30 de maio de 2016

Daúto Faquirá pensado para novo treinador

A Académica continua à procura do novo técnico depois de Filipe Gouveia abandonar o cargo no final da temporada e, como notícia a edição de A BOLA este domingo, Daúto Faquirá integra a lista de potenciais candidatos. 

O treinador luso-moçambicano é um dos nomes pensados por Paulo Almeida, único candidato às eleições do clube, agendadas para o próximo mês junho, para tentar reerguer a Briosa, após a descida à Liga 2. 

No entanto, o dossier só vai ficar resolvido após as eleições do próximo dia 11 de junho. 

28 de maio de 2016

Paulo Almeida apresenta candidatura e respectiva lista

video


ACADÉMICA | A DIRECÇÃO PRESIDIDA POR PAULO ALMEIDA
Presidente 3644 Paulo Luís Cunha de Almeida
Vice-Presidente 1445 Pedro Moreira Dias Frias Roxo
Vice-Presidente 2240 Gustavo Angelo Fânzeres da Mota
Vice-Presidente 3233 Miguel Pedro Correia
Vice-Presidente 1782 Américo Manuel C. Cardoso Santos
Vice-Presidente 2572 Pedro Jorge Novais Ferrão
Vice-Presidente 2607 Afonso Luís Torneiro Pedrosa
1º Suplente 928 Rui Manuel Silva Pacheco Mendes
2º Suplente 620 Carlos António Miguel Gonçalves
3º Suplente 12013 José Miguel Vasques dos Santos Franco
4º Suplente 1171 José Emílio B. A. Campos Coroa

ACADÉMICA | O CONSELHO FISCAL LIDERADO POR MATEUS FERREIRA
Presidente 2002 Alcídio Manuel Frazão Mateus Ferreira
Vogal 2059 Miguel José Ferros Pimentel Reis da Fonseca
Vogal 1647 Manuel Madeira Teixeira
1º Suplente 8713 Rui Pedro Couceira Teixeira
2º Suplente 10288 Maria Manuela Pinto da Cruz Teixeira

ACADÉMICA - A MESA DA ASSEMBLEIA GERAL LIDERADA POR JOÃO VASCO RIBEIRO
Presidente 330 João Vasco Fonseca Jorge Ribeiro
Vice-Presidente 3294 Sérgio Nuno Coimbra Castanheiro
1º Secretário 2114 Alexandre Cardoso Correia Mota Pinto
2º Secretário 1493 Maria João de Barros Campos
1º Suplente 5383 Ricardo Miguel Navalho Clérigo
2º Suplente 12387 João Miguel Marques Pereira



ACADÉMICA | O CONSELHO ACADÉMICO LIDERADO POR MÁRIO CAMPOS
1 243 Mário Alberto Domingues Campos 52 anos
2 938 Francisco C. Figueiredo Andrade 42 anos
3 438 António Pereira Marques 47 anos
4 540 José Manuel Ferreira da Silva 45 anos
5 228 António José Gonçalves Castanheiro Jorge 52 anos
6 945 João Paulo Cunha Pinto Mendes 42 anos
7 1650 Horácio André Antunes 34 anos
8 213 Armando Braga da Cruz 53 anos
9 1274 António Luís Almeida S. Ferrão 39 anos
10 8791 José Carlos Alexandrino Mendes 11 anos
11 2072 Luis Pedro David Reis 31 anos
12 919 Carlos Manuel dos Santos Andrade 42 anos
13 1856 Guilherme Augusto Mariano Pego 32 anos
14 2633 Manuel João Andrade Castilho 27 anos
15 2905 António Miguel Fonseca Martins Arnaut 25 anos
16 5726 Francisco Manuel Pereira Batista 12 anos
17 523 Mário Guilherme Freitas Figueiredo Costa 45 anos
18 845 José Carlos Almeida Clemente 42 anos
19 4552 João Carlos Neves Bandeira 19 anos
20 511 Eduardo Alberto Font Xavier Cunha 45 anos
21 797 Carlos Alberto da Cruz Santos 42 anos
22 967 Jorge Nuno Pires Sampaio 41 anos
23 1400 Filipe Cavaco Castanheiro Jorge 37 anos
24 1123 Vladimiro Apóstolo Ramos Viana 40 anos
25 1628 Filipe Cardoso Paiva 34 anos
26 1968 Joana Moreira Dias Frias Roxo 32 anos
27 1750 Cláudio Filipe dos Santos Coelho 33 anos
28 2126 Gonçalo Dinis Quaresma Sousa Capitão 29 anos
29 3468 Pedro Silva Afonso 21 anos
30 3445 Tiago André dos Reis Marques 21 anos
31 5094 António Pedro Correia 18 anos
32 3421 Nuno Filipe Teixeira Pimenta 21 anos
33 4702 Maria Inês Cravo 19 anos
34 5094 António Pedro Correia 18 anos
35 5618 José Eduardo Baptista 15 anos
36 6024 João Francisco Cruz T. Jorge Ribeiro 13 anos
37 1389 Luís Miguel de Figueiredo Silvestre 37 anos
38 3966 António dos Reis Marques 19 anos
39 156 Alfredo José Fanzeres da Mota 58 anos

in noticiasdecoimbra


O advogado Paulo Almeida, de 42 anos, é o único candidato à sucessão de José Eduardo Simões na Académica de Coimbra, nas eleições agendadas para 11 de junho, disse à agência Lusa fonte da comissão eleitoral.

A mesma fonte disse que a lista de Paulo Almeida apresentou candidatos para todos os órgãos sociais (direção, assembleia e conselho fiscal), incluindo conselho académico.

Acrescentou ainda que deu entrada uma outra lista para o conselho académico apresentada pelo movimento Simplesmente ‘briosa’.

As listas concorrentes tinham de dar entrada na secretaria do clube até às 20h00 de hoje.

A direção de José Eduardo Simões, que liderou o clube nos últimos 13 anos e meio, demitiu-se a 9 de maio, dois dias depois do empate sem golos com o Sp. Braga, que ditou a descida do clube de Coimbra à II Liga, após 14 épocas consecutivas no principal escalão.

O advogado Paulo Almeida, que exerceu o cargo de vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral no atual mandato, apresentou-se ao final da tarde de hoje com o lema ‘Académica Viva’.

O candidato avançou com uma lista que terá seis vice-presidentes e João Vasco Ribeiro, antigo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, como cabeça de lista à Mesa da Assembleia-Geral.

Paulo Almeida candidata ao conselho fiscal Alcídio Mateus Ferreira e ao conselho académico o médico Mário Campos, antiga glória do clube.

O ato eleitoral para os órgãos sociais vai decorrer a 11 de junho, entre as 10h00 e as 22h00, no Pavilhão Jorge Anjinho, com 2.861 associados em condições de votar.

in maisfutebol

27 de maio de 2016

Paulo Almeida apresenta candidatura esta sexta-feira

Está marcada para as 17.30 horas desta sexta-feira, no Clube de Memórias, a cerimónia de apresentação da candidatura de Paulo Almeida à presidência da Direção da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol.

Paulo Almeida

O advogado ainda está a ultimar a lista que irá encabeçar mas parece já certo que Pedro Roxo será o vice-presidente para o futebol.
Miguel Correia e Pedro Ferrão também deverão assumir outras vice-presidências.

Para o Conselho Fiscal, Alcídio Mateus Ferreira é o candidato a presidente, com nomes como os de Miguel Fonseca e Manuel Teixeira também na lista.

No que à Mesa da Assembleia Geral diz respeito, João Vasco Ribeiro apresenta-se como candidato a ser o representante máximo dos sócios. Ainda não são conhecidos todos os nomes que irão compor a Mesa da AG mas, ao que A BOLA apurou, Maria João Campos, filha de Vítor Campos e sobrinha de Mário Campos, dois dos nomes maiores da história da Briosa, é uma das personalidades escolhidas. 

Mário Campos, precisamente, será o número um ao Conselho Académico, onde terá a companhia, entre muitos outros, do não menos ilustre Manuel António.

in abola

24 de maio de 2016

Paulo Almeida candidato?

Paulo Almeida será candidato à presidência da Académica nas eleições de dia 11 de junho, apurou Record. O ainda ‘vice’ da mesa da assembleia geral já estabeleceu alguns contactos com vista à preparação da próxima temporada, estando, inclusive, em negociações para que Costinha seja o próximo treinador. 

Se este cenário se confirmar, será o regresso do antigo internacional ao ativo, depois de ter liderado o Beira-Mar e o P. Ferreira.

COSTINHA NA EXPECTATIVA

Costinha está na expectativa sobre a possibilidade de assumir o comando técnico da Académica, conforme Record avançou.

"Fico muito satisfeito por ser associado a uma instituição como a Académica. Coimbra merecia que tivesse permanecido na 1ª Liga, é um clube com grande tradição e que tem o carinho de muitos portugueses", referiu o antigo internacional, em declarações à Antena 1, não querendo, porém, assumir a ligação a Paulo Almeida, vice-presidente da mesa da assembleia geral da Briosa, que se prepara para ir a votos no dia 11 de junho. "Até agora não tenho nenhuma proposta. Continuo à espera que o telefone toque, mas sem me associar ou vir para um espaço de comunicação para que me venham buscar. Quem me quiser tem de ser pela minha competência", disse Costinha.

in record 

23 de maio de 2016

«Maior erro foi não ter ido embora a 2 de fevereiro» - Filipe Gouveia

Falhado o objetivo de manter a Académica no principal escalão do futebol português, Filipe Gouveia explicou o que correu mal.

