00, na Academia Dolce Vita.

by BP



Paulo Sérgio Pode construir a equipa a partir do meio campo

Se a defesa e o ataque da Briosa poderão passar por uma profunda reformulação, o sector intermediário será aquele em que haverá maior estabilidade. São muitos os médios que se preparam para ficar em Coimbra e até Fernando Alexandre, que terminava contrato, acabou por renovar. A continuidade do jogador, de 28 anos, foi mesmo a melhor notícia para a Académica, que já estava no mercado na tentativa de colmatar a saída do médio-defensivo.

Também Nuno Piloto, Marcos Paulo e John Ogu garantem a continuidade na equipa, permitindo que o novo técnico Paulo Sérgio se possa debruçar sobre o reforço das restantes posições.



Aliás, dos médios que faziam parte do plantel anterior, só Makelele está fora da órbita da Briosa, ainda que John Ogu e Cleyton tenham ainda indefinido o seu futuro. O primeiro tem contrato mas pode mudar de ares, caso surja em Coimbra uma proposta que leve a direção dos estudantes a prescindir do nigeriano, enquanto Cleyton regressou ao Corinthians Alagoano, depois de duas temporadas de empréstimo, ainda que o clube brasileiro não rejeite um novo período de cedência à Briosa.

Na construção do novo miolo estão ainda mais três nomes: Jimmy, Pedro Nuno e Saná, todos com percursos diferentes. O primeiro regressa após um ano de empréstimo ao U. Madeira, enquanto o jovem Pedro Nuno transita da equipa de juniores. Quanto a Saná, jogador que já esteve em Coimbra no início de 2012/13 mas acabou por não assinar devido a um diferendo com o Valladolid, está de regresso e, tudo indica, para ficar.

in record 

Aderlan reencontra amigo Djavan: «Vai ser um grande duelo»

Antigo colega do lateral-esquerdo do Benfica, o reforço da Briosa diz-se preparado para também ficar no coração dos adeptos

Aderlan Silva. Conhece? É natural que não, tal como teria acontecido há um ano se lhe falássemos de um tal... Djavan. É o novo lateral-direito da Académica, recrutado para as próximas duas épocas ao abrigo da parceria com o Corinthians Alagoano. Por acaso, só por acaso, até são grandes amigos e têm muitas coisas em comum. 

«Jogámos juntos e, mesmo depois de ele sair para a Euorpa, continuei a seguir a carreira dele. Eu e o Djavan temos quase o mesmo estilo de jogo. Sim, ataco bastante, mas também sei que tenho de defender bem», descreve o defesa em entrevista exclusiva ao Maisfutebol. 

O reencontro com o amigo promete, aliás, fazer faísca. «Espero que a minha equipa possa ganhar, claro. A amizade é fora do campo, dentro dele, cada um de nós dará o máximo para ajudar o seus companheiros. Acredito que vai ser um grande duelo», vaticina. 

Aderlan sabe que vai jogar num clube com grande tradição em Portugal e teve no antigo colega o melhor conselheiro. «Não conheço muito, apenas aquilo que perguntei ao Djavan. Ele disse-me que era uma equipa boa, com grande estrutura, e que eu ia gostar bastante», revela. 

Substituir o colega, ainda que na banda oposta, será uma grande responsabilidade, ainda para mais quando se tratam de jogadores com caraterísticas muito semelhantes: «Sei que os adeptos gostavam muito dele e espero que também venham a gostar de mim, não só como jogador, mas também como pessoa. É muito importante para qualquer jogador ser bem recebido pela torcida.» 

«Maicon? Não me posso comparar a ele...» 

O lateral, de 23 anos, confessa estar ansioso para começar a trabalhar com os novos companheiros. «É lógico. Esta é a fase mais importante do ano, a pré-época, e espero poder adaptar-me rapidamente e poder aproveitar o melhor possível este salto na minha carreira», admite, considerando, como quase todo o brasileiro, que concretizou um sonho: 

«Toda a gente quer jogar na Europa, onde se pratica um estilo cadenciado, com mais marcação, vontade e força. Espero poder mostar o meu futebol, aprender, e poder evoluir com os ensinamentos que vou receber. Ainda por cima vou para um clube importante e estarei poderei beneficiar de maior visibilidade.» 

Admirador de Leonardo Moura (Flamengo), mas sobretudo de Maicon, o defesa-direito da seleção brasileira, Aderlan nem ousa comparar-se a qualquer um deles: «No fundo, personificam tudo aquilo que um lateral deve ser, com qualidade, força, e capacidade de marcação. Não me posso comparar. São jogadores que já fizeram história, mas eu vou batalhar para conseguir o meu espaço na Académica e conquistar o meu lugar e tentar chegar o mais longe possível.» 

in maisfutebol 

17 de junho de 2014

Richard Ofori para a lateral esquerda

Contratado em cima da hora no fecho de mercado em Agosto passado, Richard Ofori, gânes de 21 anos, lateral esquerdo foi de imediato emprestado ao Beira Mar. 

Em Aveiro foi apenas utilizado em oito partidas e somou 357 minutos. 

Com a saída de Djavan e de Paulo Grilo, Ofori poderá ter espaço para integrar o plantel na próxima temporada.  

by BP

Grémio desvia Manoel

Manoel não vai continuar ao serviço da Académica na próxima temporada. O avançado foi contratado no verão de 2013 por empréstimo do Grémio Anápolis, mas não jogou os minutos suficientes para convencer os brasileiros a mantê-lo em Coimbra por mais uma época.

Os estudantes tinham hipótese de ficar com o atacante nas suas fileiras, mas optaram por não exercer o direito de opção, até porque o valor do passe do futebolista está acima das possibilidades do clube de Coimbra. Assim, o Grémio Anápolis prepara-se para desviar o jogador, que tem mercado na 1.ª Liga, apesar da performance muito discreta ao longo na última época, com zero golos marcados em 15 jogos.

Também Marcelo Goiano, recorde-se, representou a Briosa pelas mãos do Anápolis em 2013/14, mas já foi dado como certo no Sp. Braga, que ganhou a corrida pela contratação, solicitada por Sérgio Conceição, que já em Coimbra apreciava as qualidades do lateral.

Para o ataque, o técnico Paulo Sérgio conta só com um avançado de raiz (Rafael Lopes), sendo que Magique também pode fazer a posição.

in record 

Salim Cissé deve regressar

O avançado Salim Cissé deverá voltar a Coimbra, agora por empréstimo do Sporting, noticia esta terça-feira A BOLA.

No entanto, é bem provável que do mercado brasileiro chegue um outro avançado, igualmente a título de empréstimo, juntando-se também a Rafael Lopes e Magique.

in abola

16 de junho de 2014

Jogos da pré temporada: a 22 de Julho com o Sp Braga

No calendário de jogos de pré-temporada do Sp Braga surge agendado no dia 22 julho jogo treino frente à Académica.

A equipa bracarense irá estagiar em Óbidos, não existindo para já informação quanto ao local desta partida.

by BP

Confiantes por Salim Cissé

O reforço do plantel continua a ser o principal objetivo da direção da Académica. Depois de Aderlan (lateral direito), Ricardo Nascimento (central) e de Hugo Seco (extremo), Salim Cissé deverá ser um dos próximos a comprometer-se com a formação de Paulo Sérgio.