Filipe Gouveia

«Logo em outubro, marcámos uma primeira reunião para tratar do reequilíbrio do plantel. Disse ao presidente que precisávamos de reforços, mas mais importante era emagrecer o plantel. Tínhamos 30 atletas. Isso é inconcebível. Não dá para trabalhar convenientemente com tantos jogadores. Pode haver quem o faça e eu respeito, mas entendo que não é o ideal. Abriu-se e fechou-se o mercado de transferências e quase tudo continuou igual. Falharam com o prometido e o meu maior erro foi não ter ido embora imediatamente a seguir, a 2 de fevereiro», disse em entrevista a A BOLA, explicando que não saiu devido a «um pacto» com os jogadores.

«Por causa dos jogadores e da Académica, que além de ser uma instituição grandiosa me merece o máximo de respeito, fiquei. Havia a séria esperança de que era possível garantir a permanência. Se tivesse saído, porventura, nem seria incluído no rol de culpados de algo contra o qual lutei com todas as minhas forças», referiu.

Assumindo que «por norma, o treinador é o mau da fita», Filipe Gouveia considera que «os grandes culpados foram as pessoas que escolheram o plantel no início de época» e rematou:

«Todos sabem quem fazia e desfazia na Académica, quem escolheu o plantel e não foi capaz de encontrar solução para os jogadores que era necessário dispensar. O presidente tinha sempre a última palavra, mas havia pessoas que lhe deviam ter alertado para os riscos que corríamos e nada disseram. Nomeadamente, numa reunião em que o presidente saiu porta fora. Deviam ter dado um murro na mesa... Só eu tive a coragem de lhe dizer o que estava mal, o que era preciso melhorar.» 

in abola

20 de maio de 2016

Gonçalo Paciência deixa coração em Coimbra

Gonçalo Paciência deixou esta quarta-feira no Facebook uma mensagem de despedida da Académica muito emotiva. "Cheguei por empréstimo do FC Porto e saio como mais um adepto da Académica."

"Dizer adeus nunca é fácil, principalmente quando se deixa uma casa que passou a ser também nossa e que passa por um momento tão difícil. Na Académica passei 11 meses, tão difíceis como desafiantes, por todas as dificuldades que encontrámos, por todo o apoio que sempre recebi dos adeptos que fazem deste clube uma instituição única, demasiado grande para passar por mais esta provação. Deixo a Académica sabendo que, apesar de tudo o que passámos, aprendi muito. Parto com a certeza de que cresci como jogador mas, sobretudo, como pessoa. Só não quero partir sem deixar bem claro o quanto estou agradecido aos que sofrem com este clube pelo apoio que me deram, sem que tenham a certeza de que cheguei por empréstimo do FC Porto e saio como mais um adepto da Académica, certo de que cedo voltará ao lugar que merece", escreveu Gonçalo Paciência na sua página de Facebook.

Assembleia Geral sem candidatos assumidos

A Assembleia Geral desta noite, realizada no Pavilhão Jorge Anjinho e que teve a participação de quase 400 sócios, ainda não ofereceu ao universo academista um novo candidato à presidência do clube.


Na reunião magna, e por entre os inúmeros discursos dos associados inscritos para o efeito, destaque para as palavras de Nuno Oliveira, candidato que, por apenas 15 votos, perdeu as eleições para José Eduardo Simões, em 2014. O jovem advogado não assumiu a recandidatura mas, pelo menos, deixou a porta entreaberta para esse desiderato:

- Esta Assembleia Geral é a prova evidente de que a Académica está viva e tem futuro. E é hora de refundar a Académica. É hora de virar a página no projeto e nas pessoas que lideraram esse projeto fracassado. Qualquer solução de governação tem que ter, obrigatoriamente, soluções financeiras para fazer face às dificuldades de tesouraria da Instituição. Não sou indiferente às centenas de manifestações de apoio que tenho sentido nas últimas semanas. Nos últimos tempos, quero que saibam, não fiz nenhum convite. Até este momento ainda não fiz um contacto, posso garantir. Tenho entrado em contacto com várias empresas e empresários para saber da possibilidade de haver parceiros económicos para a Académica. Posso garantir que há um conjunto de empresas que estão dispostas a ajudar a Académica. Só estarei disponível para avançar caso haja uma convergência dentro das pessoas que fazem parte de um movimento desde 2013. Caso se confirme a perspetiva divisionista, não contem comigo. Recuso-me a fazer parte de um movimento que crie mais clivagens e divisões na Académica. Se, todavia, esse caminho que preconizo, forem aquilo que os sócios comigo, contem comigo. Vamos à luta pela Académica e contra os nossos adversários. É hora da Académica.

Além de muitos outros sócios que discursaram, e que salientaram, vastas vezes, a necessidade de união no seio academista, também falou Salvador Manuel Arnaut, vice-presidente para a área financeira da Direção demissionária. 

«Deixámos uma marca que nos vai acompanhar para o resto das nossas vidas. Estamos numa situação particularmente triste, consumada que foi a descida de divisão. O presidente achou que devia dar o palco a outros e que seria mais fácil encontrar soluções sem a presença dele. Julgo que todos resolvemos respeitar. Estaremos até ao último dia em funções e a prestigiar o nosso cargo e o nome da Académica. Quem quer que venha pode contar com a nossa inteira disponibilidade, nomeadamente na transição e num futuro próximo. Nada será sonegado», sublinhou, naquele que foi o único membro da Direção ainda presidida por José Eduardo Simões – que não marcou presença na reunião magna – a tomar a palavra.

in maisfutebol 

«A Académica voltará a erguer-se e com mais força do que nunca» - Leandro Silva

A temporada já acabou, a descida de divisão está consumada mas, ainda assim, continuam a chover elogios à Académica.

Leandro Silva

No caso concreto, falamos de Leandro Silva. O jovem médio, que esta época representou os estudantes por empréstimo do FC Porto, deixou, através da sua página oficial do Facebook, um agradecimento pelos tempos que passou em Coimbra e uma forte mensagem de esperança ao clube:

- Estarei para sempre grato a este grande clube que me ajudou a crescer a todos os níveis. Abriu-me as portas da primeira Liga e muito do reconhecimento que hoje tenho no mundo do futebol devo-o à Académica. Não tenho palavras para descrever o carinho que recebi… Esse carinho que ainda tenho sentido por parte de muitos adeptos atenua a tristeza por não termos conseguido os nossos objetivos. Mas de uma coisa tenho a certeza: a Académica voltará a erguer-se e voltará com mais força do que nunca e eu serei mais um a apoiar a nossa BRIOSA! O meu muito obrigado ao Clube e aos seus Adeptos por Tudo! Quem joga um dia pela Associação Académica de Coimbra fica de tal modo preso a isto que pela vida fora terá sempre gratas recordações.

Recorde-se que Leandro Silva foi um dos jogadores mais utilizados pela Académica em 2015/2016, sendo que a entrega e dedicação que sempre demonstrou acabaram por ser alguns dos fatores que o tornaram num dos preferidos dos adeptos. 

in abola 

18 de maio de 2016

2015/16 - 34J - Tondela 2 - Académica 0

Balanço da época

Figura: Hugo Seco Um toque de qualidade numa equipa onde esta não abundava.

Revelação: Leandro Silva Não terá jogado o suficiente para um lugar no FC Porto, mas jogou o suficiente para uma nova oportunidade na Liga.

Deceção: Gonçalo Paciência Será o primeiro a admitir que a época não lhe correu como desejava. Tem qualidade para mais.

Melhor momento: 4-3 ao Belenenses Um dos jogos com mais golos da Liga sorriu à Académica.

Pior momento: derrota com o União A descida só ficou selada no empate com o Sp. Braga mas percebeu-se após o desaire na Madeira em que até Gouveia perdeu a cabeça.

Onze base: Pedro Trigueira; Aderlan, João Real, Ricardo Nascimento e Rafa; Fernando Alexandre e Leandro Silva; Nii Plange, Hugo Seco e Rafael Lopes; Gonçalo Paciência

in maisfutebol

16 de maio de 2016

2015/2016 - 34J - Tondela 2 - Académica 0



nº espectadores: 3 050
árbitro: Rui Costa 

Crónica

Notável. O Tondela venceu a Académica na derradeira ronda e, aproveitando a derrota do U. Madeira diante do Rio Ave, alcançou a tão desejada permanência, que chegou a parecer uma miragem.

« Tudo é impossível até acontecer». A mensagem que se leu numa das tarjas mostradas pelos adeptos tondelenses na entrada das equipas dava o mote. Porque lá diz o povo que só não há solução para a morte. E apesar de a morte do Tondela ter sido decretada várias vezes, os viseenses, ao melhor jeito de Mark Twain, escritor norte-americano, mostraram que as notícias da sua morte tinham sido «manifestamente exageradas».

O trajeto do Tondela no último terço do campeonato merece todos os elogios. Petit fez com que os seus jogadores acreditassem na velha história do «enquanto for matematicamente possível...», que, por si só, costuma ser um sinal de que as coisas não estão famosas.

E não estavam. As contas tondelenses eram tudo menos simpáticas. O clube chegou a estar 11 pontos abaixo da linha de água. Mas não se rendeu. Respirou fundo e começou a amealhar pontos. Apesar das vitórias que foi conseguindo, durante muito tempo esses pontos só serviram para diminuir o fosso para os adversários diretos, tal era a distância do lanterna-vermelha para os restantes.

  Só que o Tondela foi buscar pontos onde poucos pensavam ser possível: sendo o estádio do Dragão, onde venceram, o expoente máximo desse trajeto que se fez de vitórias também em Paços de Ferreira, Moreira de Cónegos e Setúbal.

A crença foi crescendo ao ritmo que outras equipas que lutavam pela sobrevivência foram tropeçando.

Serranos não lutaram para morrer na praia

No jogo de todas as decisões, os tondelenses sabiam que tudo o que fora feito ao longo desta recuperação não valeria de nada se não vencessem a Académica. E se a pressão podia ter feito com que os jogadores auriverdes entrassem nervosos, a verdade é que esta equipa não é a mesma a quem, em determinada altura da época, tudo parecia correr mal.