A Académica já mostrou interesse junto do Sporting, clube que detém o passe do guineense e que não se opõe ao regresso de Cissé a Coimbra. Aliás, Record sabe que voltar a vestir a camisola da Briosa é encarado pelo jogador como o melhor para a carreira, num regresso ao clube que em 2012 o resgatou ao modesto Arezzo, de Itália, e permitiu-lhe rumar ao Sporting, onde foi blindado com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros.

Apesar do assédio de outros clubes da Liga, a Académica está confiante no sucesso das negociações entre os dois emblemas. Recorde-se que na época passada Cissé foi utilizado na equipa B do Sporting, pela qual marcou 5 golos em 9 jogos, vestindo depois a camisola do Arouca em 9 encontros.

in record 

Ricardo Nascimento: «Quero ajudar muito a Académica»

Central ex-Moreirense em entrevista exclusiva ao Maisfutebol

Ricardo Nascimento será uma das caras novas da Académica na próxima época, e está de regresso à Liga principal, um dos objetivos do central, depois de uma boa época (45 jogos e três golos) no Moreirense. 

Na primeira entrevista à comunicação social portuguesa enquanto jogador da Briosa, o central não esconde que queira voltar ao maiores palcos do futebol português e afirma-se pronto para corresponder às expetativas nele depositadas. 

«Essa era minha vontade, voltar à I Liga [esteve no Portimonense em 2010/11], e estou preparado para encarar esse novo desafio. Estou vivendo um grande momento, sou um jogador mais maduro», refere, em declarações ao Maisfutebol, ciente de que, agora, estará num patamar completamente diferente: 

«A II Liga é mais difícil de jogar porque o jogo é mais pegado, na I Liga os campos são melhores. Particularmente, acho a II Liga mais difícil por esse aspeto. A primeira é mais técnica e, sem dúvida, melhor de jogar, a segunda é mais na força, um futebol mais físico.»

A Briosa não esteve sozinha na corrida pelo profícuo central. No entanto, Nascimento deu prioridade à formação de Coimbra e explicou por quê: 

«A Think Ball, através do meu empresário Marcelo Robalinho, passou-me algumas propostas de fora de Portugal, mas preferi a Académica porque estou acostumado ao campeonato português e porque tive boas referências do clube.»

Entre os conselheiros, esteve Rui Miguel, ex-jogador dos estudantes: «Deu-me boas informações. É um clube bem estruturado, com adeptos apaixonados, numa cidade boa para se viver e um clube muito bom para jogar. O idioma também ajuda, se compararmos ao Chipre e Polónia. Além do mais, a I Liga tem muita visibilidade e um peso importante na Europa e no mundo do futebol. Já conheço bem o futebol português e estou bem adaptado ao país também.» 

Além de tudo o que ouviu sobre a Briosa, Nascimento também já tinha a sua própria ideia. «Sei que o clube tem uma historia rica, está há um bom tempo na I Liga, os adeptos são fanáticos, gostam muito e apoiam o clube. Estou muito feliz com a possibilidade de defender a Académica nas próximas épocas. Vou dar meu máximo e honrar essa camisola», prometeu. 

«O interesse deve ter surgido no decorrer do campeonato que eu fiz, uma boa época para mim. A inda não conheço  o treinador que me pediu, mas acredito que ele tenha gostado do meu trabalho. Será uma honra ser comandado por ele no Académica», acrescentou.

Apreciador do Thiago Silva 

Aos 27 anos, Ricardo Nascimento acredita ter ainda muito para dar e mostra ambição logo nos primeiros passos de novo no escalão principal. Voos (ainda) mais altos podem esperar... 

«Quero ajudar muito a Académica e sei que se eu fizer uma boa época terei novas possibilidades, mas o meu foco neste momento é apenas a minha nova equipa. Chegar, adaptar-me aos novos companheiros, e conquistar os objetivos da equipa. A Académica tem uma boa visibilidade, portanto depende apenas de mim aproveitar esta oportunidade.» 

O brasileiro impressiona pela estatura (1, 91 m, 80 quilos), mas não é apenas forte no jogo aéreo. Eis um resumo, pela boca do próprio, daquilo que terá convencido Paulo Sérgio: «O meu ídolo é o Ronaldo, o Fenómeno, mas, em termos de centrais, é o Thiago Silva. Defino-me como um jogador técnico, que bate bem na bola, e tem um bom jogo aéreo. Também sou rápido, tenho velocidade, apesar da estatura.» 

Agora, é começar a trabalhar, lutar por um lugar no onze, e fazer o que melhor sabe. «Estou ansioso, sem dúvida. Não vejo a hora de conhecer os colegas, o treinador, e viver esse novo desafio. Estou ansioso, determinado e muito focado, não vejo a hora de me apresentar», confessou, elogiando os colegas de setor, João Real, Capela e Elton: 

«Sei que são jogadores de muita qualidade. A disputa pela vaga de titular será muito sadia e boa para todos nós, principalmente para a equipa, que só tem a melhorar e a crescer com jogadores de alto nível no plantel. Venho determinado a jogar o meu melhor e contribuir com a nossa equiae da melhor forma possível.»

in maisfutebol 

14 de junho de 2014

Ricardo Nascimento certo na Académica

EMPRESÁRIO CONFIRMA CEDÊNCIA

Está encontrada a solução para o eixo central da defesa da Académica. Ricardo Nascimento, ex-Moreirense, será reforço para as duas próximas temporadas, por empréstimo do Olé Brasil. A confirmação chegou através de Marcelo Robalinho, agente do jogador.

“Foi eleito o melhor central da 2.ª Liga, era natural ser alvo de diversas equipas. Apesar de termos propostas financeiramente mais vantajosas fora de Portugal, pesou muito o plano de carreira para o atleta, que poderá, com uma boa época em Coimbra, pensar em voos maiores”, defendeu o diretor da empresa que gere a carreira do defesa de 27 anos.

O brasileiro terá a concorrência de João Real, que renovou até 2017, de Aníbal Capela, cedido pelo Sp. Braga, e de Elton Monteiro, que está em Coimbra por empréstimo dos belgas do Brugge. A atenção da Académica vira-se agora nas laterais. Do Brasil chegará Aderlan para o lado direito, mas no flanco esquerdo as indefinições são muitas, após as saídas de Djavan e Paulo Grilo.

in record 

12 de junho de 2014

David Caiado é reforço do Guimarães

Está encontrado o primeiro reforço do Vitória. O extremo David Caiado assinou com os minhotos pelas próximas três temporadas e esta tarde já esteve em Guimarães para tratar das questões burocráticas e conhecer os cantos da nova casa, confirmando a notícia de A BOLA.

O extremo, de 27 anos, chega a Guimarães a custo zero, depois de ter deixado os ucranianos do SC Tavryia, devido aos gravíssimos conflitos políticos que se instalaram na região da Crimeia.