Este Tondela, além de confiante, tornou-se uma equipa adulta que sabe gerir momentos e emoções. E isso viu-se diante da Briosa. Os homens de Petit assumiram o jogo e encostaram os estudantes à sua defesa.

E a pressão surtiu efeito muito cedo: logo aos 12 minutos, Pica – o jogador talismã do Tondela – subiu à área contrária para dar a melhor sequência a um primeiro cabeceamento de Nathan.

Em vantagem, os tondelenses baixaram um pouco as linhas de pressão, mas não deixaram de manter domínio, mantendo segura a baliza de Cláudio Ramos, que só esteve em perigo num bom remate de Marinho aos 37 minutos.

Alegria do Rio Ave desagua em Tondela

A melhor forma de descrever a forma controlada como o Tondela foi gerindo o jogo na etapa complementar – perante uma Académica demasiado apática para o pergaminhos do clube, muito apesar da descida já estar consumada – é dizer que se o coração dos adeptos estava no estádio João Cardoso, os ouvidos estavam concentrados na Madeira, onde o Rio Ave tornava o sonho tondelense cada vez mais próximo de se tornar realidade.

Isto porque Luís Alberto fez o segundo do Tondela à entrada da segunda parte, respondendo a um bom trabalho de Hélder Tavares na direita, tento que foi tão festejado como os golos do Rio Ave na Madeira. Não que os tondelenses fizessem questão de ver os vila condenses na Europa, mas porque isso significava a ultrapassagem ao U. Madeira mesmo sobre a meta.

«Isto nunca foi esperado», dizia um adepto do Tondela com o seu melhor sorriso enquanto filmava a festa feita entre adeptos e jogadores, bem no centro do relvado. Notável.

Uma palavra final para a Académica que depois de 14 anos na I Liga, cai com estrondo na II Liga. A imagem que deixou nesta despedida foi triste. Talvez não se esperasse outra coisa de uma equipa já condenada, mas tivessem os jogadores mostrado metade da atitude dos seus adeptos, o desfecho poderia ter sido outro.

A equipa de Coimbra não mostrou qualquer encanto na hora da despedida.

Destaques 

A figura: Pica
Não há coincidências. O início da recuperação do Tondela deu-se aquando da entrada do central alentejano no onze de Petit. Nessa partida diante do Belenenses (jornada 27) foi decisivo, ao marcar o golo do empate nos descontos. Depois disso, voltou a a mostrar dotes de goleador das horas decisivas com um golo determinante que deu o triunfo no Bonfim, diante do V. Setúbal (jornada 31). No último fôlego da esperança tondelense, João Pica voltou a “picar” o ponto, marcando o golo inaugural. Nas horas vagas, quando não está decidir na área contrária, é o patrão da defensiva auriverde.

Menção honrosa: Petit
O ex-internacional português assumiu o comando do Tondela depois da 12.ª jornada, quando os viseenses ocupavam o último posto, com cinco pontos. A equipa demorou a assimilar as ideias do terceiro treinador da época, e quando os primeiros resultados começaram a aparecer, parecia que vinham demasiado tarde. Só que Petit acreditou. Mais do que isso, fez com que os seus jogadores acreditassem e chegou à última jornada com hipóteses de manter o clube no convívio entre os grandes, e fê-lo. É daquelas conquistas em que o «dedo do treinador» é evidente.

O momento: Pica indica o caminho
Há algumas semanas, Pica confidenciou ao Maisfutebol que os colegas brincavam com o seu poder de «talismã», dizendo que quando o central está em campo «fecha as linhas aéreas». Ora, desta vez, o central foi o radar dos auriverdes, indicando o caminho do sonho logo aos 12 minutos, inaugurando o marcador.

Positivo: apoio dos adeptos até ao último suspiro
A Académica chegava à derradeira ronda com a despromoção já consumada. Mas isso não impediu cerca de duas centenas de adeptos dos estudantes de fazer a curta viagem até Tondela para dizer à equipa que esta “nunca estará só na primeira ou segunda divisão”, como dizem num dos seus cânticos. Do outro lado, cheios de esperança pelo percurso recente do conjunto de Petit, os tondelenses juntaram-se no estádio João Cardoso para tentar empurrar a equipa para a vitória. No final, num gesto muito bonito, algumas dezenas de adeptos da equipa da casa interromperam os festejos para ir aplaudir o público afeto à Académica.

Outros destaques: 

Cláudio Ramos
Um garante de segurança, o guardião do Tondela. Nas poucas vezes que a Académica conseguiu chegar à área dos beirões esbarrou nas defesas de Cláudio Ramos. É dos jogadores mais merece a permanência. Nem sempre foi titular, mas correspondeu sempre quando foi chamado.

Hélder Tavares
Foi dos jogadores mais regulares ao longo da época, sendo peça preponderante para os três técnicos que passaram por Tondela. Defensivamente é extremamente competente nas dobras aos colegas, mas também não se coíbe de atacar. Num desses lances, subiu pela direita para cruzar para o golo de Luís Alberto.

Marinho e Rafa
O capitão dos estudantes é dos jogadores mais acarinhados pelos adeptos e voltou a sê-lo nesta despedida. Na primeira parte foi seu o lance mais perigoso dos conimbricenses. Já o lateral cedido pelo FC Porto tentou balancear-se para o ataque e criou alguns desequilíbrios na defesa contrária. Os menos maus.

Opiniões 

Miguel Pinto, adjunto de Gouveia na Académica, assume que o futuro da Académica não deve contar com a equipa técnica que terminou esta época, em declarações no final da partida em que os estudantes perderam 2-0 diante do Tondela e confirmaram o último posto da classificação.

[antes das perguntas, o adjunto de Gouveia pediu para dar um esclarecimento]
«Acusaram o nosso líder de não comparecer à conferência de imprensa, e quero esclarecer que ele tem um processo e não pode fazê-lo. Desde que aqui chegou, ele sempre deu a cara e só por esse motivo é que não veio: porque está impedido pelas regras. Mas ele deu e vai continuar a dar sempre a cara pelo grupo.»

[sobre o percurso da equipa]
«A Académica entrou sempre em campo para ganhar e, neste jogo, também tentou. Tivemos sempre a mesma atitude, mas só atitude não chega. Se calhar tivemos jogos em que nos faltou qualidade, sorte e outros componentes do jogo.»

[sobre o futuro]
«No futuro não deve esta equipa técnica a treinar o clube. As coisas vão ser reestruturadas, a direção demitiu-se e é normal depois de uma descida de divisão haver alterações».

Petit: o cheiro a champanhe e a conversa antes do Dragão

«Epá, cheiro a champanhe». O sorriso na face e a frase sussurrada por Petit ao sentar-se diante dos jornalistas para comentar a vitória diante da Académica, e a consequente permanência da sua equipa na I Liga, resume o espírito com que o treinador do Tondela após uma conquista notável.

Ele que ainda não sabe se continuará em terras beirãs – apesar de Gilberto Coimbra, presidente do clube ter dado a entender a continuidade do técnico, aos microfones da rádio –, mas que vai admitido que existe «sintonia com o presidente». «Agora vou descansar durante três dias, e na quarta-feira voltamos aqui para nos despedirmos dos jogadores», atirou.

Então, mas o que tem Petit a dizer desta caminhada triunfante?

«Muitos diziam que chegámos tarde e quando faltavam poucos jogos ninguém acreditava. O mais importante foi aquilo que acreditámos ao longo destes meses, com os jogadores a acreditar e a lutar sempre até à última gota de sangue. Isto é um prémio justo pela caminhada que fizemos ao longo deste tempo, em que já estávamos mortos e nos conseguimos levantar», exaltou, fazendo questão de deixar «um abraço ao Vítor [Paneira] e ao Rui [Bento], que também o merecem.»

Quem também mereceu um palavra de agradecimento na hora da festa foram os adeptos que compareceram em massa para o jogo decisivo diante da Académica e que tiveram oportunidade de festejar junto dos adeptos após uma invasão pacífica do terreno de jogo.

Petit reforçou uma ideia que vinha a repetir há várias semanas de que «era importante para esta região e estes adeptos ter uma equipa na I Liga». Assim, o técnico deu-lhes «os parabéns por terem comparecido, terem acreditado e empurrado a equipa», deixando ainda uma palavra ao presidente, «que merece [a festa] por tudo o que tem feito pelo clube.»

A conversa que deu o clic na noite anterior à vitória no Dragão

Desafiado a comentar se tinha sido o triunfo na casa do FC Porto a ser determinante nesta ponta final de campeonato, Petit recordou um episódio que se passou na véspera dessa partida e que pode ter sido parte do segredo para a festa que se desenrolou neste sábado.

«Tivemos uma conversa de uma hora na noite anterior ao jogo no Dragão, onde não fui eu a falar com os jogadores, mas eles a dizerem aquilo que sentiam e que poderia acontecer. O possível 'milagre' como dizem, que passava pelo jogo com o FC Porto. Faltava aquele clic, e essa vitória deu mais confiança aos jogadores para esta reta final fabulosa em que eles acreditaram.»

Acreditaram e foram premiados por isso, mas, novamente sem esconder o sorriso, Petit garantiu que «mesmo que a equipa tivesse descido», estaria «muito orgulhoso dos jogadores».

«Estamos todos de parabéns e agora há que desfrutar deste momento histórico que fizemos hoje», concluiu.

Ao minuto 

90'O União da Madeira perde com o Rio Ave e desce de divisão! A recuperação do Tondela é incrível!!
90'FIM DO Tondela, (2) - Académica, (0)
O TONDELA FICA NA I LIGA!!!
90'O Tondela está a gerir bem a posse de bola
90'Entra D. Menga (Tondela)
90'Sai Wagner (Tondela)
90'Três minutos de descontos
90'Muito bem Cláudio Ramos, mais uma vez
89'Livre para a Académica em zona perigosa... sobre a direita
88'Petit reforça o meio campo
88'Entra Karl (Tondela)
88'Sai E. Moreno (Tondela)
84'Agarra Cláudio Ramos! Bom pontapé de Rafa, mais um
81'Cartão amarelo para Aderlan.
81'WAGNER! O livre passa perto do ferro! Perigoso!
80'Mais um livre para o Tondela...
79'Cartão amarelo para Pedro Nuno.
78'E agora é Erick Moreno! Muito bem o Tondela
77'NATHAN!!! Bomba de fora da área, bola a rasar o poste direito da Briosa
76'Entra I. Gui (Académica)
76'Sai Nii Plange (Académica)
75'Defende Cláudio Ramos! Ameaça de Rafa. Importante esta defesa
74'Atira Bruno Monteiro! Ao lado!
72'Entra J. Murillo (Tondela)
72'Sai Luis Alberto (Tondela)
71'Segura Cláudio Ramos! Livre de Pedro Nuno
70'Rafa ganha um livre na esquerda...
67'Mais um golo do Rio Ave! União em situação complicada, o Tondela festeja! Mas faltam mais de 20 minutos
67'Sai Ricardo Nascimento (Académica)
65'Sai Marinho (Académica)
65'Entra Rui Pedro (Académica)
65'Entra Mun Ki Hwang (Académica)
63'Ricardo Nascimento pede assistência médica...
62'Fica por assinalar, aparentemente, um penálti a favor do Tondela
59'Com estes resultados, é o União a descer...
58'GOLO DO RIO AVE! Bressan. Festa em Tondela!
57'Mal, Erick Moreno, duas vezes. A bola não passa da barreira
56'Livre em zona perigosa a favorecer o Tondela...
53'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Luis Alberto.
Excelente finalização!!! Erick Moreno foge na direita e faz o passe atrasado. O médio finaliza com classe! Pontapé rasteiro e colocado
53'Muito bem João Pica, a atrasar de cabeça para Cláudio Ramos e a permitir ao Tondela reorganizar-se
51'Em Tondela celebra-se a expulsão de Paulo Monteiro, defesa do União da Madeira
51'Wagner ao lado!! Boa iniciativa pela esquerda e remate às malhas laterais
48'Pontapé de Gonçalo Paciência! Forte, a direito, mas por cima da barra do Tondela!
46'Recomeça o Tondela - Académica
45'Intervalo no Tondela - Académica
Vantagem para o Tondela, muito forte na primeira meia hora. Golo de João Pica, mais um. Boa reação da Académica nos últimos 15 minutos, ameaças de Marinho e Aderlan
44'ADERLAN AO LADO! O lateral arrisca à entrada da área! A Académica está a ameaçar!
43'A Académica melhorou de qualidade nos últimos minutos
42'Bom pormenor de Gonçalo Paciência! Recebe e cruza, rasteiro e forte. Tikito corta!
37'Golo do União da Madeira! Os cânticos esmorecem, é mau para o Tondela
37'MARINHO AO LADO! Lance de perigo para a Briosa! O capitão entra na área e o remate de pé esquerdo sai a rasar o poste!
36'O Tondela manda no jogo, autoritário e sem precipitações. Boa resposta
32'Pedro Trigueira afasta a soco! Mais um cruzamento de Wagner, na esquerda
30'Mau passe de João Real para Rafa. Muitas dificuldades para a Briosa
26'Muito bem o Tondela, agressivo e intenso até ao momento
22'Cruzamento de Nuno Santos, a bola atravessa a área da Briosa
18'LUÍS ALBERTO! Pontapé fortíssimo, às malhas laterais
15'Agarra Cláudio Ramos! Cruzamento na esquerda do ataque da Académica
12'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Pica.
DE CABEÇA!!!! Livre na esquerda, Luís Alberto ganha num primeiro instante e João Pica cabeceia ao segundo poste!!
8'Pontapé de Nathan Júnior! A bola bate num defesa da Briosa
4'Cotovelo de Gonçalo na cara de Nuno Santos! Despique no ar, com o ponta de lança a arriscar sanção disciplinar
2'Muita luta nesta fase inicial
1'Começa o Tondela - Académica
0'O árbitro da partida é Rui Costa
0'Gouveia vai assistir à partida na bancada de imprensa do João Cardoso
0'Muito aplaudido Petit ao passar diante da "Febre Amarela", claque que mostra uma tarja onde se lê que "Tudo é impossível até acontecer
0'Enquanto aguardam a entrada das equipas, os adeptos de ambos os conjuntos cantam a plenos pulmões
0'As equipas recolhem agora aos balneários para ouvir as últimas indicações antes do início da partida
0'Apesar de os estudantes já estarem despromovidos, estão cerca de duas centenas de adeptos que viajaram de Coimbra para assistir à partida
0'Esta partida marca o regresso de Petit ao banco, depois de uma suspensão de 25 dias. Do lado da Académica, o jogo de despedida da I Liga não terá Gouveia no banco, também devido a castigo
0'Num dos topos da bancada do estádio João Cardoso está colocada uma faixa gigante onde se pode ler um recado para os jogadores tondelenses: "Hoje é o dia. Façam história".
0'Entram agora os jogadores da Académica no relvado. A equipa de arbitragem também já aquece
0'As bancadas do João Cardoso já estão bem compostas e ainda está muita gente nas imediações do estádio para entrar. Recorde-se que os bilhetes esgotaram, para esta partida que pode ditar a permanência dos beirões na I Liga
0'Entra neste momento a equipa do Tondela para os exercícios de aquecimento.Do lado da Académica, apenas o guardião Trigueira já aquece
0'Suplentes Académica: João Gomes (GR), Nuno Piloto, Makonda, Iago, Gui, Ki e Rui Pedro
0'Suplentes Tondela: Zubikarai (GR), Bruno Nascimento, Jaquité, Karl, Dolly Menga, Murillo e Romário Baldé
0'ACADÉMICA: Pedro Trigueira; Aderlan, Ricardo Nascimento, João Real e Rafa; Fernando Alexandre e Leandro Silva; Marinho, Pedro Nuno e Nii Plange; Gonçalo Paciência.
0'O estádio vai encher! Mais de três mil pessoas estarão a assistir à partida
0'Rabiola (castigado); Lee, Ivanildo, Hugo Seco e Rafael Lopes (lesionados); Emídio Rafael e Obiora (condicionados) são as baixas na Académica
0'Lucas Souza e Kaká (castigados); Oto'o Zué e Luís Tinoco (lesionados) são os ausentes no Tondela
0'Com esta conjugação de resultados, o Tondela fica na I Liga. União e Vitória Setúbal continuam a empatar
0'Um triunfo permitiria ainda à formação coimbrã não deixar a Liga como a única equipa sem qualquer vitória fora de portas
0'No mesmo período em que o Tondela somou 14 pontos, os estudantes conseguiram dois
0'Apesar de depender de terceiros, o Tondela tem razões para sonhar com um um feito, no mínimo, notável, tendo em conta o cenário com que se deparava há dois meses
0'A Académica já está matematicamente despromovida
0'Quatro vitórias, dois empates e apenas uma derrota (em Braga) nas últimas sete jornadas fizeram com que a equipa de Petit desse um salto pontual impensável
0'TONDELA: Cláudio Ramos; Lima, João Pica, Tikito e Nuno Santos; Luiz Alberto, Bruno Monteiro e Hélder Tavares; Wagner, Erick Moreno e Nathan Júnior
0'Vamos já ao ONZE OFICIAL DO TONDELA!
0'Afasta Leandro Silva! Bola muito pelo ar
0'Boa tarde! O Tondela tem hoje a grande final! A equipa de Petit tem de vencer para continuar na Liga e esperar o que ocorre nos jogos do União e do V. Setúbal
Acompanhe aqui o AO MINUTO deste jogo dia 14 Mai 2016 às 19:30

14 de maio de 2016

Tondela-Académica (antevisão): sonhar (já) não é para todos

Os beirões chegam à última jornada com esperanças legítimas de permanecer na Liga, enquanto os estudantes já estão relegados

Há várias semanas que se percebia que a partida entre o Tondela e a Académica, na última jornada, poderia ajudar a definir contas nas despromoções. O que poucos esperariam é que fosse a equipa da casa a única a chegar aqui com esse sonho vivo.

Só que a verdade é que, se o Tondela teve o mérito de fazer arrastar as decisões até ao último jogo, a Académica apenas se arrastou nesta ponta final, chegando aqui com a certeza de que o seu destino vai passar pela II Liga na próxima jornada.

O sonho do milagre já só conta para o conjunto de Petit, enquanto aos estudantes, resta tentar limpar a pálida imagem que deixaram nesta reta final de campeonato.

MOMENTO

TONDELA: Vivo. A melhor forma de descrever o Tondela à entrada para a última jornada é dizer que, ao contrário do que muitos acreditavam, a equipa chega à derradeira ronda da Liga com possibilidades reais de se manter entre os grandes do futebol nacional. Quatro vitórias, dois empates e apenas uma derrota (em Braga) nas últimas sete jornadas fizeram com que a equipa de Petit desse um salto pontual impensável, alcançando, nesses jogos, tantos pontos como os que tinham até então, em 26. Apesar de depender de terceiros, o Tondela tem razões para sonhar com um um feito, no mínimo, notável, tendo em conta o cenário com que se deparava há dois meses.

ACADÉMICA: No mesmo período em que o Tondela somou 14 pontos, os estudantes conseguiram dois. Uma fase verdadeiramente negra da equipa de Gouveia, que chega a esta partida já relegada para a II Liga e a necessitar de uma vitória para não o fazer como último classificado. Um triunfo permitiria ainda à formação coimbrã não deixar a Liga como a única equipa sem qualquer vitória fora de portas, numa temporada em que abandona o convívio com os grandes, 14 anos depois. Ainda haverá forças para ir em busca desses pontos de honra?