Antes, David Caiado teve também passagens por Polónia, Chipre e Bulgária. No nosso País, depois de ter completado a formação no Sporting, representou Estoril e Trofense.

in abola

David Caiado (ex-Tavriya) próximo da Académica

Marcelo Goiano e Agra acompanham Sérgio Conceição

Sp. Braga garante Marcelo Goiano até 2018


Marcelo Goiano é reforço do Sp. Braga: o lateral direito tem acordo para assinar contrato com a formação minhota até 2018, devendo formalizar esse acordo nos próximos dias, apurou o Maisfutebol. 

O Sp. Braga garante a contratação a título definitivo de um jogador que na último temporada deu nas vistas na Académica, emprestado pelo Grémio Anápolis, do Brasil. 

A Académica tinha alias direito de opção para assinar em definitivo com Marcelo Goiano, mas acabou por não o fazer por considerar demasiado alto o valor pedido pelo Grémio Anápolis. Ora por isso o Sp. Braga aproveitou, negociou com o clube brasileiro e garantiu a contratação do lateral. 

O acordo com Marcelo Goiano está feito e o jogador até pode ser anunciado brevemente. 

Marcelo Goiano é um lateral direito de 26 anos, que nas últimas duas épocas jogou no Feirense e na Académica por empréstimo do Grémio Anápolis. Chega a Braga para fazer concorrência a Baiano e a Miljkovic, os dois laterais direitos que ficam da época anterior.

Salvador Agra regressa para trabalhar com Conceição


Salvador Agra é mais um dos nomes que consta na lista de Sérgio Conceição para o plantel do Sp. Braga da próxima época. O jogador que está cedido pelo Bétis de Sevilha por mais uma época estava reticente em relação a um regresso ao Minho, mas a possibilidade de voltar a cruzar-se com Sérgio Conceição foi determinante. 

O extremo que esteve cedido à Académica na segunda metade da época que terminou, onde foi titular nas últimas onze jornadas da Liga cotando-se como uma das figuras de proa da Briosa, é um dos jogadores com contrato com o Sp. Braga que fará parte do plantel na próxima época. 

Antes de rumar a Coimbra, Salvador Agra foi utilizado em treze jogos por Jesualdo Ferreira, mas de forma inconstante. Sem registar um jogo completo no Minho, foi titular três vezes e suplente utilizado por dez ocasiões quase sempre por períodos residuais de tempo, o jogador natural de Vila do Conde via com algumas reservas o seu regresso à pedreira. 

Desejado na Académica, o facto de Sérgio Conceição assumir o comando técnico dos Guerreiros faz com que o regresso de Salvador Agra ao Sp. Braga fique simplificado. Apreciador das características de Salvador Agra, Sérgio Conceição conta em Braga com o pupilo com quem já trabalhou em Olhão em Coimbra.

in maisfutebol 

11 de junho de 2014

RICARDO saiu e PEISER não renovou: Sucessor para a baliza no topo das prioridades

O lugar de guarda-redes continua a ser uma prioridade para a Académica. Depois de Ricardo ter saído para o FC Porto, a posição está a aguardar por reforços, até porque Peiser – o sucessor natural – também termina contrato e não é certo que renove.

O guardião francês partiu de férias com a certeza de que as limitações orçamentais diminuem as hipóteses de continuar em Coimbra. Com mercado fora de Portugal, o futuro de Peiser continua em aberto, com a Académica atenta a um possível acordo, ainda que este só seja conseguido com valores bem mais baixos do que aqueles que o jogador auferia até agora.

Alternativas

Tal como Record adiantou, João Pinho (Oliveirense), e Cássio, que recentemente terminou contrato com o Arouca, são dois guarda-redes seguidos em Coimbra. Se no primeiro caso tudo depende de uma formalização da intenção da Briosa junto do clube de Oliveira de Azeméis, no caso do brasileiro a possibilidade de sucesso é menor, devido à concorrência.

Além do P. Ferreira, que há muito sondou o jogador, também já chegaram propostas do campeonato romeno e iraniano. As próximas semanas serão decisivas.

in record 

Fernando Alexandre chegou a acordo para renovar

Assédio do Sp. Braga foi forte, mas o jogador preferiu continuar em Coimbra

Fernando Alexandre chegou a acordo para renovar com a Académica, apurou o Maisfutebol. O médio defensivo, esteio da campanha estudantil da época passada, tinha o Sp. Braga «à perna», por força da chegada ao clube de Sérgio Conceição, que já o «trouxera» de Olhão para Coimbra, mas decidiu prolongar a ligação à Briosa.

Ao que foi possível saber, o jogador poderá assinar um contrato de três épocas, tornando-se quase um «reforço», uma vez que os argumentos bracarenses seriam muito fortes e quase garantiram o seu regresso ao plantel dos minhotos. O médio também tinha outras propostas do estrangeiro.

Para o meio-campo, o clube só deverá contratar um jogador mais ofensivo, uma vez que contará, além de Fernando Alexandre, com Saná, Marcos Paulo, Nuno Piloto e Ogu. 

in maisfutebol 

Ricardo: do golo a Palatsi à história frente ao FC Porto

Ex-capitão da Briosa esteve em duas vitórias célebres sobre os azuis e brancos. Agora vai jogar pelos dragões. Fomos recuperar-lhe o percurso até chegar à Invicta


É guarda-redes, mas foi por ter... marcado um golo de baliza a baliza que Ricardo saiu do anonimato. Em Março de 2006, com 23 anos, o reforço do FC Porto deu a vitória ao «seu» Varzim sobre o Moreirense, de Palatsi, e, claro, tornou-se num daqueles heróis por motivos improváveis

O esguio e elástico guardião terá, porventura, beneficiado de mais mediatismo quando, quase um ano depois, ainda na Póvoa, eliminou o Benfica nos oitavos de final da Taça de Portugal após uma exibição memorável. Quem treinava os varzinistas? Diamantino Miranda. A «traição» suprema, ainda por cima em noite de estreia no banco poveiro. 

A partir daí, ficou no radar de vários clubes da Liga, mas foi a Académica quem, no final dessa época, vence a corrida e consegue trazê-lo para Coimbra para assinar um contrato de quatro anos. Suplente de Pedro Roma, fez apenas um jogo pelos estudantes: Domingos Paciência resolveu premiá-lo pelo bom trabalho com uma estreia de fogo no escalão principal, frente ao Benfica. 

A notícia, avançada em primeira mão pelo Maisfutebol a meio da tarde do jogo que se realizaria ao serão em Coimbra, colheu muita gente de surpresa, menos o próprio jogador, a quem o técnico já havia confessado umas semanas antes estar a pensar lançá-lo às feras. 

Domingos jogou, seguramente, com o fator psicológico, pois Ricardo havia sido decisivo na época anterior, na tal eliminatória da Taça de Portugal. No final, as coisas acabaram por correr mal, como o jovem treinador reconheceu, assumindo todavia toda a responsabilidade por ter apostado num novato. 




O guarda-redes ficou marcado pela estreia azarada no próprio corpo , devido a uma lesão que o afastou dos relvados mais de dois meses. Na altura, o nosso jornal conseguiu ouvir em exclusivo o desabafo do jogador: 

«Depois de duas grandes épocas no Varzim, a ouvir tantos elogios, já não estava habituado às críticas. A pressão é agora muito maior e ao mínimo erro, não há hipótese. Hoje, abro os jornais e sou crucificado por todos. São coisas do futebol, acontece. Mas se conseguir superar isto, acredito que estarei preparado para tudo.» 

Ricardo não estava enganado. Mas teve de esperar mais um pouco para, por fim, agarrar a titularidade na Briosa. A temporada seguinte, ainda com o atual treinador do V. Setúbal, mas também com Pedro Roma e a chegada de um tal Peskovic, foi decidido que o melhor era emprestar o mais novo dos guardiães. 

Ficou ali perto, em Leiria, numa altura em que a União apostava tudo para regressar à I Liga. Na primeira metade da época, foi suplente de Fernando Prass, jogador já com carreira feita no Brasil e que a SAD não havia conseguido vender aquando da descida. 

Foi apenas uma questão de tempo. O brasileiro sai em Janeiro para o Vasco da Gama e Ricardo faz o resto da época em bom plano, dando preciosa ajuda no regresso dos leirienses ao escalão maior. Voltou a Coimbra pela porta grande. 

Villas Boas preferia... Rui Nereu 

A saída de Domingos para o Sp. Braga, depois de conseguir a melhor classificação desde 84/85 da Académica (sétimo lugar), levou o clube a contratar Rogério Gonçalves. O técnico apostou no guardião até à sétima jornada, quando foi despedido. 

Rendido por Villas Boas, este prefere entregar a baliza a Rui Nereu. Ricardo só volta à 18ª jornada, cumpre cinco jogos no campeonato, é de novo preterido em favor do colega, mas joga a antepenúltima ronda. Com a manutenção assegurada, os últimos dois encontros serviram para dar uma oportunidade a Barroca, habitual terceira opção. 

Segue-se uma época praticamente em branco, porque com a saída de Peskovic, também de Pedro Roma, os estudantes recrutaram Peiser, em final de contrato com a Naval. Só faz três jogos, nas taças. Obviamente, pensou em deixar o clube para poder jogar, mas Pedro Emanuel «exigiu» que ficasse. Acabou por renovar por três épocas.



O jovem técnico, em estreia na Liga, dá, todavia, novamente preferência à maior experiência do guardião francês. Volta, por conseguinte, a ser o eleito para as competições extra-campeonato, só que a caminhada triunfal pela Taça de Portugal permite-lhe fazer seis jogos, incluindo o do Jamor. Só falhou os quartos de final com o Desp. Aves por estar lesionado. 

O arranque em definitivo para a carreira que hoje se lhe reconhece aconteceu nos últimos dois jogos dessa época para a Liga. Com a Académica abaixo da linha de água, depois da polémica goleada do Feirense à U. Leiria com apenas oito jogadores, e vinda de uma sequência de 16 (!) jogos sem ganhar, o guarda-redes joga pela primeira vez no campeonato nessa temporada, depois de mais um mau desempenho de Peiser, em Alvalade. 

A afirmação por fim e a queda para os penalties 

Foi neste ponto. Neste exato momento, que tudo começou. Ricardo não teve trabalho, mas mereceu um destaque, no Maisfutebol, pela pena de Adérito Esteves: «Estreia a titular na baliza dos estudantes em jogos do campeonato. Mas se queria mostrar serviço este não foi o melhor jogo para o fazer. Não foi obrigado a fazer qualquer defesa ao longo de toda a partida. Contudo, mostrou-se sempre muito atento na saída a cruzamentos.» 

Seguiram-se o jogo em Guimarães (nova vitória) e a inesquecível final frente ao Sporting de Sá Pinto. Desde ai, nunca mais falhou uma partida da Briosa para o Campeonato, cumprindo 62 encontros consecutivos. Pelo meio, um triunfo histórico sobre o... FC Porto, no caminho para o Estádio Nacional e outro, já nodecorrer da última época

Neste último jogo, em que voltou a fazer uma exibição arrebatadora, teve ensejo de colocar em prática aquilo que é uma das suas especialidades: defender penalties. Que o diga Alex Sandro, apenas um dos cinco que tentaram bater o guardião na temporada passada da marca dos 11 metros e não o conseguiram. 


Em duas épocas, Ricardo conseguiu defender 12 grandes penalidades. Tudo começou com uma famosa eliminatória da Taça da Liga, diante do Sp. Covilhã e, no final do jogo, foi de uma humildade estonteante quando confrontado com o feito.

Como se escreveu na reportagem de então, o percurso do guardião foi tudo menos fácil, com anos na sombra até à afirmação, nos últimos dois anos. «Sinto um orgulho enorme em mim, porque é nesses momentos que se veem os grandes homens, quando não se joga. Nunca virei a cara à adversidade, sempre lutei como profissional pelos interesses da Académica Jogando ou não, gosto de receber bem os colegas e criar bom ambiente no grupo.» Talvez lhe venha a ser útil esse espírito no Dragão.

in maisfutebol 

10 de junho de 2014

Hugo Seco na Académica: «É o concretizar de um sonho»

Médio do Benfica e Castelo Branco vai jogar no clube do seu coração

Hugo Seco, primeiro reforço da Académica para a temporada 2014/2015 ), como já havia noticiado o Maisfutebol, já fala à Briosa e diz que o seu regresso a Coimbra é o «concretizar de um sonho». No final do seu último jogo ao serviço do Benfica e Castelo Branco, o jogador de 25 anos confirmou que vestirá a camisola da Académica nas duas próximas temporadas. 

«Posso dizer que a ida para a Académica é o concretizar de um sonho, é a equipa do meu coração, da minha cidade e onde fui formado», revelou o jogador natural da Lousã que depois de completar a formação na Académica passou por Anadia, Nelas, Académico de Viseu, Fátima e pelo Benfica e Castelo Branco. 

Naquela que será a sua época de estreia no principal escalão do futebol português, Hugo Seco espera agarrar «com unhas e dentes» a oportunidade que significa este salto na carreira: «Sempre sonhei lá jogar. Sempre tive promessas da direção, desde a formação, que ia dar continuidade no plantel sénior, mas diversas lesões atrasaram isso. Felizmente as últimas três épocas correram-me bem e surgiu a oportunidade, agora há que agarrá-la com unhas e dentes». 

Hugo Seco chega à Académica depois de ter representado o Benfica e Castelo Branco no Campeonato Nacional de Seniores, onde marcou um golos nos 26 jogos em que atuou. A Académica já o seguia desde novembro.

in maisfutebol

Rúben Saldanha referenciado

FOI UMA DAS REVELAÇÕES DO LEIXÕES NA ÚLTIMA ÉPOCA

Rúben Saldanha, que se desvinculou recentemente do Leixões, é alvo da Académica. Os estudantes procuram soluções para o meio-campo – Artur (ex-Marítimo) estava referenciado mas rejeitou a proposta de Coimbra e assinou pelo Arouca –, e o médio-ofensivo, de 26 anos, encaixe no perfil pretendido.

Ao que Record apurou, a Briosa segue com atenção o jogador há algum tempo, podendo formalizar a qualquer momento uma proposta para a sua aquisição. A confirmar-se, Rúben Saldanha concretizará o objetivo de chegar à 1.ª Liga, depois de ter representado Padroense, Esmoriz, Varzim e Leixões, além de duas temporadas na Suíça. Foi ainda chamado às seleções jovens de Portugal.