--

AUSÊNCIAS

TONDELA: Lucas Souza e Kaká (castigados); Oto'o Zué e Luís Tinoco (lesionados).

ACADÉMICA: Rabiola (castigado); Lee, Ivanildo, Hugo Seco e Rafael Lopes (lesionados); Emídio Rafael e Obiora (condicionados).

--

DISCURSO DIRETO

Petit (Tondela): «Nos últimos tempos temos feito cada jogo como se fosse o último e amanhã [sábado] é um jogo de grande decisão. A equipa está motivada, confiante e sabe o que tem de fazer: conquistar os três pontos, pois só assim é que podemos sonhar em ficar na I Liga. Vamos ter um jogo difícil, perante uma Académica de orgulho ferido. Respeitamos a Académica, mas vamo focar-nos naquilo que temos vindo a fazer e queremos fazer.»

Gouveia (Boavista): O técnico da briosa não fez a antevisão da partida diante dos tondelenses.

--

HISTÓRICO DE CONFRONTOS:

Na única partida disputada entre as duas equipas, a Académica venceu por 2-1. Foi no jogo da primeira volta do campeonato, com os estudantes a conseguirem, após essa partida, ficar com o dobro dos pontos dos tondelenses: 16 contra oito.

--

EQUIPAS PROVÁVEIS

TONDELA


Outros convocados: lista não divulgada.

ACADÉMICA
Outros convocados: lista não divulgada.

13 de maio de 2016

Filipe Gouveia chama 18 para Tondela

Já é conhecida a lista de convocados da Académica para o encontro da 34.ª e última jornada da Liga, no terreno do Tondela, agendado para as 19.30 horas deste sábado.

O treinador academista chamou 18 jogadores para a despedida da Briosa – da época e do campeonato, uma vez que os estudantes já estão matematicamente despromovidos ao segundo escalão do futebol português, 14 anos depois de terem regressado ao convívio entre os grandes -, com destaque para seis ausências por lesão: Lee (rotura parcial do ligamento medial do joelho), Emídio Rafael (sinovite), Obiora (rotura no adutor esquerdo), Ivanildo (traumatismo no joelho esquerdo), Hugo Seco (traumatismo no pé direito) e Rafael Lopes (luxação no ombro esquerdo).

Além destes elementos, também Rabiola vai falhar a deslocação a Tondela, uma vez que completou, diante do SC Braga, na jornada anterior, uma série de cinco cartões amarelos e, como tal, terá agora de cumprir um jogo de suspensão.

Lista dos 18 convocados:
Guarda-redes: João Gomes e Pedro Trigueira;

Defesas: Aderlan, Ricardo Nascimento, Makonda, João Real, Iago e Rafa Soares;

Médios: Rui Pedro, Leandro Silva, Pedro Nuno, Nuno Piloto e Fernando Alexandre;

Avançados: Marinho, Gui, Gonçalo Paciência, Ki e Nii Plange.

INCERTEZA GERA IMPASSE

O anúncio sobre a demissão em bloco da direção da Académica aconteceu no início da semana, mas até agora não há qualquer candidato oficial ao lugar que nos últimos 12 anos pertenceu a José Eduardo Simões.

As razões para este impasse são simples de entender e prendem-se, em grande parte, pela ausência de certezas em relação ao futuro. Em condições normais, este seria um posto bastante cobiçado, até porque nos últimos anos a oposição à direção que agora se demitiu foi crescendo, fazendo com que surgissem várias facções dispostas a destronar Simões. Mas, na verdade, todos têm o mesmo receio: que Académica será esta após a descida de divisão? E qual a situação financeira do clube, depois de tantos anos de dificuldades na 1.ª Liga?

Mesmo assim, ninguém acredita que não apareçam alternativas a Simões. O nome mais falado é o de Nuno Oliveira. Candidato derrotado em 2014, por apenas 15 votos, continuou a ser uma voz ativa no dia-a-dia da Briosa, conseguindo manter enorme apoio de uma boa parte dos sócios da Académica. Tal como já disse a Record, está neste momento "em reflexão", "sensível à onda de apoio dos mais diversos quadrantes" do clube, mas a tentar "reunir um conjunto de condições de índole financeira" para poder avançar.


Também João Vasco Ribeiro tem uma palavra a dizer neste momento delicado, depois de ter estado em destaque há cerca de meio ano, quando liderou um movimento autointitulado "A Académica tem futuro", que requereu uma Assembleia-Geral para destituição imediata dos órgãos sociais do clube. Na altura prometeu estar na linha da frente quando Simões desse a palavra aos sócios, não tendo havido, até ao momento, qualquer indicação sobre se quererá, agora, sujeitar-se ao julgamento dos sócios.

Com as eleições marcadas para dia 11 de junho, a Assembleia-Geral extraordinária da próxima quinta-feira pode decisiva para se perceber quem partirá da "pole-position" para esta corrida. 

Despedida com vários ausentes

São vários os jogadores em dúvida para o último jogo do campeonato, marcado para sábado (19h30), em Tondela. Para a despedida, o técnico Filipe Gouveia, que termina contrato com os estudantes, não deverá poder contar com Obiora, Emídio Rafael e Ivanildo, que já tinham falhado os últimos jogos, devido a lesão, mas também com o guardião Lee (rotura parcial do ligamento medial do joelho) e Rafael Lopes (Luxação do ombro esquerdo), que também estão entregues ao departamento médico.

Sublinhe-se, a propósito, que o jogo em Tondela pode também ser a despedida de muitos dos jogadores do atual plantel, uma vez que a queda na 2.ª Liga obrigará a uma enorme restruturação no balneáro dos estudantes.

12 de maio de 2016

José Eduardo Simões não vai recandidatar-se

A Direção do emblema da Briosa demitiu-se em bloco na passada terça-feira, tendo Alfredo Castanheira Neves anunciado ainda ontem que o clube vai a votos no próximo dia 11 de junho.

Entretanto, A BOLA soube que José Eduardo Simões não vai recandidatar-se a um novo mandato.

Oito clubes que fizeram pela vida para ser populares

Um desses oito clubes é a Académica.

texto publicado no site mais futebol: link

-Académica, Portugal


Académica, um histórico que vai jogar na II Liga

Não tem, naturalmente, o peso de outros dos exemplos citados, mas se procurarmos em Portugal um clube que poderia apaixonar a «nação hipster», a Académica parece o exemplo que melhor encaixa.

Um histórico que nunca foi campeão nacional, mas conquistou duas Taças. A primeira de sempre, em 1932, e, mais recentemente, em 2012.

Nas últimas décadas vem alternando entre as I e II Ligas do futebol luso (foi despromovida esta época), mas continua com o carinho de muitos pelo país fora. A ligação à Universidade de Coimbra (até aos anos 70 a esmagadora maioria dos jogadores eram estudantes universitários), faz com que o clube seja acarinhado pela classe estudantil e não só.

É, muitas vezes, recordada pela final da Taça de 1969, perdida para o Benfica no Jamor. Mais do que o resultado, o que ficou do jogo foi o protesto estudantil contra o regime ditatorial que vigorava no país. «Melhor ensino, menos polícias» ou «Ensino para todos» podem parecer tarjas banais nos dias de hoje, mas, à época, foram uma grande afronta ao regime.

Ainda hoje a ousadia é recordada. E isso também ajudou a popularizar a Briosa.

11 de maio de 2016

Imbróglio na Liga: Académica acusa V. Setúbal de ter cometido «irregularidade»

«Estudantes» procuram evitar despromoção na secretaria, mas processo ainda nem arrancou na FPF

A Académica, última classificada da liga, avançou com uma exposição para a Liga a pedir a instauração de um processo disciplinar ao Vitória de Setúbal por alegada inscrição irregular de jogadores em janeiro. Um caso que poderia ditar a perda de pontos do clube sadino e, assim, abrir uma janela de salvação para os «estudantes» se, na última jornada, vencessem o Tondela. O problema é que os regulamentos não são claros, pelo contrário, abrem espaço a várias interpretações e, na perspetiva da Federação Portuguesa de Futebol, o clube sadino, nesta fase, ainda não é considerado infrator.

Académica: direção demitiu-se, eleições marcadas para 11 de junho

Mas para se perceber esta história, tempos de recuar até novembro de 2015, altura em que uma comissão de arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, formada para o efeito, condenou o Vitória a pagar 28.674 euros ao Almancil pelos direitos de formação de Mohcine Hassan Nader, filho do antigo avançado marroquino que jogou no Farense e no Benfica.

Segundo o Regulamento do Estatuto, da Categoria, da Inscrição e Transferência de Jogadores, o V. Setúbal estava, a partir deste momento e num prazo de trinta dias, obrigado a saldar a dívida, caso contrário, como se lê no ponto 5 do artigo 44 do referindo regulamento, ficava «automaticamente impedido de registar novos contratos de jogadores seniores masculinos».

A verdade é que o Vitória não pagou o valor em causa ao clube algarvio, o referido prazo de trinta dias, entretanto, foi ultrapassado e em janeiro, na reabertura de mercado, para compensar as saídas de Suk (FC Porto) e Rúben Semedo (Sporting), o clube do Bonfim inscreveu quatro novos jogadores na Liga: Meyong, Makuszewski, Tiago Valente e Salim Cissé.

É com base nestes pressupostos que a Académica avançou com a exposição para a Liga de Clubes, considerando que o Vitória estaria impedido de inscrever jogadores e que a utilização dos mesmos foi irregular. Ora, olhando para os jogos em que o Vitória utilizou, pelo menos, um dos referidos reforços, neste caso catorze jogos, estão em causa quatro pontos que ditariam alterações nos últimos lugares da classificação [a Académica estaria obrigada a vencer o Tondela para poder beneficiar desta situação].

Vitória ainda nem foi notificado

Mas o caso não é assim tão linear, uma vez que, segundo o Maisfutebol apurou, na perspetiva da Federação Portuguesa de Futebol, depois de ultrapassado o prazo definido pela comissão de arbitragem, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol deveria ter aberto um processo disciplinar e notificar o clube sadino, o que, na verdade, ainda não aconteceu.

O processo arrastou-se em janeiro sem que fosse enviada qualquer notificação para o Estádio do Bonfim e, depois de fechado o mercado de transferências, o processo deixou de ter carácter de urgência, até porque há muitos mais processos semelhantes a decorrer.

Neste contexto, o clube sadino só ficará impedido de inscrever jogadores a partir do momento em que for notificado e, assim, cai por terra a exposição da Académica. A Liga de Clubes, também contatada pelo Maisfutebol, também diz «não ter conhecimento de qualquer inibição do V. Setúbal».

Na sequência da queixa da Académica, o U. Madeira já reagiu. O clube informou que «requereu, junto da Liga de Clubes, um esclarecimento para que a veracidade da situação agora reportada seja apurada, no prazo máximo de 2 dias». «Sob pena de a verdade desportiva poder ser colocada em causa», diz o União em comunicado.

(Artigo atualizado)

in maisfutebol 


QUEIXA DA ACADÉMICA SEM ENQUADRAMENTO PARA PENALIZAÇÃO

"Não penso que a Académica consiga alguma coisa em termos desportivos". É desta forma que Pedro Monteiro Fernandes, sócio da Associação Portuguesa de Direito Desportivo, caracteriza o requerimento que os estudantes fizeram chegar à Liga, alegando incumprimento do V. Setúbal em relação ao Almancil. A suposta dívida, de pouco mais de 28 mil euros, poderia reverter numa penalização para os sadinos, caso o outro clube envolvido atuasse nos campeonatos profissionais, o que não acontece.
"Se o que está em causa são direitos de formação [de Hassan Nader] pedidos pelo Almancil, não há qualquer tipo de efeito numa prova organizada pela Liga. A prática tem sido essa. Só nas competições da FPF poderá haver alguma consequência e não nas da LPFP", reiterou a Record. Para o advogado, "os clubes mais pequenos acabam por ser os mais prejudicados, até por desconhecimento dos regulamentos", apontando o dedo à incoerência em termos do Direito. "Se um clube entra em falta com outro que está inscrito na Liga, não há qualquer entrave a que os jogadores sejam inscritos."
Sobre o mesmo tema, o U. Madeira pediu um esclarecimento à Liga no prazo de dois dias "sob pena de a verdade desportiva ser colocada em causa", refere em comunicado.

in record 

2015/16 - 34J - Tondela - Académica: Árbitro

Nomeações da 34.ª jornada:

Programa da jornada:

Sábado (dia 14)
FC Porto–Boavista (11.45 horas), Carlos Xistra (AF Castelo Branco)
Arouca – V. Guimarães (18 horas), André Moreira (AF Leiria)
Belenenses – Estoril (19.30 horas), Bruno Esteves (AF Setúbal)
V. Setúbal – Paços de Ferreira (19.30 horas), João Capela (AF Lisboa)
União – Rio Ave (19.30 horas), Tiago Martins (AF Lisboa)
Tondela – Académica (19.30 horas), Rui Costa (AF Porto)

Domingo (dia 15)
Moreirense – Marítimo (15 horas), Cosme Machado (AF Braga)
Benfica – Nacional (17 horas), Nuno Almeida (AF Algarve)
SC Braga – Sporting (17 horas), Hugo Miguel (AF Lisboa)

10 de maio de 2016

Timings para as eleições

Eleições a 11 de Junho /

Entrega de listas até ao dia 27 Maio.

Académica vai a eleições a 11 de junho após demissão da direção

O presidente da mesa da AG da Académica anunciou a demissão da direção liderada por José Eduardo Simões.

O presidente da mesa da Assembleia Geral da Académica, Alfredo Castanheira Neves, anunciou esta terça-feira a demissão da direção liderada por José Eduardo Simões e a convocação de novas eleições para o dia 11 de junho.

"No dia de ontem à noite [segunda-feira] recebi um comunicado da direção da Associação Académica de Coimbra - Organismo Autónomo de Futebol, endereçado pelo seu presidente, a transmitir a demissão da direção", disse o responsável, numa conferência de imprensa, em que José Eduardo Simões esteve a seu lado, sem responder a perguntas.

A demissão surge depois de, no sábado, várias dezenas de adeptos da Académica terem pedido a demissão da direção do clube, após o empate sem golos com o Sporting de Braga, que ditou a descida do clube de Coimbra à II Liga de futebol, após 14 épocas consecutivas de permanência.

in desporto.sapo.pt


QUEIXA À LIGA SOBRE INSCRIÇÕES DO V. SETÚBAL

Em causa o impedimento dos sadinos contratar jogadores em janeiro por dívida ao Almancil.

in record

A BOLA noticia esta terça-feira que a Académica enviou para a Liga uma exposição, que termina com um pedido de instauração de processo disciplinar ao Vitória de Setúbal por utilização de quatro jogadores irregularmente inscritos em janeiro, o que ditaria a descida dos sadinos e a possibilidade de a Briosa se manter na Liga caso conseguisse vencer o Tondela, na última jornada do Campeonato.

Em causa uma decisão da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol [órgão que tem por função arbitrar diferendos entre clubes] em 18 de novembro de 2015 - referente a uma dívida de 28.674 euros do Vitória ao Internacional de Almancil pelos direitos de formação de Mohcine Hassan Nader -, que decretava o impedimento de os sadinos inscreverem jogadores caso não saldassem essa dívida num prazo de 30 dias.

A Académica não diz que o clube do Bonfim não pagou - a dívida continua pendente, como garantiu a A BOLA o presidente do emblema algarvio -, mas solicita à Liga que averigue esta situação, de forma a determinar se os sadinos estavam ou não impedidos de inscrever jogadores em janeiro, e instaure um processo disciplinar caso se confirmem as suspeitas agora levantadas pelo clube de Coimbra.

Sadinos dizem cumprir as regras

Através de curto comunicado enviado a A BOLA, a SAD do Vitória de Setúbal garantiu que cumpriu tudo o que lhe é exigido para poder inscrever jogadores.

in abola 

Ainda assim Briosa obrigada a ganhar ao Tondela na última jornada.

9 de maio de 2016

Dário Monteiro: «A Primeira Liga vai sentir falta da Académica»

Dário Monteiro, ex-futebolista moçambicano de 39 anos, fez furor envergando a camisola da Académica entre 1996 e 2003, tendo marcado nesse período 75 golos em 163 jogos. A notícia de que a briosa não estará na Primeira Liga Portuguesa na próxima época provocou um sentimento de enorme tristeza no ex-craque, ele que tinha estado na equipa que em 2002 subiu à I Liga.

Dário com a camisola da Académica em 2003

«Estou triste. Foi na Academica de Coimbra que me fiz homem e o jogador que fui. Tive participacao muito positiva na subida há 14 anos por isso é natural que a despromoção da Briosa me deixe triste. Penso que a própria primeira liga vai sentir falta da briosa», comentou.

Para que os estudantes regressem à Primeira Liga o mais rapidamente possível, Dário Monteiro apela à união da família. «Deve haver união. O futebol é um desporto colectivo em que a união faz a força de uma colectividade. Sei que dentro do clube estão criadas duas fações que estão a prejudicar a vida normal do clube. Acompanho a briosa de perto mesmo estando longe. Vou a Coimbra pelo menos uma vez por ano e preocupo-me com a Académica. É preciso se una como sempre. A cidade, a universidade e associação de estudantes devem todo o seu apoio ao clube para que regresse à primeira divisão o mais rápido possível», frisou.

in abola 

Assembleia Geral Extraordinária da AAC/OAF: Aviso Convocatório

A Assembleia Geral Extraordinária de Associados da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol realiza-se no próximo dia 19 de Maio de 2016, quinta-feira, pelas 19:30, no Pavilhão Eng. Jorge Anjinho, sito na Rua Infanta D. Maria, 23.

Consulte aqui o Aviso Convocatório da AG.

Mas afinal quem é que nos representa? Quem dirige? Quem sossega os sócios? Quem pode dar garantias?

A Académica desceu.

Desceu e ninguém apareceu a dar a cara, a garantir aos sócios que o trabalho a desenvolver garantirá o regresso da Briosa à primeira Liga.

Esta presidência em gestão não serve a ninguém!

Sobre a descida de dentro de casa há duas opiniões: 

Fernando Alexandre, capitão de equipa, deixou uma crítica dura ao grupo de trabalho, referindo que a atitude ao longo da época esteve longe de ser a ideal.

«É uma enorme tristeza. Depois desta entrega, desta luta, merecíamos um bocadinho mais. Se a aplicação de toda a época tivesse sido esta… o desfecho era diferente», disse o experiente médio à SporTV, continuando nas críticas.

«É verdade, senti isso. Mas, enfim, estamos juntos, somos todos culpados. A II Liga? Não dá para promessas. Vamos arrumar a casa e ver o que falhou».

Miguel Pinto, adjunto de Filipe Gouveia, teve uma opinião parecida.  

«Não foi hoje que descemos. Temos de assumir os nossos erros. Se calhar não tivemos sempre esta boa atitude».

in maisfutebol

Quem é de fora vê assim a Académica.... Os da casa sabe bem o que é a Briosa.

É difícil não gostar da Académica.

Ou, talvez seja mais isto, é muito difícil alguém querer-lhe mal.

Até admito que pontualmente possam querer, face a um ou a outro jogo ou a uma ou outra atitude das suas gentes, mas as raízes de tais desejos nunca são muito profundas.