Na última época, em Matosinhos, Saldanha foi um dos jogadores mais utilizados, alinhando em 43 encontros, nos quais marcou três golos, revelando-se fundamental na Taça da Liga, principalmente nos encontros diante do Benfica e do V. Guimarães.

Opções

A cobiça por Rúben Saldanha prende-se com um problema antigo da Briosa. As soluções na posição mais avançada do meio-campo não abundam, algo que se revelou decisivo durante a época anterior. John Ogu e Cleyton eram os donos do lugar, mas nenhum dos dois tem confirmada a presença no plantel da próxima temporada.

O nigeriano tem mercado e pode abandonar Portugal nas próximas semanas, enquanto o brasileiro terminou o período de empréstimo por parte do Corinthians Alagoano, ainda que, tal como o nosso jornal noticiou, possa regressar.

in record 

Local do estágio por decidir

Os dirigentes da Académica ainda não decidiram onde se realizará o estágio de pré-época. Segundo noticia A BOLA desta terça-feira, além de Quiaios e Covilhã, também Condeixa é hipótese para acolher a equipa.

in abola

9 de junho de 2014

Ricardo Nascimento (ex-Moreirense) por duas épocas

Central será emprestado pelo clube Olé Brasil

A Académica vai fechar esta segunda-feira a contratação do central Ricardo Nascimento, que foi um dos esteios da subida à Liga do Moreirense, apurou o Maisfutebol. O jogador será emprestado por duas épocas pelo clube Olé Brasil, num regime semelhante ao que conheceu na última temporada, em Moreira de Cónegos.

Há ainda alguns pormenores a discutir, como a possibilidade de incluir uma opção de compra no final da cedência, ou a divisão dos direitos económicos do atleta, aspetos que serão acertados numa derradeira reunião entre os investidores e o empresário do defesa.

Sobre a mesa estará uma proposta do Apoel Nicosia, do Chipre, e outra da Polónia, mais vantajosas financeiramente para o brasileiro, mas a maior exposição mediática do campeonato português pesará a favor dos estudantes.  

O nosso jornal sabe ainda que o central surgiu no radar do Sporting durante a campanha vitoriosa do Moreirense, em função das boas relações entre o clube e Augusto Inácio.

Ricardo Nascimento tem 27 anos, mede 1, 91 m, e pesa 80 quilos, reunindo o perfil desejado por Paulo Sérgio para colmatar a saída de Halliche, para completar o eixo da defensiva com João Real, Aníbal Capela e Elton Monteiro.

Na época passada, cumpriu 45 jogos pelos cónegos e marcou três golos. Antes disso, passou pelo Astra, da Roménia, Portimonense (duas épocas), e Penafiel, sempre por empréstimo do Olé Brasil. Durante a primeira passagem pelos algarvios (2010/11) cumpriu 13 jogos na Liga, estreando-se à 18ª jornada, diante do P. Ferreira. Desde esse jogo, até final do campeonato, foi sempre titular.

in maisfutebol

7 de junho de 2014

Ivan Cavaleiro longe de Coimbra

A Académica tentou incluir Ivan Cavaleiro no negócio Djavan, como compensação pelos 20 por cento do passe do brasileiro que detém, mas o jovem extremo está longe de Coimbra e, na verdade, uma forte hipótese para o seu futuro até é o Valencia.

Cavaleiro passou a ser representado por Jorge Mendes (deixou Carlos Gonçalves), agente muito próximo de Peter Lim, o milionário de Singapura que comprou o clube espanhol. Por isso, é um nome que poderá entrar nas contas do emblema che para a próxima temporada.

in record 

David Caiado (ex-Tavriya) próximo da Académica

David Caiado está na iminência de voltar a Coimbra, onde defendeu as cores da Académica até aos iniciados, antes de se transferir para o Sporting. O Maisfutebol sabe que o jogador, bastante apreciado pelos responsáveis estudantis, recebeu uma proposta concreta para regressar ao clube, agora que se encontra livre do Tavriya devido à situação política na Ucrânia. 

«É verdade que tive algumas abordagens em Portugal, que é a minha prioridade depois de tudo o que passei, e gostaria de ir para um clube à minha imagem e que me permitisse continuar a evoluir em termos futebolísticos e profissionais», revelou o extremo ao nosso jornal. 

O jogador, de 27 anos, não esconde que a Briosa se encaixa nesse perfil, nem o carinho que tem pela cidade e emblema onde começou, mas é peremptório em afirmar que existem outros clubes interessados nele «com o mesmo perfil». 

De acordo com aquilo que foi possível apurar, Estoril (onde esteve emprestado pelo Sporting nas duas primeiras temporadas como sénior) e V. Guimarães estarão, igualmente, na pista de Caiado. Anteriormente, jogou na Polónia (Zaglebie Lubin), Chipre (Olympiakos Nicósia) e Bulgária (Beroe). 

Tinha assinado com o Tavriya até 2016 havia três meses, recebendo o emblema búlgaro 120 mil dólares pela transferência, mas o contrato ficou sem efeito devido aos eventos já explicados. O avançado deverá decidir o seu futuro dentro de uma semana. 

in maisfutebol

Paulo Grilo contratado pelo Penafiel

O FC Penafiel anunciou a contratação de Paulo Grilo. O lateral esquerdo, ex-Académica, assinou um contrato válido por duas temporadas.

Penafiel: Paulo Grilo (ex-Académica) contratado

Paulo Grilo, de 22 anos, efetuou apenas dois jogos oficiais pelos estudantes na última edição da Liga: em Guimarães e no Estádio do Dragão. A concorrência de Djavan não lhe deu grandes hipóteses.

Formado na Naval 1º Maio e na Académica, Paulo Grilo passou ainda por Tourizense, Santa Clara e Sp. Covilhã, sempre cedido pelos estudantes.

in maisfutebol

6 de junho de 2014

Académica recebe 200 mil euros pela transferência de Djavan.

Segundo informação no Correio da Manhã, a transferência de Djavan para o Benfica custou um milhão de euros. 80% desse valor reverte para o Corinthians Alagoano e 20% para a Briosa.

O jogador vai auferir sete vezes mais no Benfica, passando de um salário mensal de quatro  mil para trinta mil euros.

by BP 

Marcelo Goiano também apontado ao Sp Braga

A edição de hoje do Jornal A Bola, diz que Marcelo Goiano se prepara para trocar Coimbra por Braga!


by BP


«Quero provar que o que fiz não foi em vão»

Novo reforço do Benfica admite alguma surpresa pela transferência para a Luz, mas garante estar preparado para o desafio

Djavan chega esta sexta-feira logo pela manhã (5h30) a Portugal para cumprir os necessários exames médicos e assinar por quatro épocas pelo Benfica. No caminho para o aeroporto, o esquerdino, sereno como habitualmente, atendeu a chamada do Maisfutebol para falar da nova aventura que está prestes a começar.