Nunca ouvi ninguém dizer à boca-cheia que queria que a Académica descesse. Claro que não se deve desejar o mal dos outros, mas há sempre quem tenha de ocupar esses lugares e quem faz o exercício não escolhe por norma a Briosa. Eu, pelo menos, nunca o ouvi.

Pela cidade, pelo enquadramento estudantil, pela histórica presença entre os grandes, por circunstâncias políticas do passado e pela ligação a muitos jogadores de grande talento, a Académica é aquele clube que faz sempre parte da mobília, e que gostamos de ter por perto.

É como aquele amigo que, não sendo íntimo, convidamos sempre para uma festa porque tem boas estórias para contar e ajuda a fazer bom ambiente.

Nesta época, ou melhor nas últimas duas épocas, se olharmos apenas para as mais recentes, a equipa esteve longe de corresponder ao que o clube exigia. Um clube de raízes profundas e que, corrijam-me se não for verdade, dos que maior potencial apresenta, se olharmos para o que o envolve, entre a lista dos atuais maiores emblemas portugueses.

Posto isto, se o clube não merecia cair para a II Liga, a equipa já parece ir com uma época de atraso, face ao milagre de José Viterbo antes do último verão.

De lá para cá, a qualidade não aumentou, os estudantes somaram seis derrotas a abrir, ganharam cinco jogos aqui e ali e pararam de vencer à 25ª jornada. O plantel, que sempre aparentou ser o mais fraco da Liga, ganhou irreverência com os três miúdos do FC Porto – Rafa, Gonçalo Paciência e Leandro Silva – mas obviamente que, sem referências no grupo à exceção de um ou outro nome, as entradas não resolveram todos os problemas.

Se Viterbo ainda fez um primeiro milagre – e já não deu para um segundo no início do novo campeonato –, Gouveia também não conseguiu travar a queda no precipício.

14 anos depois, e mesmo depois de apenas duas classificações acima do 10ª lugar, a Académica cai com estrondo, um estrondo maior do que os anteriores.

Os riscos, face à perda de referências, são agora maiores e deixam antever que o regresso pode não ser tão imediato assim. Infelizmente, para o clube.

by LUÍS MATEUS: subdiretor do Maisfutebol e pode segui-lo no TWITTER. Além do espaço «Sobe e Desce», é ainda responsável pelas crónicas «Era Capaz de Viver na Bombonera» e «Não crucifiquem mais o Barbosa» e pela rubrica «Anatomia de um Jogo».

2015/16 - 33J - Académica 0 - Sp Braga 0: resumo

2015/16 - 33J - Académica 0 - Sp Braga 0: Descida confirmada



nº espectadores: 4 898 
árbitro: Manuel Mota 

Crónica 

«Sentes que um tempo acabou / primavera de flor adormecida / qualquer coisa que não volta, que voou / que foi um rio, um ar, na tua vida»: o tom é de fim de ciclo, há lágrimas nos rostos, o desfecho é incontornável. A Académica despediu-se este sábado da Liga, ao empatar 0-0 em casa com o Sp. Braga.

A Balada da Despedida do 5.º ano Jurídico de 1988/89 - com que se inicia esta crónica - é a música mais emblemática da serenata que todos os anos marca um fim de ciclo na vida de muitos estudantes, celebrado na Queima das Fitas de Coimbra.

Este sábado, em pleno período da festa estudantil, foi o seu tom lúgubre que marcou o adeus da Briosa à Liga, 14 anos depois. O Sp. Braga nem precisou de fazer uma exibição excepcional para conquistar um ponto e confirmar virtualmente o 4.º lugar, que lhe vale o apuramento para a fase de grupos da Liga Europa, mesmo que não vença a final da Taça de Portugal.

O destino tem destas coisas. Calhou que a Académica se despedisse da Liga contra a única equipa que somava mais épocas seguidas do que ela no primeiro escalão do futebol português, além dos totalistas Benfica, FC Porto e Sporting, Ao fim de 14 épocas seguidas na divisão principal, a Briosa regressa à II Liga (de onde saíra em 2002). A certidão de despromoção foi traçada num fim de tarde sem golos.

A primeira parte valeu pela meia hora inicial. A Académica entrou com vontade de contornar o destino que já parecia traçado: logo aos dois minutos, Nii Plange falhou o desvio a um cruzamento perigoso de Aderlan.

No entanto, a iniciativa de jogo e a posse de bola logo passaram para o Sp. Braga. Wilson Eduardo e Josué cedo ameaçaram as redes de Pedro Trigueira. E, no lance mais perigoso dos minhotos no primeiro tempo, aos 19’, Wilson Eduardo (antigo jogador dos estudantes) aproveitou uma desatenção da defesa da casa, isolou-se diante da baliza e só uma grande defesa do guarda-redes da Briosa evitou o 0-1.

Minutos depois, Pedro Nuno e Gonçalo Paciência comandaram a reação dos rapazes de preto, com um remate por cima e para defesa apertada de Marafona. A partir daí, a Briosa estancou o ascendente bracarense. Mas, com o jogo mais emaranhado no meio-campo, não se viram novas ocasiões até ao intervalo.

A emoção regressou no início da segunda parte, com um remate ao lado de Josué, seguido de um tiro ao poste de Gonçalo Paciência (47’). Oito minutos depois, o avançado emprestado pelo FC Porto forçou Marafona a mais uma defesa aparatosa com as pernas, num remate de longe.

O Sp. Braga não se acomodou com o 0-0 que o deixa virtualmente (mas não matematicamente) no 4.º lugar - tem seis pontos de avanço sobre o Arouca, igualdade no confronto direto, mas muito melhor diferença de golos. Primeiro, Pedro Trigueira teve de se esticar para desviar para canto um livre perigosíssimo de Josué (76’). Depois, no seguimento do novo lance de bola parada, Hassan cabeceou à barra.

Ainda assim, a Briosa lutou até ao fim. Gonçalo Paciência voltou a ameaçar o golo (84’), num remate que Marafona desviou para a barra. E, empurrados pelo público, ainda com coração mas já sem razão, os estudantes lutaram até ao fim. Isso não bastou: em 2016/17, a Balada de Coimbra será ouvida na II Liga. 

Destaques 

Figura: Pedro Trigueira
É sintomático que uma equipa esteja obrigada a ganhar e o seu guarda-redes seja um dos melhores em campo. Trigueira salvou uma mão-cheia de ocasiões de golo do Sporting de Braga e acabou o jogo na área adversária, a tentar o golo que evitasse a confirmação da descida. Se todos tivessem a sua garra e abnegação, provavelmente a Briosa não estaria já condenada à II Liga.

Momento: minuto 84
Quando Marafona desviou para a barra mais um remate de Gonçalo Paciência, esvaíram-se aí as últimas réstias de esperança de a Académica se manter na I Liga. Foi a última grande ocasião de golo dos estudantes, novamente desperdiçada.

Outros destaques:
Marafona: Merecia tanto quanto Pedro Trigueira a distinção de melhor em campo. Por um punhado de vezes, evitou o golo dos estudantes. As suas mãos seguraram o praticamente certo apuramento direto para a fase de grupos da Liga Europa. 

Luiz Carlos: Mostrou mais uma vez que é o pulmão do meio-campo bracarense. Incansável, a defender e a atacar, o médio brasileiro comandou as operações dos minhotos, que tiveram sempre mais posse de bola. Algum desacerto de Wilson Eduardo e Hassan na finalização impediu que os esforços do meio-campo minhoto rendessem a vitória.

Gonçalo Paciência: O avançado foi dos estudantes mais inconformados mas não teve sorte: enviou duas bolas ao poste. Essa infelicidade traçou o destino da equipa de Coimbra: a despromoção.

Opiniões 

Miguel Pinto, treinador-adjunto da Académica, na conferência de imprensa após o empate a zero com o Sp. Braga, que sentenciou a descida da Briosa à II Liga:

«Há um sentimento de tristeza profunda no balneário. Não é fácil viver uma descida de divisão.»

«O que falhou na época? Tivemos vários jogos de grande atitude mas nalguns jogos faltou atitude… e qualidade também. São erros que temos de assumir.»

«Este foi dos melhores jogos que fizemos esta época. Criámos ocasiões mas não as conseguimos concretizar. Faltou a estrelinha da sorte - nalguns jogos, não só hoje.»

«Futuro? Para já vamos a Tondela, para dar o nosso melhor e continuar a trabalhar da mesma maneira. Não atiramos a toalha ao chão. Sabemos que não é possível, mas vamos manter o compromisso até ao fim.»

Paulo Fonseca, treinador do Sp. Braga, na conferência de imprensa após o empate em Coimbra:

«Lamento a descida da Académica, é um clube que faz falta à I Liga e espero que suba no próximo ano. Nós, confirmámos aqui um dos objetivos da época. Podíamos ter vencido. A Académica também teve oportunidades, mas foi um jogo sempre sob nosso domínio, com eles a defender mais baixo e procurarem desequilíbrios nossos para sair em contra-ataque.»

«Agora, queremos  preparar o próximo jogo, com o Sporting, só depois disso pensaremos no jogo da Taça.»

«Um dos nossos objetivos era conseguir qualificação direta para a Liga Europa e isso está praticamente consumado, com uma diferença de golos de 14 a mais do que o Arouca. Fazer mais pontos do que a época passada não era um objetivo traçado. Queríamos era fazer uma melhor segunda volta do que a primeira e conseguimo-lo. Tal como conseguimos ficar nos quatro primeiros, que era nossa intenção desde início do campeonato, sabendo que era muito difícil ficar nos três primeiros.»

«Quanto à lesão de Boly, vai ser avaliado, vamos ver.»