«Não posso dizer que estava à espera, porque chegar a um grande após apenas uma época no estrangeiro não é fácil, mas estou, obviamente, muito feliz. Vou procurar fazer o melhor que sei, dar o máximo, para provar que o fiz na Académica não foi em vão», relata o brasileiro, mostrando-se pronto para atacar o desafio:

«Estou preparado. Um jogador não deve ceder à pressão por jogar num Benfica, Porto ou Sporting. Claro que vou encontrar uma realidade diferente, mas acredito que terei também todo o apoio dos meus novos colegas para me ajudar.»

Apanhado na vertigem do mercado - foi negociado com o Sp. Braga antes de acabar no Benfica -, o lateral confessa que ainda não pensou bem naquilo que irá enfrentar assim que desembarcar na Portela: «Um batalhão de jornalistas? No princípio, pode ser um pouco assustador, mas não estou preocuado com isso. Estou é concentrado no meu trabalho.»

O defesa é, tal como o nosso jornal o apresentou em Janeiro passado, de uma humildade a toda a prova, mas reconhece ter feito uma boa época na estreia em Portugal: «Saí de cabeça erguida da Académica, fiz um grande campeonato, e chego ao Benfica para fazer o meu papel, trabalhar, e tentar procurar o meu espaço.»

«Siqueira? Acredito no meu valor...»

Contratado para suprir a provável saída de Siqueira, o ex-jogador da Briosa recusa entrar em comparações com o compatriota. «Ele deixou a sua marca no clube, o resto cabe às pessoas avaliar. Claro que fez uma grande temporada e é um belíssimo jogador, mas cada um tem o seu estilo. Acredito no meu valor e espero poder mostrar o meu futebol e contribuir para as vitórias do Benfica», deseja, prometendo muito empenho:

«Vou procurar fazer o melhor possível, tal como escutei o Sérgio, vou escutar Jesus, que, para mim, é o melhor trenador de Portugal. Tenho de estar preparado para ouvir aquilo que ele irá apontar-me e tomar isso como um incentivo para melhorar e ser cada vez mais forte.»

«Não posso estar acomodado. É uma enorme responsabilidade vestir a camisola do Benfica e não quero desperdiçar esta oportunidade. Por isso, vou trabalhar no duro, e fazer tudo para poder chegar ao final da temporada e voltar a dizer que saí de cabeça erguida.»

Jogar com o Estádio da Luz cheio, a puxar pelas águias, é algo que, confessa, está ansioso para conhecer... por dentro. «É uma pressão diferente, algo que motiva muito os jogadores. Sei que, se fizer bem as coisas e estiver sempre concentrado, terei os adeptos do meu lado», admite, acreditando que o estilo de jogo dos encarnados irá favorecê-lo:

«Há mais liberdade, é uma equipa que joga mais alto, vai com tudo para a frente, mas sei que também terei de estar atento lá atrás. Se conseguir fazer isso, como fiz na Académica, acredito que posso fazer algo de positivo.»

Carinho especial pela Académica e Sérgio Conceição 

A páginas tantas, o lateral não resiste a evocar a tal entrevista ao Maisfutebol: «Tudo o que lhe contei foi o que se passou, a verdade absoluta. Não foi nada ensaiado ou pensado. Estou feliz pelo rumo que a minha vida está a levar. Só Deus sabe o que sofri no passado.»

Neste momento especial, faz questão de relembrar a importância que o pai teve na sua carreira. «Foi fundamental para eu estar onde estou. Nos momentos mais difíceis, foi um amigo, esteve sempre ao meu lado. Felizmente, posso agora retribuir tudo o que fez por mim. Penso, até, que ele estará neste momento ainda  mais feliz do que eu.»

Djavan não se esquece também de quem lhe deu a mão na primeira etapa no nosso país. «Tenho um carinho muito grande pela Académica, pela forma como fui acolhido, por todos, desde o presidente, o diretor desportivo Luís Agostinho, os colegas, e, em especial, pelo Sérgio Conceição», refere, aprofundando um pouco mais a relação com o seu ex-técnico:

«Ajudou-me bastante. Chamava-me ao gabinete e aconselha-me sobretudo em termos defensivos, corrigia-me o posicionamento, e, graças a Deus, consegui superar muitas lacunas. Ensinou-me a ser mais equilibrado, a defender melhor, sem desperdiçar o meu ponto forte que é a minha força atacante.»

in maidfutebol

5 de junho de 2014

Liga arranca a 17 de agosto

A primeira jornada da edição 2014/2015 da Liga está marcada para o fim de semana de 16 e 17 de agosto, anunciou esta quinta-feira a Federação Portuguesa de Futebol.

A época inicia-se a 10 de agosto, com a realização da Supertaça Cândido de Oliveira, entre Benfica e Rio Ave.

A primeira eliminatória da Taça de Portugal está marcada para 6 de setembro próximo. A final da prova “rainha” realiza-se a 31 de maio de 2015.

No que diz respeito às competições europeias, a final da Liga Europa disputar-se-á em Varsóvia, a 27 de maio, enquanto o derradeiro jogo da Liga dos Campeões terá lugar em Berlim, a 6 de junho. 19:49 - 05-06-2014

in abola

veja aqui o calendário 

Ivan Cavaleiro a caminho da Académica

Cedência do extremo encarnado deve ficar definida brevemente

A Académica vai receber Ivan Cavaleiro por empréstimo do Benfica, apurou o Maisfutebol.

Benfica: Ivan Cavaleiro a caminho da Académica

Nesta altura a transferência ainda não está fechada, mas falta apenas acertar pormenores. Por isso é muito provável que nas próximas horas o empréstimo do jovem extremo possa ser oficializado pelas partes.

O Benfica, recorde-se, garantiu a contratação de Djavan junto da Académica, num negócio em que a Briosa tem direito apenas a uma espécie de indemnização (o jogador estava contratualmente ligado ao Corinthians Alagoano), no valor de 20 por cento da transferência.

Ora por isso o empréstimo de Ivan Cavaleiro não está propriamente incluído na transferência de Djavan, sendo apenas uma compensação desportiva para a Académica, e uma boa solução para o jogador ganhar tempo de jogo num clube de Liga.

Ivan Cavaleiro, extremo de 20 anos, estreou-se esta época na equipa principal do Benfica. O jovem acabou mesmo por convencer Jorge Jesus ao ponto de ter sido integrado no plantel principal.

Fez 21 jogos (nove a titular) na equipa A do Benfica, oito dos quais na Liga, três na Liga dos Campeões e dois na Liga Europa.

Também este ano estreou-se pela seleção principal ao jogar 21 minutos no amigável com os Camarões.

in maisfutebol

Djavan: da lavagem de carros aos dias felizes em Coimbra

[texto publicado originalmente a 22 de janeiro]

Djavan é o jogador do momento na Académica. Marcou o primeiro golo no campeonato, foi escolhido para a equipa da jornada do Maisfutebol, e continua a cimentar o percurso iniciado esta época com exibições estonteantes. Veloz, impetuoso até, usa o corredor esquerdo da Briosa com permanente ligação à via verde e faz inveja ao mais acelerado dos extremos.

Quem o vê assim, livre, a correr como uma criança pelos campos, está longe de imaginar como foi a sua vida até chegar a Coimbra. Estar aqui, hoje, e a fazer o que faz, roça o milagre. Uma daquelas improbabilidades que, às vezes, escapam ao controlo do destino. Poucos sabem, por exemplo, que Djavan, de 26 anos, só é profissional há pouco mais de ano e meio. Já vão perceber por quê.