Ao minuto 

90'FIM DO Académica, (0) - Sp. Braga, (0)
Nulo atira a Académica para a II Liga. A formação de Coimbra precisava de vencer, mas só conquistou um ponto diante do Sp. Braga. Já a formação bracarense garantiu o quarto lugar com este empate.
90'Último lance na partida. Até Pedro Trigueira sobe à área.
90'Vão jogar-se mais três minutos.
89'Cartão amarelo para Hugo Seco.
87'Entra William Gustavo (Académica)
87'Sai Pedro Nuno (Académica)
87'Sp, Braga!! Pedro Trigueira tira o golo a Hassan.
84'Académica!! Gonçalo Paciência remata à baliza, Marafona ainda toca no esférico e manda-o à barra.
83'Entra Rabiola (Académica)
83'Sai Leandro Silva (Académica)
78'4898 espectadores em Coimbra.
77'Sp. Braga ao ferro!!
76'Pedro Trigueira!! Excelente defesa a remate de Josué, de livre.
76'Entra Alan (Sp. Braga)
75'Sai Rafa Silva (Sp. Braga)
75'Cartão amarelo para Fernando Alexandre.
74'Livre lateral para a Briosa.
74'Pouco mais de 20 minutos para a Académica conseguir ainda lutar pela permanência.
70'Entra Marinho (Académica)
70'Sai Nii Plange (Académica)
69'Cartão amarelo para Rafa Silva.
66'Goiano remata para fora.
64'Entra N. Stojiljkovic (Sp. Braga)
64'Sai Wilson Eduardo (Sp. Braga)
64'Entra Ricardo Ferreira (Sp. Braga)
64'Sai W. Boly (Sp. Braga)
63'Boa iniciativa de Wilson Eduardo, a entrar na área e a rematar à baliza. Valeu João Real a cortar.
55'Marafona!! Boa defesa a remate de Gonçalo Paciência
48'Responde a Académica, através de Gonçalo Paciência.
47'Josué remata ao lado da baliza de Trigueira.
46'Recomeça o Académica - Sp. Braga
45'Intervalo no Académica - Sp. Braga
45'Livre para o Sp. Braga, com a bola a chegar facilmente às mãos de Pedro Trigueira.
45'Vão jogar-se mais dois minutos.
40'André Pinto regressa ao jogo, já depois de ter de mudar de calções devido ao sangue.
39'Prossegue o encontro.
37'André Pinto recebe assistência médica, devido a forte sangramento no nariz.
36'Cartão amarelo para Iago Santos.
32'Leandro Silva remata ao lado.
27'De resto, com a chegada dos retardatários, as bancadas centrais inferiores do Estádio Cidade de Coimbra estão bem compostas.
26'Os remates perigosos de Pedro Nuno e Gonçalo Paciência “acordaram” o público afeto à Briosa, que se vai juntando aos cânticos de apoio da claque Mancha Negra, que não se tem calado desde o primeiro minuto.
23'Gonçalo Paciência!! Remate rasteiro à entrada da área, para defesa de Marafona.
22'Pedro Nuno recebe de Gonçalo Paciência à entrada da área, mas remata por cima da baliza.
19'Pedro Trigueira!! Marafona entrega longo para Wilson Eduardo, o avançado isola-se e remata, mas o guardião da Briosa defendeu com uma palmada.
16'Mauro, do meio da rua, atira ao lado da baliza de Trigueira.
14'Goiano tenta assistir Wilson Eduardo na área, mas Iago levou a melhor.
13'Josué tenta surpreender, mas Pedro Trigueira estava atento.
8'Wilson Eduardo cabeceia ao lado da baliza de Pedro Trigueira.
2'Cruzamento pela direita com o extremo a falhar o remate de baliza aberta. Marafona já estava fora do lance.
2'Nii Plange falha a oportunidade de fazer o 1-0.
1'Começa o Académica - Sp. Braga
0'Um minuto de silêncio antes do apito inicial em memória do árbitro Paulo Paraty.
0'Ouve-se a tradicional Balada de Coimbra: entram as três equipas no relvado.
0'Recolhem agora também os da Briosa.
0'O Sp. Braga já recolheu aos balneários, enquanto os jogadores da Académica ainda se exercitam no relvado.
0'Obrigada a vencer para manter ténues esperanças de escapar à descida de divisão, a Académica tentou trazer público ao estádio: cada sócio tem direito a cinco bilhetes grátis e estudantes universitários também não pagam. No entanto, o clima chuvoso e o facto de este ser fim-de-semana de Queima das Fitas pode afastar o público-alvo do Estádio Cidade de Coimbra, que se mantém muito despido a 15 minutos do início da partida.
0'Entretanto, já entraram as duas equipas para os exercícios de aquecimento – a da Briosa ovacionada pelas dezenas de público que já estão nas bancadas ainda despidas do Estádio Cidade de Coimbra.
0'Tem caído uma chuva miudinha mas persistente durante todo o dia.
0'Pediram acreditação para assistir ao jogo representantes de Atalanta (Itália), Guingamp (França), Steaua Bucareste (Roménia), Trabzonspor (Turquia) e Tondela, o adversário da Académica na última jornada da I Liga (no que pode ser um jogo de vida ou morte para estudantes e tondelenses… se ainda chegarem lá com hipóteses matemáticas de permanecer no escalão principal).
0'Suplentes do Sp. Braga: Matheus, Ricardo Ferreira, Ringstad, Alef, Aaron Ñiguez, Alan e Stojiljkovic.
0'Suplentes da Académica: João Gomes, Gustavo, Makonda, Nuno Piloto, Rui Pedro, Marinho e Rabiola.
0'Sp. Braga: Marafona; Marcelo Goiano, André Pinto, Boly e Djavan; Josué, Luiz Carlos, Mauro e Rafa; Hassan e Wilson Eduardo.
0'Académica: Pedro Trigueira; Aderlan, João Real, Iago e Rafa; Fernando Alexandre, Leandro Silva e Pedro Nuno; Nii Plange, Gonçalo Paciência e Hugo Seco.
0'Já há onzes!
0'Académica e Sp. Braga vão encontrar-se pela 43.ª vez em Coimbra, em jogos do campeonato. Ainda assim, a equipa da casa não tem conseguido sobrepor-se em demasia aos brancarenses. No total, a Académica venceu 15 encontros e perdeu 12, enquanto o empate se registou no último jogo e noutras 14 ocasiões
0'Ausências da Académica: Ricardo Nascimento e Rafael Lopes; ausências do Sp. Braga: Vukcevic, Pedro Santos, Filipe Augusto e Rui Fonte.
0'Paulo Fonseca (Sp. Braga): «Estamos virados para o nosso objetivo, que é garantir matematicamente o quarto lugar. Este jogo vai realizar-se com esta especificidade de garantir o quarto e a Académica ter de vencer para se manter na Liga. O empate não serve, de todo, ao adversário. Presumo em função disto, um jogo aberto, com as duas equipas a tentar vencer.»
0'Filipe Gouveia (Académica): está suspenso pela Liga e não fez antevisão ao encontro.
0'O Sp. Braga quebrou em abril, por estar ainda em quatro frentes, mas tem o quarto lugar praticamente garantido. O empate serve à formação bracarense, que tem o Arouca a cinco pontos de distância. Na jornada anterior, o Sp. Braga recebeu e venceu o V. Setúbal, por 3-2, mas vem de uma derrota na Luz, que lhe custou o afastamento da final da Taça da Liga.
0'A Académica caiu para o último lugar da Liga na última jornada e tem a permanência muito complicada. Para além de não depender de si mesma, a Briosa tem tido dificuldades em pontuar. Não vence desde 6 de março, na receção ao V. Guimarães e desde aí só conquistou dois pontos: um em Moreira de Cónegos e outro em Belém.
0'Por sua vez, o Sp. Braga pode encarar este encontro de outra forma, mas também o vê como importante já que pelo menos o empate lhe garante matematicamente o quarto lugar.
0'Vencer é o único cenário que pode ajudar os estudantes a manter a esperança na manutenção, mas o U. Madeira também tem de ceder no Bessa para que a descida não se sentencie já.
0'É difícil que isso não aconteça, mas ainda há seis pontos em disputa. A Académica e o Tondela estão igualados na tabela, com 24 pontos, e têm o U. Madeira a cinco de distância. Por isso, este encontro é fundamental para a equipa de Coimbra.
0'A Académica recebe o Sp. Braga numa semana em que os estudantes de Coimbra estão em festa com a Queima das Fitas e na qual esperam que não se oiça de novo a Balada da Despedida, que é como quem diz da descida.
0'Boa tarde! O Maisfutebol já está no Estádio Cidade de Coimbra para lhe contar tudo sobre este Académica-Sp. Braga. Fique por aí!
Acompanhe aqui o AO MINUTO deste jogo dia 7 Mai 2016 às 18:30

Contestação 

Os adeptos da Académica despediram-se dos jogadores com alguns aplausos e gritos de apoio, para quem tinha deixado tudo em campo, na última «final», para evitar a despromoção. Mas, à saída do estádio, cerca de uma centena não escondeu a insatisfação com a confirmação da queda na II Liga.

Ouviram-se insultos, críticas ao treinador Filipe Gouveia, e intensos pedidos de demissão do presidente do emblema conimbricense, José Eduardo Simões. «Demissão! Demissão!» foi a palavra de ordem, à saída da equipa, sob fortes medidas de segurança.

De resto, os rostos da contestação dos apoiantes da Briosa não deram a cara na hora da descida. Nem Filipe Gouveia nem José Eduardo Simões compareceram na sala de imprensa do Estádio Cidade de Coimbra, após o empate com o Sp. Braga (0-0) que confirmou a descida à II Liga, 14 anos depois. Miguel Pinto, adjunto de Gouveia (que está suspenso preventivamente pela Liga), lamentou a falta de sorte da equipa, mas reconheceu que lhe faltou «atitude e qualidade» ao longo da época.

in maisfutebol e AAC-OAF