O Maisfutebol foi ouvir o relato do esquerdino e mergulhou com ele numa viagem ao passado, aos dias sombrios, assolados pela dúvida e desespero, quando tudo esteve para acabar ainda antes de começar.

Serrinha da Baía, a 173 kms de Salvador, capital do estado, testemunhou os primeiros anos de vida de Djavan, único rapaz (tem quatro irmãs) de uma família humilde. O futebol, jogado na rua, sempre lhe esteve nas veias, como em tantos outros miúdos. Cresceu com uma bola por perto, mas com a certeza de que, antes de mais, tinha de aprender a ganhar a vida com uma profissão.

«Trabalhava num posto de lavagem de carros. O meu pai trabalhou lá 12 anos e eu comecei a ir com ele. Além disso, também tinha um colega pedreiro, que ajudava sempre que podia», explica. Foi nesse mundo que se refugiou, cada vez com mais profundidade, à medida que o sonho de se tornar jogador profissional começava a tornar-se numa quimera.

Rejeitado até encontrar o caminho certo 

No futebol, tinha uma experiência puramente amadora, jogando no campeonato intermunicipal. Recebia por cada jogo, às vezes por mês. O talento despertava e, quando fez 18 anos, tomou coragem e decidiu tentar a sorte no Rio de Janeiro.

«Havia um clube lá, chamado Tigre, até correu bem, e pensava que ia dar para ficar, mas era uma equipa controlada por empresários, que só mantinha jogadores com grandes agentes. E eu não tinha na altura. Fiquei dececionado e abri mão do meu projeto, até porque tive de ir trabalhar para ajudar a família.»

O trauma impregnou-se. «Fica-se com um estigma e receio de passar o tempo a ouvir a mesma justificação: és bom jogador, mas não tens um bom empresário, não podes ficar. Fiquei abatido e a pensar que aquilo iria continuar a perseguir-me. Por isso, cheguei muitas vezes a pensar em desistir, acabar com o futebol», confessa.

Seguiram-se outras tentativas em clubes da região e a desconfiança de Djavan acabou por ter razão de ser. «Estive no Fluminense, de Feira, no Sergipe, em Aracaju, mas num sistema de peneira, só de um dia. Mais de 2000 garotos para passar dois ou três, só 10 minutos para cada jogador, era preciso ter muita sorte para ser escolhido», revela.

Pai resgatou-o do fundo do poço 

Quando ponderava deixar as ilusões definitivamente de lado, alguém resolveu ir busca-lo ao fundo do poço. O pai, «seu» Jerónimo. «Não foi profissional, mas sempre manteve uma boa condição física. Acordava-me às 6 horas da manhã para irmos correr porque achava que a velocidade e resistência são fundamentais num atleta. Acreditou sempre em mim e nunca me deixou desistir. O que sou hoje, devo-o a ele», confidencia, emocionado.

«Foi devido a esse lado duro, que percebi as dificuldades da minha família, e me determinei a fazer alguma coisa para mudar essa situação. Pedi muito a Deus que me ajudasse e, no ano seguinte, finalmente, consegui tornar-me profissional», revela, vendo finalmente chegado o prémio pelas qualidades reveladas no campeonato amador e na seleção intermunicipal. Tinha 24 anos.

«O Astro, de Feira de Santana, foi fazer uma pré-temporada na minha cidade e o treinador gostou de um jogo amigável que fiz contra eles. Pediu-me para voltar e foi ai que comecei a minha caminhada, com contrato de um ano. Garanti ao presidente que ia dar o máximo possível», revela, sem deixar, contudo, de mencionar outro revés:

«No meu primeiro clube e no segundo, o Feirense, tive ordenados em atraso, e pensei novamente em ir-me embora e voltar a trabalhar. Fiquei quatro meses sem receber, até que, na Copa do Nordeste, fui jogar contra o CRB, no Estádio Rei Pelé [Maceió]. Era o último jogo para mim. Até já tinha conversado com um colega e ele ia arranjar-me um emprego na empresa.»

Mas a sorte virou, novamente. «A partir desse jogo lancei-me em definitivo. O presidente João Feijó, do Corinthians Alagoano, soube da minha atuação e levou-me para o clube. Joguei o campeonato alagoano e fui distinguido como o melhor lateral-esquerdo da competição.»

Ainda esteve no CRB, onde fez apenas três jogos, porque o telefone tocou com uma chamada do outro lado do Atlântico, e o presidente do Corinthians, parceiro estratégico da Académica para os recrutamentos no Brasil, viu ali uma oportunidade de ouro para projetar o talento recém-encontrado.

O primeiro golo de Djavan… Jackson 

O primeiro golo em Portugal, no último domingo, que permitiu arrancar a ferros (aos 93 minutos) uma vitória sobre o Gil Vicente, foi comunicado em primeira mão, obviamente, ao pai. «Ficou muito contente, é o meu principal fã», afiança, consciente de que não vai manter por cá a média que tinha no Brasil.

A facilidade de adaptação a Portugal não deixa de o surpreender, pese vários aspetos táticos, mormente defensivos, que teve de corrigir e nos quais ainda terá de trabalhar para se ajustar na perfeição a um estilo de jogo «mais posicional».

O estilo, deve-o ao «futebol alegre e sem medo» de Ronaldinho Gaúcho. A explicação é simples. Em rigor, tornou-se lateral-esquerdo para tapar o buraco num jogo em que não havia mais nenhum esquerdino para jogar ali.

«Era era meia-atacante [médio ofensivo], como o Ronaldinho, e estudava muito a sua forma de jogar, a ginga, os dribles, mas, um dia, contra o Campinense, eu era o único jogador de pé esquerdo e fui para a lateral. Fiz um grande jogo e fiquei na posição desde então», desvenda.

O nome não o deve ao famoso cantor brasileiro. Embora os pais até apreciassem as músicas, a escolha teve mais a ver com gostos pessoais do que com uma homenagem ao artista. Djavan, que costumava animar os pagodes lá na terra, compondo até músicas, é mais apreciador do estilo dançante de Michael Jackson.

«Já me chamam Djavan Jackson porque consigo imita-lo a dançar [risos]. Agora, eu sou cantor de chuveiro, só faço os passos. Era um dançarino incrível, ninguém consegue superá-lo», conta, divertido.

Adeus à bicicleta e a confusão com o pequeno-almoço 

Djavan está a tratar de tirar a carta de condução, para deixar de depender das boleias dos colegas. Em Coimbra, seria difícil recorrer à bicicleta que usava para ir para os treinos quando vivia em Serrinha. Quando voltar ao Brasil, já poderá conduzir devidamente «regularizado»… e ao volante da primeira «bomba».

Em Portugal, ainda sem o ouvido treinado para o idioma europeu, os primeiros tempos foram férteis em mal entendidos. A maior parte deles resolvidos à força das gargalhadas.

«Falavam, no balneário, em tomarmos o pequeno-almoço juntos, eu imaginei que fosse um almoço curtinho, com pouca coisa na mesa. Acabou o treino, eram umas 11 horas, e eu fiquei à espera. Pessoal, não estou a ver nada na mesa para esse tal almoço pequeno, disse. Toda a gente ia embora e eu fiquei lá sentado, à espera. Até que me explicaram…»

Em jeito de compensação, costuma haver leitão para a equipa, por conta do treinador, a seguir a um treino, nas semanas de vitórias. «Uma delícia, no Brasil não temos o porco desta forma. O pessoal cai matando em cima. Se voltarmos as costas, desaparece tudo», despede-se, bem-disposto.

in maisfutebol

Djavan assina pelo Benfica

O Benfica já garantiu a contratação de Djavan. O lateral esquerdo brasileiro regressa a Portugal nesta sexta-feira, para realizar os indispensáveis exames médicos e assinar um contrato válido por quatro épocas.

Recorde-se que na véspera o Maisfutebol já tinha dado conta das «negociações avançadas». Agora o acordo é total, como confirmou ao nosso jornal o empresário Nélson Almeida,  que conduziu as negociações junto do Corinthians Alagoano, clube detentor do passe, e que na última época emprestou o jogador à Académica. A formação de Coimbra vai receber 20 por cento do valor da transferência, de resto, conforme estipulado no acordo de cedência.

Em Coimbra o esquerdino revelou-se um lateral bastante ofensivo, e forte tecnicamente. Esteve nos planos do Sp. Braga, mas rumará à Luz, onde Jorge Jesus tentará potenciar as suas qualidades, e porventura melhorar algumas lacunas na vertente defensiva.

É bom não esquecer que Djavan, de 26 anos, só é profissional há duas épocas. Trabalhou numa lavagem de carros e ajudou um amigo pedreiro. O pai evitou que desistisse do sonho, e aos 24 anos um jogo de pré-época frente à equipa do Astro mudou-lhe a vida.

in maisfutebol

Jimmy vai ser observado durante a pré-época

Quando há dois anos chegou a Portugal, Jimmy, médio cabo-verdiano de 19 anos, trazia uma bagagem cheia de sonhos próprios de quem acabava de trocar o modesto Batuque pela Académica. Agora, o sonho de vestir a camisola da equipa principal da Briosa está a um… estágio de acontecer.

Após um ano nos juniores, onde despertou o interesse de adeptos e responsáveis, Jimmy foi cedido ao U. Madeira. O jovem trinco foi titular na formação insular, e só não jogou mais devido a uma lesão.

Ainda assim, a qualidade apresentada já lhe valeu a promessa de que fará parte do estágio de pré-época da Académica. Record sabe que o clube já informou o jogador desta decisão, estando agora nas mãos de Jimmy a possibilidade de convencer o técnico, Paulo Sérgio, a incluí-lo no plantel principal.

A aposta em Jimmy é um desejo da estrutura, que pretende valorizar um dos jovens que acabou a sua formação no clube.

Concorrência

A jogar a favor do jovem cabo-verdiano está o facto de a Académica ter nessa posição um problema para resolver. Fernando Alexandre não deve resistir às leis do mercado, podendo deixar Coimbra. Nesse contexto, Saná e Pedro Moreira até podem chegar, mas a porta continuará aberta.

Entretanto, falta definir o preparador físico, que deverá ser um elemento com ligações ao clube.

in record

Aderlan: «Sou parecido com o Djavan»

O lateral direito Aderlan Silva, de 23 anos, está a caminho da Briosa. O jogador chega a Coimbra cedido pelos brasileiros do Corinthians Alagoano, num acordo válido para os próximos dois anos, com os estudantes a ficarem com opção de compra.


Em declarações exclusivas a Record, o jogador mostra-se muito feliz com o acordo alcançado. “Este é o primeiro de muitos objetivos. Qualquer jogador quer vir para a Europa e esse era também o meu desejo”, começa por referir o jogador, que na época passada representou o Santa Rita. Desconhecendo a realidade que vai encontrar em Coimbra, onde será orientado por Paulo Sérgio, Aderlan sublinhou ser “um clube muito importante”, o que o deixa bastante satisfeito com o passo que está prestes a dar.

A estreia ligação entre a Académica e o Corinthians Alagoano não é uma novidade. Esta parceria trouxe nos últimos anos para Portugal jogadores como Ferreira, Cleyton ou Djavan, todos com sucesso. Aderlan não quer fugir à regra e até sente que existem parecenças entre ele e Djavan, que está de saída. “Sou habilidoso, forte no ataque e melhorei as minhas caraterísticas defensivas. Penso que sou parecido com o Djavan”, revela.

Igualmente satisfeito com o acordo está João Feijó, dirigente do Corinthians Alagoano. “O Aderlan é rápido e muito ofensivo, ao estilo do Djavan No ano passado esteve para ir para a Académica, mas acabou por ficar”, confidencia.

in record

4 de junho de 2014

Djavan não demorou muito tempo a convencer em Portugal

Da 3.ª divisão a alvo das águias em menos de 1 ano

in record.pt


Académica contrata lateral brasileiro - Aderlan emprestado pelo Corinthians Alagoano

O Corinthians Alagoano anunciou, no site oficial, o empréstimo de Aderlan à Académica.

Trata-se de um lateral direito de 23 anos, que na última época esteve emprestado ao Santa Rita. Antes representou o Treze, Itapipoca, Joinville e Campinense.

«Ficámos satisfeitos com o desempenho do Aderlan e achamos que já é o momento do atleta viver situações mais audaciosas na carreira», afirmou Flávio Moura, presidente do Corinthians Alagoano.

O acordo de empréstimo é válido por dois anos, mas com possibilidade de ser depois renovado.

Esta transferência está englobada nas boas relações entre Corinthians Alagoano e Académica, que proporcionaram a mudança para Coimbra de jogadores como Ferreira, Djavan ou Cleyton.

in maidfutebol 

2 de junho de 2014

Diogo Valente: «Paulo Sérgio é o treinador ideal por exigir qualidade»

Entre os jogadores que fizeram parte do plantel da época que agora terminou, apenas Diogo Valente conhece bem os métodos de trabalho do novo técnico da Académica. O extremo foi um dos atletas que partilharam com Paulo Sérgio a experiência nos romenos do Cluj, na temporada 2012/13, tendo sido uma aposta regular no onze do agora técnico dos estudantes.

No dia em que Coimbra acolhe Paulo Sérgio, Valente mostra-se confiante no sucesso do técnico. “Acho que é um treinador à imagem do clube. A Académica tenta sempre ter equipas que pratiquem bom futebol e ele é o treinador ideal para corresponder a esse desejo, uma vez que privilegia e exige qualidade. Para além disso, gosta de ter identidade nas equipas que treina, é exigente e trabalha muito bem fisicamente”, sublinha o extremo, desvendando ainda alguns dos princípios de jogo que podem sustentar o futuro da Briosa.

“O míster Paulo Sérgio gosta de jogar em pressão e treina sempre com muita bola, ainda que não descure a vertente física. Aliás, notou-se bem a diferença quando chegou ao Cluj. É um treinador de ataque e gosta de sair a jogar. Para além disso, trata-se de um treinador com boa relação com os jogadores. Apesar de ser um líder, consegue ouvir-nos”, reforça.

in record